< ] ^ ] > ] 

 

[ Página Anterior ] [ Versão Chinesa ]


REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

Anúncios notariais e outros

1.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

晴宇體育會

為公布之效力,本人證明於二零零三年五月二日在本公證署存檔了一份“晴宇體育會”章程的樣本,編號為23/2003,其內容如下:

第一章

總則

第一條——本會定名:晴宇體育會,葡文名稱:Clube Desportivo Cheng U,英文名稱:Fine Space Sport Club。

第二條——會址:澳門筷子基和樂坊第一街41號宏昌大廈1樓F座。

第三條——宗旨:培養青少年對運動的興趣及熱誠;積極參與各類體育比賽及活動;本會為非牟利機構。

第二章

會員加入、權利、義務、退出、除名

第四條——加入:凡對體育熱愛者,填寫本會表格後經理事會批准便可成為會員。

第五條——權利:有選舉及被選舉權、可參與本會舉辦的一切活動及享用本會設施。

第六條——義務:遵守本會一切規條、參與本會舉辦的活動、按時繳交年費。

第七條——退出:需在一個月前通知理事會,退出後會費均不會發還。

第八條——除名:凡破壞本會聲譽及規條或無故欠交會費超過三個月之會員,經會員大會核實後均會被除名,會費絕不退還。

第三章

組織、任期、會議

第九條——本會設有以下幾個機構:會員大會,理事會,監事會;其中機構成員均由會員在會員大會上以不記名方式投票選出,每屆任期三年,重選可得連任。

第十條——會員大會為最高權力機構,設主席、副主席及秘書各一人,其職權為負責制定或修改章程及會徽,批核理事會工作報告及活動。

第十一條——理事會為行政機構,理事會設理事長、副理事長、秘書、財政及委員各一人;其職權為計劃各類活動、日常會務、執行會員大會決議及提交工作報告。

第十二條——監事會為監察機構,設主席、副主席及秘書各一人,主要職權為監察年度帳目及會員有否違規行為。

第十三條——會員大會一年召開一次,由理事會最少提前八日以書面形式聯絡各會員參加,通知上須列明開會之日期、時間、地點及議程,大會決議需由會員過半數表決方能通過;如有特別事故,且有半數以上會員提出,經理事和監視會通過可召開特別會員大會。

第四章

經費

第十四條——經費來源為會員每年繳交之澳門幣50元會費、會員捐贈及其他機構資助。

第五章

章程遺漏及修改、會徽

第十五條——本章程如有遺漏或錯誤,由會員大會修改。

第十六條——本會會徽:

與正本相符。

二零零三年五月五日於第一公證署

一等助理員 Ivone Maria Osório Bastos Yee


1.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門花藝設計師學會

為公布之效力,本人證明於二零零三年五月二日在本公證署存檔了一份“澳門花藝設計師學會”章程的樣本,編號為22/2003,其內容如下:

第一章

總則

第一條——本會定名為「澳門花藝設計師學會」;

葡文:Associação de Academia de Arranjos Florais (Macau);

英文:The Macau Academy of Flower Arrangement Designer。

本會是一個非牟利社團,並受本章程及本澳現行法例管轄。

第二條——(一)本會會址設於:澳門白馬行余敦善堂里11號永昌大廈A舖。

(二)經理事會決議後,本會會址可遷至本澳任何地方。

第三條——本會成立之目的:

是為一群愛好花藝藝術者及“佩華花藝學院”花藝導師所成立組織。近年所舉辦的花藝課程及表演活動均得到各位同學、社會人士及同業的支持和參與,現為增加同學們之間互相溝通切磋、花藝資訊交流和凝聚力,讓大家透過本會獲悉更多本澳及海外有關花藝之活動。

第四條——本會宗旨為:

(一)透過本會舉辦的花藝活動及課程,加深各界對花藝之認識及興趣,以推動本澳花藝之發展;

(二)籌劃各項慈善活動及示範表演,以回饋社會。

第一節

機關之架構

第五條——本會機關為:

(一)會員大會;

(二)理事會;

(三)監事會;

(四)本會機關之成員,是經由會員透過不記名投票選出,任期為三年,連選得連任;

(五)凡被裁定觸犯相等於監禁處分之普通法例的不法行為之人士均沒有被選舉權。

第二節

會員大會

第六條——會員大會由全部具有投票權之會員組成,是本會最高權力機關。

第七條——(一)會員大會是由一名會長,兩名副會長,一名秘書主持,成員由本會有投票權之會員中選出。

(二)會長負責主持大會之工作及頒佈會議開始及結束。當會長缺席時,其職責由副會長擔任。

第八條——(一)會員大會的召集人,必須在最少八日前,以郵遞方式通知各會員,並註明會議日期、時間、地點及議程。

(二)會員大會在第一次會議,須有半數或以上的會員出席,方可作出決議。若出席的會員少於法定人數,則作出第二次會議之召集人。在三十分鐘後,不論出席之會員人數多少,均可作出決議。

(三)對於本會章程之修改決議,需有出席會員的四分之三贊成方可通過。

(四)對於本會之解散決議,需有最少全體會員的四分之三贊成方可通過。

第三節

理事會

第九條——(一)本會的管理及在法庭內外的代表,均由理事會負責;而理事會是由一名理事長、兩名副理事長、一名財務及多名理事組成,理事會組成人員將為單數。理事會成員由會員大會從有投票權之會員中選出,連選得連任。

(二)理事長缺席時,將由一名被指定的副理事長代替。

第十條——(一)理事會每三個月召開會議一次。

(二)理事會的決議,是由出席成員多數票作出。若贊成及反對票數相等時,理事長有權投出決定性壹票。

第四節

監事會

第十一條——本會的活動之監察是由監事會負責,該會成員由會員大會選出三位會員組成,包括一名監事長,兩名副監事。

第二章

經費

第十二條——本會的收入來源為:

(一)會員繳交的入會費及年費;

(二)會員及各界人士對本會之捐贈及資助。

第十三條——(一)本會之支出由本身收入負擔。

(二)本會之支出只能用於貫徹本會宗旨之活動。

(三)本會的開支,除了日常的管理費用可由理事長、代理事長批准外,其他一切開支,必須由多數理事會的成員贊成方可得通過。

第三章

附則

第十四條——對本章程或內部規章的理解或執行時所產生的疑問,將由理事會解決,但必須在下一次會員大會追認。

第十五條——(一)本會之創立人組成籌委會,並負責組織本會各機關第一屆成員的選舉事宜。

(二)在選舉舉行前,新會員之接納由籌委會決定。

與正本相符。

二零零三年五月五日於第一公證署

一等助理員 Ivone Maria Osório Bastos Yee


1.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門中山公園之友體育會

為公布之效力,本人證明於二零零三年五月二日在本公證署存檔了一份“澳門中山公園之友體育會”章程的樣本,編號為21/2003,其內容如下:

第一條——名稱及會所:

中文名稱:澳門中山公園之友體育會,葡文名稱:Associação Desportiva dos Amigos do Jardim Municipal Dr. Sun Yat Sen de Macau,英文名稱:Macau Sports Association of Jardim Municipal Dr. Sun Yat Sen。是一個不牟利健康娛樂體育社團。

會所設在:澳門文第士街22號A地下。

第二條——宗旨:

1. 推廣和發展羽毛球及排球運動;

2. 增進與本地及外地同類社團的會作及技術交流。

第三條——會員:

凡贊同和遵守本會章程者,均可申請加入本會。經本會一名會員介紹由理事會審查通過後,方為本會正式會員。

第四條——會員的權力:

1. 參加本會的會員大會;

2. 選舉及被選舉權;

3. 參加本會的活動。

第五條——會員的義務:

1.遵守章程的規定;

2. 繳交會費。

第六條——會員若不遵守本會章程或言行有損害本會聲譽,經理事會議決後得開除會籍。

第七條——本會設有會員大會、理事會和監事會。當中成員是在會員大會上由選舉產生。任期兩年,並可連任。

第八條——會員大會由所有會員組成是本會最高的權力機構,設會長一名、名譽會長多名、副會長多名、及秘書一名。會員大會每年需要召開一次會議,由會長召集之,大會之召集須最少提前 8 日以掛號信方式為之或透過簽收方式而為之。召集書內應提出會議之日期、時間、地點及議程,如理事會認為有必要或三分之一以上會員聯署要求時,得召開臨時大會。會員大會之職權如下:

1. 修改會章之決議,須獲出席會員四分之三或以上之贊同票;

2. 選舉會長、理事會成員及監事會成員;

3. 決定工作方針,任務和工作計劃;

4. 審查本會之財政報告。

第九條——理事會是本會最高的執行機構,負責管理社團(包括行政,財政和紀律管理)。

理事會設理事長一人、副理事長一人、秘書一人、財政一人及理事一至十一人所組成。由會員大會選舉產生,成員人數永遠是單數。其職權如下:

1. 執行會員大會決議;

2. 向會員大會提交工作報告及財務報告;

3. 負責處理會內一切日常事務。

第十條——監事會由三位或五位會員經會員大會選舉產生後組成,設監事長一人、副監事長一人和秘書一人或三人。

監事委員會負責對本會管理工作之監督;對理事會之報告、財政預算及其他事項提出書面意見或成員可參加理事會會議,但在會議中無表決權。

第十一條——本會的主要財政來源是會費,捐獻和資助。

第十二條——本章程若有未盡善之處由會員大會修訂解決。

與正本相符。

二零零三年五月五日於第一公證署

一等助理員 Ivone Maria Osório Bastos Yee


1.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

預防及控制愛滋病協會

為公布之效力,本人證明於二零零三年四月三十日在本公證署存檔了一份“預防及控制愛滋病協會”章程的樣本,編號為20/2003,其內容如下:

第一章

名稱、性質、會址及宗旨

第一條——設立一非牟利社團,中文名為“預防及控制愛滋病協會”, 簡稱為“愛滋病協會”,葡文名為“Associação de Prevenção e Controle da SIDA”, 簡稱為“APC-SIDA”, 英文名為“Association for Prevention and Control of AIDS”, 會址設於澳門特別行政區荷蘭園正街 32 號一樓 I 座,存立期為不確定。

第二條——愛滋病協會的宗旨為:

a)推動與調查及預防愛滋病有關的活動;

b)推廣及協助對抗愛滋病的活動;

c)協助衛生官方實體及任何個人或團體宣傳預防愛滋病的方法;

d)資助研究愛滋病的工作,尤其是臨床醫學及微生物學的研究工作、推廣研究工作或項目的公佈;

e)與澳門特別行政區或外地的同類實體訂立合作關係。

第二章

會員

第三條——愛滋病協會設有下列級別的會員:

a)創會會員:簽訂本會設立文書者;

b)正式會員:申請並獲理事會接納為會員的團體及年滿十八歲的個人;

c)慈善會員:因向愛滋病協會作出捐贈,而獲會員大會冠以此名義的個人或團體;

d)名譽會員:因向愛滋病協會提供卓越貢獻,而獲會員大會冠以此名義的個人或團體。

第四條——一、加入成為正式會員者,須填寫一份式樣經理事會通過的申請書,並須由兩名愛滋病協會會員推薦。

二、上款所指的申請書由理事會在接收後的首次會議上審議,並決定接納或拒絕加入。

第五條——正式會員,除法律及本章程所定的其他權利外,還有權:

a)出席會員大會,並在大會提出、討論及表決決議案;

b)選舉及被選舉本會機關;

c)參與由愛滋病協會舉辦的活動。

第六條——慈善會員及名譽會員均獲賦予與正式會員相同的權利,但在本會機關中無投票權。

第七條——正式會員有義務:

a)遵守本章程、內部規章的規定,以及本會機關的決議;

b)在其能力所及的範圍內,為發揚愛滋病協會的宗旨、發展及名聲作貢獻;

c)參與其所屬的本會機關的會議;

d)接受被選出擔任的職務及執行被交託處理的會務。

第八條——遇有下列情況,可構成喪失會員資格:

a)以致給理事會的書面通知,表示放棄愛滋病協會會員資格者;

b)因作出任何嚴重違反本章程或內部規章的規定,或作出任何有損愛滋病協會宗旨的行為,而被會員大會應理事會的建議議決開除者。

第三章

機關

第九條——愛滋病協會設有下列機關:

a)會員大會;

b)理事會;

c)監事會。

第十條——一、由全體會員組成的會員大會為愛滋病協會的最高權力機關,且有以下的專屬權限:

a)通過及修訂本章程;

b)選舉愛滋病協會其他機關;

c)訂定愛滋病協會的活動方針;

d)決定愛滋病協會收入的運用;

e)審議及通過理事會的年度報告及帳目;

f)審議及通過愛滋病協會的年度活動計劃及預算;

g)委任慈善會員及名譽會員。

二、會員大會,在第一次的召集時,只能在超過半數以上成員出席下方得議決,但在三十分鐘後的第二次召集不論出席會議的會員多寡也得議決。

三、會員大會的決議取決於出席會員的絕對多數票,但法律要求更多的票數者,不在此限。

第十一條——一、會員大會每年舉行一次平常會議,以討論及表決理事會提交的上一年度報告及帳目,以及討論及表決愛滋病協會的明年活動計劃及預算;會議由會員大會主席提前八日以書面形式召集,召集書上須列明開會之日期、時間、地點及議程。

二、會員大會特別會議得由會員大會主席、理事會或監事會主動召集,或應不少於五分之一的全體會員的申請而由會員大會主席召集;會員大會特別會議亦應以同樣方式召集。

第十二條——一、理事會由會員大會每兩年選出的一名主席、一名秘書及一名司庫組成。

二、理事會成員可連選連任。

第十三條——一、理事會中設有一名擔任愛滋病協會禮儀代表職務、無投票權的名譽主席。

二、名譽主席由出任衛生局局長職務者擔任。

第十四條——一、理事會的權限為:

a) 負責愛滋病協會的管理及運作、編製交由會員大會通過的年度報告及帳目,以及年度活動計劃及預算;

b) 草擬內部規章及有關修訂本,並將之交由會員大會通過;

c) 在法院內外代表愛滋病協會,並以主席的簽名使本會負起責任;

d) 執行會員大會的決議;

e) 議決愛滋病協會加盟同類國際組織,並申請成為該等組織的會員;

f) 執行本章程或內部規章的規定。

二、理事會的決議取決於多數票。

第十五條

一、理事會主席的權限為:

a) 代表理事會;

b) 協調理事會的活動,並召集及主持有關的會議;

c) 在票數相同時行使決定性的票;

d) 負責正確執行所作的決議;

e) 行使本章程及內部規章賦予的其他權限。

二、主席可將其權限授予理事會任何一名成員。

第十六條——一、監事會由會員大會每兩年選出的一名主席及兩名委員組成。

二、監事會成員可連選連任。

第十七條——監事會的職責為:

a) 監察理事會的活動;

b) 就理事會的年度報告及帳目發出意見。

第四章

收入

第十八條——下列者為愛滋病協會的收入:

a) 本會資產的收益;

b) 贈與、遺產及捐贈;

c) 澳門特別行政區所賦予的津貼,以及當地、國際及外國的官方或私人實體或組織所給予的其他捐助;

d) 從愛滋病協會所舉辦的活動的募捐及所得;

e) 來自從愛滋病協會的活動所產生的知識產權及印發刊物的收入;

f) 銀行帳戶的利息;

g) 其他收入。

第五章

選舉

第十九條——一、愛滋病協會各機關的候選名單最遲於投票日八日前交予會員大會主席團主席。

二、名單應包括理事會兩名候補成員、監事會兩名候補成員及會員大會主席團一名候補成員。

三、在成員失去任期或放棄任期,以及在正選成員不在或因故不能視事時,由被選出的該機關候補成員代任。

第六章

最後及過渡規定

第二十條——一、愛滋病協會各機關的首屆據位人由會員大會自公報本章程摘錄起三個月內選出。

二、在進行上款所定的選舉前,愛滋病協會由創會會員所組成的籌設委員會暫代管理。

與正本相符。

二零零三年四月三十日於第一公證署

一等助理員 Ivone Maria Osório Bastos Yee


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

中山新邨業主聯誼會

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零零三年五月二日,存檔於本署之1/2003/ASS檔案組內,編號為38號,並登記於第3號“獨立文書及其他文件之登記簿冊”內,編號為96號,有關條文內容如下:

中山新邨業主聯誼會章程

第一條

會址與目標

一、本會之名稱為中山新邨業主聯誼會。

二、本會會址設於澳門媽閣街36-38號大廈三樓大廳。

三、本會之目的是在澳門法律制度下保障業主的合法權益,以利業主安居樂業。本會是非牟利團體。

第二條

適用範圍及效力

一、中山新邨住宅單位業主住戶均可加入成為業主會會員。

二、本會會員限於本大廈第三、第四座業主住戶。

第三條

會員的權利與義務

一、會員的權利:

A.參加全體會員大會;

B.有投票權、選舉權和被選舉權;

C.參加業主會舉辦的活動;

D.行使由法律賦予的權利。

二、會員的義務:

A.出席大會的會議及於會上表決事項;

B.遵守業主會章程和決議;

C.向業主大會及其常設理事會執行理事提供大廈資料和情況;

D.建立睦鄰互助關係。

第四條

全體會員大會

一、全體會員大會是業主會的最高權力機構,由所有業主組成。每年召開會議一次,至少十天前通知召集。

二、經五分之一的業主提議或經理事會過半數的要求,可召開緊急會議。

三、全體會議的職能:

A.審議業主會的報告;

B.選舉產生理事會和監事會;

C.決定業主會財政基金的使用方式;

D.修改業主會章程;

E.罷免本屆理事會。

四、舉行大會的限制:開會時,如人數不足半數,則順延一小時舉行,屆時則不論人數多寡,會議如期舉行,決議則以出席者之多數票通過而作實。

第五條

理事會

一、理事會由二十一名理事組成。通過理事互選產生理事長一名,副理事長二名,秘書長一名,其他為理事。

二、理事會任期兩年,由會員大會選出,可連選連任。

三、理事會互選出會員大會主席團,負責召開會議,主持會議和編寫會議記錄,並代表出席大會之小業主簽署會議記錄等工作。主席團設主席一名,各職能由理事會中互選產生。

四、理事會理事在任職期間如將其單位出售,而該理事已不是本大廈之小業主時,其職位立即罷免。而其職位可由理事會邀請另一名小業主填補,但必須經過理事會開會以決議通過。

五、理事會若有需要時,由理事長召開會議。會議之決定須經各出席委員之多數通過,票數相同時,主席之投票具有決定性。

六、理事會的職能:

A.執行全體會員大會的決議,決議以多數人的意見通過;

B.理事會的事務及發表工作報告;

C.召開全體會員大會;

D.理事會在全體大會閉會期間,代表小業主執行大會決議全權處理大廈一切事務;

E.於大會舉行前十天發出會議議程;

F.於大會舉行後十五天內將會議記錄張貼於本大廈大堂。

第六條

監事會

一、監事會由3名監事組成。任期兩年,由會員大會選出,可連選連任。

二、監事會通過互選產生一名監事長。

三、監事會的職權:

A.審核理事會的工作報告。

四、監管業主會的收支。

五、監事會監事在任期間如將其單位出售,而該監事已不是本大廈之小業主時,其職位立即罷免。而其職位可由理事會或監事會邀請另一名小業主填補,但必須經過理事會開會以決議通過。

第七條

以上未有列明之情況,概以《民法典》有關規定為依據而處理之。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dois de Maio de dois mil e três. - A Ajudante, Chok Seng Mui.


FUNDO DE PENSÕES "BRIGHT-RETIRE"

Com efeitos a partir da presente data, após a obtenção da devida autorização da Autoridade Monetária de Macau, a Companhia de Seguros de Macau Vida, S.A. procede a alterações a diversos artigos do Regulamento de Gestão do Fundo de Pensões "Bright-Retire", os quais passam a ter a seguinte redacção:

Alterações

Regulamento de gestão

(...)

Artigo quarto

Depositários

As instituições depositárias dos títulos de crédito e de outros documentos representativos dos valores que integram o Fundo, adiante designadas por depositários, são a Fiduciary Trust Company International, com sede em 600 Fifth Avenue, Nova York, NY 10020-2302, Estados Unidos da América, e a UBS AG, com sede em Zurique, Suíça, através da sua sucursal sita em 25/F One Exchange Square, 8 Connaught Place, Central, Hong Kong.

Artigo quinto

Património do Fundo

(...)

5.2 O património do Fundo é autónomo, não respondendo por dívidas de associados, contribuintes, participantes, beneficiários, depositários, entidade gestora, bem como de eventuais entidades mandatadas para a gestão de investimentos.

(...)

Artigo décimo terceiro

Remuneração da entidade gestora e depositários

(...)

13.3 Como remuneração dos serviços de gestão financeira e pagamento dos custos associados à remuneração dos depositários e de eventuais entidades mandatadas para a gestão de investimentos, a Macau Vida cobrará trimestralmente uma comissão a cargo do Fundo, calculada mensalmente pela aplicação ao valor líquido global do Fundo de uma taxa mensal máxima de 0,08(3)% ficando desde já autorizada a movimentar a débito a conta do Fundo pelo montante global da comissão.

Macau, aos três de Abril de dois mil e três. - Paulo Barbosa, Director-Geral Adjunto - José Reino da Costa, Administrador Executivo.


東亞銀行-澳門分行

試算表

於二零零三年三月三十一日

總經理
黃偉興

會計主管
黃志明


BANCO DA EAST ASIA, LIMITADA, SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2002

Demonstração de resultados do exercício de 2002

Conta de exploração

Conta de lucros e perdas

O Gerente-Geral da Sucursal de Macau
Wong Wai Hing
O Chefe da Contabilidade,
Wong Chi Ming

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os directores do Banco da East Asia, Limitada
Referente ao Banco da East Asia, Limitada - Sucursal de Macau

Examinámos, de acordo com as Normas Internacionais de Auditoria, as contas do Banco da East Asia, Limitada - Sucursal de Macau, referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2002, e a nossa opinião sobre as contas está expressa, sem reservas, no nosso relatório datado de 28 de Março de 2003.

Em nossa opinião, as contas resumidas estão de acordo com as contas atrás referidas das quais elas resultaram.

Para uma melhor compreensão da posição financeira e dos resultados das operações da Sucursal, durante o exercício, as contas resumidas devem ser analisadas em conjunto com as correspondentes contas auditadas.

KPMG.

Macau, aos 28 de Março de 2003.

Banco da East Asia, Limitada, Sucursal de Macau

Síntese do relatório de actividade

"Prestar incansavelmente os melhores serviços financeiros; cumprir os mais exigentes critérios profissionais e de credibilidade; elevar constantemente a qualidade dos serviços a fim de satisfazer as necessidades dos clientes, e progredir conjuntamente com os clientes, sócios e colegas" é o lema do Banco da East Asia, Limitada.

No ano passado, a Sucursal conheceu um desenvolvimento estável, sendo cada vez mais popular junto dos residentes de Macau. Com o apoio dos diversos sectores sociais da comunidade e a contribuição árdua dos colegas, a nossa actividade teve um grande aumento em comparação com o ano anterior, os créditos atingem 168 milhões de patacas, ou seja 10 vezes mais. Por outro lado, os depósitos atingem 212 milhões de patacas, registando um aumento de 2 vezes. Embora a Sucursal ainda não tenha registado lucro no exercício de 2002, os prejuízos foram reduzidos em mais de 900 mil patacas.

No ano de 2003, continuaremos a prosseguir os objectivos acima mencionados, a fim de oferecer um serviço bancário de qualidade aos cidadãos de Macau, empenhando-nos em melhorar a eficiência operacional e a qualidade do serviço, colaborando activamente no desenvolvimento das pequenas e médias empresas para progredirmos lado a lado com a economia de Macau.

Banco da East Asia, Limitada, Sucursal de Macau.

O Gerente-geral,
Wong Wai-Hing


澳門國際銀行有限公司

試算表

於二零零三年三月三十一日

總經理
葉啟明

總會計師
蔡麗霞


BANCO SENG HENG, S.A.

Balancete do razão em 31 de Março de 2003 (Consolidado)

Administrador Executivo e Gestor Principal,
Huen Wing Ming, Patrick

Sub-Gerente Geral,
Bao King To

BANCO SENG HENG, S.A.

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

Administrador Executivo e Gestor Principal,
Huen Wing Ming, Patrick

Sub-Gerente Geral,
Bao King To

SOCIEDADE FINANCEIRA SENG HENG CAPITAL ÁSIA, S.A.R.L.

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

Administrador Executivo e Gestor Principal,
Huen Wing Ming, Patrick

Sub-Gerente Geral,
Bao King To

 

THE HONGKONG AND SHANGHAI BANKING CORPORATION LIMITED
Incorporated in the Hong Kong SAR with limited liability
Macau Branch

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

Chief Executive Officer, Macau
Yam Wing Lok

Financial Controller, Macau
Wong Sio Cheong


澳門永亨銀行有限公司

試算表於二零零三年三月三十一日

總經理
李德濂

財務主管
吳佳民


台北國際商業銀行股份有限公司

澳門分行

試算表於二零零三年三月三十一日

分行經理
林志鴻

會計主任
李建華


STANDARD CHARTERED BANCO, MACAU BRANCH

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

O Gerente-Geral,
Chan Kin Yip

O Chefe da Contabilidade,
Winnie Lou


BANCO NACIONAL ULTRAMARINO, S.A.

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

Patacas

A Chefe da Contabilidade,
Kan Cheok Kuan

Presidente da Comissão Executiva,
Herculano de Sousa


BANCO DELTA ÁSIA S.A.R.L.

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

Q-5

OAdministrador,
Ng Chi Wai

O Chefe da Contabilidade,
Koon Kin Wai


CITIBANK N.A. MACAU

Balancete do razão em 31 de Março de 2003

O Administrador,
Alex Li
Branch Manager

O Chefe da Contabilidade,
Adonis Ip
Vice-president


BANCO DE TAIPÉ INTERNACIONAL, S.A. - SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2002

Demonstração de resultados do exercício de 2002

Conta de exploração

Conta de lucros e perdas do exercício de 2002

Gerente-Geral,
Kevin Chiou

O Chefe da Contabilidade,
Jeffrey Lee

Síntese do relatório de actividade

No ano anterior, a economia de Macau conseguiu afirmar-se da depressão global e experimentou um crescimento satisfatório. Isto foi devido principalmente ao papel activo desempenhado pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau em incentivar investimentos, especialmente a oportunidade trazida pela abertura da actividade de exploração do jogo.

Apesar da prospectiva positiva na economia de Macau, problemas tais como concorrência intensiva entre instituições financeiras, estreitamento das margens de taxas de juro, dificuldades na operação de crédito, etc., continuam a persistir na indústria financeira. A nossa Sucursal pôde crescer consistentemente e obteve o objectivo esperado com os esforços de todos os colaboradores da nossa Sucursal.

Esperamos que com motivação trazida por vários desenvolvimentos em infra-estruturas e actividades offshore no próximo ano, a nossa Sucursal possa participar nestas oportunidades. Baseado na fundações alicerçadas, a nossa Sucursal pode operar efectivamente e fornecer serviços compreensivos aos clientes de diferentes sectores.

Kevin Chiou,
Gerente-Geral.

Síntese do parecer dos auditores

Ao Gerente-Geral do Banco de Taipé Internacional, S.A. - Sucursal de Macau

Examinámos, de acordo com as normas internacionais de auditoria, as demonstrações financeiras do Banco de Taipé Internacional, S.A. - Sucursal de Macau referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2002, e a nossa opinião sobre as demonstrações financeiras está expressa, sem reservas, no nosso relatório datado de Janeiro de 2003.

Em nossa opinião, as contas financeiras resumidas estão de acordo com as demonstrações financeiras atrás referidas das quais elas resultaram.

Para uma melhor compreensão da posição financeira e dos resultados das operações da Sucursal, durante o exercício, as contas financeiras resumidas devem ser analisadas em conjunto com as correspondentes demonstrações financeiras auditadas do ano.

Deloitte Touche Tohmatsu.

Macau, aos 20 de Janeiro de 2003.


BANCO COMERCIAL DE MACAU, S.A.

Balanço anual em 31 Dezembro de 2002

Demonstração de resultados do exercício de 2002

Conta de exploração

Conta de lucros e perdas

O Director da Contabilidade,
António Candeias Castilho Modesto

A Comissão Executiva,
Manuel d'Almeida Marecos Duarte
Leonel Leonardo Guerreiro da Costa
António Maria Matos

Síntese da actividade do exercício de 2002

Em 2002, as economias dos países mais industrializados desaceleraram, o consumo e o investimento retraíram-se ainda mais e os mercados financeiros e de capitais entraram numa trajectória consistentemente descendente. A economia da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), por seu turno, apoiada principalmente na procura externa de serviços, designadamente os relacionados com o turismo e o jogo, conseguiu resistir satisfatoriamente ao ambiente de indefinição circundante.

No entanto, e apesar da melhoria da economia local, num contexto de taxas de juro extremamente baixas, a procura de crédito, quer por parte de particulares quer de empresas, continuou pouco dinâmica, a concorrência de preços e no mercado intensificou-se, provocando o estreitamento das margens, e a liquidez do sector bancário em geral aumentou, contribuindo para o agravamento das condições de exploração.

As linhas estratégicas do Banco orientaram-se, no ano em análise, em três direcções fundamentais: na frente comercial, para a melhoria da qualidade do serviço prestado e para a diversificação dos canais de distribuição, na procura da satisfação e da manutenção dos laços com os clientes; para o controlo de custos, muito embora continuando a investir em modernização tecnológica; e para a preservação da qualidade dos activos, através da gestão criteriosa da exposição financeira e dos riscos.

Em termos operacionais, e ainda que num ambiente global adverso e numa conjuntura local ao mesmo tempo de crescimento mas de pouca dinâmica no que se refere a algumas variáveis financeiras, o Banco teve uma prestação satisfatória em 2002. O activo total líquido atingiu os 6,800 milhões de patacas nos finais do ano, mais 1% do que no ano anterior (6,730 milhões), e os resultados finais gerados, embora ligeiramente abaixo (3,7%) quando comparados com os apurados em 2001, corresponderam bem aos objectivos que haviam sido definidos para o exercício.

Por outro lado, os empréstimos a clientes subiram 3,7%, em resultado dos esforços desenvolvidos no âmbito do cartão de crédito e de outros segmentos de crédito na área do retalho e da actividade relacionada com o financiamento do comércio externo da Região. A carteira global de depósitos de clientes cresceu 1%, tendo os depósitos à vista registado um incremento de 24,4%, enquanto os depósitos a prazo se retraíram em 4,4%, o que se traduziu por uma melhoria da estrutura de fundos base do Banco.

Ainda que o ambiente económico, político e social a nível mundial continue a recomendar uma certa moderação no traçar de expectativas para o futuro, estamos confiantes em que, em 2003, serão criadas as condições para a tão esperada recuperação, e que Macau possa consolidar a tendência de progresso, através de melhorias em todos os sectores, em consequência do recente processo de liberalização da indústria do jogo e do conjunto de projectos infra-estruturais planeados pelo Governo.

Relatório e parecer do Conselho Fiscal

Senhores Accionistas,

Em conformidade com as disposições legais, o Conselho Fiscal do Banco Comercial de Macau, S.A. emite o relatório da actividade sobre a acção fiscalizadora exercida e o parecer sobre os documentos de prestação de contas referentes ao exercício de 2002, que lhe foram apresentados pelo Conselho de Administração.

No âmbito das suas competências, o Conselho Fiscal efectuou reuniões com os membros do Conselho de Administração e com os responsáveis dos Serviços do Banco, tendo sempre obtido todas as informações e esclarecimentos solicitados, o que lhe apraz registar.

O Conselho Fiscal analisou a actividade dos diversos departamentos do Banco e apreciou a evolução da organização interna e do processo de informação de gestão e controlo de risco. Assinala-se o prosseguimento dos esforços de inovação e de diversificação da oferta de serviços, com especial ênfase para a relação com a Companhia de Seguros do Grupo BCP em Macau, corporizando a estratégia definida de "bancasssurance" e "cross-selling".

Efectuamos igualmente diversas análises na área do crédito concedido, bem como verificações de Tesouraria. Levamos a cabo verificações dos livros, registos contabilísticos e documentos de suporte assim como testes e outros procedimentos, concretizados com a profundidade julgada necessária.

O Conselho Fiscal examinou os relatórios elaborados pelo Departamento de Auditoria Interna e reuniu com os responsáveis da empresa internacional de auditoria externa.

Foi igualmente analisado o relatório dos auditores externos, sobre as contas do exercício de 2002, que não expressa quaisquer reservas às contas.

A apreciação do Relatório do Conselho de Administração e das Contas, permite-nos emitir a opinião de que estes documentos expressam de modo adequado a actividade do Banco Comercial de Macau, S.A. em 2002 e a sua situação patrimonial no fim desse ano.

O Conselho Fiscal é, assim, de parecer que merecem aprovação o Relatório e as Contas e a Proposta de aplicação dos resultados do exercício de 2002 apresentados pelo Conselho de Administração.

Macau, aos 24 de Janeiro de 2003.

O Conselho Fiscal,
Pedro João Reis de Matos Silva (Presidente);
José Rodrigues Jesus (Vogal);
Fernando Manuel da Conceição Reisinho ( Vogal e Auditor de Contas).

Síntese do parecer dos auditores externos

Aos accionistas do
Banco Comercial de Macau S.A.

Examinámos, de acordo com as Normas Internacionais de Auditoria, as demonstrações financeiras do Banco Comercial de Macau S.A. referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2002 e a nossa opinião sobre as demonstrações financeiras está expressa, sem reservas, no nosso relatório datado de 23 de Janeiro de 2003.

Em nossa opinião, as contas resumidas estão de acordo com as demonstrações financeiras atrás referidas das quais elas resultaram.

Para uma melhor compreensão da posição financeira e dos resultados das operações do Banco, durante o exercício, as contas resumidas devem ser analisadas em conjunto com as correspondentes demonstrações financeiras auditadas do ano.

KPMG.

Macau, aos 23 de Janeiro de 2003.

Instituições em que o Banco detém participações superiores a 5% do respectivo capital


TV CABO MACAU, SA

Resumo do Relatório de Gestão - Ano de 2002

Em 2002 a Empresa continuou a procurar consolidar uma carteira de clientes que lhe permitisse encarar o desenvolvimento dos negócios numa base sustentada e de acordo com o planeado.

Para o efeito, alterou-se a estratégia comercial, com a criação de novos produtos e novos preços, consubstanciada numa política comercial muito agressiva.

Infelizmente continuou a acentuar-se a concorrência ilegal das empresas prestadoras do chamado serviço de antena e também das "SMATV's"que, aproveitando a passividade da entidade reguladora, têm reforçado substancialmente a sua oferta de canais de televisão, actuando como autênticas empresas de distribuição de sinais de TV por cabo e desvalorizando substancialmente o exclusivo atribuído à TV Cabo Macau. Toda esta actividade continuou a limitar o nosso crescimento e a penetração no mercado.

Foram efectuadas várias visitas a clientes no sentido de lhes prestar o apoio necessário após a instalação, nomeadamente em virtude da existência de alguns problemas com os descodificadores.

Foram efectuadas algumas actualizações de equipamento, por forma a manter um alto nível de tecnologia utilizada.

Intensificou-se a compressão digital de alguns canais, por forma a aumentar a qualidade dos sinais distribuídos e a capacidade de inserção de novos canais.

No final do ano, a TV Cabo Macau oferecia 56 canais no seu serviço básico mais 5 canais "Premium" com filmes, fornecendo um amplo leque de possibilidades de escolha à população de Macau, com a qualidade do serviço digital integral.

O capital social de Empresa de 50 milhões de patacas encontra-se totalmente subscrito e realizado, estando já aprovado o aumento para até cem milhões de patacas.

É de referir que a existência de capitais próprios negativos se deve à não concretização das prestações suplementares previstas no plano inicial, devendo a situação alterar-se com o aumento do capital aprovado no início de 2003.

Propõe-se que os resultados líquidos negativos de MOP 32 063 586,45 (trinta e dois milhões, sessenta e três mil, quinhentas e oitenta e seis patacas e quarenta e cinco avos) sejam transferidos para a conta de resultados transitados.

Macau, Março de 2003.

O Conselho de Administração,
Eduardo Martins - Presidente
Nuno Caldeira da Silva - Administrador
António A. Silva Aguiar - Administrador-Delegado
So Shu Fai, Ambrose - Administrador
PT Ventures, SGPS, SA - Administrador
Ng Fok Holdings - Administrador
(Representado por Filipe da Cunha Santos).

Parecer do Conselho Fiscal

Aos vinte e seis dias do mês de Março de dois mil e três reuniu-se o Conselho Fiscal da TV Cabo Macau, SA, na Alameda Dr. Carlos D'Assumpção, 411-417, edifício Dynasty Plaza, 21.º andar, em Macau, com as presenças dos Senhores Dr. Quin Vá, Dr. Rui Cunha e Dr. Carlos Simões.

Tendo-se verificado a existência de quórum passou-se desde logo à Ordem de Trabalhos para que a reunião havia sido convocada, a saber: discussão e aprovação do Balanço e Demonstração de Resultados, Conta de Lucros e Perdas e Relatório da Administração, sendo estes a apresentar na reunião anual da Assembleia Geral, relativos ao ano findo em 31 de Dezembro de dois mil e dois.

Presidiu à reunião o Dr. Quin Vá e após breve troca de impressões foi deliberado por unanimidade dos presentes aprovar o Relatório da Administração e as Contas Financeiras acima mencionadas e apresentá-los à Assembleia Geral Ordinária.

Nada mais havendo a tratar, deu-se por terminada a reunião, dela se lavrando a presente acta que vai ser assinada pelos presentes.


SOCIEDADE DE TRANSPORTES COLECTIVOS DE MACAU, S.A.R.L.

Demonstração dos resultados do exercício de 2002

Balanço do exercício findo em 31 de Dezembro de 2002

Síntese do relatório do Conselho de Administração

No seguimento da política que vinha sendo adoptada nos exercícios transactos, a TCM continuou a manter um rigoroso controlo no que respeita à contenção de custos operacionais, na expectativa de ocorrência de condições favoráveis, que pudessem contribuir para o desejável aumento nos proveitos, de molde a superar o ponto de equilíbrio.

Essa expectativa foi de certo modo alcançada, porquanto, além do esperado aumento normal no número de utentes locais, verificou-se também um apreciável aumento no número de utentes não-residentes, contribuindo, desta forma, para o desejado aumento de proveitos da TCM.

Consequentemente, os proveitos em prestações de serviços registaram um acréscimo na ordem de 5,97% em relação ao exercício anterior.

Em contrapartida, o total de custos registou um acréscimo na ordem de 4,26%, comparativamente ao exercício precedente, sendo esse aumento resultante sobretudo de "Despesas com o pessoal". No entanto, devido à baixa que ainda se mantém na taxa média de juros de financiamentos, os respectivos encargos registaram um apreciável decréscimo e cuja redução também contribuiu, de certa forma, para o resultado positivo de exploração.

Macau, aos 10 de Março de 2003.

Pelo Conselho de Administração
Ng Fok

Relatório do Conselho Fiscal

O Conselho Fiscal acompanhou a actividade da Sociedade, examinou a regularidade dos livros e registos contabilísticos e respectiva documentação, procedeu às análises necessárias, verificou o cumprimento da lei e dos estatutos e inteirou-se dos actos do Conselho de Administração e da Comissão Executiva, que, no melhor espírito de colaboração, sempre lhe apresentaram as provas e esclarecimentos solicitados.

Nestes termos, este Conselho emite o seguinte parecer:

1. Que o relatório do Conselho de Administração e os documentos de prestação de contas merecem ser aprovados;

2. Que seja tida no devido apreço a acção desenvolvida por aquele Conselho na condução da actividade da Sociedade e na defesa dos seus interesses; e

3. Que seja igualmente expresso um voto de louvor à actuação e dedicação de todo o pessoal.

Macau, aos 12 de Março de 2003.

Pelo Conselho Fiscal,
Basílio e Associados


[ Página Anterior ] [ Versão Chinesa ]

Disponível em: 14/5/2003 - 09:00:00


 

  < ] ^ ] > ] 

 

Consulte também: