Número 25
II
SÉRIE

Quarta-feira, 22 de Junho de 2011

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

      Anúncios notariais e outros

2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門寧德同鄉聯誼會

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月九日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為119號,有關條文內容如下:

澳門寧德同鄉聯誼會

章程

第一章

名稱、宗旨及會址

第一條——本會名稱中文為“澳門寧德同鄉聯誼會”。

第二條——本會會址設於澳門倫敦街東南亞花園A座4X。

第三條——本會乃非牟利組織。其宗旨是促進居澳福建省寧德市鄉親愛國愛澳愛鄉、聯繫鄉親、敦睦鄉誼、團結鄉親發揮互助友愛精神,共謀全體會員福利,維護鄉親合法權益,加強與內地在經濟、教育、文化、工商等社會公益事業之交流及合作,促進海內外各地鄉親的聯繫,增進互相了解和友誼。支持澳門、寧德的經濟建設,共同為兩地的繁榮穩定作出貢獻。

第二章

會員的資格、權利與義務

第四條——凡居澳寧德籍鄉親,認同本會宗旨及願意遵守本會章程之人,經理事會審核認可,在繳納入會會費後,即可成為會員。

第五條——經理事會提議,可推薦有聲望之澳門當地或外地的自然人或法人,擔任本會榮譽會長、名譽會長。

第六條——會員之權利:

一、有選舉權及被選舉權;

二、可參加本會舉辦之一切活動及享有本會一切福利及權利;

三、可參加本會會員大會,其討論事項與投票;

四、有權對本會的會務提出批評和建議;

五、會員有退會的自由,但應向理事會提出書面通知;凡會員違反、不遵守會章及損害本會聲譽及利益,經理事會議決後,得取消其資格。

第七條——會員之義務:

一、遵守本會的章程並執行所有會員大會及理事會之決議案;

二、依時繳納會費及其他應付之費用;

三、積極參與、支持及協助本會舉辦之各項活動,推動會務發展及促進會員間之互助合作;

四、不得作出任何破壞本會名譽或損害本會信用與利益者之行為。

第三章

組織及職權

第八條——本會一切會務分別由下列組織負責執行:會員大會;理事會;監事會。

第九條——本會的最高權力機構是會員大會。設有會長一名,副會長若干名。會長兼任會員大會召集人。對外代表本會,對內領導及協調本會工作。副會長協助會長工作,若會長出缺或因故不能執行職務,由其中一名副會長暫代其職務。

第十條——每一個組織之成員均由會員大會選舉產生,且人數必須為單數,每屆任期為三年,連選得連任。

第十一條——會員大會每年召開一次平常會議,由會長或副會長至少提前8天以掛號信或簽收方式通知召開。在必要情況下應理事會或不少於二分之一會員以正當理由提出要求,亦得召開特別會議。

第十二條——會員大會之職權為:

一、修改本會章程及內部規章;

二、制定本會的活動方針;

三、審理理監事會之年度工作報告與提案。

第十三條——一、理事會成員由會員大會選出。理事會設理事長一名,副理事長若干名,秘書長一名,副秘書長若干名,且人數必須為單數,每屆任期三年,理事會成員連選得連任。

二、理事會可下設若干個工作機構,以便執行理事會決議及處理本會日常會務;工作機構領導及其他成員由秘書長提名,獲理事會通過後以理事會名義予以任命。

第十四條——理事會之職權為:

一、理事會每年召開一次工作會議,討論安排每年會務活動,如有必要可由理事長隨時召開特別會議;執行會員大會之決議及一切會務;

二、領導會員積極參與社會事務及公益活動,處理其行政工作及維持其所有活動;

三、每年應作一年來會務活動報告,向其提交工作(會務)報告,及接受監事會對工作之查核。

第十五條——監事會成員由會員大會選出。監事會設監事長一名,副監事長及監事若干名,且人數必須為單數,每屆任期三年,監事會成員連選得連任。

第十六條——監事會之職權為:

一、監督理事會一切行政執行,以及監察理事會的運作及查核本會之財產;

二、監督各項會務工作之進展,就其監察活動編制年度報告;

三、查閱賬目及財政收支狀況和賬目;

四、審查本會之一切會務進行情形及研究與促進會務之設施。

第四章

經費

第十七條——本會為非牟利社團。本會活動經費的主要來源:一是會員交納會費;二是接受來自社會有關人士的資助捐款;三是具體活動籌辦單位的籌款。

第十八條——本章程由會員大會通過之日起生效。章程的修改,須獲出席會員四分之三之贊同票的代表通過方能成立。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

果子藝術天地

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月十日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為122號,有關條文內容如下:

果子藝術天地

章程

第一章

總則

第一條——本會命名:中文名稱為“果子藝術天地”。

第二條——本會會址:氹仔巴波沙總督街76號錦綉閣1樓D座。

第三條——本會宗旨:本會旨在推動本澳幼、小、中視覺藝術教育發展。認為藝術教育應從小開始培養,鼓勵從小思考及從小創作。由啟發兒童觀察力和創造力出發,繼而在成長過程中提升藝術創作水平,培養審美能力和藝術修養。

第二章

會員

第四條——會員資格:凡認同本會章程者可申請入會,經理事會審核批准可成為會員。

第五條——會員權利:有權參加本會活動,有選舉及被選舉權,享有對本會提出意見權利。

第六條——會員義務:按時繳交會費,維護本會聲譽及參與推動會務的發展。

第三章

組織

第七條——會員大會:設主席、副主席各一名,負責會員大會的召開及主持工作,每屆任期為三年,可連選連任。會員大會為本會最高權力機構,由全體會員組成,可通過及修改會章、選舉架構及決定各會務工作。平常會員大會每年召開一次,主要審議和表決理事會年度會務和財務報告及監事會年度報告,而在特殊需要的情況下,可隨時召開特別會議。

第八條——理事會:設理事長、副理事長各一名及常務理事三名,由會員大會選舉產生,每三年改選一次,可連選連任。理事會為行政機構,負責處理日常會務、行政管理、財務運作及提交會員大會每年會務報告和財務報告。

第九條——監事會:設監事長一名及監事二名,由會員大會選舉產生,每三年改選一次,可連選連任。監事會為監察機構,負責監督理事會一切行政決策、工作活動、財政賬目及做年度報告。

第四章

附則

第十條——經費來源為會員會費、捐贈及贊助。

第十一條——本章程解釋權及修改權屬會員大會。

第十二條——本章程所忽略事宜概依澳門現行法律執行。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門建造業工友工會

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月九日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為120號,有關條文內容如下:

澳門建造業工友工會章程

第一章

總則

第一條——本會定名為澳門建造業工友工會。

第二條——會址

1、本會會址設於澳門台山巴坡沙大馬路新城市商業中心一樓IAE2舖。

2、經理事會議決,本會會址可設於澳門特區內任何地點。

第三條——宗旨

1、愛國、愛澳、擁護基本法各項原則、實行一國兩制,澳人治澳方針;

2、關注民生,維護各行業工人合理權益,團結互助,擔當促進社會和諧穩定發展的橋樑作用;

3、加強同政府溝通,反映工人訴求,協調勞資關係,尋求共識,為改善民生而努力;

4、本會為非牟利團體。

第二章

會員

第四條——會員資格

凡澳門合法居民以及各行業工人均可申請加入本會,經理事會批准後成為本會會員。

第五條——會員權利和義務

1、參加本會舉辦的所有活動,以及享有選舉權和被選舉權;

2、要求召開特別會員大會;

3、不得作出損害本會聲譽的行為,嚴重者由理監事會決定開除會籍。

第三章

組織

第六條——本會設有以下幾個機構:會員大會,理事會和監事會。

第七條——會員大會

1、會員大會是本會最高權力機關,由全體會員組成,選出包括會長一名,副會長一名,秘書一名,每年最少召開一次;

2、召開會員大會由本會會長、副會長、秘書負責主持;

3、會員大會之決議以絕對多數票通過,但法律另有規定的事項除外;

4、第一次召集時、會員大會必須在至少半數會員出席的情況下方可作出決議,但如不足半數。則於半小時後在同一地點召開之會議視為第二次召集之會議。屆時,不論出席之會員人數之多少都視為有效。

第八條——理事會

1、理事會是本會的執行機關,負責日常會務工作,收繳會費等,由會員大會選出若干名成員單數組成,其職務以互選方式產生,包括理事長一名、副理事長一名、秘書一名、司庫一名,理事若干名,每屆任期三年,可連選連任;

2、理事長負責處理賬目開支,處理一切內外事務,理事長外出,由副理事長處理會務,或主持會議。

第九條——監事會

1、監事會是監督理事會的日常運作,由會員大會選出若干名單數成員組成,任期三年,可連選連任;

2、監事長由監事會成員以互選方式產生;

3、監事會成員不得代表本會對外發表意見。

第四章

附則

第十條——理事會可根據會務需要聘請名譽顧問以及名譽會長指導會務工作。

第十一條——本章程之解釋權屬理事會。

第十二條——本會經費來源來自會員繳交會費,以及任何個人、機構和實體的不附帶任何條件的捐款或資助。

第十三條——本會附上會徽如下:

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門生命支援協會

葡文名稱為“Associação de Suporte de Vida de Macau”

英文名稱為“Life Support Association of Macau”

英文簡稱為“L.S.A.”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月十日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為127號,有關條文內容如下:

澳門生命支援協會

章程

第一章

總則

第一條——本會之中文名稱為“澳門生命支援協會”;葡文名稱為“Associação de Suporte de Vida de Macau”;英文名稱為“Life Support Association of Macau”;英文簡稱為“L.S.A.”。

第二條——會址設於澳門罅些喇提督大馬路41號祐適工業大廈10樓B座。

第三條——本會為非牟利組織。

第四條——本會宗旨是推動生命支援技術之研究發展;推廣生命支援相關技能;促進本地與國際學術之交流;舉辦相關學術演講及訓練課程。透過本會希望給予廣大市民加深了解保障生命安全的意識。

第二章

會員

第五條——凡對生命支援技術有興趣及認同本會章程的人士,均可申請加入本會,經理事會審批,繳納會費後即成為本會會員。

第六條——會員有選舉權及被選舉權;對會務可作出建議及指導;可參與本會舉辦一切活動的權利。

第七條——會員必須遵守本會之章程及繳納會費的義務。

第八條——會員如有違反本會章程或影響本會聲譽,經理事會議決,可開除其會籍,已繳納之費用,概不發還。

第三章

組織

第九條——本會由會員大會、理事會及監事會組成,本會設會長一人、副會長若干人,理事會及監事會各由三名或以上單數成員組成,其中一人為理事長、監事長,上述成員任期均為兩年,連選可連任。本會因會務發展需要,而邀請社會知名人士擔任名譽/榮譽會長、顧問、導師,其任期由理事會決定,一般任期為兩年,連選可連任。

第十條——會員大會為本會的最高權力機構,具有制定和修改會章;任免理事會及監事會成員;決定會務方針;具審議理監事會工作報告及財務報告等權力。

第十一條——理事會是本會行政及執行機構,設理事長一名,副理事長及理事若干名所組成(但理事會成員總數必須為單數),理事會成員由會員大會選舉產生,其職責如下:

1. 負責處理本會的日常行政工作及所有相關活動;

2. 決定及辦理新會員入會及革除會籍之事宜;

3. 決定及辦理對本會有特殊貢獻之人士給予名譽會籍;

4. 在會員大會做會務報告及財務報告;

5. 理事長對外依照本會宗旨代表本會。

第十二條——監事會成員由會員大會選舉產生,包括監事長一名和監事若干名(但監事會成員總數必須是單數),其職責如下:

1. 監察理事會之行政活動;

2. 查核本會之財務及收支狀況。

第四章

會議

第十三條——會員大會每年舉行一次,但經理事會議決或二分之一會員代表聯名動議可召開特別會議。大會之召集須最少提前八日以掛號信或簽收方式通知,召集書內應指明會議之日期、時間、地點及議程。

第十四條——決議取決於出席會員的絕對多數票;如屬修改會章之決議,則須獲出席大會四分之三會員的贊同方為有效。解散法人或延長法人存續期之決議,則須獲全體會員四分之三的贊同票。

第五章

財政收支

第十五條——本會經費源於會員會費、政府資助及私人或機構的贊助,以及其他合法的收益。

第六章

附則

第十六條——本章程如有未盡善之處,得由理事會向會員大會提請修改。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門生命支援拓展中心

葡文名稱為“Centro de Desenvolvimento de Suporte de Vida de Macau”

英文名稱為“Life Support Development Center of Macau”

英文簡稱為“L.S.C.”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月十日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為126號,有關條文內容如下:

澳門生命支援拓展中心

章程

第一章

總則

第一條——本會之中文名稱為“澳門生命支援拓展中心”; 葡文名稱為“Centro de Desenvolvimento de Suporte de Vida de Macau”; 英文名稱為“Life Support Development Center of Macau”;英文簡稱為“L.S.C.”。

第二條——會址設於澳門罅些喇提督大馬路41號祐適工業大廈10樓B座。

第三條——本會為非牟利組織。

第四條——本會宗旨:

1. 推動生命支援技術在澳門的發展與普及化;

2. 提升本澳生命支援技術人員的專業水平;

3. 舉辦學術研討及交流等活動;

4. 給予澳門市民對生命支援技術提供持續進修;

5. 倡導愛國愛澳的精神,參與澳門各項公益及社會活動。

第二章

會員

第五條——凡對生命支援技術有興趣及認同本會章程的人士,均可申請加入本會,經理事會審批,繳納會費後即成為本會會員。

第六條——會員有選舉權及被選舉權;對會務可作出建議及指導;可參與本會舉辦一切活動的權利。

第七條——會員必須遵守本會之章程及繳納會費的義務。

第八條——會員如有違反本會章程或影響本會聲譽,經理事會議決,可開除其會籍,已繳納之費用,概不發還。

第三章

組織

第九條——本會由會員大會、理事會及監事會組成,本會設會長一人、副會長若干人,理事會及監事會各由3名或以上單數成員組成,其中一人為理事長、監事長,上述成員任期均為兩年,連選可連任。本會因會務發展需要,而邀請社會知名人士擔任名譽/榮譽會長、顧問、導師,其任期由理事會決定,一般任期為兩年,連選可連任。

第十條——會員大會為本會的最高權力機構,具有制定和修改會章;任免理事會及監事會成員;決定會務方針;具審議理監事會工作報告及財務報告等權力。

第十一條——理事會是本會行政及執行機構,設理事長一名,副理事長及理事若干名所組成(但理事會成員總數必須為單數),理事會成員由會員大會選舉產生,其職責如下:

1. 負責處理本會的日常行政工作及所有相關活動;

2. 決定及辦理新會員入會及革除會籍之事宜;

3. 決定及辦理對本會有特殊貢獻之人士給予名譽會籍;

4. 在會員大會做會務報告及財務報告;

5. 理事長對外依照本會宗旨代表本會。

第十二條——監事會成員由會員大會選舉產生,包括監事長一名和監事若干名(但監事會成員總數必須是單數),其職責如下:

1. 監察理事會之行政活動;

2. 查核本會之財務及收支狀況。

第四章

會議

第十三條——會員大會每年舉行一次,但經理事會議決或二分之一會員代表聯名動議可召開特別會議。大會之召集須最少提前8日以掛號信或簽收方式通知,召集書內應指明會議之日期、時間、地點及議程。

第十四條——決議取決於出席會員的絕對多數票;如屬修改會章之決議,則須獲出席大會四分之三會員的贊同方為有效。解散法人或延長法人存續期之決議,則須獲全體會員四分之三的贊同票。

第五章

財政收支

第十五條——本會經費源於會員會費、政府資助及私人或機構的贊助,以及其他合法的收益。

第六章

附則

第十六條——本章程如有未盡善之處,得由理事會向會員大會提請修改。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

愉愉慈善會

英文名稱為“Jubilant Charitable Association”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月十日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為124號,有關條文內容如下:

愉愉慈善會

第一章

總則

第一條——本會中文名稱為“愉愉慈善會”;

英文名稱為“Jubilant Charitable Association”。

第二條——本會為非牟利性質的慈善團體。宗旨是關懷社群、幫助需要幫助之人士。

第三條——本會會址設於澳門宋玉生廣場180號東南亞商業中心22樓。

第二章

會員

第四條——凡有意加入本會之人士,願意遵守會章,得到二名以上會員推薦並獲得理事會批准者,均可申請成為會員。

第五條——會員的權利:

1. 參加全體會員大會;

2. 享有投票權、選舉權及被選舉權;

3. 參加會內活動。

第六條——會員義務:

1. 遵守本會會章及決議;

2. 履行會員的職責;

3. 積極參與本會各項活動。

第三章

組織

第七條——本會組織包括:會員大會、理事會及監事會,而會員大會主席團、理、監事會成員任期均為三年,可連選及連任。

第八條——會員大會:會員大會設會長1人,副會長1人,秘書1人

1. 會員大會為本會最高權力機構;

2. 會員大會職權為選舉會長、副會長、秘書、理事會及監事會成員;制訂、修改及通過會章;通過理事會及監事會所提交的工作報告等;

3. 會員大會每年召開一次,在特殊情況及指明事由下,經半數以上的會員要求可召開特別會員大會;

4. 召開會員大會須提前八天以掛號信或簽收方式通知,並於召集書上註明開會之日期、時間、地點及議程;

5. 半數以上的會員出席方為有效的會員大會,當出現人數不足時,半小時後再召開,無論多少會員出席都作為有效會議,決議以出席會員之絕對多數票通過,但法律另有規定者除外。

第九條——理事會:

理事會為本會最高執行機關,設理事長一名,理事若干名,但理事會必須以三人或以上單數成員組成。

第十條——理事會的職能:

1. 召開會員大會;

2. 執行會員大會的所有決議;

3. 草擬計劃及組織活動在會員大會上提出議決;

4. 管理會的一切事務及發表工作報告;

5. 代表本會出席其他團體所邀請之宴會或會議;

6. 理事會會議不定期召開,由理事長召開;

7. 審核及批准會員之申請。

第十一條——監事會:

1. 監事會為本會監察機構,負責監督和審查理事會的工作、審查會計帳目,並對會務編制年度報告。

2. 設監事長一名,監事若干名,但監事會必須以三人或以上單數成員組成。

第四章

其他

第十二條——本會經費來源包括公司、機構及私人捐助、政府資助,活動收入等。

第十三條——本章程所忽略事宜概依澳門現行法律執行。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門青年攝影學會

中文簡稱為“澳青攝”

葡文名稱為“Associação Fotográfica dos Jovens de Macau”

葡文簡稱為“AFJM”

英文名稱為“Macao Youth Photographic Association”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月十日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為125號,有關條文內容如下:

澳門青年攝影學會章程

第一章

名稱、地址及宗旨

第一條——名稱:中文名稱為“澳門青年攝影學會”,中文簡稱“澳青攝”,葡文名為“Associação Fotográfica dos Jovens de Macau”,葡文簡稱“AFJM”。英文名稱:“Macao Youth Photographic Association”,以下簡稱“本學會”。

第二條——地址:澳門聖尼各老圍仁厚里3號新仁大廈GF舖(在需要時經理事會決議可遷往本澳其他地方。)

第三條——宗旨:本青年攝影學會為本地非牟利團體,以培訓本地澳門青少年攝影學術技能,提高本澳攝影興趣,為澳門旅遊文化事業提供資源平台,以攝影技巧反映本澳風土人情,特式建築,文化藝術,美食娛樂,喜慶節日,歌舞昇平,民生百態為己任,建會為時雖短,但人材濟濟,都是志願為澳門青少年提供義務教育的資深人士,本會別無所求,但求為人民服務,培養社會人材,提供正當文娛興趣為己任,就為溫總一言『澳門是有文化的』。

第二章

會員資格、權利及義務

第四條——會員之權利:

(1)參加會員大會,研討及評價會務工作;

(2)享有本會的選舉權和被選舉權;

(3)參與本會的活動及享受本會的福利。

第五條——會員之義務:

(1)遵守本會章程、會員大會及理事會的決議等;

(2)支持及協助有關會務工作;

(3)協助推動本會的發展及促進會員間之合作;

(4)維護本會的合法權益和尊嚴。

第六條——會員之資格:

凡對攝影有興趣者,可自薦或由本會會員推薦,經理事會批准成為正式會員。

第三章

本學會之組織架構

第七條——會員大會:制訂和修改章程,審查及批准理、監事會工作報告,選舉理事會及監事會成員,決定工作計劃、方針和任務。

第八條——理事會:為本學會最高執行機構,負責日常的管理,由一名理事長、一名副理事長、一名委員所組成,任期二年,連選得連任。

第九條——監事會:為本學會監察機構,由監事長一人,及兩名委員組成,負責監察會務工作情況,任期二年,連選可連任。

第四章

會員大會

第十條——會員大會每年召開一次,由不少於二分之一有選舉權之會員出席方為有效,但到開會時出席人數少於法定人數,大會須延後半小時,屆時出席人數可視為符合法定人數,但法律另有規定者除外。

第五章

經費

第十一條——本會之經費來自參加或舉辦活動所獲得的資助或收入,另外,本會得接受政府或其他機構撥款資助。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門當代藝術交流中心

葡文名稱為“O Centro de Intercâmbio de Belas Artes Contemporâneas de Macau”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月七日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為118號,有關條文內容如下:

澳門當代藝術交流中心

第一章

總則

第一條

名稱、性質、存續期

本會中文名為“澳門當代藝術交流中心”,葡文為“O Centro de Intercâmbio de Belas Artes Contemporâneas de Macau”,為一非牟利機構,由註冊日起成立,且存續期為無限期。

第二條

宗旨

宗旨是秉承弘揚當代藝術融匯中西的理念,實行《立足澳門,國際合作》的交流方針,深入探討國際當代藝術發展趨勢,研究亞洲現代藝術的未來,加強綜合藝術的交流,彙集多方面當代藝術資料,開展多種藝術活動。

第三條

法人地址

本會會址於澳門新口岸宋玉生廣場411號皇朝廣場18樓E座。

第二章

機構和組織職能

第四條

機構和組織職能

本會由會員大會、理事會及監事會組成。

第五條

會員

凡認同本會宗旨的人士均可申請成為會員,經書面提出申請並由兩名會員推薦,由理事會核對資格通過後成為會員。會員可參與本會舉辦的一切活動,需遵守本會章程及決議事項。如不履行本章程規定之義務或違反本會作出之有效決議,會被取消會員資格。

第六條

會員大會

會員大會為本會的最高權力組織,會員大會主席團由主席、副主席及秘書長各一名組成,最少三人單數成員組成,任期三年,可連選連任,會員大會可由主席或會長主持。會員大會的職權如下:

(一)通過、修訂和更改本會章程;

(二)選舉會員大會主席團、理事會及監事會成員及補選;

(三)通過本會的工作方針和計劃、審議工作報告及財務賬目;

(四)審議及議決上年度工作報告及賬目報告;

(五)聽取理事會關於本會活動計劃建議的介紹;

(六)本會之章程若有任何疑問發生,而沒有適當資料參考時,則會員大會之決定為最高準則;

(七)會員大會每年召開一次。

第七條

修改章程

修改章程的決議,須獲會員大會上出席會員四分之三之贊成票方可通過;解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分之三贊同票方可通過。

第八條

會員大會之召集方式

會員大會之召集須最少提前八日以掛號信方式之,或最少提前八日透過簽收之方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。

第九條

理事會

理事會負責本會的日常運作,成員由會員大會選出,由三人組成,包括會長、副會長及理事各一名,任期三年,可連選連任。理事會的職權如下:

(一)執行會員大會決議並領導本會之工作及管理其財產;

(二)依法代表本會對外行使本會擁有的一切權力;

(三)接納及開除會員;

(四)邀請對本會有卓越貢獻的人士或社會知名人士擔任名譽會員、名譽顧問、顧問、名譽學術顧問、學術顧問、法律顧問;

(五)依章召集會員大會,提交工作報告;

(六)雇傭職員、編配工作;

(七)接受會員或第三者的捐贈、資助;

(八)組織架構成員之空缺由理事會委任,直至被取代之成員任期完結為止;

(九)理事會會議不定期召開;

(十)舉辦各種為達成本會宗旨的必要活動。

第十條

監事會

監事會為本會的監察機構,成員由會員大會選出,由三人組成,包括監事長、副監事長及監事各一名,任期三年,可連選連任。監事會的職權如下:

(一)監督理事會的執行情況;

(二)審查本會賬目,核對本會財產;

(三)對年度工作報告及賬目呈交會員大會及提出意見。

第三章

會務範圍

第十一條

會務範圍

舉辦當代藝術國際論壇,大型當代藝術展覽、藝術交流研討會及一些區域性美術院校專題講座,出版會刊。

第四章

資產管理

第十二條

經費來源

(一)政府、其他機構、會員或個人捐款及資助;

(二)利息;

(三)其他合法收入。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門紅酒商會

葡文名稱為“Vinho de Macau Comerciantes Câmara de Comércio”

英文名稱為“The Macau Wine Merchants Chamber of Commerce”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一一年六月十日,存檔於本署之2011/ASS/M2檔案組內,編號為121號,有關條文內容如下:

澳門紅酒商會

Vinho de Macau Comerciantes Câmara de Comércio

章程

第一章

會名、會址、宗旨

第一條——會名

中文:澳門紅酒商會

葡文:Vinho de Macau Comerciantes Câmara de Comércio

英文:The Macau Wine Merchants Chamber of Commerce 。

第二條——會址:澳門荷蘭園大馬路126號栢蕙花園地下N座(Av. Cons. Fer. Almeida n.º S126, Ed. Pak Wai Garden, R/C“N”, Macau)

第三條——宗旨

為團結與聯絡居住澳門的經營紅酒企業及經營紅酒管理高級人士,發揮互助友愛精神,共謀全體會員福利,維護經營紅酒業界合法權益,加強與世界各地經營紅酒業界人士聯繫,促進本澳產業多元化發展,為澳門經濟繁榮做出貢獻。

第二章

會員資格、其權利與義務

第四條——會員資格

凡居澳經營紅酒企業及經營紅酒管理高級人士,持有效身份證,年滿十八歲者經兩位會員介紹可申請入會,經常務理事會批准通過方可成為會員。

第五條——會員須繳納會員費及入會基金,每叁年繳交一次(具體事項由理事會另協商決定)。

第六條——會員之權利與責任

(1)可參加會員大會,討論其事項與投票選舉或被選擔任本會的職務;

(2)可參加本會舉辦之活動和享有會員福利;

(3)自願退會者應提前30天書面通知常務理事會,退回會員證、徽章、選任證書。

第七條——會員之義務

(1)遵守本會章程及本會之決議;

(2)依期繳納會員費;

(3)積極參加本會會務活動,促進會務發展及提高本會的社會聲譽。

第八條——會員若犯下列情況者,將被革除會籍

(1)欠繳會員費超過六個月者;

(2)有任何行為足以損壞本會聲譽或損害信用與利益者。

第三章

領導架構

第九條——本會會務分別由下列組織負責執行:

(1)會員大會;(2)理事會;(3)監事會;會員大會主席團及理監事成員由會員大會選舉產生,任期為三年,連選得連任。以上各組織領導成員其職務任期屆滿後,必須任至新一屆各組織領導成員產生為止。

第十條——選舉方法為不記名投票,以票數絕對多數者當選。

第十一條——普通會員大會(由所有會員組成)每年召開一次,在必要情況下應理監事會不少於四分之三的成員以正當理由提出要求、亦得召開特別會議。會員選舉大會每三年召開一次。召開會員大會時須提前八天以掛號信或簽收方式通知各會員。

第十二條——會員大會之權利與職責:

(1)本會最高權力機構為會員大會:會員大會選舉產生會員大會主席團,主席團設主席一人、副主席及秘書最少三個人或以上,總人數為單數;

(2)由會員大會主席、副主席主持每屆會員大會並選舉產生:會長一人、理事長一人、監事長一人,其他領導架構成員由會長、理事長、監事長提名,經會員大會選舉產生,其任期為三年,連選得連任;

(3)會長對外代表本會,對內領導及協調本會工作;

(4)常務副會長、副會長及秘書協助會長工作;

(5)修改章程,但必須有四分之三出席之會員之贊同票方可通過;

(6)會員大會主席,副主席可參加常務理事會會議。

第十三條——理事會設理事長一人、副理事長最少三個人或以上,由常務理事、理事及各部門由總人數單數組成理事會及常務理事會。

第十四條——理事會之權利與職責

(1)由理事長負責召開與主持,根據會務需要可不定期召開理事會會議,討論安排會務活動;

(2)如有特別事項,可由理事長召開特別會議;

(3)領導及制定本會活動,處理行政工作;

(4)每年應作一年來會務活動總結報告,包括收支賬目。

第十五條——常務理事會的組成與權利

(1)常務理事會由常務理事最少三個人或以上由總人數單數組成;

(2)常務理事會會議:由會長或理事長負責召集,根據會務需要可不定期召開;

(3)修訂入會基金及會員費;

(4)決定新會員入會事宜及革除會員會籍;

(5)決定聘任有關社會知名人士擔任本會榮譽、名譽、顧問職務;

(6)常務理事會會議的有關決議以絕對多數票贊同通過。

第十六條——監事會設監事長一人、副監事長及監事最少三個人或以上由總人數單數組成。

第十七條——監事會之權利與職責:

(1)由監事長負責召集與主持監事會會議;

(2)監察理事會之行政活動;

(3)查閱賬目及財政收支狀況。

第四章

經費

第十八條——經費來源:由本會成員和社會各界熱心人士、企業及有關機構捐助。

第十九條——本會之收益作為日常辦公經費和會務活動基金。

第五章

附屬機構

第二十條——根據本會發展的需要可設分層及附屬機構,須由會長、理事長及常務理事會研究決定。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Junho de dois mil e onze. — O Ajudante, Leong Kam Chio.


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門麻醉科學會

為公布的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一一年六月九日起,存放於本署之“2011年社團及財團儲存文件檔案”第2/2011/ASS檔案組第42號,有關條文內容載於附件。

澳門麻醉科學會章程

第一章

總則

第一條——中文名稱:「澳門麻醉科學會」。

葡文名稱:Associação de Anestesiologia de Macau。

英文名稱:Association of Anesthesiology of Macao。

第二條——會址:澳門天神巷21號A昌勝樓C座2樓。

第三條——宗旨:

1. 提高澳門麻醉醫學專業水平,促進麻醉醫學之研究;

2. 團結本澳同業,加強與國內外同業的交流,為澳門提供優質的醫療服務;

3. 爭取及維護會員的合理權益;

4. 為政府提供麻醉醫學相關的專業意見;

5. 本會為不牟利醫學專業團體。

第二章

會員

第四條——會員資格及分類:

1. 會員包括功能會員和非功能會員;

2. 功能會員:澳門合法居民,從事麻醉科專業工作的醫生,可向本會提出書面申請,經過本會理事會審核及批准後即可成為本會功能會員;

3. 非功能會員:任何對麻醉科專業有興趣的醫療專業人士,可向本會提出書面申請,經過本會理事會審核及批准後即可成為本會非功能會員。

第五條——會員權利

1. 出席會員大會,學術研討會及本會一切會員活動;

2. 就會務、運作提出諮詢、異議的權利;

3. 功能會員在會員大會上有選舉權、被選舉權及投票權;

4. 自願退會權利。

第六條——會員義務

1. 遵守本會會章及會員大會通過的決議;

2. 維護本會的宗旨,參與和協助本會舉辦之各項活動;

3. 不得作出有損本會聲譽之任何活動;

4. 需按時繳納會費。

第七條——處分:若本會會員作出有損本會宗旨的行動,由理事會討論,輕者警告,重則經會員大會通過,開除其會籍。

第三章

領導機構:會員大會;理事會;監事會

第八條——會員大會:

1. 會員大會是最高權力機構,具有制定和修改會章,任免理事會及監事會成員,審議理事會工作報告及監事會財政報告;

2. 會員大會由全體功能會員組成。每年至少召開一次會員大會。會員大會的召集書至少於會議前八日以電郵或透過簽收方式通知各會員,召集書內須載明會議日期、時間、地點及議程;出席會員大會的人數需達到全體功能會員人數的二分之一才可召開會員大會;若無法達到二分之一時,則一小時後不論出席人數多少,仍可召開會議;

3. 會員大會可由理事會同意之下召開;或應不少於三分之一會員的聯名要求而特別召開;

4. 會員大會的一般决議,需由超過出席大會之半數會員贊成通過方能生效;票數相同時會長可多投一票,但法律另有規定除外;

5. 會員大會主席團設主席一名,副主席一名,秘書長一名,由會員大會選出;任期三年;會員大會可設名譽主席若干名,由應屆理事會邀請,任期與應屆理事會一致;主席之職責為主持會員大會;當主席缺席時,由副主席代行其職責。

第九條——理事會:

1. 理事會是本會的執行機構,直接向會員大會負責,開展各項會務活動,接納新會員,對外代表本會;整理年度工作報告和財政報告交會員大會審議、通過;

2. 理事會由會員大會選出的七名成員組成:理事長一名、副理事長二名、秘書長一名、財政一名、外事一名及總務一名;

3. 理事長及理事會內其他職位,由理事會成員互選產生;

4. 只有理事長或經由理事會委任的發言人方得代表本會發表意見;

5. 理事會每屆任期為三年,理事連選得連任;理事長得連選連任,但不能超過兩屆。

第十條——監事會:

1. 監事會由會員大會選出的三名成員組成;其中包括監事長一人及監事二人,任期三年;監事長由監事會成員互選產生,得連選連任;

2. 監事會監察理事會的工作,並向會員大會報告;

3. 監事會成員不得代表本會發表意見。

第四章

財政

第十一條——收入

1. 本會收入來源於會員的會費,以及本會活動的其他收入;

2. 本會亦可接受不附帶任何條件的捐款。

第十二條——支出

本會的支出是所有與本會宗旨一致的活動開支所構成。

二零一一年六月九日於海島公證署

二等助理員 Kuong Choi Fan


CARTÓRIO PRIVADO

MACAU

CERTIFICADO

國際紅木傢具協會

Certifico, para efeitos de publicação, que por escritura de quatro de Outubro de dois mil e dez, lavrada a folhas setenta e oito e seguintes do livro número cento e quarenta e cinco deste Cartório, foi constituída entre Liu Jimin Chen, Cuiyin e Ieong Si Lok uma associação com a denominação em epígrafe, cujos estatutos constam do articulado em anexo.

第一章

總則

第一條——本會定名為“國際紅木傢具協會”(以下簡稱本會),英文名稱為“International Mahogany Furniture Association”,住所位於澳門羅理基博士大馬路223號-225號南光大廈13樓L座,本會會址經理事會批准,可遷至本澳任何地方,並將在世界多個地區設立分會、辦事機構或其他形式的代表機構。

第二條——本會為非牟利專業團體。

第三條——宗旨為促進和推廣國際紅木傢具,使其讓整個社會了解。其中包括組織舉辦相關展覽、知識講座、培訓課程、討論會及研討會,以及與本地或海外的相關單位合作,組織推動展覽、培訓及交流活動;促進本會會員之間的合作及聯繫。

第二章

會員

第四條——凡對國際紅木傢具協會有興趣人士,需由其本人向本會提出申請,經本會理事會批准,可成為會員。

第五條——會員享有以下權利:

一)出席會員大會,提出意見或建議;

二)選舉與被選舉;

三)參與本會策劃的各項學術研究及活動。

第六條——會員應遵守以下義務:

一)遵守會章及會員大會決議;

二)參與、協會及支持本會的工作;

三)繳納會費;

四)若當選為本會機構成員,須履行任內之職責。

第三章

組織

第七條——本會之機構為:會員大會、理事會及監事會。

第八條——本會機構之成員由會員大會選舉產生,任期三年,連選得連任。

第九條——經理事會提名,本會得聘請社會及行業之知名人士、學者為名譽會長、學術顧問或研究員,以指導及參與本會工作。

第十條——會員大會:

一)本會最高權力機構為會員大會,由全體會員組成。

二)除其他法定職責外,會員大會有權:

1. 討論、表決及通過修改本會章程;

2. 選舉產生會員大會主席團、理事會及監事會;

3. 制定本會工作方針;

4. 審議工作報告及財務報告。

三)會員大會設會長一人,如有需要,可設副會長若干人,總人數必須為單數。

四)會長對外代表本會,對內領導本會工作。副會長協助會長工作,會長不能視事時,由副會長暫代其職務。

五)會員大會由會長負責召開,召集書必須以掛號信的形式提前至少八日寄往會員的聯絡地址或透過由會員本人簽收之方式代替,該召集書內應註明會議召開的日期、時間、地點和議程。

六)會員大會每年舉行一次,特別會議由理事會、監事會或五分之三全體會員提議召開。

七)會員大會會議至少半數會員出席才可舉行,若不足規定人數,會議押後半小時舉行,不論出席人數多少,均為有限會議;在會員大會會議上,若有超過四分之三出席會員贊成,可修改章程;解散法人或延長法人續期之決議,必須獲得全體會員四分之三之贊同票。

第十一條——理事會:

一)本會理事會設理事長一人,副理事長和理事若干人,總人數必須為單數。

二)理事會職權為:

1. 執行會員大會通過的決議;

2. 策劃、組織及安排本會之各項活動;

3. 處理日常會務及履行法律規定之其他義務。

三)理事會會議由理事長負責召開和主持。

第十二條——監事會:

本會監事會設監事長一人,如有需要,可設副監事長若干人,總人數必須為單數,其權限為:

1. 負責監察本會理事會之運作;

2. 查核本會財政帳目;

3. 履行法律規定之其他義務。

第四章

經費

第十三條——本會經費來源:

一)會員繳納會費;

二)會員贊助、社會捐贈和政府機構資助;

三)在本會宗旨所規限的範圍內開展活動或服務的收入及其他合法收入。

第五章

附則

第十四條——本會章程解析權屬會員大會。

第十五條——本會章程如有未盡善處,得由理事會提請會員大會修改。

私人公證員 Zhao Lu

Cartório Privado, em Macau, aos catorze de Junho de dois mil e onze. — O Notário, Zhao Lu.


第 一 公 證 署

證 明

風雷體育會

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本自二零一一年六月十六日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號45/2011。

風雷體育會之修改章程

CAPÍTULO V

Corpos gerentes e eleições

Artigo 11.º

O clube realiza os seus fins por intermédio da Assembleia Geral, Direcção e Conselho Fiscal, cujos membros são eleitos em assembleia geral ordinária, e cujo mandato é de três anos, sendo permitida a reeleição.

CAPÍTULO VI

Assembleia Geral

Artigo 17.º

A mesa da Assembleia Geral é constituída por um presidente, um vice-presidente e um secretário.

CAPÍTULO VIII

Conselho Fiscal

Artigo 23.º

O Conselho Fiscal será composto por um presidente, um vice-presidente e um secretário, eleitos anualmente em Assembleia Geral.

二零一一年六月十六日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

中華武術世界聯盟

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本自二零一一年六月十六日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號46/2011。

中華武術世界聯盟

章程修改

第三章

組織

第七條——會員大會為本聯盟之最高權力機構。由會長一名,副會長及秘書長、副秘書長、成員若干名組成。人數最少三人。會員大會每年舉行一次,由會長擔任大會主席,並負責主持會議。在特殊情況下,經半數以上會員聯署要求,召開特別大會。會員大會職權為:修改或通過章程;審議和通過理事會提交之年度財政預算、財政報告及活動計劃;聽取理事會之年度報告及監事會的監察報告;選舉各領導機構成員;及其他重大事項。會員大會之召集必須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收之方式為之,通知全體會員,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。會員大會法定出席人數為全體會員一半以上,遇出席人數不足時,由主席宣佈會議順延一小時召開,一小時後以出席人數為準。

二零一一年六月十六日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


COMPANHIA DE TRANSPORTES AÉREOS AIR MACAU, S.A.R.L.

Exercício findo em 31 de Dezembro de 2010

Balanço em 31 de Dezembro de 2010

(Em patacas)

Demonstração dos resultados

Exercício findo em 31 de Dezembro de 2010

(Em patacas)

Presidente do Conselho de Administração, Vice-Presidente, Finanças,
Zhao Xiaohang Xu Yulan

Relatório do Conselho de Administração — 2010

De acordo com as disposições da lei de Macau e com os estatutos da Sociedade, apresentamos, para debate e votação na reunião do conselho de administração, o Relatório Anual e Contas do Ano que terminou a 31 de Dezembro de 2010. Durante o período de 1 de Janeiro a 31 de Dezembro de 2010, as actividades foram conduzidas de acordo com as condições estabelecidas no acto constitutivo da Sociedade e nos estatutos da Sociedade.

Os Administradores e o Conselho Fiscal têm o prazer de apresentar em anexo o Relatório Anual e as contas auditadas da Sociedade para o ano que terminou a 31 de Dezembro de 2010.

A Sociedade foi constituída a 13 de Setembro de 1994 sob a forma de uma sociedade por quotas de responsabilidade limitada e a sua principal actividade é operar como uma companhia aérea internacional em Macau, nos termos do contrato de concessão assinado a 8 de Março de 1995 com o Governo de Macau. A Sociedade começou a operar a 9 de Novembro de 1995.

Na opinião dos Administradores, o impacto positivo da recuperação económica global e das decisões proactivas referentes à reestruturação de rotas, implementação de planos de marketing agressivos e à diligência da nossa equipa em 2010, a Sociedade conseguiu transformar com sucesso o défice em superavit.

De acordo com o artigo 28.º dos Estatutos, o Conselho de Administração submete para discussão e aprovação em Assembleia Geral a seguinte proposta de aplicação de MOP 231 876 590,92 Lucro Líquido:

Fundo para Reservas Legais  
10% (lucro deste ano) nos termos do artigo 432.º do Código Comercial MOP23 187 659,09
Lucro líquido  
Transita para o ano de 2011 MOP208 688 931,83

Queremos agradecer os trabalhadores da Air Macau pela sua dedicação por ter desempenhado as suas funções eficaz e eficientemente.

O Conselho de Administração gostaria ainda de exprimir o seu sincero apreço aos Sócios, Conselho Fiscal e Representante do Governo pela sua cooperação e confiança depositada naquele.

Macau, aos 30 de Março de 2011.

Presidente do Conselho de Administração,
Zhao Xiaohang

Relatório do Conselho Fiscal da Air Macau sobre o Relatório Anual de 2010 e Demonstrações Financeiras apresentadas pelo Conselho de Administração

De acordo com o estabelecido no Código Comercial de Macau e nos estatutos da Air Macau (a «Sociedade»), o Conselho Fiscal preparou este Relatório com base no Relatório Anual de 2010 e nas Demonstrações Financeiras apresentadas pelo Conselho de Administração da Sociedade. O Conselho levou também em consideração os comentários e recomendações recebidos dos auditores independentes, Ernst & Young, durante o ano em relação a certos assuntos de controlo interno e procedimentos de supervisão que foram devidamente apresentados à administração da Sociedade, bem como o seu parecer de auditoria sem reservas emitido sobre as demonstrações financeiras para o ano findo de 2010.

Em 2010, o Conselho Fiscal manteve reuniões regulares como previsto nos estatutos da Sociedade, e manteve o contacto adequado com a Comissão Executiva e a administração considerada necessária. Durante o ano em análise, o Conselho Fiscal analisou e reviu os relatórios financeiros e contas para o ano de 2010 e obteve a informação necessária quanto à actividade da Sociedade. O Conselho Fiscal é da opinião que os relatórios financeiros reflectem a informação financeira e a situação financeira da Sociedade para o ano em questão.

O Conselho Fiscal reconhece o esforço desenvolvido pela administração no ano de 2010 ao implementar um plano estratégico e de integração de recursos, o que transformou os resultados operacionais da Sociedade de défice em superavit. O Conselho Fiscal deseja que a administração reenforce a melhoria da actividade atingida pela Sociedade, para continuamente implementar medidas reactivas para a melhoria da actividade, formular activamente estratégias de gestão de risco e controlo face às mudanças de mercado e no impacto dos recentes aumentos no preço de combustível para avião, e para lançar vários procedimentos de controlo para optimizar e fortalecer as estruturas de custo e de gestão, com o intuito de aumentar o lucro e o desenvolvimento sustentável em geral da Sociedade.

O Conselho Fiscal considera que os seguintes documentos para o ano de 2010 devem ser juntos na Assembleia Geral anual para aprovação dos sócios:

- Demonstrações Financeiras para o ano de 2010;
- Relatório Anual do Conselho de Administração.

Por fim, o Conselho Fiscal expressa a sua gratidão pela cooperação e assistência prestadas pela Comissão Executiva e a Administração da Sociedade.

Macau, aos 30 de Março de 2011.

Ho Mei Va Ho Man Sao Zhang Kai
Presidente Membro Membro

Relatório de auditor independente sobre demonstrações financeiras resumidas

Para os accionistas da Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L.
(Sociedade por acções de responsabilidade limitada, registada em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Companhia de Transportes Aéreos Air Macau, S.A.R.L. relativas ao ano de 2010, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 30 de Março de 2011, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2010, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira da sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Bao King To
Auditor de Contas
Ernst & Young — Auditores

Macau, aos 30 de Março de 2011.


FAR EAST HIDROFOIL COMPANHIA, LIMITADA

Balanço

Em 31 de Dezembro de 2010

  MOP
Activos  
Activos não-correntes  

Activos fixos tangíveis

1,498,076

Activos por impostos diferidos

6,675,196
   
Total dos activos não-correntes 8,173,272
   
Activos correntes  

Dívidas a receber comerciais

16,772,050

Despesas antecipadas e depósitos

1,438,749

Balanço da caixa e do banco

4,978,020
   
Total dos activos correntes 23,188,819
   
Total dos activos 31,362,091
   
Capitais próprios e passivos  
Capitais próprios  

Capital

100,000

Reserva legal

50,000

Resultados acumulados transitados

(29,841,934)
   
Total dos capitais próprios (29,691,934)
   
Passivos  
Passivos correntes  

Dívidas de sociedades relacionadas

37,348,928

Receitas antecipadas

102,928

Outros credores

23,602,169
   
Total dos passivos correntes 61,054,025
   
Total dos capitais próprios e passivos 31,362,091

Relatório de Actividades

Situação Operacional de 2010

Ao longo do ano, o ambiente operacional do mercado da rota entre Hong Kong e Macau tem vindo a tornar-se cada vez mais exigente, com as despesas operacionais a aumentarem constantemente devido à influência de factores exógenos e em particular o grande aumento no preço dos combustíveis. O facto dos preços dos bilhetes da rota manterem-se inalterados desde 2004, conjugado com as recentes alterações no ambiente operacional do mercado, significa que a receita líquida da venda de bilhetes tem vindo a baixar apesar do aumento no número de passageiros. O que faz com que o grande aumento de custos verificados não tenha sido compensado, resultando em perdas significativas.

Expectativas para o Ano de 2011

Embora se preveja que no futuro, o sector de transportes marítimos continue a ser confrontado com diversos desafios do mercado, a Companhia irá não obstante, trabalhar arduamente para melhorar a eficiência operacional e promover activamente as nossas actividades, de forma a controlar os custos operacionais e atrair um maior número de passageiros, sem nunca abandonar o nosso objectivo de prestar um serviço de qualidade.

A Directora da Companhia, Ho Chiu King Pansy Catilina.

Aos 7 de Março de 2011.

Relatório do Auditor Independente sobre as Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os Accionistas da Far East Hidrofoil Companhia, Limitada
(Sociedade por quotas registada em Macau)

Examinámos as demonstrações financeiras da Far East Hidrofoil Companhia, Limitada referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2010 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos nossa sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 7 de Março de 2011.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Companhia em 31 de Dezembro de 2010, as demonstrações financeiras resumidas devem ser analisadas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas.

Ho Mei Va
Auditor de Contas
HMV & Associados — Sociedade de Auditores

Macau, aos 7 de Março de 2011.


JCDECAUX (MACAU), LIMITADA

(Publicações ao abrigo do artigo 1.º, n.º 1, da Lei n.º 14/96/M, de 12 de Agosto)

Balanço em 31 de Dezembro de 2010

  MOP
Activos  
Activos não-correntes  

Activos fixos tangíveis

4,491,762

Imobilizações em curso

788,610
   
Total dos activos não-correntes 5,280,372
   
Activos correntes  

Dívidas de accionista

21,658,371

Dívidas a receber comerciais

6,715,099

Despesas antecipadas e depósitos

667,759

Balanço da caixa e do banco

1,181,503
   
Total dos activos correntes 30,222,732
   
Total dos activos 35,503,104
   
Capitais próprios e passivos  
Capitais próprios  

Capital

1,000,000

Reserva legal

500,000

Resultados acumulados transitados

12,212,827
   
Total dos capitais próprios 13,712,827
   
Passivos  
Passivos correntes  

Dívidas a pagar comerciais

2,408,094

Provisões para imposto sobre o rendimento

365,656

Dívidas de companhias relacionadas

15,963,625

Dívida de accionista

3,052,902
   
Total dos passivos correntes 21,790,277
   
Total dos capitais próprios e passivos 35,503,104

Relatório do Conselho de Administração

O Conselho de Administração vem apresentar o relatório e contas da Companhia do exercício findo em 31 de Dezembro de 2010.

Não houve mudança na natureza das principais actividades da Companhia, que continuaram a ser relativas a publicidade. A situação económica e resultados estão expressos nas contas anuais anexas, tendo o Resultado Líquido atingido MOP 2,160,258 e a Situação Líquida MOP 13,712,827.

Pelo Conselho de Administração, aos 24 de Março de 2011.

Administrador Executivo, Administrador,
Ashley James Stewart David Bourg

Relatório do Auditor Independente sobre as Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os Accionistas da JCDECAUX (MACAU), Limitada
(Sociedade por quotas registada em Macau)

Examinámos as demonstrações financeiras da JCDECAUX (MACAU), Limitada referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2010 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos nossa sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 24 de Março de 2011.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Companhia e dos resultados das suas operações, as demonstrações financeiras resumidas devem ser analisadas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas.

Ho Mei Va
Auditor de Contas
HMV & Associados — Sociedade de Auditores.

Macau, aos 24 de Março de 2011.


NEW WORLD FIRST FERRY SERVICES (MACAU) LIMITED

(Constituída nas British Virgin Islands com responsabilidade limitada)

Balanço em 30 de Junho de 2010

 

Notas:

A New World First Ferry Services (Macau) Limited (a «Sociedade») foi constituída nas Ilhas Virgens Britânicas com responsabilidade limitada. A Firmwin World Limited («Firmwin») foi constituída em Hong Kong com responsabilidade limitada. A Firmwin tem uma sucursal em Macau e é subsidiária da mesma entidade que a Sociedade. Em 21 de Agosto de 2001, a Sociedade assinou um contrato de prestação de serviços com a Firmwin para efectuar transporte marítimo entre Hong Kong e Macau em nome da Firmwin. Em 14 de Agosto de 2009, o direito de operar serviços de transporte marítimo entre Hong Kong e Macau foi transferido para a New Ferry — Marine Transportation of Passengers (Macau), Limited («NFMTP»), uma subsidiária da mesma entidade que a Sociedade e foi constituída em Macau com responsabilidade limitada. Assim, na mesma data, a Sociedade assinou um contrato de prestação de serviços com a NFMTP para continuar a efectuar transporte marítimo entre Hong Kong e Macau em nome da NFMTP. Consequentemente, os resultados operacionais dos serviços de transporte marítimo foram incluídos nas demonstrações financeiras da Sociedade.

O Representante do Conselho da Administração: Alex P. W. Choi. O Gerente da Contabilidade: Edmond L S. Hui.

Macau, aos 10 de Junho de 2011.

Relatório gerencial:

Em realização conjunta das empresas New World First Ferry Services (Macau) Limitada («First Ferry (Macau)»), Chow Tai Fook Empreendimentos e Nws Holding Limitada oferece serviços desde o ano de 2000. A First Ferry (Macau) oferece transporte marítimo a passageiros entre Macau e Tsim Sha Tsui em Hong Kong sempre com o lema «Excelência em Qualidade e cliente em primeiro lugar».

Neste ano que se passa, mesmo com a instabilidade económica global, aumento do preço do petróleo e ultra competitividade do mercado. A First Ferry (Macau) persistiu com seu lema e compromisso com «Excelência em Qualidade e Cliente em Primeiro Lugar», reforçando a frota e praticando melhoria contínua do nível de serviços. Assim, com o excelente esforço da equipa, aumento da qualidade de serviços e compaixão tornou-se possível a melhoria da posição financeira da First Ferry (Macau).

Com o intuito de tornar Macau um centro de lazer e turismo mundial. A First Ferry (Macau) não medirá esforços para continuar a coordenar e optimizar continuamente a qualidade dos seus serviços e frota.

Relatório do auditor independente sobre as demonstrações financeiras resumidas

Para os accionistas da New World First Ferry Services (Macau) Limited
(Constituída nas British Virgin Islands com responsabilidade limitada)

As demonstrações financeiras resumidas anexas da New World First Ferry Services (Macau) Limited (a Sociedade) referentes ao exercício findo em 30 de Junho de 2010 resultam das demonstrações financeiras auditadas da Sociedade e das suas subsidiárias (o Grupo) referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço da Sociedade em 30 de Junho de 2010, são da responsabilidade do Conselho de Administração da Sociedade. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente endereçada a V. Ex.as, enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas da Sociedade, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 30 de Junho de 2010, de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 12 de Novembro de 2010.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço individual e consolidado da Sociedade em 30 de Junho de 2010, a demonstração consolidada dos resultados, a demonstração consolidada do rendimento integral, a demonstração consolidada de alterações no capital próprio e a demonstração consolidada dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas da Sociedade.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sociedade e do Grupo e dos resultados das operações do Grupo, e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, aos 10 de Junho de 2011.


CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS — SUBSIDIÁRIA OFFSHORE DE MACAU, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2010

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2010

Conta de exploração

MOP

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Presidente: Artur Jorge Teixeira Santos
Vogais: Maria Paula Gomes Pedro de Oliveira Morgado
  Vasco Maria de Portugal e Castro de Orey
  Armando Mata dos Santos
  Victor José Lilaia da Silva

Síntese do Relatório de Actividade 2010

1. Enquadramento

A Caixa Geral de Depósitos Subsidiária Offshore de Macau (CGD SOM) foi constituída em 14 de Junho de 2005 no Offshore da Região Administrativa Especial de Macau.

A CGD SOM é um banco detido integralmente pela Caixa Geral de Depósitos, SA (CGD), com capital social de MOP 171 000 000,00, que oferece produtos direccionados exclusivamente para clientes não residentes.

Durante o exercício de 2010 a CGD SOM procedeu a alterações nos seus Órgãos Sociais, por motivo de passagem à reforma de alguns dos elementos que integravam o seu Conselho de Administração. Assim, em 28 de Junho foi nomeada a Dr.ª Maria Paula Gomes Pedro de Oliveira Morgado para Administradora-Delegada em substituição do Dr. João Manuel Tubal Gonçalves. Em 16 de Julho de 2010, foi nomeado para Presidente do Conselho de Administração o Dr. Artur Jorge Santos em substituição do Dr. Herculano Jorge de Sousa.

Por motivo igualmente de passagem à situação de reforma, em 31 de Dezembro de 2010 o Dr. João Augusto Magalhães Domingos terminou as suas funções como Director Geral da CGD Macau, tendo sido substituído em 12 de Janeiro de 2011 pelo Sr. José Manuel Braz Gomes.

O Conselho de Administração deseja expressar o seu agradecimento aos dois Administradores e ao Director-Geral que cessaram a sua actividade, pelo elevado profissionalismo e dedicação demonstrado nos últimos anos, o qual permitiu afirmar a CGD SOM como uma unidade com uma oferta diversificada para os clientes do Grupo CGD.

2. Actividade desenvolvida em 2010

No exercício de 2010 a CGD Subsidiária Offshore de Macau continuou a desenvolver a sua actividade comercial, essencialmente, através da oferta proactiva de produtos de captação de recursos, junto dos seus clientes não residentes de Macau e em Portugal, perfazendo um total aproximadamente de 27 mil clientes titulares, cujo número de contas activas com saldo ascendia a um número total de 19.784, das quais 13.693 correspondiam a produtos a prazo.

Durante o ano de 2010 foram lançados 5 produtos estruturados, 4 denominados em Euros e 1 em USD os quais captaram globalmente o equivalente a MOP 487 Milhões. Pese embora a actividade desenvolvida, verificou-se um decréscimo dos depósitos captados em cerca de 17%, para MOP 9 mil milhões, salientando-se os depósitos em Euros que constituem cerca de 92% da carteira. O total de recursos aumentou para MOP 18,1 mil milhões em resultado do crescimento dos recursos captados junto de Instituições de Crédito (ICs), os quais somaram no final do ano MOP 9,1 mil milhões, contra MOP 6,6 mil milhões em 2009.

A actividade de crédito a particulares apresentou um crescimento significativo, com uma variação homóloga de 82%, mantendo no entanto uma expressão pouco significativa ao nível do balanço da SOM, ascendendo a um total de MOP 28,6 Milhões. Destaca-se o montante aplicado em Outras ICs, com um total aproximado de MOP 18,3 mil milhões.

No final de 2010 a CGD SOM continuou a apresentar uma estrutura de capitais adequada ao nível de actividade desenvolvida, com o rácio de solvabilidade a cifrar-se em 10,8%.

3. Resultados do exercício

A CGD SOM obteve um resultado líquido de MOP 15,4 Milhões em 2010, o que corresponde a um crescimento de 33% comparativamente com o exercício anterior.

Para esta evolução destaca-se o contributo positivo da margem financeira e o controlo conseguido nos custos operativos. Assim, a margem financeira registou um crescimento de 3%, para MOP 41,8 milhões, enquanto os custos operativos diminuíram 6%, para MOP 8,4 Milhões, em resultado de uma reafectação mais eficiente dos meios da CGD que prestam serviço à unidade no âmbito do contrato de prestação de serviços.

Salienta-se ainda a melhoria da sua margem complementar que passou de um resultado negativo de MOP 36 Milhões para um resultado negativo de MOP 18 Milhões, beneficiando da realização em 2010 de operações de cobertura das posições cambiais, reduzindo o impacto dos resultados cambiais originados com a desvalorização significativa do Euro face ao MOP.

4. Conclusões

O Conselho de Administração deseja agradecer ao accionista único, Caixa Geral de Depósitos, o apoio prestado ao nível da estratégia integrada de Grupo, designadamente ao nível da oferta integrada para os seus clientes.

Por fim, o Conselho deseja manifestar o seu agradecimento aos serviços da Caixa Geral de Depósitos S.A. que apoiaram eficazmente a actividade desenvolvida pelo Banco, às Autoridades de Macau, nomeadamente à AMCM, pelo contínuo apoio dado desde o início da actividade, bem como ao Banco Nacional Ultramarino, o nosso parceiro privilegiado nesta operação.

A todos, bem hajam.

Opinião do Fiscal Único

Em conformidade com o artigo 30.º dos Estatutos, o Conselho de Administração da Caixa Geral de Depósitos — Subsidiária Offshore de Macau, S.A., submeteu ao Fiscal Único o balanço, contas e relatório anual relativos à actuação da companhia no ano de 2010. Da mesma maneira, o relatório dos auditores externos preparado pela Deloitte Touche Tohmatsu sobre a actividade da companhia neste ano foi igualmente disponibilizado.

Durante o ano de 2010, o Fiscal Único manteve contactos regulares com o Conselho de Administração, seguiu as actividades da companhia e recebeu sempre de uma maneira eficiente, os necessários esclarecimentos.

Depois de consultados os documentos tais como apresentados pelo Conselho de Administração conclui-se que eles reflectem claramente a situação financeira e económica da companhia.

O Relatório do Conselho de Administração também explica claramente o desenvolvimento do negócio e das actividades levadas a cabo pela companhia durante o referido ano. O Fiscal Único concordou com os auditores externos que os documentos contabilísticos apresentados reflectem de uma forma transparente e verdadeira a posição tal como indicada no Balanço a 31 de Dezembro de 2010 e os resultados da actividade para o mesmo período e que foram seguidas as boas práticas de contabilidade aplicadas aos bancos.

De acordo com o anterior, o Fiscal Único concordou com a aprovação do:

1. Relatório e Contas para o ano de 2010;

2. Relatório do Conselho de Administração para o ano de 2010.

Macau, aos 18 de Maio de 2011.

O Fiscal Único, Chui Sai Cheong.

Síntese do parecer dos auditores externos

À Gerência da Caixa Geral de Depósitos — Subsidiária Offshore de Macau, S.A.

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Caixa Geral de Depósitos — Subsidiária Offshore de Macau, S.A. relativas ao ano de 31 de Dezembro de 2010, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 11 de Maio de 2011, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2010, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Caixa Geral de Depósitos — Subsidiária Offshore de Macau, S.A. e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Quin Va
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores

Macau, aos 11 de Maio de 2011.

Lista de Instituições em que a Caixa Geral de Depósitos —

Subsidiária Offshore de Macau S.A., detém participação superior a 5% do capital social

(NÃO)

Lista de Accionistas Qualificados

Caixa Geral de Depósitos, S.A. 100%

公司機關據位人之姓名

Órgãos Sociais

Mesa da Assembleia Geral
Presidente: Joaquim Jorge Perestrelo Neto Valente
Conselho de administração
Presidente: Artur Jorge Teixeira Santos
Vogais: Maria Paula Gomes Pedro de Oliveira Morgado
  Vasco Maria de Portugal e Castro de Orey
  Armando Mata dos Santos
  Victor José Lilaia da Silva
Fiscal Único – Chui Sai Cheong
Secretário – Maria de Lurdes Nunes Mendes da Costa

SOCIEDADE DE ABASTECIMENTO DE ÁGUAS DE MACAU, S.A.

Balanço em 31 de Dezembro de 2010

MOP MOP

Relatório do Administrador Delegado

Construir um futuro brilhante para Macau em consonância com as políticas do Governo

Em 2010, Macau verificou um rápido crescimento da sua economia, com um aumento de 14,8% no número de turistas e um aumento de 15,5% no número total de hóspedes de hotéis. A taxa de crescimento real do PIB foi de 26,2%. Apesar do aumento dos indicadores económicos, o consumo total anual de água decresceu 1,4% comparativamente a 2009. Por um lado, este facto prova que através do esforço conjunto e a cooperação do Governo da RAEM e de vários sectores sociais, foram alcançadas melhorias significativas na consciencialização do público para a conservação da água, e por outro lado, que a SAAM irá enfrentar grandes desafios no serviço de fornecimento de água como resultado da sua maior conservação.

Apesar dos enormes desafios, todos os funcionários da Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau S.A. (adiante designada por «SAAM» ou a «Companhia») estão determinados a confrontar estes novos desafios, cumprindo de forma rigorosa os seus compromissos sem nunca deixar de exercer a maior prudência nas várias etapas dos seus trabalhos. Em termos do fornecimento de água, a SAAM agiu activamente em coordenação com as políticas da água do Governo da RAEM para atingir uma série de objectivos, onde se incluem i) elaboração de propostas para o fornecimento de água ao campus da Universidade de Macau na Ilha da Montanha e o novo distrito urbano na Pedreira de Seac Pai Van; ii) elaboração de normas para a qualidade da água reciclada; iii) renovação da rede de condutas de água; e iv) prevenção da intrusão da salinidade na água, etc. Em 2010, foram participados menos de 29 casos de perda de água quando comparado com 2009, com um decréscimo na perda de água na ordem dos 12,5%. Este ano também marcou o sexto ano consecutivo em que Macau não sofreu os efeitos da salinidade da água.

No que respeita os serviços ao cliente, a SAAM implementou uma guia de manutenção e substituição das instalações de abastecimento de água nos edifícios, em conformidade com o «Plano Provisório de Apoio Financeiro para Reparação das Instalações Comuns de Edifícios Baixos» lançado pelo Governo da RAEM. Em coordenação com o lançamento em 2011 do novo mecanismo de tarifas de água, a SAAM deu início a uma série de trabalhos preliminares onde se incluem testes repetidos dos parâmetros de qualidade de água, modificação e actualização abrangente do sistema de informação do cliente e o design de uma nova factura de água, etc., todos os quais se encontravam concluídos e prontos para implementação no final do ano.

Optimização contínua dos serviços e melhoria da qualidade de água

Aderindo ao conceito de orientação pelo cliente, a SAAM continua a optimizar os seus serviços ao cliente. Com o objectivo de optimizar todos os contadores de água, a Companhia já procedeu à substituição de 35 000 contadores em 2010, reduzindo de forma efectiva as perdas de água. Em resposta ao pedido dos residentes, a SAAM cancelou a tarifa de consumo mínimo de água, beneficiando mais de 40 000 clientes em Macau. Além disso, e no sentido de atender às necessidades e aos hábitos de consumo dos clientes, a SAAM irá lançar, em parceira com a Caixa Económica Postal, um novo método de pagamento das facturas de água – o Pagamento On-line da Factura de Água por Cartão de Crédito — no sentido de oferecer maior conveniência aos clientes.

Para além de optimizar os serviços ao cliento, o controlo estrito da qualidade de água sempre foi de importância primordial para a SAAM. Em 2010, a SAAM ficou mais uma vez classificada no primeiro lugar entre 76 laboratórios participantes no Teste de Competência Laboratorial organizado pela sua empresa-mãe, a SUEZ ENVIRONNEMENT. Para mais, as tecnologias de flutuação e ultra-filtração utilizadas na Estação de Tratamento II do Reservatório do Porto Exterior (MSR II) foram reconhecidas com o Prémio Honorário de Design nos Prémios de Projectos Inovadores da Região da Ásia Oriental da «International Water Association», reflectindo a liderança global da SAAM no que respeita o tratamento de água.

Responsabilidade empresarial e Compromisso social

A SAAM tem vindo a retribuir a sociedade de forma a cumprir as suas obrigações como uma empresa cidadã responsável. Em 2010, a SAAM apoiou activamente várias actividades de caridade; por exemplo, a Companhia atribuiu um donativo ao Gabinete de Ligação do Governo Central da RPC na RAEM para ajudar as vítimas da seca no continente e doou dinheiro ao Programa de Donativos Porta-a-Porta da Associação de Beneficência Tong Sin Tong e à Marcha de Caridade; a SAAM também tem vindo a apoiar a Competição de Natação Diversão no Verão da Macau Special Olympics (MSO) nos últimos sete anos consecutivos.

Em termos da promoção educacional, a SAAM e a Visão do Mundo — Associação de Macau co-organizaram palestras educativas sobre a conservação da água com o tema «Poupem Água, Salvem Vidas!», no sentido de comunicar aos estudantes o valor dos recursos hídricos e os métodos de conservação de água. Para reforçar a consciência pública sobre os recursos hídricos, a SAAM organizou um Dia Aberto para receber várias organizações visitantes. Em 2010, mais de 1000 visitantes visitaram as estações de tratamento de água.

25.º Aniversário; ansiosos pelo futuro

Com a prorrogação do contrato de concessão em 2010, eu gostaria de expressar a nossa sincera gratidão ao Governo Central, aos governos de diversos níveis no continente, ao Governo da RAEM, aos residentes de Macau e a todos os sectores sociais e instituições de Macau, pelo seu continuado apoio à SAAM ao longo dos últimos 25 anos. Queria agradecer especialmente a todos os funcionários, que em conjunto com a SAAM se empenharam assiduamente para contribuir para o serviço de fornecimento de água de Macau. Olhando para o futuro, a SAAM irá continuar a prestar um serviço de fornecimento de água de qualidade, sem nunca poupar esforços para contribuir para a prosperidade e estabilidade de Macau e deixar de aderir ao espírito da dedicação profissional.

O Administrador Delegado,

Cheung Chin Cheung

Relatório e Parecer do Conselho Fiscal

Senhores accionistas da Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau, S.A.

Nos termos do Código Comercial e dos Estatutos da Companhia, o Conselho Fiscal supervisionou a administração da Sociedade de Abastecimento de Águas de Macau, S.A., ao longo do ano de 2010 até ao dia 31 de Dezembro, acompanhou a actividade da Companhia, e obteve todas as informações e esclarecimentos que considerou necessários. O Conselho Fiscal considera que as demonstrações financeiras e relatório de actividade estão correctos e completos, explicando de forma breve e clara a situação financeira da Companhia, o desenvolvimento das suas actividades e os resultados das operações referentes ao exercício do ano 2010. O Conselho Fiscal não verificou qualquer irregularidade nem acto ilícito.

O Conselho Fiscal propõe à Assembleia Geral a aprovação do relatório de actividades, proposta de aplicação do saldo e demonstrações financeiras do Conselho de Administração.

Macau, aos 14 de Março de 2011.

O Conselho Fiscal    
Lo Wai Man Shelley Tan Sabrina Wu Chun Sang
Presidente Membro Membro

    

Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
Get Adobe Reader