Número 21
II
SÉRIE

Quarta-feira, 27 de Maio de 2015

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

      Anúncios notariais e outros

第 一 公 證 署

證 明

君慧慈善會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一五年五月十五日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號083/2015。

君慧慈善會章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會中文名稱為“君慧慈善會”,葡文名稱為“Associação de Beneficência Kwang Wai”,英文名稱為“Kwang Wai Charity Association”,英文簡稱為“KWCA”。

第二條

宗旨

本會為非牟利團體。宗旨為組織及教育會員關愛和幫助弱勢社群。

第三條

會址

本會會址設於澳門青洲里青洲工業大廈62號2樓CD。

第二章

會員

第四條

會員資格

凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,均可申請為本會會員。經本會理事會批准後,便可成為會員。

第五條

會員權利及義務

(一)會員有選舉權及被選舉權,享有本會舉辦一切活動和福利的權利。

(二)會員有遵守會章和決議,以及繳交會費的義務。

第三章

組織機構

第六條

機構

本會組織機構包括會員大會、理事會、監事會。

第七條

會員大會

(一)會員大會為本會最高權力機構,負責制定或修改會章;選舉會員大會主席、副主席、秘書和理事會、監事會成員;決定會務方針;審查批准理事會工作報告。

(二)會員大會設主席一名、副主席一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)會員大會每年舉行一次,至少提前八天透過掛號信或簽收之方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程,如遇重大或特別事項得召開特別會員大會。

(四)修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第八條

理事會

(一)理事會為本會的行政管理機構,負責執行會員大會決議和管理法人。

(二)理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長、副理事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)理事會會議每三個月召開一次。會議在有過半數理事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第九條

監事會

(一)監事會為本會的行政管理機構,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

(二)監事會由最少三名或以上單數成員組成,設監事長、副監事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)監事會會議每三個月召開一次。會議在有過半數監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第四章

經費

第十條

經費

(一)本會經費源於會員會費或各界人士贊助,倘有不敷或特別需用款時,得由理事會決定籌募之。

(二)會費為一次性澳門幣伍佰圓整。

二零一五年五月十五日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

石光中學澳門校友會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一五年五月十八日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號085/2015。

石光中學澳門校友會

章程

第一章

總則

第一條——本會中文名稱為:“石光中學澳門校友會”,葡文名稱為:Associação dos Antigos Alunos de Macau da Escola Secundária Seak Kuong,法人住所位於澳門如意廣場18號寶暉海景花園地下W-X舖。

第二條——本會宗旨:團結澳門石光中學校友,愛祖國、愛澳門,遵守國家及澳門特別行政區法律、法規,遵守社會道德風尚。繼承和發揚母校的優良傳統,聯絡和服務校友,增進校友之間的友誼,促進校友與母校的共同發展,維護全體會員的合法權益。

第三條——本會性質:為居住在澳門的石光中學校友的共同願望,而發起組成的非牟利社團。

第二章

會員

第四條——會員入會:

(1)凡居住在澳門,就讀石光中學的學生及曾在石光中學任職的教職員工,均可申請加入本會為會員;

(2)會員入會須填寫入會申請表,承認本會章程,經理事會通過方得為正式會員。

第五條——會員權利:

(1)有選舉權及被選舉權;

(2)有權參加會員大會及對會務有批評建議及監督權;

(3)有權參與本會舉辦的任何活動,享受本會所舉辦福利、康樂等事業之權;

(4)本會以入會自願、退會自由為原則,但應向理事會提出書面申請。

第六條——會員義務:

(1)遵守本會章程、維護本會的合法權益與聲譽;

(2)執行本會會員大會與理事會的決議;

(3)積極參與本會舉辦的各項活動,完成本會交辦的工作;

(4)按時繳交會費。

第七條——會費:由會員大會決定是否收費及收取數額。

第八條——會員如有違反本會會章,有損本會聲譽者,得由理事會按照其情節輕重,予以勸告、警告或開除會籍之處分,並上報會員大會核准存檔。

第三章

組織機構

第九條——會員大會:本會最高權力機構:

(1)會員大會由大會主席團主持會議,主席團設會長一名,副會長若干名,秘書一名,其總和必為單數,主席團成員由會員大會中選舉產生,其任期為三年;

(2)會員大會職權:A)制定章程及章程之修改、社團之消滅;B)選舉和罷免會員大會主席團及理、監事會成員;C)審議理事會的工作報告及財務報告;

(3)會員大會召集:A)召集會員大會每年召開一次,超過五分一會員提出要求,亦得召開大會;B)大會召集須最少提前八天以掛號信方式或簽收之方式為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程;

(4)會員大會運作:A)屬首次召集之大會,如出席會員未足半數,不得作任 何決議;B)決議取決於出席會員之絕對多數票,但不影響以下各款規定之適用;C)修改章程之決議,須獲出席會員四分三之贊同票;D)解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分三之贊同票;E)章程得規定多於上述規則所定之票數。

第十條——理事會:理事會為本會執行機構,執行會員大會的決議,處理日常會務召集會員大會,向會員大會報告工作。

(1)理事會由會員大會選出理事長一名,副理事長若干名,其總數和必為單數,並設正、副秘書長、各部正、副部長、常務理事及理事,組成理事會、並報送會員大會存檔;

(2)理事會定期召開會議,每月召集一次,必要時理事長可召開臨時會議,所作的決議須經出席人數之四分三以上通過方可實施;

(3)理事會可根據本會的實際情況,靈活設定具體工作機構開展會務工作;

(4)提名對本會有特殊貢獻的人士,聘請為永遠名譽會長、名譽會長並報送會員大會通過;

(5)理事長、副理事長任期三年,連選可連任一次,因特殊情況需延長任期的,需經會員大會表決通過方可擔任。

第十一條——監事會:監督理事會一切行政執行、運作、各項會務工作之進展及查核本會財務,就其監察活動編制年度報告,向會員大會報告工作。

(1)監事會由會員大會選出。監事長一名,副監事長及監事若干名,其總數和必為單數;

(2)監事會由監事長或監事長委託的監事會主要領導人召集及主持會議,每月召集一次,必要時監事長可召開臨時會議,所作的決議須經出席人數之四分三以上通過方可實施。

第十二條——主要會務:聯絡及服務本地校友,舉辦各種聯誼活動,增強校友的母校意識,和校友之間的感情溝通,加強與母校及各地校友會聯繫。

第十三條——任期:會員大會、理事會及監事會,任期三年,可連選連任一次。

附則

第十四條——本章程經會員大會討論通過後,公布實施。如有未盡事宜,得由會員大會通過並修改。

二零一五年五月十八日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

澳門國際電子商務協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一五年五月十八日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號084/2015。

澳門國際電子商務協會

章程

第一章

總則

第一條

(名稱及會址)

(一)本會定名為“澳門國際電子商務協會”,葡文名稱為“Associação do Comércio Electrónico Internacional de Macau”,英文名稱為“Macao International E-Commerce Association”。

(二)本會之會址設於澳門鏡湖馬路41號地下。

第二條

(宗旨及存續期)

本會為非牟利團體。宗旨為:

(一)促進我會員間的溝通和聯繫、維護會員一切權益。

(二)發展澳門與國際跨域電子商務與世界各類企業之間聯繫和經貿交流。

(三)組織國際間從事跨域電子商務同業與本地業界共同協作,提升本澳跨域電子商務及相關行業於國際市場上的競爭能力,為特區與國際建立緊密的經貿聯繫。

(四)促進與各地電商企業簽訂戰略合作伙伴,提供相關信息和商務合作。

(五)本會為非牟利及永久性之社團,從註冊成立之日起開始運作。

第二章

會員

第三條

(會員資格)

凡有興趣投入跨境電子商務之人士,均可申請成為本組織會員。

第四條

(會員權利)

本會會員享有法定之各項權利如:

(一)出席會員大會,在大會上享有發言權、動議權、和議權及投票權;

(二)選舉權及被選舉權;

(三)參與本會所舉辦之各項活動;

(四)退會權。

第五條

(會員義務)

本會會員應遵守法定及下列之各項義務:

(一)遵守本會章程、各項內部規章及規則、服從會員大會及理事會之決議;

(二)維護本會聲譽及權益;

(三)積極參與及支持會務工作及活動;

(四)按時繳交由理事會所訂定之會費。

第六條

(會員資格之中止及喪失)

(一)會員自願退會者,須以書面形式向理事會申請;

(二)凡拖欠會費超過兩年者,其會員資格將自動中止;對於能否保持有關會員之會籍,經理事會建議後,由會員大會作出最後的決定;

(三)違反本會章程、內部規章、決議或損害本會聲譽、利益之會員、將由理事會決定作出適當的處分;情況嚴重者可由理事會提議,經會員大會通過,將有關會員開除出會;

(四)加盟會員如失去經營商之資格,或不再獲基本會員之認可,將自動喪失其會籍。

第三章

組織架構

第七條

(本會組織)

(一)本會之組織為:

1. 會員大會;

2. 理事會;

3. 監事會。

(二)上述各組織人員之職務,由會員大會從具有投票權之基本會員中選出,不得同時兼任,每屆之任期為三年,並可連選連任。

第八條

(會員大會)

(一)會員大會是本會最高權力機關,由全體會員所組成;

(二)會員大會由大會主席團負責,其中設一位大會主席,一位副主席及一位秘書;

(三)大會主席之主要職責為主持大會,會議由理事會召集,如主席出缺,則由副主席接替。

第九條

(會員大會職責)

會員大會除擁有法律所賦予之職權外,尚需負責:

(一)制定和修改本會章程;

(二)選舉和罷免本會各機關成員之職務;

(三)審議及通過理事會所提交之年度工作報告、財務報告及意見書;

(四)通過本會的政策、活動方針及對其它重大問題作出決定;

(五)通過邀請傑出人士為榮譽會長、榮譽顧問及名譽會長、名譽顧問;

(六)在會員紀律處分及開除會籍之問題上具最高決策權。

第十條

(會員大會會議)

會員大會分為平常會員大會和特別會員大會。

(一)平常會員大會每年第一季內召開一次,並最少八天前以掛號信件或簽收之方式通知會員。

(二)特別會員大會得由理事會或不少於三分之一基本會員請求召開,但如屬後者之情況,必須以書面說明召開大會之目的及提議討論之事項。

(三)經第一次召集,應最少有一半基本會員出席,會員大會方可召開及決議。

(四)於第一次召集開會時,如出席之基本會員不足上述之法定人數,大會得於半小時後經第二次召集後舉行,屆時無論出席之基本會員人數多少,大會都可以合法及有效地進行決議。

(五)會員大會的一般決議,以超過出席之基本會員半數之票通過。

(六)修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

(七)罷免應屆機關成員之職務,須由出席大會之基本會員四分之三大多數票通過。

第十一條

(理事會)

理事會是本會的管理及執行機關,由五至十九名單數理事成員組成,其中設理事長一名,副理事長若干名,秘書長一名,司庫一名,其餘各理事之職務由理事會決議指定。

第十二條

(理事會之職責)

理事會除擁有法律所賦予之職權外,尚需負責:

(一)制定本會的政策及活動方針,並提交會員大會審核通過;

(二)執行會員大會之決議及維持本會的會務及各項活動;

(三)委任發言人,代表本會對外發言;

(四)每年向會員大會提交會務報告、賬目等;

(五)草擬各項內部規章及規則,並提交會員大會審議通過;

(六)審批入會申請;

(七)要求召開會員大會;

(八)訂定會費之金額及繳付之方式;

(九)行使本章程第六條第(三)款之處分權。

第十三條

(理事會之會議)

(一)理事會會議定期召開,會期由理事會按會務之需要自行訂定;並由理事長召集或應三分之一以上之理事請求而召開;

(二)理事會會議須有過半數之成員出席方可決議;其決議是經出席者之簡單多數票通過,在票數相等時,理事長除本身之票外,還可加投決定性的一票。

第十四條

(監事會)

(一)監事會由三至七名單數成員組成,其中設一位監事長、一位副監事長及一位秘書;

(二)監事會按法律所賦予之職權,負責監察本會之運作及理事會之工作,對本會財產及帳目進行監察及對理事會之年度報告提供意見。

第十五條

(財政來源)

(一)本會的收入包括會員之會費、 來自本會所舉辦之各項活動的收入和收益,以及將來屬本會資產有關之任何收益;

(二)本會得接受政府、機構及各界 人士捐獻及資助,但該等捐獻及資助不得附帶任何與本會宗旨不符的條件。

第十六條

(支出)

本會之一切支出,包括日常及舉辦活動之開支,必須經理事會通過確認,並由本會之收入所負責。

第四章

附則

第十七條

(章程之解釋權)

(一)理事會對本章程在執行方面所出現之疑問具有解釋權,但有關之決定須由下一屆會員大會追認。

(二)本章程如有未盡善之處,得按 有關法律之規定,經理事會建議,交由大會通過進行修改。

第十八條

(籌委會)

(一)本會之創會會員組成籌委會,除負責辦理本會之法定註冊手續外,還負責本會之管理及運作,直至召開首屆會員大會及選出第一屆各機關成員為止;

(二)籌委會在履行上述(一)項內所指之職務期間,一切有關與本會責任承擔之行為及文件,須經籌委會兩名成員聯名簽署方為有效;

(三)本會之創會會員即籌委會成員。

二零一五年五月十八日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

公儀太極拳研究會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十四日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為156號。該設立章程文本如下:

公儀太極拳研究會

章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會中文名稱為:公儀太極拳研究會,以下簡稱“本會”。

第二條

本會宗旨

本會為非牟利團體。協助促進、推動世界各地吳公儀太極拳體育活動愛好者合作,交流及研究,舉辦或參與各類太極拳活動。

第三條

會址

本會會址:澳門黑沙環蓮峰街蓮峰大廈第六座5樓AG室。

第二章

會員

第四條

會員資格

(一)本會設立創辦人一名,由吳國泰先生擔任,創辦人在本會內是不能更改。

(二)凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,由一位理事推薦並經至少二位理事同意和沒有超過一位理事反對,向吳公儀宗師墳前拜祭,經登記註冊,即為本會會員。

(三)

會員級別

會員學習和輔導內容

晉升考核內容

1

會員

學習公儀太極拳十三勢

懂運用十三勢之掤,捋,擠,按

2

助導會員

學習公儀太極關節拳架起式到第一個單鞭,四正推手,輔導1級會員練習十三勢

懂運用起式到提手上勢在四正推手上

3

導師會員

學習公儀太極關節拳架到斜單鞭和五種不同步法推手,輔導1,2級會員練習

懂運用起式到手揮琵琶手在四正推手上

4

傳承會員

學習公儀太極關節拳架到第一個雲手,輔導1至3級會員練習

懂運用起式到斜單鞭在推手上

5

師承會員

學習完整公儀太極關節拳架,輔導1至4級會員練習

空白

(四)以上2至5級別會員須由理事會成員三人或以上考核合格,會長批准才能正式成為2至5各級別會員。

(五)本會可以聘請社會知名人士出任為本會永遠會長、名譽會長、學術顧問等職位,以增本會光彩。

(六)名譽會員、名譽顧問及名譽會長稱銜是給對本會有卓越貢獻的人士。

第五條

會員權利及義務

(一)會員有投票權及被選舉權;享有本會舉辦一切活動和福利的權利。

(二)建議提案之權利。

(三)維護本會的聲譽,促進本會的進步和發展。

(四)會員有遵守會章和決議,以及繳交會費的義務,如欠交會費超過一年者作自動退會論,停止享受本會會員應享之一切權利,其前繳交之會費及費用,概不發還。

(五)處分:凡本會會員違反會章和條例,不執行決議,影響本會聲譽者,經勸告無效,本會有權予以警告或開除會籍之處分。

(六)名譽會員、名譽顧問及名譽會長等可參加本會任何交流,學習,活動。

(七)名譽會員、名譽顧問及名譽會長等豁免繳交會費。

第三章

組織

第六條

機構

本會組織機構包括會員大會,理事會,監事會。

第七條

會員大會

(一)會員大會為本會最高權力機構,負責制定或修改會章,選舉會長,副會長,秘書和理事會,監事會成員,決定會務方針,審查及批准理事會工作報告。

(二)會員大會設會長一名,副會長一名及秘書一名,每屆任期為二年,可連選連任。

(三)本會創會會員為本會領導機構當然成員。

(四)會員大會每年舉行一次,最少提前十五天透過掛號信或簽收方式召集,通知書內須註明會議之日期,時間,地點和議程,如遇有重大或特別事項得召開特別會員大會。

(五)修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會之決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第八條

理事會

(一)理事會為本會的行政管理機構,負責執行會員大會決議和管理法人。

(二)理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長,副理事長各一名,每屆任期為二年,可連選連任。

(三)理事會議每年舉行若干次,會議在有過半數理事會成員出席時方可決議,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

(四)理事會對本會作出卓越貢獻的人士授予名譽會員、名譽顧問及名譽會長稱銜。

(五)理事會各職位如出任人因事不能出席,可由副理事長暫代其職。

第九條

監事會

(一)監事會為本會監察機構,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

(二)監事會由最少三名或以上單數成員組成,設監事長,副監事長各一名,每屆任期為二年,可連選連任。

(三)監事會議每年舉行若干次,會議在有過半數監事會成員出席時方可決議,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

(四)監事會各職位如出任人因事不能出席,可由副監事長暫代其職。

第四章

經費

本會經費均來自會員的會費和社會各界人士的樂意贊助和饋贈。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門喜喜體育會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十五日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為160號。該設立章程文本如下:

澳門喜喜體育會

Clube Desportivo Hei Hei de Macau

第一章

總章

第一條——本會名稱:

中文名稱為“澳門喜喜體育會”。

葡文名稱為“Clube Desportivo Hei Hei de Macau”。

第二條——本會地址設於:路環石排灣馬路聯生填海區金峰南岸第四座金柏峰16F。

第三條——宗旨:

(1)發展及推廣體育運動,得以在本澳蓬勃開展;

(2)促進本地區及外地同類社團的合作及技術交流;

(3)支持特區政府依法施政;

(4)本會為非牟利體育團體。

第二章

會員

第四條——凡對運動有興趣之人士,皆可申請加入為會員,必須經理事會通過,方可正式成為會員。

第五條——會員之權利與義務:

(1)有選舉權及被選舉權;

(2)對本會之會務有建議,批評及諮詢權利;

(3)遵守本會之章程及決議;

(4)積極參與本會各項活動;

(5)按時繳交月費;

(6)享受本會內設施。

第六條——若會員連續兩年欠繳納會費者,則作退會論處。

第七條——會員若違反本會章程及損害本會聲譽,經本會理事會討論,審議後,情節輕者給予勸告,嚴重者則除名處分。

第三章

組織

第八條——本會實行民主集中制。設會員大會、理事會、監事會。上述各組織機關之任期為三年。若再當選可連任、次數不限。各機關之成員總數均為單數。

第九條——會員大會:

(1)制定及修改章程;

(2)選舉和罷免領導機構成員;

(3)審議理事會的工作和財政收支報告;

(4)決定會務方針等其他重大事宜。

第十條——會員大會為本會最高權力機關。設會長一名、副會長若干名。

第十一條——會員大會將每年召開一次,至少提前8日以掛號信或簽收方式通知,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程,該會議必須在澳門舉行。

第十二條——會員大會召開時,若時間到達而出席人數不足,則可延遲半小時開始。及後,則以當時出席人數多寡為準,繼續進行會議,所表決事項有效,但法律另有規定者除外。

第十三條——理事會為本會的行政管理機關。管理日常事務,負責召集會員大會,執行會員大會之決議。設理事長一名、副理事長若干名、秘書長一名、財政一名及理事若干名,成員總人數為單數。

第十四條——監事會為本會的監察機構,負責監察理事會之運作,查核賬目及提供有關意見。設監事長一名、副監事長及監事若干名,成員總人數為單數。

第四章

經費

第十五條——本會經費的來源:

(1)會費收入;

(2)政府資助及社會贊助與捐贈。

第五章

章程修改

第十六條——本章程經會員大會通過後施行。章程的修改,須獲出席會員四分之三贊同票的代表通過方能成立。

第六章

解散決議

第十七條——解散本會的決議,須獲全體會員四分之三贊同票。

第七章

附則

第十八條——本會章程之解釋權屬會員大會,本會章程由會員大會通過之日生效。若有未盡善之處,由會員大會討論通過修訂。

第十九條——本會章程未規範事宜,概依澳門現行法律執行。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門南海海外留學生聯盟

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十五日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為162號。該設立章程文本如下:

澳門南海海外留學生聯盟

章程

第一章

總則

第一條——名稱

一、本會名稱為“澳門南海海外留學生聯盟”,葡文名稱為:“Confederação dos Estudantes do Ultramar de Nam Hoi de Macau”,葡文簡稱:“CEUNHM”,英文名稱為:“Macau Nam Hoi Over­seas Students Confederation”,英文簡稱:“MNHOSC”。

二、本會為一社會文化非牟利團體。

第二條——宗旨

本會宗旨是積極推動青年熱愛祖國、熱愛澳門;促進會員與內地省市、世界各地和澳門社會各界青年的廣泛聯繫、溝通和聯誼;團結互助,推動和組織考察交流、課題講座或會議展覽,提高會員的專業知識和管理水平。

第三條——會址

會址設於澳門南灣大馬路241號德豐大廈二樓“G”座。只需理事會提議經會員大會通過,會址可遷往本澳任何地方。

第二章

會員、權利與義務

第四條——會員

凡符合以下任何一項,不分姓氏、不論性別、及年齡在十八至四十五周歲的人士,只要認同本會會章及決議,經一名會員推薦,均可申請入會,經理事會審批即可成為會員。曾經或現時在澳門就讀的佛山南海籍青年;現時在澳門工作的佛山南海籍青年;有志於促進澳門和佛山兩地交流之人士。

第五條——權利與義務

一、會員之權利:

a) 有權選舉及被選為本會各組織之成員;

b) 參與會員大會,對會議之任何事項作討論、建議及投票;

c) 推薦新會員;

d) 參與任何由本會舉辦之活動;

e) 只要合符條件,享受本會各項福利或優惠。

二、會員之義務:

a) 遵守本章程及本會組織之決議;

b) 盡忠職守擔任被委派之職務;

c) 為發展會務作出貢獻;

d) 繳納入會基金和會費。

第三章

組織

第六條——組織架構

本會組織架構包括會員大會、理事會、監事會。

第七條——會員大會

本會採用民主集中制。會員大會為最高權力機關,會員大會主席團由會員大會選出,設會長一人,常務副會長、副會長和秘書若干人為主席團成員,主席團成員須持有澳門居民身份證,主席團成員不受個人會員年齡限制,任期三年,連選得連任。指導理事會制定或修改會章、選舉及罷免理事會、理監事成員、決定會務方針及重要事項、審查及批准理事會、監事會工作報告,財務報告。會長對外代表本會,對內領導本會及督促理事會工作。會長缺席或未能出席時,由副會長或理事長依次代表。本會得按實際需要經由會員大會選聘社會人士為本會名譽會長、名譽顧問,顧問及其他名譽職銜,以配合本會會務發展需要。

第八條——會員大會:召開

一、大會由理事會召開。

二、需以掛號書信或簽收的形式提前至少八天召集,該通知書內應註明會議召開的日期、時間、地點和議程。

三、會員大會應最少每年開會一次。特別大會是由理事會、監事會或過半數會員要求而召開。

第九條——會員大會:人數及議決

一、會員大會必須在至少半數會員出席的情況下方可作出決議;

二、第一次召集的時間已屆,如法定人數不足,則按超過通知書指定時間半小時後作為第二次召集,屆時不論出席人數多少均視為有效。

第十條——理事會

理事會為本會最高執行機關,任期為三年,連選得連任,由會員大會選出理事會,由三人或以上組成,人數必須為單數,設理事長、副理事長各一名,理事若干名。

第十一條——理事會:會議

一、理事會經常性會議於每季度舉行一次。

二、會議在有過半數理事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第十二條——監事會

一、監事會為本會監察機構,除法律及章程賦予之職權外,監事會對理事會提交之財務報告及工作報告提出意見。

二、監事會是由三名或以上成員所組成,人數必須為單數。任期為三年,連選得連任。在會員中選出,當中有監事長一名、副監事長、監事若干名。

第十三條——監事會之會議

一、監事會每季度舉行一次經常性會議。

二、會議在有過半數監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第四章

本會經費

第十四條——本會經費

一、 會員入會時,繳納一次性基金澳門幣貳佰元正及會費澳門幣壹佰元正,其後每年繳交會費澳門幣壹佰元正。

二、開展活動的各種收入,同時接受社會人士、本會榮譽及名譽領導和會員之捐款;各機構或個人等不附帶任何條件的捐款;以及每年向政府有關部門申請資助。

三、未經理事會同意,本會會員不得私自向外籌募經費。

第五章

其他

第十五條——本會之修改章程及解散

一、修改章程的決議,需獲出席會員四分之三之贊同票。

二、解散本會的決議,需獲全體會員四分之三的贊同票通過。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

國際職業經理人協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十五日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為163號。該設立章程文本如下:

國際職業經理人協會章程

第一章

總則

第一條——本會定名為“國際職業經理人協會”;“國際職協”為中文簡稱;葡文:Associação Internacional de Gestores Profissionais;“AIGP”為葡文簡稱;英文:International Professional Managers Association;“IPMA”為英文簡稱;以下稱:「本會」。

第二條——本會為非牟利組織,宗旨為促進本會會員之間的合作和聯繫、增進、維護會員權益,促進發展澳門與世界各地的職業經理人聯繫和技術交流以及經貿合作,組織世界各地的職業經理人來澳與本地職業經理人分享經驗共同研習,提升本澳職業經理人於國際市場上的競爭能力,打做澳門人才交流中心,促進各類講座、會議、論壇、出訪、參展等活動,開拓市場,尋求發展機遇,得與各地簽立協議,共同互相促進商貿及技術合作。

第三條——本會會址設在澳門雅廉訪大馬路51號高雅花園2樓E座,在需要時並得會長或理事會同意,可遷往本澳其他地方,及設立分區辦事處。

第二章

會員

第四條——本澳各類企事業單位擔任中高層以上管理職務的經營管理人員,經本會會員介紹,及經理、監事會議批准得成為本會會員。

第五條——入會6個月後之會員有選舉權及被選舉權;並享有本會舉辦一切活動和福利的權利。

第六條——會員需遵守會章和決議,以及繳交會費的義務,並參加本會各項會務及活動。

第七條——會員退會,應提前一個月書面通知理事會,並清繳欠交本會款項。

第八條——一)有下列情形之一者,經理事會通過即被開除會員會籍:

1. 違反本會章程,而嚴重損害本會聲譽及利益者。

2. 逾期三個月未繳會費並在收到理事會書面通知後七日內仍未理會者。

二)被開除會籍的會員須清繳欠交本會的款項。

三)有關會員被開除會籍的決議,須經出席理事會會議過半數成員同意方能通過。

第三章

組織

第九條——本會組織機關包括會員大會、理事會、監事會。

第十條——本會最高權力機構為會員大會,負責制定或修改會章;選舉會員大會會長、副會長、秘書長和理事會、監事會成員;決定會務方針;審查和批准理事會工作報告及財務報告。

第十一條——會員大會主席團設會長一人,副會長不少於二人,總數為單數組成。對外代表本會,對內領導及協調本會工作。副會長協助會長工作,若會長出缺或因故不能執行職務,由其中一名副會長暫代其職務。

第十二條——為推動會務發展可敦聘有名望社會人士擔任本會永遠名譽會長、名譽會長、名譽顧問。對本會有特殊貢獻人士可敦聘為永遠榮譽會長、榮譽會長、榮譽顧問。

第十三條——會長對外代表本會、對內指導會務工作。副會長協助會長履行職務。正副會長可隨時出席本會各類會議。

第十四條——本會執行機構為理事會,設理事長一人,副理事長不少於一人,秘書一人,財務一人,理事不少於二人,總數不超過十五人並且為單數組成,負責執行會員大會決策、理事會決議事項和日常具體會務。

第十五條——本會監察機構為監事會,設監事長一人,副監事長不少於一人,監事不少於一人,總數不超過五人並且為單數組成,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

第十六條——會員大會主席團、理事會、監事會成員由會員大會選舉產生,任期三年,連選得連任。

第四章

會議

第十七條——會員大會每年召開一次平常會議,由會長或副會長召開。在必要情況下應理事會或不少於二分之一會員以正當理由提出要求,亦得召開特別會議。大會之召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。

第十八條——理事會會議、監事會會議每三個月召開不少於一次。

第十九條——會員大會由會長主持,理事長召集;理事會會議、監事會會議分別由理事長、監事長召集和主持。

第二十條——理事會議須經半數以上理事同意,始得通過決議。

第五章

經費

第二十一條——本會經費源於會員會費或各界人士贊助,倘有不敷或特別需用款時,得由理事會決定籌募之,及其他一切合法的收益。

第六章

附則

第二十二條——本章程經會員大會通過後執行。

第二十三條——本章程之修改權屬於會員大會。修改章程的決議,須獲出席社員四分之三之贊同票。解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體社員四分之三之贊同票。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

中華媽咪聯合會(澳門)

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十五日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為161號。該設立章程文本如下:

中華媽咪聯合會(澳門)

章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會定名為“中華媽咪聯合會(澳門)”。

第二條

地址

本會會址設於澳門提督馬路151號樂意居18B。

第三條

宗旨

本會為非牟利團體,宗旨為

(一)增進澳門各階層媽咪的聯繫及社會責任,愛國愛澳愛家,提供一個網上交流的平台。

(二)本會通過網絡平台的搭建,令媽咪可以無場地、時間限制的交流、分享各類資訊,以提升個人修養,促進家庭和諧,維護社會穩定,共建美好生活。

(三)通過網絡平台建立朋友圈及話題組,讓媽咪可以聚首一堂,交流生育、撫養、教育、美容、烹飪、理財等多種心得體會,借前人經驗,減少走彎路,藉此減輕壓力,舒緩情緒。

(四)本會透過舉辦不同類型的線上及線下活動,打開媽咪社交圈,以促進親子及家庭關係,減少家庭和社會矛盾。

第二章

會員

第四條

會員資格

凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,均可經網站註冊成為會員。

第五條

會員權利及義務

(一)會員有選舉和被選舉權,享有本會舉辦一切活動和福利的權利。

(二)會員有遵守會章和決議,以及繳交會費的義務。

第三章

組織機構

第六條

機構

本會組織機構包括會員大會、理事會和監事會。

第七條

會員大會

(一)會員大會為本會最高權力機構,負責制定或修改會章;選舉會員大會主席、副主席、秘書和理事會、監事會成員;決定會務方針;審查和批准理事會工作報告。

(二)會員大會設主席一名、副主席一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)會員大會每年舉行一次,至少提前八天透過掛號信或簽收之方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程,如遇重大或特別事項得召開特別會員大會。

(四)修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第八條

理事會

(一)理事會為本會的行政管理機構,負責執行會員大會決議和管理法人。

(二)理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長、副理事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)理事會會議每三個月召開一次。會議在有過半數理事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第九條

監事會

(一)監事會為本會監察機構,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

(二)監事會由最少三名或以上單數成員組成,設監事長、副監事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)監事會會議每三個月召開一次。會議在有過半數監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第四章

會員經費

第十條

經費

本會經費源於會員會費或社會各界熱心人士捐贈及資助,倘有不敷或特別需用款時,得由理事會決定籌募之。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門室內美式足球會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十四日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為158號。該設立章程文本如下:

澳門室內美式足球會

葡文名稱為“Macau Associação Arena de Futebol”

英文名稱為“Macau Arena Football Association”

第一章

第一條——中文名稱為「澳門室內美式足球會」,葡文名稱為“Macau Associação Arena de Futebol”,英文名稱為“Macau Arena Football Association”。

第二條——本會會址設於澳門水字巷永利大廈2/B,經會員大會通過後,會址可遷移至澳門特別行政區內之任何地點。

第三條——本會宗旨:

本會為非牟利團體,以鍛鍊本澳青少年體格及推行全民美式足球運動之事項、研究及改進美式足球運動,輔助各種美式足球運動舉辦比賽事項,推動本澳美式足球運動的發展。

第二章

會員

第四條——凡與本會有共同理念及對美式足球運動有興趣者,願意遵守本會章程,需要本會會員提名,並經理事會審查批准,即可成為會員。

第五條——會員的義務:

遵守本會章程及所有規則,出席會員大會,繳交會費。對違反本會會章、損害本會權益及聲譽的會員,經理事會查證屬實後,將按事件的嚴重程度而對其施以警告,勸喻退會或開除會籍等處分。

第六條——會員的權利:

享受本會提供之服務及福利,參與本會舉辦之活動;入會期滿一年者,有參加會員大會之表決權,選舉及被選舉權。

第三章

組織

第七條——本會組織機關為:會員大會,理事會和監事會。

1. 各機關之成員由會員大會投票選出。

2. 各機關之成員之任期為兩年,連選得連任。

第一節

會員大會

第八條——會員大會由全體會員所組成,為本會最高權力機構。

1. 會員大會為本會最高權力機構,負責修改會章;選舉會員大會主席團、理事會、監事會成員;審批理事會工作報告;決定會務方針。

2. 特別會員大會可於任何時候由理事會召集,或如理事會應召集而不召集時,任何會員均可依法召開。

3. 大會之召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收之方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。

第九條——會員大會主席團由會長一名,副會長一名及秘書一名組成,任期兩年,連選連任。

第十條——會員大會的職權如下:

1. 選舉各管理機關之成員;

2. 通過及修改會章;

3. 討論及通過由理事會所提出的決議案以及通過理事會及監事會之報告及意見。

第二節

理事會

第十一條——1. 理事會由會員大會選出理事長一人、副理事長、財政、秘書及理事若干名,而總人數為單數,任期為兩年,可連選連任。

2. 理事會每月召開平常會議一次,當理事長認為有需要時,可於任何時間召開臨時會議。

第十二條——理事會職權為:執行會員大會所有決議,規劃本會之各項活動,領導及維持日常會務,行政管理,財務運作及按時向會員大會提交會務報告及帳目結算。按會務發展需要,理事會可聘請名譽會長或顧問。

第三節

監事會

第十三條——監事會由經會員大會選舉的三名成員組成,會員大會委員可兼任監事會成員,其中設監事長一名、監事二名,負責監察理事會的日常會務運作、財政收支,以及向會員大會報告工作情況及提出建議。

第四章

一般規定

第十四條——對本章程作任何修改,須出席會員大會的四分之三或以上會員贊成,可修改章程及規則;而解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體社員四分之三之贊同票。

第十五條——本章程於正式通過後生效。

第十六條——本會之經濟收入來源及其他:

本會為非牟利社團,有關經費主要來自會員繳交之會費,各界熱心人士之捐贈,公共機構及私人團體之贊助。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門安老服務協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一五年五月十四日存檔於本署2015/ASS/M3檔案組內,編號為159號。該設立章程文本如下:

澳門安老服務協會章程

第一章

總則

第一條——中文名稱「澳門安老服務協會」,葡文名稱為“Associação dos Serviços para os Idosos de Macau”,英文名稱為“Macau Elderly Services Association”(下稱本會)。

第二條——本會宗旨是促進各界人士關注安老事務的發展,關注政府制定、修改、推行安老事務相關之制度與政策;加強相關專業團體之溝通與合作,共同促進安老護理康復院舍的健康發展;推動長者、護老服務的研究與培訓;聯絡各地安老護理康復院舍和組織,加強彼此的了解與合作。

第三條——會址設於澳門亞豐素街35號F達昌大廈SS座,在需要時可遷往本澳其他地方。

第二章

會員

第四條——凡贊同本會宗旨、關注長者及安老服務、有意推動安老事務發展的人士,填寫入會申請表格及經理事會審批,繳納會費後即成為本會的會員。

第五條——會員享有選舉、被選舉及表決的權利,有提出批評、建議和享有作為會員的權益。會員有遵守本章程、繳交會費及服從本會議決的義務。

第六條——凡違反本章程或破壞本會聲譽者,經理事會決議得予以勸告、警告或開除會籍之處分。

第三章

組織

第七條——(一)、會員大會為本會的最高權力機關,具審查理事會報告及財務報告;決定會務方針;選舉或罷免會長、副會長、理事會及監事會成員;修改章程及議決其他重大事項的職權。

(二)會員大會設會長一人,副會長若干人;任期為三年,連選得連任。

(三)會員大會每年舉行一次,但經理事會議決或二分之一會員代表聯名動議得召開特別會議,召開大會之通知書須於開會前八天以掛號信方式或簽收方式通知會員,召集通知書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。

(四)會員大會由會長主持,理事會推派代表擔任大會秘書。

(五)決議取決於出席會員的絕對多數票;如屬修改會章之決議,則須獲出席大會四分之三之會員的贊同方為有效。

第八條——(一)理事會為會員大會閉會期間最高的權力機關,成員由會員大會選舉產生。理事會有如下職權:

1. 執行會員大會的決議;

2. 對外代表本會;

3. 在會員大會閉會期間處理日常會務。

(二)理事會由三名或以上單數成員組成,設理事長一人,副理事長若干人;理事會決策時,須經半數以上通過方為有效。

(三)正副理事長、由理事互選產生,理事會成員之任期為三年,連選得連任。

(四)理事會得根據需要,下設秘書處及若干職能部門;秘書處設秘書長一人,副秘書長若干人;每部設正副部長各一人,部員若干人。

(五)理事會可聘請義務或受薪的秘書若干人,在秘書長指導下處理日常事務。

第九條——(一)監事會由會員大會選舉產生,負責監察本會會務及財政運作。

(二)監事會人數須為單數,設監事長一人、副監事長若干人、監事若干人;任期三年,連選得連任。

第十條——經理事會決議,可聘請名譽會長、名譽顧問、顧問及其他的名譽職銜,以推進會務發展。

第四章

經費

第十一條——本會可接受政府資助及私人機構的贊助,且必要時可向會員及社會人士募集經費。

第五章

解散

第十二條——本會之解散

一、除法院宣告外,本會其存續不設期限,解散本會須由理事會提出終止動議,由全體會員投票決定,並獲得四分之三贊同方可解散。

二、解散後之財產按照澳門法律的有關規定,用于發展與本團體宗旨相關的事項。

第六章

其他

第十三條——本章程之修改權屬會員大會、解釋權屬理事會。

第十四條——理事會得按實際需要設立內部管理規章。

第十五條——本章程未盡善之處,得由理事會向會員大會提請並修改。

二零一五年五月十五日於第二公證署

一等助理員 Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門印尼外勞職業介紹所協會

為公布的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一五年五月十九日起,存放於本署之“2015年社團及財團儲存文件檔案”第1/2015/ASS檔案組第45號,有關條文內容載於附件。

澳門印尼外勞職業介紹所協會

章程

第一章

總則

名稱及會址

第一條——本會中文名稱為:澳門印尼外勞職業介紹所協會(下稱本會)。

第二條——本會之會址設於澳門美副將大馬路45號B富德大廈地下。

第二章

宗旨

第三條——本會為非牟利團體。其宗旨是促進澳門職業介紹所之聯繫、團結同業發揮互助精神,維護職業介紹所合法權益。為市民服務、維護勞工權益、共謀全體會員福利。加強與政府各相關部門的合作與溝通,促進與海外同業的聯繫和合作,增進互相瞭解和友誼;為來自印度尼西亞各省之海外勞工與香港及澳門僱主建立良好合作關係。本會具有自己的章程和程序,並同時遵循所在地區的法例。為澳門的繁榮穩定作出貢獻,舉辦或協辦各種娛樂文化活動,使在澳門外勞舒緩工作及情緒壓力,另提供收容所讓有需要等待解決困境的外勞短暫居住。

第三章

會員的資格、權利與義務、認可及取消

第四條——會員的資格、權利與義務、認可及取消:

(一)凡支持、認同及遵守本會章程之職業介紹所商號或從業人員包括:本地及海外國際的人士,須依手續填寫表格及呈交所須證明文件(如:有效商業登記證明書、相關部門發出的有效執照或許可證等文件),由理事會審核,監事會認可,繳納入會會費,即可成為會員。

(二)會員分為商號會員及附屬會員,每間商號委派一名代表為商號會員(不論分行數目);從業人員為附屬會員,但必須透過商號會員提名、申請及認可。兩者皆可參加本會的一切活動及享有一切福利,有權對本會的會務提出批評和建議,但有關政策之訂定或修改、選舉權及被選舉權、參與會員大會只限商號會員。

(三)會員有退會自由,但應向會長提出書面申請。

(四)會員必須遵守本會章程並履行會員大會和理事會的決議;積極參與、支持及協助本會舉辦之各項活動,推動會務發展及促進會員間之互助合作;按時繳納會費及其他費用;亦不得作出任何有損本會聲譽之行為。

(五)會員若違規情況嚴重,經會長審核後,需呈交理事會予以書面警告或取消其會員資格。

第四章

組織及職權

第五條——組織架構:

(一)會員大會。

(二)理事會。

(三)監事會。

(四)榮譽會長。

(五)榮譽顧問。

第六條——會員大會:

(一)會員大會為本會最高權力機構,由全體商號會員組成。設有會長、副會長及秘書各一名。每屆任期三年,可連選連任。會長兼任會員大會召集人。副會長協助會長工作,若會長出缺或因故不能執行職務,由副會長暫代其職務。

(二)其職權為:修改本會章程及內部規章;制定本會的活動方針;審理理事會之年度工作報告與提案;修改章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

(三)會員大會每年在第四季召開一次,須最少提前8天以掛號信或簽收方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點及議程。由會長或副會長召開。在必要情況下得應理事會或不少於二分之一會員以正當理由提出要求召開特別會員大會。

第七條——理事會:

(一)理事會成員由會員大會選出。設理事長一名、副理事長一名、秘書長一名、司庫一名及理事三名,其組成人數不可超過七名且必須為單數,每屆任期三年,可連選連任。

(二)理事會可下設若干個工作機構,以便理事會決議及處理本會日常會務;工作機構領導及其他成員由秘書長提名,獲理事會通過後以理事會名義予以任命。

(三)其職權為:執行會員大會之決議及一切會務;主持及處理各項會務工作,制定協會之政策方向,財務安排,架構增減,執行紀律;直接向會員大會負責,及向其提交工作(會務)報告,並接受監事會對工作之查核。

(四)倘若理事會成員因任何理由不能繼續其職能,經理事長考慮,有權調動或委任後補會員接替其職位,直至下屆會員大會補選。

(五)倘若理事長不能繼續其職能,則由副理事長暫代直至下屆會員大會補選。

第八條——監事會:

(一)監事會由3位或以上單數成員組成,由會員大會討論、選舉及通過,每屆任期三年,可連選連任。

(二)監事會設監事長、副監事長及秘書各一名,由監事選舉產生。

(三)監事會負責審閱和檢查協會的財務收支及會務的執行情況。

(四)監事會有權列席及旁聽理事會會議:可要求檢查一切帳目及單據,審查本會之一切會務進行情況及研究與促進會務之發展。對各項會務及工作進展、提供意見。

(五)監事會有權調查協會任何成員的違規行為,並有義務對失職理事會成員提出檢舉。

第九條——榮譽會長:

凡在本會曾任會長或理事長一職,卸任後且並沒參與本會任何職務則可成為本會榮譽會長。

第十條——榮譽顧問:

志願協助本協會,並且對本會有特殊貢獻者。由會長提名,經會員大會會議通過,得聘為協會顧問,亦可被邀出席本會任何會議並提供寶貴建議及良策,榮譽顧問名額不設上限。

第五章

經費

第十一條——本會活動經費的主要來源:

(一)會員交納會費。會員繳納入會費及年費,會費則由每年會員大會決定。創會商號會員及創會附屬會員則無需繳納入會費。

(二)接受來自各方的贊助、捐款,並設立會務基金。

(三)具體活動籌辦單位的籌款。

第六章

附則

第十二條——本章程經會員大會通過後施行,解釋權屬會員大會;若有未盡善之處,由會員大會討論、通過及修訂。

第十三條——本章程所未規範事宜,概依澳門現行法律執行。

第十四條——本會創會人員暫為理事會各成員,其任期不得超過一年。

二零一五年五月十九日於海島公證署

二等助理員 林潔如


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門中醫國際研究協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一五年五月十九日起,存放於本署之“2015年社團及財團儲存文件檔案”第1/2015/ASS檔案組第46號,有關條文內容載於附件。

澳門中醫國際研究協會

章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會中文名稱為“澳門中醫國際研究協會”;葡文名稱為“Associação Internacional para o Estudo da Medicina Tradicional Chinesa de Macau”;英文名稱為“Macau International Association for the Study of Traditional Chinese Medicine”。

第二條

宗旨

本會為非牟利團體,宗旨為:推動中醫現代化發展,並與訊息、技術和互聯網相結合,讓中醫走向世界,承先啟後繼往開來。

第三條

會址

本會會址設於澳門高利亞海軍上將大馬路41號激成工業大廈第三期14樓S座。

第二章

會員

第四條

會員資格

凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,均可申請為本會會員。經本會理事會批准後,便可成為會員。

第五條

會員權利及義務

(一)會員有選舉權及被選舉權,享有本會舉辦一切活動及福利的權利。

(二)會員有遵守會章和決議,以及繳交會費的義務。

第三章

組織機構

第六條

機構

本會組織機構包括會員大會、理事會、監事會。

第七條

會員大會

(一)本會最高權力機構為會員大會,負責制定或修改會章;選舉會員大會主席、副主席、秘書和理事會、監事會成員;決定會務方針;審查和批准理事會工作報告。

(二)會員大會設主席一名,副主席一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)會員大會每年舉行一次,至少提前八天透過掛號信或簽收之方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程,如遇重大或特別事項得召開特別會員大會。

(四)修改本會章程決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第八條

理事會

(一)本會執行機構為理事會,負責執行會員大會決議和日常具體會務。

(二)理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長、副理事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)理事會議每三個月召開一次。會議在有過半數理事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第九條

監事會

(一)本會監察機構為監事會,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

(二)監事會由最少三名或以上單數成員組成,設監事長、副監事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)監事會議每三個月召開一次。會議在有過半數監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第四章

經費

第十條

經費

本會經費源於會員會費或各界人士贊助,倘有不敷或特別需用款時,得由理事會決定籌募之。

第五章

附則

第十一條

法律規範

本章程未有列明之事項將按澳門現行之有關法律規範。

二零一五年五月十九日於海島公證署

二等助理員 林潔如


CARTÓRIO PRIVADO

MACAU

CERTIFICADO

Associação dos Amigos de Ribatejo

Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de 15 de Maio de 2015, lavrada a folhas 25 e seguintes do livro n.º 304 deste Cartório, foi constituída entre i) Da Conceição Lopes, Lourenço António, ii) Rosa Campos de Almeida e Silva, António e iii) Bibeiro Ferreira Monteiro, Arnalda, uma associação com a denominação em epígrafe, cujos estatutos constam do articulado em anexo:

CAPÍTULO I

Denominação, sede, natureza e duração

Artigo primeiro

A associação adopta a denominação de «Associação dos Amigos de Ribatejo», e tem a sua sede em Macau, RAE, na Rua Ho Lin Vong, número 23, Taipa, a qual poderá ser alterada por deliberação da Assembleia Geral.

Artigo segundo

1. A Associação é uma pessoa colectiva de fins não lucrativos, que se constitui por tempo indeterminado, e tem as seguintes finalidades:

a) Identificação de oportunidade, promoção e apoio a integração de ribatejanos na Região Administrativa Especial de Macau, e através de Macau, com Hong Kong, República Popular da China e a Região da Ásia Pacífico;

b) Desenvolver o aumento de comércio entre a Região de Ribatejo (Portugal) e Macau e, através de Macau, com Hong Kong, República Popular da China e a Região da Ásia Pacífico;

c) Promover o reconhecimento da associação como representante e porta-voz de interesses sociais, culturais e comerciais da Região de Ribatejo na área do comércio em Macau;

d) Promover iniciativas culturais, de negócios e interesses tanto de entidades da Região de Ribatejo como dos associados com entidades governamentais e comerciais em Macau; e

e) Promover a criação de oportunidades de negócio através de contactos e intercâmbios frutuosos.

2. As actividades em que a Associação se propõe desenvolver não poderão em caso algum ter escopo de cariz comercial.

CAPÍTULO II

Dos associados, seus direitos e deveres

Artigo terceiro

1. Poderão ser admitidos como associados todas as pessoas ou sociedades devidamente incorporadas em Macau, com interesses ou negócios no Ribatejo, e que estejam interessados em contribuir, por qualquer forma, para a prossecução dos fins da Associação.

2. Os Associados podem ser fundadores, ordinários e honorários.

3. São Associados fundadores os que tiverem subscrito o título constitutivo da Associação.

4. Associados ordinários são todas as pessoas singulares ou colectivas que, identificando-se com os fins da Associação, requeiram a sua inscrição, e esta seja aceite por deliberação da Direcção.

5. São Associados honorários as pessoas singulares ou colectivas a quem a Associação, por deliberação da Assembleia Geral, atribua essa qualidade, em virtude de poderem, de forma especial, ajudar a Associação na prossecução dos seus fins.

Artigo quarto

A admissão far-se-á mediante o preenchimento do respectivo boletim de inscrição firmado pelo pretendente, dependendo a mesma da aprovação da Direcção.

Artigo quinto

São direitos dos associados:

a) Participar na Assembleia Geral;

b) Eleger e ser eleito para os cargos sociais da Associação;

c) Participar nas actividades organizadas pela Associação e agir de acordo com os interesses da mesma;

d) Gozar dos benefícios concedidos aos associados.

Artigo sexto

São deveres dos associados:

a) Cumprir o estabelecido nos estatutos e regulamentos da Associação, bem como as deliberações de Assembleia Geral e da Direcção;

b) Contribuir, por todos os meios ao seu alcance, para o progresso, prestígio e bem-estar dos associados;

c) Pagar com prontidão a quota e/ou a contribuição anual a fixar pela Direcção;

d) Participar e ser informado de todas as actividades da Associação.

CAPÍTULO III

Da disciplina

Artigo sétimo

Aos associados que infringirem os estatutos ou praticarem actos que desprestigiem a Associação, serão aplicadas, mediante deliberação da Direcção, as seguintes sanções:

a) Advertência:

b) Censura; e

c) Expulsão.

CAPÍTULO IV

Dos Órgãos

Artigo oitavo

1. São órgãos da Associação a Assembleia Geral, a Direcção e o Conselho Fiscal.

2. Os corpos gerentes são eleitos por mandatos de um ano, conforme for deliberado em Assembleia Geral, que pode deliberar a respectiva reeleição por uma ou mais vezes.

Artigo nono

A Mesa da Assembleia Geral é constituída por um presidente e um secretário.

Artigo décimo

1. A Assembleia Geral, como órgão supremo da Associação, é constituída por todos os associados em pleno uso dos seus direitos e reúne anualmente, em sessão ordinária, convocada por meio de carta registada, enviada com antecedência mínima de oito dias, ou mediante protocolo efectuado com a mesma antecedência, sendo que, na convocatória indicar-se-á o dia, hora e local da reunião e a respectiva ordem de trabalhos.

2. De igual modo, a Assembleia Geral poderá reunir, extraordinariamente, quando convocada pela Direcção ou por 25% de associados ordinários.

Artigo décimo primeiro

Compete à Assembleia Geral;

a) Aprovar, alterar e interpretar os Estatutos;

b) Eleger a Mesa da Assembleia Geral, a Direcção e o Conselho Fiscal;

c) Definir as directivas de actuação e dissolução da Associação;

d) Decidir sobre a aplicação dos bens da Associação; e

e) Apreciar e aprovar o relatório anual e as contas de gerência da Direcção.

Artigo décimo segundo

(Dissolução)

A dissolução da Associação só pode ser decidida pela Assembleia Geral desde que esta tenha sido convocada para esse fim e a dissolução seja aprovada por mais de três quartos do número de todos os associados.

Artigo décimo terceiro

A Direcção é constituída por um número ímpar de membros, num total de cinco, sendo constituída por um presidente, um secretário, um tesoureiro e dois vogais, sendo o presidente substituído na sua falta ou impedimento pelo tesoureiro.

Artigo décimo quarto

A Direcção reúne ordinariamente uma vez por trimestre e, extraordinariamente, sempre que o presidente o achar necessário.

Artigo décimo quinto

Compete à Direcção:

a) Assegurar o cumprimento dos Estatutos, bem como as deliberações da Assembleia Geral;

b) Efectuar a gestão administrativa e financeira da Associação, promovendo as actividades correntes da mesma;

c) Elaborar o Plano e o Relatório de Actividade da Associação, gerir os fundos e organizar a lista dos associados, bem como admitir novos sócios;

d) Convocar a Assembleia Geral;

e) Fixar jóias e quotas da Associação; e

e) Executar todas as deliberações tomadas pela Assembleia Geral.

Artigo décimo sexto

O Conselho Fiscal é constituído por três membros, sendo um presidente, um vice-presidente e um secretário.

Artigo décimo sétimo

São atribuições do Conselho Fiscal:

a) Fiscalizar todos os actos administrativos da Direcção;

b) Examinar, com regularidade, as contas e escrituração dos livros da tesouraria;

c) Dar parecer sobre o relatório anual e as contas de gerência da Direcção.

CAPÍTULO V

Dos rendimentos e regulamento interno

Artigo décimo oitavo

Os rendimentos da Associação são provenientes de quotas e/ou contribuições dos associados, bem como de actividades organizadas pela mesma, tais como concurso de suecas, matraquilhos, snooker, seminários, palestras e debates com distintos convidados, almoços convívios e de outros donativos.

Artigo décimo nono

A Associação adoptará um regulamento interno, cujo aprovação e alteração é da competência exclusiva da Assembleia Geral, sendo que se obrigue pela assinatura conjunta de dois membros da Direcção.

CAPÍTULO VI

(Disposições transitórias)

Artigo vigésimo

(Disposição transitória)

Enquanto não forem eleitos os membros da Direcção, haverá uma Comissão Provisória, composta pelos associados fundadores, a quem é atribuída todos os poderes legal e estatutariamente conferidos à Direcção.

Cartório Privado, em Macau, aos 18 de Maio de 2015. — O Notário, Adelino Correia.


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

頂級格鬥俱樂部

為公佈的目的,茲證明上述社團修改章程的文本自二零一五年五月十八日起,存放於本署之“2015年社團及財團儲存文件檔案”第1/2015/ASS檔案組第44號,有關條文內容載於附件。

頂級格鬥俱樂部

修改社團章程

修改有關社團章程內第七條第二款,第八條第二款及第九條第二款,其修改內容如下:

第七條

會員大會

1……

2.會員大會主席團設主席一名、副主席一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任。

3……

4……

第八條

理事會

1……

2.理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長、副理事長及理事各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

3……

第九條

監事會

1……

2.監事會由最少三名或以上單數成員組成,設監事長、副監事長及監事各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

3……

章程其餘條文不變。

二零一五年五月十八日於海島公證署

二等助理員 林潔如


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門親子教育協會

為公佈的目的,茲證明上述社團修改章程的文本自二零一五年五月十八日起,存放於本署之“2015年社團及財團儲存文件檔案”第1/2015/ASS檔案組第43號,有關條文內容載於附件。

澳門親子教育協會

修改社團章程

修改有關社團章程內第一條及第二條,其修改內容如下:

第一條——本會中文名稱為“澳門親子教育協會”(以下稱本會),中文簡稱為“澳門親子會”;葡文名稱為“Associação de Parentalidade de Macau”;英文名稱為“Macau Parenting Association”。

第二條——本會會址設於澳門十字巷3號裕豐大廈4樓A。經理事會決議可更改。

章程其餘條文不變。

二零一五年五月十八日於海島公證署

二等助理員 林潔如


NOVO BANCO ÁSIA, S.A.

Convocatória

É convocada, nos termos legais e estatutários, para reunir em sessão ordinária, no dia 12 de Junho de 2015, pelas 11 horas, na sede social, sita em Macau, na Avenida Doutor Mário Soares, n.º 323, Edifício Banco da China, 28.º andar «A-F», a Assembleia Geral do Novo Banco Ásia, S.A., em chinês, 新銀行亞洲股份有限公司, registada na Conservatória dos Registos Comercial e de Bens Móveis sob o n.º 10731(SO), com a seguinte ordem de trabalhos:

Um. Apreciação e deliberação sobre o balanço, a conta de demonstração de resultados e o relatório da administração, referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014;

Dois. Deliberar sobre a aplicação de resultados; e

Três. Outros assuntos de interesse da Sociedade.

Nos termos do artigo 430.º do Código Comercial, o balanço, a conta de demonstração de resultados e o relatório da administração encontram-se na sede social, para consulta dos accionistas.

Macau, aos 27 de Maio de 2015. — A Presidente da Mesa da Assembleia Geral, Maria de Lurdes Costa.


Canais de Televisão Básios de Macau, S. A.

Exercício de 2014

Relatório do Conselho de Administração

O Conselho de Administração apresenta formalmente o relatório anual da posição financeira da empresa Canais de Televisão Básicos de Macau, S. A. (CTBM) e as demonstrações financeiras auditadas que compreendem a demonstração da posição financeira e a demonstração dos resultados para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014.

A sociedade tem sede em Macau, na Avenida da Praia Grande, n.os 789-795, 1.° andar.

Composição e Objecto
A sociedade tem como accionistas o Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), a Teledifusão de Macau, S. A. R. L. (TDM) e a Direcção dos Serviços de Correios, tem a duração de dois anos e tem como objecto a prestação de serviços de assistência na recepção pelos residentes de canais de televisão básicos nos termos do contrato de concessão.

Situação actual da sociedade
O contrato de concessão entre o Governo da RAEM e a CTBM foi assinado no dia 15 de Abril de 2014, com o objectivo de a CTBM prestar serviços de assistência na recepção pelos residentes de canais de televisão básicos. Cerca das duas horas da madrugada do dia 22 de Abril de 2014, foi concluída a transferência dos sinais dos canais de televisão básicos em todas as zonas de Macau, com a colaboração das partes interessadas, concretamente os fornecedores do serviço de antena comum, a TV Cabo Macau, S.A., a instaladora Companhia de Telecomunicações de Macau, S.A.R.L.e a Direcção dos Serviços de Regulação de Telecomunicações.

A CBTM, em colaboração com os fornecedores do serviço de antena comum, proporciona os sinais dos canais básicos de televisão aos residentes através das redes. No caso de novos edifícios, os canais básicos serão transmitidos aos pontos de acesso dos edifícios através da banda larga da operadora da rede fixa.

O plano de trabalho da CTBM para o próximo ano tem como principais actividades a elaboração das especificações de construção de rede, o lançamento dos trabalhos de substituição de cabos aéreos por cabos em condutas ou em tubos subterrâneos, o arranjo gradual dos cabos aéreos em toda área de Macau e ainda a definição de mecanismos de verificação e teste periódicos dos pontos de acesso e de supervisão das instalações dos equipamentos, de modo a fornecer uma fonte de sinais com qualidade para os canais de televisão de acesso livre.

A perda anual da CTBM para o exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 é de MOP2.643.197,51. Os projectos de construção e instalação para 2015 terão início após a entrega do subsídio do Governo da RAEM.

Os Administradores durante o ano findo e até à presente data são:
Lau Wai Meng e Tang Wai Lin, Frederico e Alexandre do Rosário

Os membros do Conselho Fiscal durante o ano findo e até à presente data são:
Rosa Leong e Jose Tang alias Tang Kuan Meng e Leong Pou Fong

Pelo Conselho de Administração
A Presidente

Lau Wai Meng

18 de Março de 2015

Relatório dos Auditores Independentes sobre Informações Financeiras Resumidas

Ex.mos Senhores Accionistas da
Canais de Televisão Básios de Macau, S. A.

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Canais de Televisão Básios de Macau, S. A. (a «Empresa») relativas de 10 de Abril de 2014 (data de criação) a 31 de Dezembro de 2014, nos termos das «Normas Técnicas de Auditoria» e «Normas de Auditoria» da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 18 de Março de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras.

As demonstrações financeiras que auditámos, preparadas de acordo com as Normas de Relato Financeiro da Região Administrativa Especial de Macau, integram as demonstrações da posição financeira em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados de 10 de Abril de 2014 (data de criação) a 31 de Dezembro de 2014, a demonstração do rendimento integral, a demonstração das alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa para o ano então findo, bem como um resumo das principais políticas contabilísticas adoptadas e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas da Empresa. Na nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas da Empresa.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Empresa e dos resultados das suas operações, assim como o âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Denis Vong Hou Piu (Auditor registado)
B&D Certified Public Accountants

Macau, aos 18 de Março de 2015.


COMPANHIA DE TRANSPORTES AÉREOS AIR MACAU, S.A.R.L.

Balanço em 31 de Dezembro de 2014

(Em patacas)

# Em conformidade com o artigo 423.º, n.º 5, do Código Comercial de Macau, a partir da remição de acções preferenciais remíveis, um montante igual ao valor nominal das acções remidas deve ser levado dos lucros acumulados a uma reserva especial, que será tratada, para todos os efeitos, da mesma forma que a reserva legal, sem prejuízo da sua eliminação no caso de redução do capital social após a remição. Nos termos do Contrato para a Emissão de Acções Preferenciais Remíveis celebrado entre a Sociedade e o Governo da RAEM, foram remidas em 2013 e 2014 acções preferenciais remíveis no valor nominal agregado de MOP 100 milhões. Após a remição referida anteriormente, foi constituída uma reserva especial no mesmo montante. Serão remidas em 2015 outras acções preferenciais remíveis no montante de MOP 50 milhões, condicionada à aprovação pelos accionistas na próxima Assembleia Geral ordinária.

Demonstração dos resultados

Exercício findo em 31 de Dezembro de 2014

(Em patacas)

Chen Hong Xu Yulan
O Gerente Geral Vice-Presidente, Finanças

 Relatório do Conselho de Administração – 2014

De acordo com as disposições do direito de Macau e os estatutos da sociedade, junto submetemos, para discussão e votação na reunião do Conselho de Administração, o Relatório Anual e as Contas do Exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2014. Durante o período que vai de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2014, as actividades foram conduzidas de acordo com as condições previstas no Pacto Social e respectivo acto constitutivo. Os administradores sentem-se honrados em apresentar o presente Relatório Anual acompanhado do Relatório do Conselho de Supervisão e das contas auditadas para o ano civil que terminou em 31 de Dezembro de 2014.

A sociedade foi constituída em 13 de Setembro de 1994 sob a forma de uma sociedade de responsabilidade limitada por acções e a sua actividade principal é a exploração de companhia aérea internacional em Macau, nos termos do contrato de concessão assinado com o Governo de Macau em 8 de Março de 1995. A sociedade iniciou as suas operações em 9 de Novembro de 1995.

No ano passado, sob a influência da campanha contra a corrupção do Governo da China e do arrefecimento do desenvolvimento da economia chinesa, com a continua queda das receitas da indústria do jogo, a actividade comercial da Air Macau sofreu no Continente um severo impacto. A instabilidade social na Tailândia teve também um efeito negativo nos negócios. Apesar de enfrentar condições desfavoráveis, na opinião dos Administradores a sociedade conseguiu mais um ano rentável, com o cumprimento efectivo do plano traçado, expansão da frota, e concretização de agressivos planos de marketing, controlo efectivo dos custos, bem como diligência da nossa equipa de gestão em 2014.

De acordo com o artigo 33.º dos Estatutos, o Conselho de Administração pelo presente submete para discussão e aprovação pela Assembleia Geral a seguinte proposta de aplicação dos lucros no valor de MOP $ 111.490.126,00 (cento e onze milhões, quatrocentas e noventa mil cento e vinte seis patacas):

1) Dando cumprimento ao artigo 432.º do Código Comercial, o fundo de reserva legal ficará integralmente preenchido com a quantia correspondente a 25% do capital social registado da sociedade. Até 31 de Dezembro de 2014, a reserva legal da sociedade (MOP $ 110.510.500,00) atingiu 25% do capital social autorizado (MOP $ 442.042.000,00), não havendo necessidade de declarar a alocação de qualquer verba para a reserva legal;

2) Declarar a distribuição de dividendos preferenciais no valor de MOP $ 5.000.000,00 (cinco milhões de patacas) para os titulares de acções preferenciais, correspondendo a 5% do valor nominal das acções preferenciais, em cumprimento do Acordo de Emissão de Acções Preferenciais outorgado entre a sociedade e o Governo da RAE de Macau em 2009 e do artigo 420.º do Código Comercial;

3) Determinar a incorporação dos dividendos preferenciais declarados nas reservas não distribuíveis constituídas de acordo com o artigo 14.º dos Estatutos;

4) Transportar para 2015 o montante de MOP $ 106.490.126,00 (cento e seis milhões, quatrocentas e noventa mil e cento e vinte e seis patacas).

Gostaríamos de agradecer aos trabalhadores da Air Macau a sua dedicação para que de uma forma efectiva e profissionalmente eficiente fossem cumpridas as suas obrigações.

O Conselho de Administração gostaria de manifestar o seu agradecimento aos senhores accionistas, Conselho de Supervisão e Delegado do Governo pela sua colaboração e pela confiança que lhes foi depositada.

Macau, 25 de Março de 2015.

Zheng Yan
O Presidente do Conselho de Administração

Relatório do conselho de supervisão da Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, SARL sobre o relatório e contas de 2014 apresentados pelo conselho de administração

De acordo com as exigências estatuárias previstas no Código Comercial de Macau e nas estatuições dos artigos dos Estatutos da Air Macau, SARL (a “Sociedade”), o Conselho de Supervisão preparou o relatório baseado no Relatório Anual de 2014 e nas Demonstrações Financeiras apresentadas pelo Conselho de Administração. O Conselho tomou também em consideração a informação e os comentários recebidos durante o ano dos auditores independentes da sociedade, KPMG, em relação a algumas preocupações e assuntos sobre o controlo de gestão e procedimentos de supervisão para os quais foi devidamente alertada a direcção da Sociedade, assim como o seu parecer sobre os registos financeiros preparados e apresentados para o ano de 2014.

Durante o ano de 2014, o Conselho de Supervisão reuniu-se regularmente de acordo com o previsto nos Estatutos, e manteve contactos adequados com o Conselho Executivo e a gestão sempre que considerado necessário. Durante o ano, o Conselho de Supervisão analisou e reviu os relatórios financeiros dos auditores de 2014, obtendo a informação necessária relativamente às operações da Sociedade. É parecer do Conselho de Supervisão que os relatórios financeiros reflectem correctamente a informação financeira e a situação financeira da Sociedade para o exercício.

Em 2014, a Sociedade continuou a operar no ambiente comercial intenso e competitivo do mercado da aviação comercial, acrescido do aumento de incertezas quanto à economia global e o arrefecimento económico, com perdas cambiais elevadas devido à depreciação do Renminbi e a um crescente aumento dos custos que continuamente afecta em termos adversos o conjunto do negócio. Sem prejuízo do desafio do ambiente comercial, a gestão continuou a responder em termos efectivos às mudanças do mercado e manteve-se focada na melhoria dos produtos e serviços, o que resultou na obtenção de um crescimento sustentado dos lucros em 2014. Tendo em vista o desafio e complexidade do ambiente da indústria da aviação em que opera, assim como o aumento de competição provocado pelas companhias de baixo custo em regiões próximas, a gestão deve continuar a planear políticas coerentes, tais como medidas preventivas e contra-medidas, apoiando o desenvolvimento dos equipamentos de hardware e software, melhorando a qualidade dos serviços e a capacidade de marketing, visando assegurar uma estratégia de desenvolvimento de longo prazo e um crescimento sustentado da Sociedade no futuro.

O Conselho de Supervisão é da opinião de que os documentos seguintes, relativos ao ano de 2014, são adequados para serem submetidos à Assembleia Geral Anual para aprovação pelos accionistas:

- Relatórios Financeiros de 2014;
- Relatório Anual do Conselho de Administração

Finalmente, o Conselho de Supervisão deseja expressar o seu agradecimento pela cooperação e assistência prestada pelos Directores Executivos e a gestão da Companhia.

26 de Março de 2015.

Ho Mei Va Ho Man Sao Zhang Kai
Presidente Vogal Vogal

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os accionistas da
Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L.
(Sociedade anónima incorporado em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L. relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 25 de Março de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sociedade. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e dos livros e registos da Sociedade.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Chang Suet Yi, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 25 de Março de 2015.


Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

* A Outra Reserva é uma reserva obrigatória no montante de 1.427.454,67 patacas. Como a Caixa Económica Postal adopta as “Macau Financial Reporting Standards” (MFRS) na preparação das suas demonstrações financeiras anuais e das provisões para as perdas de imparidade dos créditos concedidos, estas poderão ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso n.º 18/93 da AMCM. A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS. Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas.

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

A Comissão Administrativa: Lau Wai Meng, Chiu Chan Cheong, Van Mei Lin, Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves

A Chefe da Contabilidade, substituta: Lam Wai San.

SÍNTESE DO RELATÓRIO DE ACTIVIDADES - 2014

Até finais de 2014, o total de depósitos captados pela CEP foi de cerca de 771 milhões de patacas, representando um aumento de 17% em relação ao ano anterior.

O montante de novos empréstimos concedidos durante o ano de 2014 havendo uma descida de 1% relativamente ao ano anterior, e o montante, líquido de imparidade, mutuado em circulação, no final do ano, era de cerca de 190 milhões de patacas.

A margem financeira e os resultados de serviços e de comissões foram, respectivamente, de 27,5 milhões e de 7,2 milhões de patacas, sendo os custos de exploração de cerca de 18 milhões de patacas.

Os resultados de 2014, no valor de 17 milhões de patacas, traduzem um decréscimo de 10%, relativamente a 2013.

COMPOSIÇÃO DA COMISSÃO ADMINISTRATIVA DURANTE 2014

Presidente - Lau Wai Meng
Vogal - Chiu Chan Cheong
Vogal - Van Mei Lin
Representante dos Serviços de Finanças    - Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves

PARECER DO REPRESENTANTE DOS SERVIÇOS DE FINANÇAS EXERCÍCIO DE 2014

No exercício das competências previstas no artigo 24.º do Regime Financeiro dos Serviços de Correios, aprovado pelo Decreto-Lei n.º50/99/M de 27 de Setembro, e alterado pelo Regulamento Administrativo n.º10/2010 e no artigo 7.º do Regulamento da Caixa Económica Postal aprovado pelo Decreto-Lei n.º 24/85/M, de 30 de Março, acompanhei o desenvolvimento da actividade da Caixa Económica Postal ao longo do exercício económico de 2014.

Tendo em atenção a análise efectuada aos documentos contabilísticos reportados a 31 de Dezembro de 2014, sou de parecer e considero que:

- São claros e elucidativos os elementos contabilísticos referentes ao balanço em 31 de Dezembro de 2014 e à demonstração de resultados para este ano;
- As contas relativas ao ano económico de 2014 mostram a real situação financeira em 31 de Dezembro de 2014 e estão em condições de ser aprovadas.

Macau, aos 25 de Março de 2015.

Representante dos Serviços de Finanças, Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a Comissão Administrativa da Caixa Económica Postal

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Caixa Económica Postal (“CEP”) relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 1 de Abril de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da CEP. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da CEP.

Para a melhor compreensão da posicão financeira da CEP e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, 1 de Abril de 2015


BANCO DE CONSTRUÇÃO DA CHINA, S.A., SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

MOP

Demonstração resultados do exercìcio desde terminou 7 de Junho de 2014 em 31 de Dezembro de 2014

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente Geral, O Chefe da Contabilidade,
Hou Wei Rong Cheng Xiao Dong

Macau, aos 15 de Maio de 2015.

Sintese das actividades desenvolvidas

O Banco de Construção da China, S.A. Sucursal de Macau constituído em 7 de Junho de 2014 e nessa mesma data, as agências e as actividades do anterior Banco de Construção da China (Macau), S.A. passaram a integrar a Sucursal. A Sucursal de Macau é considerada como uma entidade de nível 1 estabelecida fora do País e conta com o grande apoio do Banco Sede em termos de capital, pessoal, atribuições, tecnologia de informática e recursos financeiros, de modo que as actividades do anterior Banco de Construção da China (Macau), S.A. foram incorporadas com sucesso no Sucursal, e os activos registaram um crescimento mais célere no segundo semestre do ano.

Após a constituição da Sucursal, foram concluídas, num prazo relativamente curto, a construção da estrutura de gestão e a optimização de circuitos de trabalho, sendo notáveis uma maior eficiência na apreciação e autorização de empréstimos, transacções cambiais e liquidação entre os bancos, tendo diversificado ainda mais as fontes de capital e aumentado a capacidade de resposta às necessidades do mercado.

E a contrução dos canais de colocação e a inovação de produtos financeiros foram reforçadas. Criou-se o Centro de Gestão de Riqueza, a Sucursal implementou diversos benifícios no âmbito de depósito, gestão de activos e transacção de títulos, etc. Procedeu-se ao estudo e desenvolvimento de novos produtos, tais como actividades relativas à liquidação transfronteiriça de sociedades e residentes, empréstimos para pequenas e médias empresas, com o objectivo de fornecer serviços mais céleres e produtos mais diversificados aos nossos clientes.

No âmbito de empréstimos, continuámos a alargar os emprétimos para a habitação com hipoteca destinados às pequenas e médias empresas e residentes locais assim como reforçãmos os serviçós e empréstimos destinados às grandes empresas e às sociedades com investimentos ou comércio em Macau e no Interior da China, garantindo assim o crescimento dos activos da Sucursal.

O aumento de recursos humanos e a aplicação de novas tecnologias de informática, aumentaram os custos de operação e, por outro lado, com o crescimento dos empréstimos, aumentou-se a provisão para créditos de liquidação duvidosa de acordo com as exigências de fiscalização, pelo que, depois de descontado o valor da provisão, a Sucursal não houve nenhum lucro nesse ano. No entanto, até ao final do ano, não houve nenhum registo desse tipo, mas um aumento da provisão permite reforçar a capacidade de riscos, constituindo uma base para garantir um aumento dos lucros nos próximos anos.

Para 2015, perspectivamos que a Sucursal continuará a fixar as raízes em Macau e estudar o aprofundamento das actividades locais como estratégia adoptada, para que sejam desenvolvidas as vantagens próprias deste Grupo Bancário e, ao mesmo tempo, estará muito atenta às oportunidades criadas com a política nacional “Uma Faixa, Uma Rota”; reforçará o apoio para se articular com o objectivo de construir “um certro e uma plataforma” em Macau; empenhar-se-á na participação da construção da Zona de Livre Comércio de Hengqin; aumentará sucessivamente a qualidade de serviços prestados e capacidade de criação de valores, e acelerará o desenvolvimento das diversas actividades, dando o contributo do Banco para o desenvolvimento da economia de Macau.

Banco de Construção da China, S.A., Sucursal de Macau

Hou Wei Rong

20 de Março de 2015.

Síntese do parecer dos auditores externos
Para a Gerência do Banco de Construção da China, S.A. Sucursal de Macau

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco de Construção da China, S.A. Sucursal de Macau (a Sucursal) referentes ao período findo em 31 de Dezembro de 2014 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sucursal no período compreendido entre a data de constituição, 7 de Junho de 2014 e 31 de Dezembro de 2014. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014 e a demonstração dos resultados no período compreendido entre a data de constituição, 7 de Junho de 2014 e 31 de Dezembro de 2014, são da responsabilidade da Gerência da Sucursal. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto Gerência, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sucursal no período compreendido entre a data de constituição, 7 de Junho de 2014 e 31 de Dezembro de 2014 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 15 de Maio de 2015.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração dos fluxos de caixa no período compreendido entre a data de constituição, 7 de Junho de 2014 e 31 de Dezembro de 2014, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sucursal, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 15 de Maio de 2015.


BANCO TAI FUNG, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Presidente, O Chefe da Contabilidade,
Zhou Peng Chan Chung Wai

Relatório do conselho de administração

O Conselho de Administração apresenta o relatório e as contas auditadas em 31 de Dezembro de 2014.

Síntese do relatório de actividade

No ano de 2014, o contexto político e económico internacional registou altos e baixos, tendo a recuperação económica sido mais fraca do que se esperava. Em contraste deste fenómeno, porém, a economia de Macau manteve um desenvolvimento estável, tendo o sector financeiro registado constante crescimento quer nos activos globais quer na sua qualidade e rendimentos, graças a este desenvolvimento. Os lucros do Banco antes do imposto, apurados no fim do exercício de 2014, foram de 872 milhões de patacas, um crescimento de 17,36% em relação ao exercício de 2013. Em termos de lucros depois do imposto, a taxa de rendimentos de capital dos accionistas foi de 10,03% e a taxa de rentabilidade dos activos foi de 0,98%. O rácio de adequação dos fundos próprios situou-se em 13,20% e o rácio de eficiência em 35,20%. No final do exercício de 2014, os activos do Banco totalizavam 87.661 mil milhões de patacas, representando um crescimento de 25,75% em relação ao exercício anterior.

Em resultado das medidas eficazes em enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades resultantes de alteração do contexto do mercado, foi registado, no exercício de 2014, novo recorde quer em termos de depósitos e créditos quer em diversas actividades principais do Banco. Sempre atento às necessidades da economia real, temos empenhado na inovação e melhoria do nosso serviço e prosseguido, numa base sólida já existente, a elevação da qualidade e eficiência do serviço prestado aos mais variados sectores de actividades da economia local. Entretanto, não nos esquecemos de acompanhar de perto as alterações e exigências do mercado, melhorar constantemente o serviço e criar produtos inovados face aos comportamentos de consumo, consolidando, assim, a nossa competitividade e rentabilidade.

Prevê-se que no ano de 2015 a economia mundial viverá um período de reajustamento com crescimento baixo, as circunstâncias serão mais complexas e, indirectamente, certas incertezas haverá no contexto operacional de Macau. O Banco desenvolve a sua actividade atendendo o contexto das circunstâncias e sempre fiel à sua tradição sem esquecer, porém, a criatividade, aproveitar todas as oportunidades de desenvolvimento estratégico, definir com precisão o seu posicionamento no mercado, acelerar o desenvolvimento das diversas actividades, optimizar a estrutura patrimonial, criar ambiente conducente a inovação, prosseguir o lema de “integridade, inovação e excelência”, ter sempre na mente a segurança como orientação do seu funcionamento, reforçar a sua capacidade de prevenção e gestão de riscos, e elevar em todos os aspectos o nível de desenvolvimento, com mira a criar maiores valores para os accionistas e fornecer uma oferta mais abrangente de serviços financeiros à sociedade.

Resultado e distribuição

  MOP$
Lucro de exploração antes do imposto 871.820.963,02
Dotações para imposto complementar 100.000 000,00
Resultado de exercício 771.820.963,02
Lucros relativos a exercícios anteriores 1.723.290.221,86
Total disponível 2.495.111.184,88
O Conselho de Administração propôs a seguinte distribuição:  
Para reservas 15.400.000,00
Para dividendos 85.000.000,00
A transportar para o próximo ano 2.394.711.184,88
  2.495.111.184,88
   

Accionistas qualificados

De acordo com os registos do LIVRO DOS ACCIONISTAS DO BANCO, os accionistas, detentores de participações superiores a 10% do capital social do Banco, em 31 de Dezembro de 2014 eram os seguintes:

BANCO DA CHINA

FAMÍLIA DE HO YIN

TITULARES DOS ÓRGÃOS SOCIAIS

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL:  
Presidente: Chan King
Vice-Presidente: Banco da China
Secretário: Chio Io Va
CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO:  
Presidente: Ho Hao Tong
Vice-Presidente: Ye Yixin
Administradores Permanentes: Howard H.H.Ho
  Zhou Peng (designado em 26-8-2014)
  Liu Daguo (exonerado em 26-8-2014)
  Chui Kai Cheong
Administradores: Ho Hao Veng
  Fu Hau Chak (designado em 18-3-2014)
  Qin Liru
  Ip Sio Kai
  Fu Iat Kong (exonerado em 18-3-2014)
  Ho Kevin King Lun
  Fang Yanmin
  Au Ieong Iu Kong
  Ho King Man Justin
CONSELHO FISCAL:  
Presidente: Iong Weng Ian
Membros: Wang Lijie
  Jiang Yidao
SECRETÁRIO DA SOCIEDADE: Chio Io Va
   

O Presidente do Conselho de Administração,

Ho Hao Tong

Macau, 13 de Fevereiro de 2015.

Parecer do Conselho Fiscal

Nos termos da lei e dos Estatutos do Banco Tai Fung, S.A., compete ao Conselho Fiscal fiscalizar as actividades e a administração do Banco e emitir parecer sobre as contas, proposta de distribuição de dividendos e o relatório financeiro de cada exercício, apresentados pelo Conselho de Administração.

No exercício de 2014, o Conselho Fiscal no uso das suas competências procedeu ao que considerava necessário e examinou as contas do Banco auditadas pela Sociedade de Auditores Lowe Bingham & Mathews – PricewaterhouseCoopers, sobre as quais esta Sociedade expressou as suas opiniões sem reservas.

Este Conselho é de parecer que as contas examinadas demonstram, nitidamente e com rigor, a real situação financeira do Banco em 31 de Dezembro de 2014 e o resultado do exercício findo em 31 de Dezembro de 2014, sendo as demonstrações financeiras referentes ao exercício, a proposta para a distribuição de dividendos e o relatório financeiro apresentados pelo Conselho de Administração apropriados para serem submetidos à aprovação dos accionistas na Assembleia Geral.

A Presidente do Conselho Fiscal,
Iong Weng Ian

Macau, 26 de Fevereiro de 2015

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os accionistas do Banco Tai Fung, S.A.
(constituído em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Tai Fung, S.A. (o Banco) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos do Banco referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 26 de Fevereiro de 2015.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng, Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 14 de Abril de 2015.

Lista das empresas cuja capital social o nosso Banco tem uma participação superior a 5%:

Sociedade de Fomento Predial Tak Kei Lda. 98,00%
Companhia de Investimento Predial Triumph, Limitada 76,66%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang, S.A.R.L. 38,10%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang-Vida, S.A. 28,58%
Tai Fung (Hong Kong) Finance Company Limited 35,00%
Companhia de Locação Fianceira Internacioal Land Tai Fung (Macau), S.A. 25,00%

BANCO CHINÊS DE MACAU, S.A.

(Publicação ao abrigo do Artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

Nota: A rubrica «Outras Reservas» está incluído um valor de MOP 3.003.985,00 de provisões genéricas adicionais constituídas em cumprimento das regras do Aviso n.º 18/93-AMCM.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Administrador, O Chefe da Contabilidade,
Chan Tat Kong Lio Kuok Keong

Macau, aos 31 de Março de 2015.

Nota: O balanço anual e a demontração de resultados do exercício foram preparados a partir dos registos contabilísticos auditados.

Instituições em que detem participação superior a 5% do respectivo capital ou superior a 5% dos seus fundos próprios:

Nenhuma

Accionistas qualificados:

Winwise Holdings Ltd. (Constituída em Hong Kong)

Discovery Planet Ltd. (Constituída em BVI)

Nomes dos titulares dos orgãos sociais:

Mesa da Assembleia Geral  
Presidente : Albert Saychuan Cheok
Secretario : Hau Tat Kwong, Andrew
Conselho Fiscal  
Presidente : Chan Nim Leung, Leon
Vogal : Chui Sai Cheong
  Leung Nai Chau, Jesse
Conselho de Administração  
Presidente : Lee Luen Wai, John
Administrador : Chan Tat Kong
  Ng Tai Chiu, David
  Abucay, Lucas Jr. L.
  Cheng Sai Chong
Comissão Executiva  
Presidente : Chan Tat Kong
Vogal : Lee Luen Wai, John
  Cheng Sai Chong
  Ng Tai Chiu, David (Nomeação alternante de Lee Luen Wai, John)

Macau, 31 de Março de 2015.

Sintese do relatório de actividade a 31 de Dezembro de 2014

Em 2014, o lucro a que os accionistas têm direito de acordo com os registos do Banco é de MOP 43.300.927,23, o que representa um manifesto aumento relativamente ao ano anterior.

Tendo em conta que o preço dos imóveis de Macau tem continuado a subir, encontrando-se no entanto a economia de Macau a desacelerar gradualmente, o Banco tomou uma atitude cautelosa na gestão dos empréstimos a partir do 2.º semestre de 2014. Consequentemente, o montante total de empréstimos aumentou ligeiramente de MOP 352.914.353,47 no fim do ano de 2013 para MOP 368.883.731,64 no fim do ano de 2014, sendo o aumento apenas de um dígito para 4,53%. Por outro lado, o montante total de depósitos registou no fim de 2014 um aumento notável, o qual atingiu MOP 475.392.652,56, sendo um aumento de 40,79%. Antes da reavalização dos activos, o rendimento do exercício do ano de 2014 foi de MOP 2.820.927,23, enquanto que no ano de 2013 foi de MOP 4.377.299,25.

De Junho de 2014 até finais de Dezembro de 2014, o rendimento do jogo registou continuadamente durante sete meses um decréscimo. Durante esse período, a taxa de crescimento do preço dos imóveis em Macau foi mais reduzida. A partir de Dezembro de 2014, o posto fronteiriço entre Macau e Hengqin passou a funcionar em 24 horas, estratégia essa que levou os trabalhadores provenientes da República Popular da China e Hong Kong a arrendar imóveis em Zhuhai, onde a renda é mais baixa, circunstância que poderá constituir um obstáculo à subida das rendas no mercado imobiliário de Macau, afectando negativamente o preço do imobiliário de Macau. É previsível que os efeitos negativos derivados da pressão na descida da economia de Macau continuarão até ao ano de 2016, em que outros casinos de grande envergadura iniciarão as suas actividades, tais como o “Paresian”, o “Wynn Palace” e o “MGM” no Cotai.

Em termos internacionais, a recuperação da economia dos Estados Unidos da América foi mais forte do que as previsões; porém, a China, a Rússia, as regiões da Europa, o Japão e alguns países principais exportadores de petróleo enfrentam um ambiente de estagnação económica e de baixa inflação. Importa ter em atenção que a taxa de juro dos Estados Unidos da América irá subir. De uma forma geral, é previsível que o ano de 2015 será um ano em que Macau irá manter um crescimento lento da economia. A fim de reduzir o impacto no Banco decorrente da tendência de descida no sector imobiliário e da economia de Macau, o Banco irá continuar a adoptar medidas cautelosas, fortalecendo o funcionamento dos procedimentos de gestão de risco.

Agradecemos cordialmente o apoio prestado pelos clientes ao Banco, bem como o contributo diligente dos nossos funcionários durante o ano passado para o resultado da actividade do Banco.

Lee Luen Wai
Presidente do Conselho de Administração

31 de Março de 2015.

Parecer de auditor independente sobre o relatório e contas

Para os accionistas da Sociedade do Banco Chinês de Macau, S.A.
(sociedade por acções de responsabilidade limitada, registada em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Sociedade do Banco Chinês de Macau, S.A. relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 31 de Março de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014 a demonstração de resultados, a demonstração de rendimento integral, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira da sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Bao, King To
Auditor de Contas
Ernst & Young — Auditores

Macau, aos 31 de Março de 2015.

Parecer do Conselho Fiscal de 2014

Durante 2014, o Conselho Fiscal seguiu atentamente as actividades do Banco. Ao manter um estreito e frequente contacto com o Conselho de Administração, o Conselho Fiscal obteve a melhor cooperação e informação do Conselho de Administração que lhe permitiu executar as suas tarefas e responsabilidades eficaz e eficientemente.

Após rever e analisar os documentos que lhe foram apresentados, o Conselho Fiscal é de opinião que esses documentos reflectem clara e verdadeiramente os bens e a situação económica e financeira do Banco.

Portanto, o Conselho Fiscal considera que as contas e relatório financeiros para o exercício de 2014 submetidos pelo Conselho de Administração deveriam ser apresentados à Assembleia Geral de Accionistas para aprovação.

Presidente do Conselho Fiscal
Chan Nim Leung, Leon

31 de Março de 2015.


BANCO COMERCIAL DE MACAU, S.A.

(Publicações ao abrigo do artigo 75 do RJSF aprovado pelo Decreto-Lei no. 32/93M, de 5 de Julho)

BALANÇO ANUAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2014

Valores em Patacas

Valores em Pataca

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCICIO DE 2014

CONTA DE EXPLORACÃO

Valores em Patacas

Conta de lucros e perdas

Valores em Patacas

O Chefe da Contabilidade, Pelo Conselho de Administração,
Chit-Kwan Wong (Vincent Wong)

Yiu-Fai Kong (Eddie Kong)
Sou-Chao Chan (Kenneth Chan)
Alick Yuk-Fai Chiu

Macau, aos 12 de Maio de 2015.

Banco Comercial de Macau, S.A. Visão Geral de Negócios de 2014

Com o desenvolvimento relativamente estável de Macau, em 2014, o PIB atingiu MOP$443.300.000.000,00 (443.3 mil milhões), tendo-se verificado uma quebra de 0,4% em relação ao ano passado. Nesse período, a indústria do jogo diminuiu 7,9% e a de outros serviços de turismo registou uma diminuição ligeira de 0,3%; no entanto, outros sectores da economia tiveram um desempenho relativamente melhor, entre os quais o investimento em capital fixo que aumentou 35,2%; o consumo privado e os gastos finais do Governo subiram 5,9% e 7,1%, respectivamente; a exportação de mercadorias aumentou 20,7% e as importações aumentaram 16.7%. O PIB per capita de Macau atingiu 713.514 mil patacas, verificando-se um aumento de 3,2%. A desaceleração da indústria do jogo incentivou as empresas locais a acelerar o desenvolvimento de outras actividades não ligadas à indústria do jogo; e a promoção da diversificação económica também traz novas oportunidades para o sector financeiro, assim, este Banco atingiu mais uma vez um sucesso histórico neste ano.

Em 31 de Dezembro de 2014, o Banco registou um lucro líquido de MOP$161.000.000,00 (161 milhões patacas), representando um aumento de 15% em relação ao ano passado. O activo líquido de 15,7 mil milhões patacas do ano passado aumentou para 17,2 mil milhões patacas neste ano, o que representa um aumento de 10%. E ainda, o total de empréstimos foi de 11,6 mil milhões patacas, representando um aumento anual de 13%. Entretanto, o total de depósitos atingiu 15.2 mil milhões patacas, tendo-se registado um aumento de 13%.

Olhando para o ano de 2015, o ambiente económico internacional é complexo: as economias dos EUA desenvolvem-se sustentadamente; os países da zona do euro têm diferentes níveis de desenvolvimento, o qual é relativamente lento em geral; as economias da Inglaterra têm uma melhoria progressiva; no Japão não se registou nada de especial; a Ásia continuará a contribuir para a economia global. Com o apoio da China Continental, sendo uma plataforma de negociação, Macau está a investir mais recursos para desenvolver uma economia múltipla mais estável e sustentável. Enraizado em Macau, o Banco Comercial de Macau irá continuar a dar um forte apoio ao desenvolvimento sustentável do território. E, ainda, o Banco pretende melhorar a plataforma de serviços e lançar produtos inovadores durante o ano, baseado na busca da excelência, para servir as empresas e o público em geral.

Tenho a honra de expressar aqui a minha sincera gratidão aos esforços incansáveis de todos os meus colegas. Eu também, em nome do Conselho de Administração, gostaria de apresentar os meus sinceros agradecimentos aos apoios e orientações dos nossos clientes.

Yiu-Fai Kong
Diretor Executivo

25 de Março de 2015

Parecer do Conselho Fiscal

Aos Accionistas do Banco Comercial de Macau, S. A.

Nos termos do Código Comercial de Macau e dos estatutos do Banco Comercial de Macau, S. A. (“BCM”), o Conselho Fiscal do BCM emite parecer sobre o relatório, os documentos de relato financeiro e a proposta de afectação dos resultados apresentados pelo Conselho de Administração relativamente ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014.

O Conselho Fiscal do BCM verificou as transacções e a gestão do Banco durante o ano de 2014. As suas competências incluem a supervisão da gestão do Banco; o exame dos livros e registos e sua actualização; a verificação dos activos; a análise dos critérios contabilísticos e o respectivo impacto nos resultados do exercício; o exame dos documentos de relato financeiro anuais, bem como outras verificações previstas na lei e nos estatutos.

O Conselho Fiscal analisou a informação contabilística preparada pelo Banco durante o ano e submetida regularmente à Autoridade Monetária de Macau (“AMCM”), e seguiu outros procedimentos considerados adequados para as circunstâncias, incluindo o exame ao relatório do auditor independente.

Analisámos o relatório emitido pelo auditor independente PricewaterhouseCoopers, datado de 17 de Fevereiro de 2015, o qual expressa uma opinião sem reservas sobre os documentos de relato financeiro do Banco, relativos ao ano findo em 31 de Dezembro de 2014.

Obtivémos todas as informações e explicações consideradas necessárias para efeitos das nossas verificações e, com base no trabalho efectuado, somos de opinião de que:

(a) O relatório, bem como os documentos de relato financeiro, apresentados pelo Conselho de Administração reflectem fielmente a situação financeira do Banco em 31 de Dezembro 2014 e estão em conformidade com o estabelecido no Código Comercial de Macau, com as Normas de Relato Financeiro e com os estatutos do banco;

(b) Os princípios contabilísticos e os critérios utilizados nas estimativas adoptadas pelo Conselho de Administração na preparação dos documentos de relato financeiro apresentados foram os apropriados atendendo às circunstâncias;

(c) O relatório, bem como os documentos de relato financeiro, apresentados pelo Conselho de Administração não necessitam de quaisquer alterações.

OPINIÃO

Em conclusão, somos de parecer de que o relatório e os documentos de relato financeiro apresentados pelo Conselho de Administração relativamente ao ano findo em 31 de Dezembro de 2014, assim como a sua proposta de afectação de resultados, sejam aprovados na próxima Assembleia Geral Ordinária de Accionistas, em 25 de Março 2015.

Macau, 17 de Março de 2015

O Conselho Fiscal
Presidente — da Conceição Reisinho, Fernando Manuel
Vice-Presidente — Mayhew, Nicholas John
Vogal — So Po Fung

Relatório dos auditores externos sobre as demonstrações financeiras resumidas

Para Os Accionistas Do Banco Comercial De Macau, S.A.
(Constituido em Macau como sociedade anonima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Comercial de Macau, S.A. (o “Banco”) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras no relatório de 17 de Fevereiro de 2015.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 12 de Maio de 2015.

Instituições em que o Banco detém participações superiores a 5% do respectivo capital ou superiores a 5% dos seus fundos próprios

Nome das Instituições   Percentagem
Nenhuma    
Accionistas Qualificados    
Nome do Accionista Número de Acções Percentagem
Dah Sing Bank, Limited 702,000 78%
DSB BCM (1) Limited 99,000 11%
DSB BCM (2) Limited 99,000 11%
Órgãos Sociais    
Mesa da Assembleia Geral    
Leonel Alberto Alves Presidente  
Liu Chak Wan Secretário  
Ma Iao Lai Secretário  
Conselho Fiscal    
Fernando Manuel da Conceição Reisinho Presidente  
Mayhew, Nicholas John Vice-Presidente  
So Po Fung(Francesca So) Vogal  
Conselho de Administração    
David Shou-Yeh Wong Presidente  
Hon-Hing Wong (Derek Wong) Membro  
Gary Pak-Ling Wang Membro  
Harold Tsu-Hing Wong Membro  
Yiu-Fai Kong (Eddie Kong) Membro  
Sou-Chao Chan (Kenneth Chan) Membro  
Alick Yuk-Fai Chiu Membro  

HANG SENG BANK LIMITED — SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

(Em patacas)

(Em patacas)

As Outras Reservas incluem uma reserva genérica de 78,374,415.84 Patacas. Porque a sucursal adopta as Financial Reporting Standards of the Macau SAR (“MFRS”) na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas MFRS podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas e provisões especificas calculadas de acordo com o Aviso n’ 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS (antes dos impostos diferidos de 10,687,420 Patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha “Dotações adicionais para provisões conforme RJSF” da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o “Lucro depois de impostos” e os “Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM” na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

(Em patacas)

Conta de lucros e perdas

(Em patacas)

O Gerente da Sucursal de Macau, O Chefe da Contabilidade,
Isidorus Fong Eddie Tam

(Em patacas)

Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau
(anúncio previsto no artigo 76.º do Regime Jurídico do Sistema Financeiro, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)
Resumo do relatório de actividades do exercício

No ano de 2014, a economia mundial teve um crescimento moderado, o desenvolvimento económico de Macau foi ténue, e o mercado da China Continental sofreu reformas sucessivas de que resultaram vários desafios para o exercício da actividade bancária. Nessas circunstâncias, o Banco esforçou-se para aumentar os ganhos operacionais e obter melhor aproveitamento dos fundos e outros recursos, aperfeiçoando a nossa plataforma de serviços para que as actividades se mantenham equilibradas e com um aumento estável.

O desenvolvimento estável do exercício em Macau de actividades do Banco dependeu efectivamente da relação de cooperação permanente com os clientes, os colegas e a sociedade. O Banco mantém bons contactos com os clientes e outros investidores, de modo a dar uma resposta imediata às mudanças do mercado e às novas oportunidades de negócio.

As actividades principais exercidas pelo Banco no ano de 2014 consistiram na prestação de serviços diversificados de depósito, diversos tipos de financiamentos comerciais, serviços comerciais transfronteiriços em renmimbi, empréstimos garantidos por hipoteca sobre imóveis, empréstimos a empresas, transferências e operações cambiais, cobrança de letras, terminais de serviço automático e agenciamento de seguros, entre outros, os quais foram disponibilizados a empresários e clientes individuais. No dia do encerramento do exercício, registamos a título de depósitos e empréstimos, respectivamente, dois mil oitocentos e doze milhões de patacas, e oito mil novecentos e setenta e sete milhões de patacas, sendo o lucro anual, deduzido dos impostos, de cento e vinte e seis milhões de patacas.

Agradecemos aos Serviços Públicos da Administração de Macau, clientes, colegas e funcionários do Banco e seus familiares, o apoio que nos prestaram.

Fong Chi Cheng
O Director da Sucursal
Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau

Síntese do parecer dos auditores externos

Para o gerência do Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 29 de Abril de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas.
KPMG

Macau, 29 de Abril de 2015.


FIRST COMMERCIAL BANK LIMITADA — Sucursal de Macau

(Publicações ao abrigo do artigo 76 do RJSF aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

Conta de Lucros e Perdas

MOP

Gerente-geral,  O Chefe da Contabilidade,
Alex Chang Lin Ko Wei

Síntese do relatório de actividade

Banco Comercial Primeiro,S.A., fundado em 1899, tem operado mais de cem anos. Em 2014, a sucursal tem-se desenvolvido de forma estável, alcançando o grande sucesso previsto.

Em 2015, a sucursal irá, insistir na prossecução do conceito «Cliente Preferencial, Serviço de Primeira», procurando, expandir activamente os negócios e oferecer aos clientes diversos serviços com a melhor qualidade.

Gerente-Geral
Alex Chang

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a Gerência do First Commerical Bank Limitda — Sucursal de Macau

As demonstrações financeiras resumidas anexas do First Commercial Bank Limitada - Sucursal de Macau (a Sucursal) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sucursal referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade da Gerência da Sucursal. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto Gerência, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sucursal referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 27 de Março de 2015.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sucursal, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 15 de Abril de 2015.


THE BANK OF EAST ASIA, LIMITED, SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente-geral da Sucursal de Macau, Sub Gerente Geral,
Wong Chun Kwan Leong Wai Kun

Síntese do relatório de actividade referente ao exercício de 2014

Em 2014, a Sucursal e as quatro agências [East Asia (Macau)] do Banco da East Asia, Limitada (“BEA”) estabelecidas em Macau continuaram a satisfazer a procura dos seus clientes de Macau e das regiões vizinhas no âmbito do serviço de financiamento transfronteiriço, utilizando a vasta rede que o Banco da East Asia (China), Limitada [East Asia (China)], subsidiária integral do Banco da East Asia, possui no Interior da China. No exercício do ano de 2014, conseguiu-se obter, em comparação com período homólogo do ano anterior, um aumento de 33% nos lucros apurados após a dedução de impostos, em virtude do empenho da [East Asia (Macau)] e das medidas eficazes de controlo dos custos adoptadas, sendo o melhor resultado registado desde o início das actividades em 2001. Por outro lado, até 31 de Dezembro de 2014, registou-se um aumento de 44% do crédito concedido aos clientes da [East Asia (Macau)] em comparação com período homólogo do ano transacto.

Além disso, a [East Asia (Macau)] lançou, em Maio de 2014, o cartão ATM com chip, para reforçar o nível de segurança dos serviços prestados com ATM. Para o futuro, a [East Asia (Macau)] vai continuar a aumentar o rácio de penetração no mercado local, para alargar a base de clientes.

Banco da East Asia, Limitada, Sucursal de Macau

O Gerente — Geral
Wong Chun Kwan

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a gerência do Banco da East Asia, Limitada — Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporada na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco da East Asia, Limitada — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 15 de Abril de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas.
KPMG

Macau, aos 15 de Abril de 2015.


STANDARD CHARTERED BANK — SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente da Sucursal de Macau, O Chefe da Contabilidade,
Wong Wai Hing, Simon Kan, Cheok Lam

Relatório de Gestão 2014

A direcção tem o prazer de anunciar os resultados da Sucursal de Macau do Standard Chartered Bank (“A Sucursal”) para o exercício findo a 31 de Dezembro de 2014.

Actividades Principais

A Sucursal faz parte do Standard Chartered Bank, um banco constituído no Reino Unido e registado em Inglaterra e no País de Gales. As principais actividades da Sucursal envolvem a prestação de serviços bancários comerciais e serviços financeiros relacionados.

Resultados de 2014

O lucro antes de impostos aumentou 2,8%, de 54,43 milhões de Patacas para 55,94 milhões de Patacas. A receita dos juros líquidos aumentou 11,7% para 39,43 milhões de Patacas. Receitas de emolumentos e comissões diminuíram 15,3% relativamente a 2013. O total de proveitos operacionais aumentou 4,4% para 70,95 milhões de Patacas.

As despesas operacionais aumentaram 40,1% em 2014 para 14,89 milhões de Patacas. As perdas por imparidade em empréstimos e adiantamentos diminuíram 2,79 milhões de Patacas em comparação com 2013. O lucro depois de impostos foi de 49,23 milhões de Patacas, um aumento de 1,34 milhões de Patacas relativamente aos 47,89 milhões de Patacas registados em 2013.

O resultado do exercício elaborado conforme o regulamento da Autoridade Monetária de Macau apresenta um lucro de 44,40 milhões de Patacas, registando-se uma diminuição de 0,25 milhões de Patacas em comparação com os 44,64 milhões de Patacas registados no ano de 2013.

O Director da Sucursal do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau

Simon Wong

08 de Maio de 2015

Síntese do parecer dos auditores externos

Para o gerente-geral do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado no Reino Unido)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 7 de Maio de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 7 de Maio de 2015.


BANCO WING LUNG, LIMITADA, SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

貨幣單位:MOP

貨幣單位:MOP

貨幣單位:MOP

 

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

貨幣單位:MOP

Conta de lucros e perdas

貨幣單位:MOP

 

O Gerente-geral, A Chefe da Contabilidade,
Guo Zhihang Tang Ying

業務報告之概要

過去一年,全球經濟在低速增長中徘徊,美國、歐洲、日本等經濟發達國家仍然通過低息政策釋放流動性,國際市場資金供給充足,導致銀行存、貸利差進一步收窄,給銀行收益帶來負面影響。本分行在澳門繼續採取「批發業務為主,零售業務為輔的」經營策略,針對澳門市場資金成本高於香港的現狀,通過利用永隆銀行總行的低成本資金來源開展本地信貸及跨境貿易融資結算業務,取得了較好的經營業績和效益。至二零一四年底,本分行存款餘額為21.5億澳門元,貸款餘額為62.3億澳門元,取得稅後利潤8,527.6萬澳門元,超額完成永隆銀行總行年初下達的經營計劃目標。

今年以來,國際、中國內地以及澳門的經濟形勢發生了一定的變化,特別是澳門博彩業調整對其他行業的影響存在較大不確定性,本分行暫時不會改變經營策略及方向,將繼續秉承「進展不忘穩健,服務必盡忠誠 」之一貫宗旨,進一步完善制度,優化流程,加強內部協調管理,提升客戶服務滿意度。希望永隆銀行與客戶事業發展無限,合作共贏。

並致以誠摯的敬意!

永隆銀行澳門分行
總經理 郭志航

二零一五年五月八日

摘要財務報表之獨立核數報告

致 永隆銀行有限公司澳門分行總經理
(於香港特別行政區註冊成立的商業銀行有限公司之分行)

我們按照澳門特別行政區之《核數準則》和《核數實務準則》審核了永隆銀行有限公司澳門分行二零一四年度的財務報表,並已於二零一五年五月十三日就該財務報表發表了無保留意見的核數師報告。

上述已審核的財務報表由二零一四年十二月三十一日的資產負債表以及截至該日止年度的損益表、儲備變動表和現金流量表組成,亦包括重大會計政策的摘要和解釋附注。

隨附由管理層編制的摘要財務報表是上述已審核財務報表和相關會計賬目及簿冊的撮要內容。我們認為,摘要財務報表的內容,在所有重要方面,與已審核財務報表和相關會計賬目及簿冊的內容一致。

為更全面了解永隆銀行有限公司澳門分行的財務狀況和經營結果以及核數工作的範圍,隨附的摘要財務報表應與已審核的財務報表以及獨立核數師報告一併閱讀。

李婉薇註冊核數師
畢馬威會計師事務所

二零一五年五月十三日,於澳門


CHONG HING BANK LIMITED, SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

MOP

Contas de lucros e perdas

MOP

O Gerente, A Chefe da Contabilidade,
Lau Hing Keung Choi Ka Ching

Síntese do relatório de actividade

Em 2014, a concorrência dos mercados financeiros na Europa e na Ásia foi muito competitiva mas, em virtude das oportunidades surgidas com o desenvolvimento económico na Ásia-Pacífico, das vantagens com o desenvolvimento constante e estável do Interior da China e os benefícios provenientes das políticas nacionais, o crescimento da economia de Macau continuou a registar uma tendência de alta, tendo proporcionado uma diversificação dos empréstimos bancários. Esta agência tem defendido o princípio de “Apoiar as empresas para agarrar as oportunidades comerciais através de um serviço de qualidade”, de modo que reforçámos a gestão interna, para satisfazer as necessidades dos clientes através da eficiência e celeridade, deste modo, as nossas actividades registaram um desenvolvimento contínuo e os excelentes resultados gerais são a prova do nosso esforço.

Até 31 de Dezembro de 2014, as receitas operacionais líquidas desta agência totalizaram 24,77 milhões de patacas, um aumento de 85% em comparação com o ano passado. O lucro anual deduzido de impostos foi de 9,79 milhões, registando um aumento notável de 483%, embora o montante total dos depósitos tivesse atingido 220 milhões, houve uma redução de 27%. O montante de empréstimos a clientes atingiu um número recorde de 1,19 mil milhões, registando um aumento de 82%. O património total foi de 1,38 mil milhões, registando um aumento de 68%.

Para 2015, iremos aproveitar ainda melhor as oportunidades, continuaremos a aumentar a capacidade de renovação e competitividade através de um trabalho de equipa de qualidade, na expectativa de obter ainda melhores resultados em comparação com o ano anterior, fornecendo aos clientes produtos e serviços com melhor qualidade, de forma mais adequada e célere, retribuindo o apoio e a confiança depositada em nós pelos cidadãos de Macau.

O Gerente,
Lau Hing Keung

RELATÓRIO DO AUDITOR EXTERNOS SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS RESUMIDAS

PARA A GERÊNCIA DO CHONG HING BANK LIMITED, SUCURSAL DE MACAU

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Chong Hing Bank Limited, Sucursal de Macau (a Sucursal) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sucursal referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade da Gerência da Sucursal. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto Gerência, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sucursal referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 12 de Maio de 2015.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sucursal, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 12 de Maio de 2015.


SOCIEDADE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS DE MACAU, S.A.

Balanço em 31 de Dezembro de 2014

Relatório do Conselho de Administração: Destagues de 2014

Tendo desenvolvido de forma permanente e estável a indústria de turismo de Macau, o consumo de água de todo o ano atingiu os 83,50 milhões de metros cúbicos, representando um aumento de cerca de 6,4% em relação ao ano passado. No futuro, a conclusão sucessiva de mais complexos de habitação pública e instalações de turismo e lazer vai levar a procura crescente de água, em resposta ao subido consumo de água do futuro, investimos mais de 100 milhões de patacas no desenvolvimento da Obra de Ampliação para a Estação de Tratamento de Água do Reservatório Principal – Fase III (situada no NAPE) que visa a aumentar a capacidade de fornecimento de água. Preparámo-nos bem e antecipadamente para garantir o seguro abastecimento de água em Macau a curto e médio prazo.

Criar um espírito de serviços orientados para os clientes e controlar rigorosamente a qualidade de água

Auscultámos humildemente a voz de diversos sectores sociais, aperfeiçoando de maneira activa a qualidade de serviços prestados aos clientes, no sentido de criar um espírito de serviços orientados para os clientes e prestá-los os serviços com carinho. Para o Laboratório e Centro de Pesquisa da SAAM, o ano de 2014 é um ano cheia de desafios. Em relação à descida qualidade da água bruta, o pessoal do Laboratório, em conjunto com os respectivos Serviços e unidades do governo estudou as diversas alternativas de resolução. Finalmente, com os esforços incansáveis contribuídos por todas as partes, a qualidade da água produzida conseguiu manter-se num nível de segurança satisfeito, tendo a mesma aprovada nos vários testes da China e do exterior.

Cuidar dos trabalhadores e conferir grande importância à segurança ocupacional

Os trabalhadores pertencem a uma parte muito importante do património social, por isso, a SAAM dá grande ênfase à segurança e saúde dos trabalhadores. No ano de 2014, a gestão da segurança e saúde ocupacional tornou-se sistémica, e a sua estrutura melhorou-se completamente. O “H&S College” programou diversificados cursos sobre a segurança e saúde ocupacional que foram destinados aos trabalhadores de diferentes departamentos.

Retribuir carinhosamente à sociedade e cuidar dos grupos comunitários

No ano de 2014, a SAAM continuou a cuidar das comunidades por acções, prestando apoio para os indivíduos com necessidade. Sendo uma empresa socialmente responsável, a SAAM continua a promover uma sociedade economizadora de água, procurando sensibilizar o público para o desafio que constitui a produção e o abastecimento de água potável, através da organização de várias actividades promocionais e educativas.

Construir o futuro de mãos dadas

Por fim, em representação da SAAM, gostaria de expressar a gratidão pelo apoio prestado ao longo deste ano por todos os clientes, parceiros, governo e sócios, e agradecer ainda mais os incansáveis esforços dedicados por todos os trabalhadores ao sector de abastecimento de água em Macau.

Olhando para 2015, apesar de se tratar de um trabalho cheio de desafios, estaremos confiantes para enfrentá-los com entusiasmo, prepararemos bem o trabalho de aperfeiçoamento pertinente à gestão e controlo da empresa, elevaremos o nível de prestação de serviços, cumpriremos a responsabilidade social da empresa, continuaremos a proporcionar de forma segura e confiável os serviços de abastecimento de água com alta qualidade para a população em geral, esforçando-se em conjunto com os cidadãos por construir um futuro melhor.

Cheung Chin Cheung
Administrador Delegado

Macau, aos 11 de Março de 2015

Relatório e Parecer do Conselho Fiscal

Senhores accionistas da Sociedade de Abastecimento de Água de Macau, S.A.

Nos termos do Código Comercial e dos Estatutos da Companhia, o Conselho Fiscal supervisionou a administração da Sociedade de Abastecimento de Água de Macau, S.A., ao longo do ano de 2014 até ao dia 31 de Dezembro, acompanhou a actividade da Companhia, e obteve todas as informações e esclarecimentos que considerou necessários. O Conselho Fiscal considera que as demonstrações financeiras e relatório de actividade estão correctos e completos, explicando de forma breve e clara a situação financeira da Companhia, o desenvolvimento das suas actividades e os resultados das operações referentes ao exercício do ano 2014. O Conselho Fiscal não verificou qualquer irregularidade nem acto ilícito.

O Conselho Fiscal propõe à Assembleia Geral a aprovação do relatório de actividades, proposta de aplicação do saldo e demonstrações financeiras do Conselho de Administração.

Macau, aos 17 de Março de 2015

O Conselho Fiscal

Cheng Ka Ki Joanna Tan Sabrina Wu Chun Sang
    Presidente Membro Membro

SUN HUNG KAI INVESTMENT SERVICES LIMITED (SUCURSAL DE MACAU)

Demonstração de resultados referente ao exercício de 1 de Janeiro de 2014 a 31 de Dezembro de 2014

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

MOP

Gerente da Sucursal de Macau, Subgerente de Sucursal de Macau,
Wong Sing Chi Ao Ieong Choi Chan

Balanço em 31 de Dezembro de 2014

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

MOP

Síntese do Relatório de Actividade

Resultados Financeiros

A Sun Hung Kai Investment Services Limited — Sucursal de Macau (a “Sucursal”) registou um rendimento total para o ano findo em 31 de Dezembro de 2014 de MOP19 975 746, com um lucro líquido depois de impostos de MOP3 304 191.

Retrospectiva das actividades

Com a emergência de condições mais favoráveis no mercado no 2.º semestre do ano de 2014 e com a abertura do “Shanghai-Hong Kong Stock Connect” em Novembro, o ambiente para o investimento melhorou, tendo aumentado também o montante de transacções; os investidores voltaram a depositar confiança nos investimentos em acções, tendo-se registado um aumento no rendimento das comissões dos bolsistas, e um crescimento de 6,76% no rendimento operacional em comparação com o ano de 2013; no entanto, com o aumento verificado das despesas operacionais, registou-se uma queda nos lucros deduzidos de impostos de 22,9% em comparação com o ano anterior.

Desenvolvimento das actividades

Em Novembro de 2014, foi apresentado por esta filial à Autoridade Monetária de Macau o requerimento para o serviço de fundos, tendo sido oficialmente autorizado este ano. Seguidamente, em Dezembro de 2014, esta filial procedeu à mudança das instalações para os novos escritórios na zona da Praia Grande. Os clientes podem assim, nas novas instalações, usufruir dos nossos serviços “one stop” de investimento num ambiente mais agradável, contribuindo deste modo para que as actividades desta filial se desenvolvam com celeridade.

No decorrer deste ano de 2015, esta filial não só continuará a desenvolver, de uma forma activa, as actividades bolsistas de acções, como também irá desenvolver outros serviços de produtos financeiros para a prestação dos serviços de gestão financeira e dos produtos de investimentos diversificados. A Sucursal continuará recrutar especialistas financeiros e activamente dará formação aos graduados da universidade local para tornarem-se consultores financeiros profissionais qualificados. Pretendemos promover a formação de gestão financeira à comunidade e contribuir com o nosso esforço para o desenvolvimento da indústria financeira de Macau.

Actuando como uma intermediária financeira de liderança, o Grupo Financeiro Sun Hung Kai dedica-se a obter o valor intrínseco de «Excelência, Integridade, Prudência, Profissionalismo, Inovação». Como membro do grupo, a Sucursal de Macau segue o mesmo caminho para oferecer aos residentes de Macau serviços de alta qualidade.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os gerência do Sun Hung Kai Investment Services Limited — Sucursal de Macau

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Sun Hung Kai Investment Services Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 14 de Maio de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações da conta corrente e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira do Sun Hung Kai Investment Services Limited – Sucursal de Macau e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Kwok Sze Man
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu – Sociedade de Auditores

Macau, aos 14 de Maio de 2015.


BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL DA CHINA (MACAU), S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

PATACAS

PATACAS

PATACAS

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

PATACAS

Conta de lucros e perdas

PATACAS

Presidente, Administrador-delegado e Administrador-Executivo Vice-Presidente, Director-geral e Administrador Executivo
Zhu Xiaoping Jiang Yisheng

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014 (consolidado)

PATACAS

PATACAS

PATACAS

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração (consolidado)

PATACAS

Conta de lucros e perdas (consolidado)

PATACAS

Presidente, Administrador-delegado e Administrador-Executivo Vice-Presidente, Director-geral e Administrador Executivo
Zhu Xiaoping Jiang Yisheng

Síntese do relatório de actividades

No ano de 2014, devido a uma conjuntura externa complicada, o ICBC (Macau) insistiu pelo cumprimento das directivas estabelecidas pela sociedade-mãe para as suas participadas no exterior, relativas a uma estratégia de desenvolvimento, promovendo a localização da sua gestão e melhorando em permanência as suas competências de concorrência no mercado, reforma e inovação e desenvolvimento sustentável. Paralelamente, procurou-se o desenvolvimento célere e coordenado do activo, passivo e actividades de intermediação, aprofundando uma gestão global do risco, a manutenção e o desenvolvimento da liderança nas principais áreas de actividade, criando um banco de excelência local para a população da RAEM.

Até ao final do ano de 2014, o activo total líquido do Grupo ascendia a MOP 177.500.000.000,00 (cento e setenta e sete mil e quinhentos milhões de Patacas), o que representou um acréscimo de MOP 37.100.000.000,00 (trinta e sete mil milhões de Patacas) em comparação com o ano transacto, correspondente a uma taxa de crescimento de 26,38%. O passivo total ascendia a MOP 165.900.000.000,00 (cento e sessenta e cinco mil e setecentos milhões de Patacas), o que representou um acréscimo de MOP 35.100.000.000,00 (trinta e cinco mil milhões de Patacas) comparativamente com o ano transacto e corresponde a um aumento de 26,88%. O saldo dos depósitos (incluindo entidades públicas) avaliou-se em MOP 148.100.000.000,00 (cento e quarenta e oito mil e duzentos milhões de Patacas), o que representou um acréscimo de MOP 31.100.000.000,00 (trinta e um mil e trezentos milhões de Patacas) em comparação com o ano anterior, correspondente a um aumento de 26,60%. O saldo dos diversos créditos concedidos ascendia a MOP 117.500.000.000,00 (cento e dezessete mil e quinhentos milhões de Patacas), representando um acréscimo de MOP 29.300.000.000,00 (vinte e nove mil e trezentos milhões de Patacas) em comparação com o ano transacto, equivalente a uma taxa de crescimento de 33,3%. O saldo do rácio de créditos de cobrança duvidosa manteve-se num nível reduzido e as provisões mantiveram-se suficientes, o que reforçou a capacidade para enfrentar qualquer risco.

De acordo com as “Normas de Relato Financeiro de Macau”, o Grupo conseguiu em 2014 um lucro, após dedução de impostos, avaliado em MOP 1.695.000.000,00 (mil seiscentos e noventa e cinco milhões de Patacas), com uma taxa média ponderada de retribuição do capital e taxa média de retribuição do activo total de, respectivamente, 15,85% e 1,02%. As demonstrações financeiras do Grupo, já auditadas e relativas ano findo em 2014, foram elaboradas de acordo com as “Normas de Relato Financeiro de Macau”. Se atendermos ao reforço de provisões previsto no “Regime Jurídico do Sistema Financeiro”, o lucro passará a ser de MOP 1.566.000.000,00 (mil e quinhentos e sessenta e seis milhões de Patacas), depois de feito o necessário ajustamento.

O bom comportamento negocial e os resultados positivos de exploração continuamente alcançados pelo Grupo granjearam uma boa apreciação por parte da comunicação social especializada em assuntos económicos e financeiros com prestígio mundial, tendo as publicações “Global Finance” (EUA) e “The Banker” (Reino Unido) atribuído em 2014, ao ICBC (Macau), pelo sexto ano consecutivo, o prémio de melhor banco em Macau.

O ICBC (Macau) pretende enraizar-se mais profundamente em Macau. Em conformidade com o planeamento global do Governo da Região Administrativa Especial de Macau, o ICBC (Macau) reforçará os seus serviços no âmbito de construção de infra-estruturas, de projectos fulcrais para a Região, bem como no que diz respeito aos serviços sociais a serem prestados aos residentes locais, a fim de promover o desenvolvimento da diversificação adequada da economia de Macau, apoiando e contribuindo para o desenvolvimento económico e prosperidade social da Região Administrativa Especial de Macau.

Macau, aos 31 de Março de 2015.

Zhu Xiaoping

Presidente do Conselho de Administração

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Consolidadas Resumidas

Para os accionistas da Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A.
(Sociedade Anónima constituída em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras consolidadas da Banco Industrial E Comercial Da China (Macau), S.A. (o “Banco”) e suas subsidiárias relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 31 de Março de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras consolidadas das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras consolidadas a que se acima se alude compreendem o balanço consolidado e do banco, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados consolidados e do banco, a demonstração de alterações no capital próprio consolidado e do banco e a demonstração de fluxos de caixa consolidados e do banco relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras consolidadas resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras consolidadas anuais auditadas e dos livros e registos do banco. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras consolidadas resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras consolidadas auditadas e os livros e registos do banco.

Para a melhor compreensão da posicão financeira do banco e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras consolidadas resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras consolidadas das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei, Auditor de Contas

KPMG

Macau, 31 de Março de 2015.

Parecer do Fiscal Único

Nos termos do disposto na alínea e) do artigo 25.º dos Estatutos e para os efeitos previstos na mesma disposição legal, o Conselho de Administração do Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A., entregou a esta sociedade de auditores o relatório de actividades e contas auditado e referente ao exercício de 2014, para efeito de parecer.

Depois de examinados os documentos entregues a esta sociedade, para efeitos de emissão do parecer, concluímos que os referidos documentos reflectem, de forma clara, não só a situação patrimonial, mas também a situação financeira e económica do Banco.

O relatório do Conselho de Administração reflecte, de forma precisa, as actividades promovidas e desenvolvidas pelo Banco no ano de exercício ora em apreço.

Tendo em atenção o relatório apresentado pelo auditor externo, esta sociedade concorda com o exposto no referido relatório, sendo que os documentos que serviram de base à elaboração das contas reflectem, de uma forma correcta e real, a situação financeira demonstrada no balanço com data de 31 de Dezembro de 2014, bem como o resultado financeiro do exercício findo em 31 de Dezembro de 2014.

Recapitulando o acima exposto, decidimos aprovar o referido relatório de actividades e contas do Conselho de Administração.

Macau, aos 31 de Março de 2015.

CSC & Associados — Sociedade de Auditores

(Representada por Chui Sai Cheong)

Fiscal Único

Lista das instituições em que o Banco detém participações

superiores a 5% do respectivo capital e indicação do valor

percentual

Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A. 100%
Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ICBC (Macau), S.A. 100%
Seng Heng Development Company Limited
(Incorporado em Hong Kong)
100%
Authosis, Inc.
(Incorporado em Cayman Islands)
11%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang, S.A.R.L. 6%
Lista dos accionistas qualificados
Industrial and Commercial Bank of China Limited
Sr. Huen Wing Ming, Patrick
Órgãos Sociais
Conselho de Administração
Sr. Zhu Xiaoping Presidente, Administrador-Delegado e Administrador Executivo
Sr. Jiang Yisheng Vice-Presidente, Director-Geral e Administrador Executivo
Sr. Huen Wing Ming, Patrick Vice-Presidente e Administrador Executivo
Sr. Wu Hongbo Administrador
Sr. Zhu Wenxin Administrador
Sr. Cui Jiqian Administrador
(Nomeado em 8 de Janeiro de 2014)
Sr.ª Nie Changwen Administradora
(Renunciou em 8 de Janeiro de 2014)
Sr. Tong Chi Kin Administrador
Mesa da Assembleia
Sr. Zhu Xiaoping Presidente
Sr. Zheng Kai Secretário
Fiscal Único
CSC & Associados — Sociedade de Auditores
(Representada por Sr. Chui Sai Cheong)
Secretário de Sociedade
Sr. Zheng Kai

SOCIEDADE FINANCEIRA ICBC (MACAU) CAPITAL, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

Patacas

Patacas

Patacas

二零一四年營業結果演算

營業賬目

Patacas

損益計算表

Patacas

O Presidente do Conselho de Administração

Jiang Yisheng

Síntese do Relatório de Actividades

No ano de dois mil e catorze, a Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A., manteve a tendência para um desenvolvimento sustentável, tendo atingido lucros avaliados em MOP 3.090.000,00 (três milhões e noventa mil Patacas), após a dedução de impostos. Até ao final do ano de 2014, o activo total da Sociedade ascendia a MOP 101.000.000,00 (cento e um milhões Patacas), o que representa um crescimento de 4,22%.

Desde o seu estabelecimento, e norteando-se pela estratégia global de desenvolvimento implementada pelo Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A., e retirando vantagens da rede, marca, recursos financeiros e técnicos do “Industrial and Commercial Bank of China Limited”, a sociedade empenhou-se no crescimento financeiro sustentável dos seus activos, fortalecendo continuamente o controlo do risco e assegurando aos seus clientes uma retribuição mais estável e forte dos seus investimentos.

Macau, aos 31 de Março de 2015.

Jiang Yisheng
Presidente do Conselho de Administração

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os accionistas da Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A.
(Sociedade Anónima constituída em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A. relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 31 de Março de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos do sociedade. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos do sociedade.

Para a melhor compreensão da posicão financeira do sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei, Auditor de Contas

KPMG

Macau, 31 de Março de 2015

Parecer do Fiscal Único

Nos termos do disposto na alínea e) do artigo 23.º dos Estatutos e para os efeitos previstos na mesma disposição legal, o Conselho de Administração da Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A. entregou a esta sociedade de auditores o relatório de actividades e contas auditado e referente ao exercício de 2014, para efeito de parecer.

Depois de examinados os documentos entregues a esta sociedade, para efeitos de emissão do parecer, concluímos que os referidos documentos reflectem, de forma clara, não só a situação patrimonial, mas também a situação financeira e económica da referida Sociedade.

O relatório do Conselho de Administração reflecte, de forma precisa, as actividades promovidas e desenvolvidas pela Sociedade no ano de exercício ora em apreço.

Tendo em atenção o relatório apresentado pelo auditor externo, esta sociedade concorda com o exposto no referido relatório, sendo que os documentos que serviram de base à elaboração das contas reflectem, de forma correcta e real, a situação financeira demonstrada no balanço com data de 31 de Dezembro de 2014, bem como o resultado financeiro do exercício findo em 31 de Dezembro de 2014.

Recapitulando o acima exposto, decidimos aprovar o referido relatório de actividades e contas do Conselho de Administração.

Macau, aos 31 de Março de 2015.

CSC & Associados — Sociedade de Auditores
(Representada por Chui Sai Cheong)
Fiscal Único

Lista das instituições em que a Sociedade detém participações superiores a 5% do respectivo capital

N/A

Lista dos accionistas qualificados

Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A.

Órgãos Sociais

Conselho de Administração
Sr. Jiang Yisheng Presidente
(Nomeado em 8 de Janeiro de 2014)
Sr. Shen Xiaoqi Presidente
(Renunciou em 8 de Janeiro de 2014)
Sr. Huen Wing Ming, Patrick Administrador
Sr. Cheng Wing Fai, Patrick Administrador
(Nomeado em 19 de Junho de 2014)
Sr. Chen Limiao Administrador
(Renunciou em 19 de Junho de 2014)
Mesa da Assembleia
Sr. Zhu Xiaoping Presidente
Sr. Huen Chung Yuen, Ian Vice-Presidente
Sr. Zheng Kai Secretário

Fiscal Único

CSC & Associados — Sociedade de Auditores

(Representada por Sr. Chui Sai Cheong)

Secretário de Sociedade

Sr. Zheng Kai Secretário


BANCO CITIC INTERNACIONAL (CHINA) LIMITADA SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

MOP

Demonstração de Resultados do Exercicio de 2014

Conta de Exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Subdirector Geral Executivo e A Chefe da Contabilidade,
Director da Sucursal, Sucursal de Macau,
Desmond Wong Emily Sio

Resumo das Actividades Financeiras

Apesar da intensificação da concorrência em 2014, os lucros operacionais da Sucursal antes de perdas por imparidade aumentaram de MOP13,2 milhões em 2013 para MOP22,5 milhões em 2014, graças à subida nos rendimentos líquidos de juros. O aumento nas despesas por imparidade e a falta de reduções de provisões em 2014 resultou numa queda dos lucros antes de impostos de MOP39,2 milhões em 2013 para MOP4,4 milhões em 2014. O crescimento do negócio de empréstimos sindicatos expandiu os empréstimos e adiantamentos líquidos a clientes de MOP793 milhões em 2013 para MOP1.399 milhões em 2014. No entanto, os depósitos de clientes caíram de MOP691 milhões para MOP485 milhões devido ao elevado grau de concorrência no mercado de depósitos em Macau.

Estamos confiantes de que, com o apoio do Governo Central da RPC, a economia de Macau irá manter a sua prosperidade apesar do abrandamento económico na segunda metade de 2014. Em 2015, vamos continuar a focar os nossos esforços na banca comercial, particularmente nas áreas do financiamento comercial, financiamento hipotecário e negócio transfronteiriço em RMB. Além disso, vamos continuar a trabalhar em colaboração próxima com a nossa sede em Hong Kong, as sucursais no exterior e a nossa empresa-mãe, o China CITIC Bank, no Interior da China, para podermos prestar serviços eficientes e de elevada qualidade a todos os nossos clientes onshore e offshore.

Por fim, a direcção quer aproveitar esta oportunidade para agradecer ao Governo da Região Administrativa Especial de Macau pelo seu apoio continuado, bem como aos nossos clientes, instituições financeiras homólogas e aos nossos funcionários pelos seus esforços no ano passado.

Desmond Wong
Subdirector Geral Executivo e Director da Sucursal, Sucursal de Macau.

Síntese do Parecer dos Auditores Externos

Para a gerência do Banco CITIC Internacional (China) Limitada Sucursal de Macau (Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco CITIC Internacional (China) Limitada Sucursal de Macau relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 12 de Maio de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações na conta da sede e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 12 de Maio de 2015.


MACAU PASS, S.A.

(Publicações ao abrigo do artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

(MOP)

(MOP)

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

(MOP)

Conta de lucros e perdas

(MOP)

Administrador, Chefe da Contabilidade,
Zhang Zhihua Wong Wai Ngon

(MOP)

Relatório do Conselho de Administração 2014

Em 2014, as actividades tiveram um crescimento estável, no quarto trimestre foram lançados cartões com chips completamente novos e aplicações de carregamento fácil de telemóvel, a fim de oferecer serviços mais rápidos e convenientes para os cidadãos de Macau. Até o final do ano, foram emitidos mais de 1,7 milhões cartões electrónicos, registou-se um aumento de 40% face ao período homólogo do ano passado, o montante de carregamento de Macau Pass aumentou 39% comparando com o período homólogo, o valor total das transacções aumentou 109% e a receita total registou um aumento de 14%.

Como os negócios aumentaram, o investimento em activos imobilizados da anualidade aumentou 22% em relação ao período homólogo do ano passado. Além disso, o custo do pessoal aumentou 23% face ao seu período homólogo, e o custo total subiu quase 17%.

Até 31 de Dezembro de 2014, o défice anual registado foi 859.646 patacas.

Em 2015, com a tarefa de enraizar em Macau e servir a comunidade, a empresa vai continuar a investir em integração dos recursos, inovar e explorar, melhorar os serviços, aperfeiçoar a administração de gestão, aumentar a eficiência e o rendimento operacional, esforçando-se ao máximo por ampliar a aplicação de pagamentos eletrónicos em todas as áreas de serviços, de modo que eleva o pagamento conveniente ao novo nível, oferecendo uma boa vida de pagamento para os cidadãos de Macau.

Presidente do Conselho de Administração
Liu Hei Wan

Macau, aos 25 de Março de 2015.

Parecer do Fiscal Único

Nos termos do Código Comercial e dos Estatutos da Companhia, o Fiscal Único supervisionou a administração da MACAU PASS S.A. ao longo do ano de 2014 até dia 31 de Dezembro, acompanhou a actividade da Companhia, e obteve todas as informações e esclarecimentos que considerou necessários. O Fiscal Único considera que as demonstrações financeiras e relatório de actividade estão correctos e completos, explicando de forma breve e clara a situação financeira da Companhia, o desenvolvimento das suas actividades e os resultados das operações referentes ao exercício do ano 2014. O Fiscal Único não verificou qualquer irregularidade nem acto ilícito.

Proponho à Assembleia Geral a aprovação do relatório das actividades financeiras do ano até ao dia 31 de Dezembro de 2014, submetido pelo Conselho de Administração.

O Fiscal Único, Wu Chun Sang, Auditor Registado.

Macau, aos 25 de Março de 2015.

Relatório do Auditor Externos sobre as Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os accionistas do MACAU PASS, S.A.
(constituída em Macau com sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas da Macau Pass S.A. (a Sociedade) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da sociedade referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração da Sociedade. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da sociedade, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sociedade referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2014 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 25 de Março de 2015.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2014, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da sociedade.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sociedade, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng, Grace

Auditor de contas PricewaterhouseCoopers

Macau, 7 de Maio de 2015.

Lista das instituições que detém participação superior a 5% do respectivo capital social ou superior a 5% dos seus fundos próprios:

Nenhuma

Lista dos accionistas qualificados Mesa da Assembleia Geral
Liu Hei Wan Presidente: Liu Hei Wan
Lao Kin Keong Secretário: Wong Wai Ngon
Vong Chak Kin (Data de início da comissão: 31 de Março de 2014)
Secretário: Vong Chak Kin
(Data do termo da comissão: 30 de Março de 2014)

Orgãos Sociais

Conselho Fiscal

Fiscal Único: Wu Chun Sang

Conselho de Administração

Presidente : Liu Hei Wan

Administrador : Law Suet Yi

Administrador : Liu Cheuk Yin

Administrador : Chan Hio Ieong

Administrador : Zhang Zhihua (Data de início da comissão: 31 de Março de 2014)

Administrador : Tse Ka Ming (Data do termo da comissão: 30 de Março de 2014)

Macau, aos 25 de Março de 2015.

Secretário da Companhia: Wong Wai Ngon


THE HONGKONG AND SHANGHAI BANKING CORPORATION LIMITED

Sucursal de Macau

Incorporated in the Hong Kong SAR with limited liability

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2014

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2014

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Chief Executive Officer Macau, Chief Financial Officer Macau,
Lau Pak Hung Kenny Wong

Síntese dos resultados de 2014

As Receitas cresceram 8% para MOP564 milhões e o Lucro Antes de Impostos aumentou 2% para MOP 288.3 milhões.

Os Adiantamentos a Clientes aumentaram 20% para MOP12,487 milhões e a margem financeira cresceu 17%.

O esforço encetado em 2013 no sentido de acompanhar a nossa estratégia global de construção de um modelo de negócio diferenciado e sustentável começou a produzir frutos. A actividade retomou a tendência de crescimento de 2014 com os activos a crescerem 9%. No entanto, o ritmo de crescimento foi deliberadamente controlado pelo esforço que desenvolvemos no sentido de continuar as nossas iniciativas de redução de exposição ao risco, o que é evidenciado pelo abandono de alguns produtos e serviços bancários que considerámos envolver um nível inadequado de risco para a nossa actividade.

O HSBC Macau registou um crescimento da receita em 8%, enquanto a margem financeira aumentou substancialmente em 17%. Os encargos relativos à imparidade dos empréstimos mantiveram-se sob controlo em consequência da nossa rigorosa gestão do risco de crédito de que resultou uma boa qualidade de activos. Os custos também foram geridos de forma eficaz, apesar da necessidade de se investir ainda mais na nossa capacidade de combater o crime financeiro.

Para além do desempenho financeiro positivo, durante o ano de 2014 alcançámos progresso significativo no reforço da nossa gestão de risco através do melhoramento da nossa estrutura directiva e da afectação de recursos específicos de gestão de risco. Temos igualmente feito bons progressos no âmbito da implementação dos nossos Padrões Globais no HSBC em Macau e também na actualização dos nossos sistemas e processos para cumprir os requisitos impostos pelo FATCA.

Relativamente aos recursos humanos, conseguimos estabilizar a nossa taxa de substituição do pessoal, que foi a mais baixa dos últimos cinco anos. Temos vindo a desenvolver uma acção exaustiva de avaliação de cerca de 40% do nosso pessoal com o propósito de identificar no Banco talentos no âmbito de planos de desenvolvimento que permitam a respectiva canalização para posições de chefia.

Em 2014, obtivemos o apoio da sede para lançar um grande projecto de melhoria das nossas infra-estruturas de negócios em Macau.

Aproveito ainda esta oportunidade para agradecer aos nossos estimados clientes o seu apoio constante e à nossa equipa o seu leal e dedicado empenho.

Lau Pak Hung
Director Executivo — Macau

Síntese do Parecer dos Auditores Externos

Para a Director Executivo do The Hongkong and Shanghai Banking Corporation Limited – Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco commercial de responsabilidade limitada, incorporado na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do The Hongkong and Shanghai Banking Corporation Limited – Sucursal de Macau relativas ao ano de 2014, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 15 de Maio de 2015, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2014, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posicão financeira da Sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, 15 de Maio de 2015


    

Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
Get Adobe Reader