Número 23
II
SÉRIE

Quarta-feira, 7 de Junho de 2006

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

      Anúncios notariais e outros

1.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

“澳門魔術藝術家協會”

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本自二零零六年六月一日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號89/2006。

澳門魔術藝術家協會修改章程內容

本會之章程將修改如下:

第三章 結構

(一)結構

1. 維持不變

2. 維持不變

3. 維持不變

4. 維持不變

5. 會員大會、理事會及監事會之運作如下:

(一) 屬首次召集之大會,如出席社員未足半數,不得作任何決議。

(二) 決議取決於出席社員之絕對多數票,但不影響以下各款規定之適用。

(三) 修改章程之決議,須獲出席社員四份之三之贊同票。

(四) 解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體社員四份之三之贊同票。

(五) 章程得規定多於上述規定之票數。

本會其他章節與原有內容相同。

若本會章程內容與澳門特別行政區所頒佈之法規有抵觸處,將以民法典之內容為依據。

二零零六年六月一日於第一公證署

助理員 Maria Fatima Pedro


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門東南學校家長會

葡文名稱為“Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Tong Nam de Macau”

葡文簡稱為“APEEETNM”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零零六年五月二十五日,存檔於本署之2006/ASS/M2檔案組內,編號為100號,有關條文內容如下:

澳門東南學校家長會會章

澳門東南學校家長會

總則

第一條——本會定名為“澳門東南學校家長會”(Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Tong Nam de Macau)。簡稱“APEEETNM”。

第二條——本會會址設於賈伯樂提督街138號東南學校內。

第三條——本會的宗旨以增進家長之間感情、團結互助、加強家長與學校的聯繫、協助學校開展教育活動;對學校的教育環境、教育規劃、教育管理、教育組織提出意見及建議;維護家長、學生及學校的合理權益。

第四條——本會為非牟利團體。

會員

第五條——所有就讀或曾就讀於東南學校的學生家長及監護人,願意遵守會章及繳交會費,均可成為本會會員。

第六條——會員的權利

a.參加全體會員大會,有發言權及表決權;

b.有選舉權及被選舉權;

c.參加家長會活動,享受會員福利及權益。

第七條——會員的義務

a.會員須遵守本會會章及決議;

b.按時繳交會費;

c.積極參與本會之會員大會及各項活動;

d.維護本會聲譽及權益。

第八條——本會會員如嚴重破壞本會聲譽,得由理事會給予警告,特別嚴重者得由理事會提議,經會員大會通過終止該會員會籍。

組織

第九條——會員大會

a.會員大會為最高權力機構,有權制訂及修改會章、選舉和任免理事會及監事會成員、訂定會費;

b.會員大會每年召開一次,提前八天以書面召集;

c.在特殊情況下及指明事由,經五分之一以上的會員要求可召開特別會員大會;

d.會員大會須在二分之一以上會員出席方為有效,如遇流會,於半小時後重新召開,無論多少會員出席均為有效。

e.會員大會主席團由3名成員組成,包括會長、副會長,主席團成員的任期為兩年,連選得連任。

第十條——理事會

a.理事會為最高執行機構;

b.理事會由5-15名單數成員組成,包括理事長、副理事長、秘書、財務部及多名理事等,理事長為理事會主席;

c.理事會有權召開會員大會、執行會員大會的所有決議、管理會務及發表工作報告;

d.理事會每兩月召開一次,由理事長或副理事長召集,若有必要時,可提前三天通知召開;

e.理事會的任期為兩年,連選得連任;

f.正、副理事長可代表家長會出席學校舉行的教學會議。

第十一條——監事會

a.監事會為本會監察機構,負責監督和審查理事會的工作,並有權要求召開會員大會;

b.監事會由3-7名單數成員組成,包括監事長、副監事長及監事,監事長為監事會主席;

c.監事會任期為兩年,連選得連任。

其他

第十二條——修改章程的決議,經理事會提出,會員大會出席人數四分之三的贊同票。

第十三條——本會的收入來自會費及其他資助。

第十四條——家長會的所有支出費用,須由兩位或以上的理事會成員(財務部部長、理事長或副理事長)簽署方為有效。

第十五條——本會可聘請學校校長、行政人員或教師擔任顧問。

第十六條——以下為本會會徽:

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos vinte e cinco de Maio de dois mil e seis. — A Ajudante, Maria Virgínia Inácio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門陳樂巷聯誼會

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零零六年五月二十五日,存檔於本署之2006/ASS/M2檔案組內,編號為101號,有關條文內容如下:

澳門陳樂巷聯誼會

章程

(一) 宗旨

1. 本會定名為 “澳門陳樂巷聯誼會”;

2. 本會為非牟利團體、其宗旨是為會員組織慈善文娛康樂活動,互助互愛,保護和爭取會員利益。

3. 本會地址:澳門陳樂巷20號美樂大廈地下A座。

(二) 會員資格、權利與義務

4. 凡本澳支持參加陳樂巷街坊的慈善文娛康樂活動者,願意遵守會章,經理事會通過,方為會員;

5. 會員有下列權利和義務:

(1)選舉權與被選舉權;

(2)批評及建議;

(3)參加本會各項活動;

(4)遵守會章及決議;

(5)繳納會費。

6. 會員如有違反會章或有損本會聲譽者,經理事會通過,可取消其會員資格。

(三) 組織機構

7. 會員大會為本會最高權力機構,設會長一人、副會長一人、秘書一人,任期三年。其職權如下:

(1)制定或修改會章;

(2)選舉理事會及監事會成員;

(3)決定工作方針、任務及計劃。

8. 理事會為本會執行機關,其職權如下:

(1)籌備召開會員代表大會;

(2)執行會員大會決議;

(3)向會員大會報告工作和財務狀況;

(4)泱定會員的招收或除名。

9. 理事會設理事長一人、副理事長一人、秘書一人,理事若干(總人數必為單數),任期三年;理事會視工作需要,可增聘名譽會長、顧問。

10. 監事會負責稽核及督促理事會各項工作,設監事長一人、副監事長一人、監事一人,任期三年。

(四) 會議

11. 會員大會每年召開一次,如有需要,會長可召開會員大會,而大會決議須為出席會員之絕對多數票方得通過;但法律另有規定者除外。

12. 理事會及監事會每兩個月召開一次會議,如有特殊情況可臨時召開。

13. 每年舉行一次慈善活動。

(五) 經費

14. 社會贊助和會費。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos vinte e cinco de Maio de dois mil e seis. — A Ajudante, Maria Virgínia Inácio.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

蓮之都劇社

為公佈之目的,茲證明上述社團的章程之修改文本已於二零零六年五月二十六日,存檔於本署之2006/ASS/M2檔案組內,編號為102號,有關修改之條文內容如下:

蓮之都劇社修改章程

第六條——會員大會

4. 會長有代表本會有關法律上之職權。

第七條——理事會及成員職責

本會執行機構為理事會,理事會由會員大會選舉組成,理事長由會員大會選舉委任,任期二年,再由理事長委任副理事長,任期二年。

1. 理事會成員3-9人。

2. 理事會設理事長一人,副理事長兩人,其餘為理事,人數必為單數。

3. 理事長:統籌各項工作並推廣會務。

4. 副理事長:協助理事長統籌各項工作並推廣會務。

5. 理事會每季召開一次。

6. 理事會根據會長及會員大會所制定之方針及決議展開各項工作。

7. 取消

8. 取消

第八條——監事會

本會監事機構為監事會,由會員大會選舉組成。

1. 監事會成員3-9人。

2. 監事會選出監事長一人,副監事長一人,其餘為監事,人數必為單數,任期二年。

5. 監事會:監測本會一切財務及編寫報告。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos vinte e seis de Maio de dois mil e seis. — A Ajudante, Maria Virgínia Inácio.


BANCO BPI, S.A. — SUCURSAL OFFSHORE DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005

(MOP)

(MOP)

(MOP)

Conta de exploração

(MOP)

Conta de lucros e perdas

(MOP)

O Gerente-Geral, O Chefe da Contabilidade,
(Assinatura ilegível) (Assinatura ilegível)

Síntese do parecer dos auditores

À Gerência do Banco BPI, S.A. — Sucursal Offshore de Macau

Examinámos, de acordo com as Normas de Auditoria aprovadas pelo Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau e as Normas Técnicas de Auditoria aprovadas pelo Secretário para a Economia e Finanças, as demonstrações financeiras do Banco BPI, S.A. — Sucursal Offshore de Macau (adiante designado por «Sucursal») referentes ao período compreendido entre 12 de Agosto de 2005 (data de autorização de início de actividade da Sucursal) e 31 de Dezembro de 2005, e a nossa opinião sobre as demonstrações financeiras está expressa, sem reservas, no nosso relatório datado de 11 de Maio de 2006.

Em nossa opinião, as contas financeiras resumidas estão de acordo com as demonstrações financeiras atrás referidas das quais elas resultaram.

Para uma melhor compreensão da posição financeira e dos resultados das operações da Sucursal, durante o período, as contas financeiras resumidas devem ser analisadas em conjunto com as correspondentes demonstrações financeiras auditadas do período.

Deloitte Touche Tohmatsu

Macau, aos 11 de Maio de 2006.

Síntese da actividade do exercício referente ao período de 12 de Agosto a 31 de Dezembro de 2005

Na sequência do pedido formulado às autoridades da Região Administrativa Especial de Macau, o Banco BPI S.A. foi autorizado a estabelecer uma instituição financeira offshore, sob a forma de sucursal, conforme a Ordem Executiva n.º 38/2005 publicada no Boletim Oficial n.º 31, I Série, de 1 de Agosto de 2005.

Cumpridos todos os requisitos legais, a Sucursal Offshore de Macau do Banco BPI S.A. foi autorizada a iniciar as suas actividades em 12 de Agosto de 2005.

Consequentemente, procedeu-se ao arrendamento de um amplo escritório e efectuaram-se as adaptações exigidas pela instalação do hardware, do software e dos meios de telecomunicações necessários ao seu pleno funcionamento.

Igualmente, levou-se a efeito localmente a selecção dos recursos humanos a afectar à Sucursal e que permitiu o recrutamento de experientes e qualificados meios humanos naturais da Região Administrativa.

Relativamente à actividade desenvolvida a partir de então, e até final do ano, o Activo da Sucursal Offshore atingiu o total de cerca de MOP 14 683 milhões a que correspondia, na sua quase totalidade, o montante total de Depósitos à Ordem, com pré-aviso e a prazo com a Sede e outras Sucursais do Grupo BPI, no valor de cerca de MOP 14 605 milhões.

No respeitante aos Recursos, estes concentraram-se, essencialmente, em Depósitos a Prazo em moeda estrangeira, que atingiram aproximadamente MOP 13 694 milhões correspondendo ao total da carteira de clientes afecta à Sucursal.

Em 31 de Dezembro de 2005, e relativamente aos meses de actividade do ano, a Sucursal gerou um resultado líquido de MOP 5 534 513,00.

Por último queremos deixar às competentes autoridades da Região Administrativa Especial de Macau uma palavra de agradecimento pela consideração com que distinguiram a nova Sucursal Offshore de Macau, do Grupo BPI.

Pel’A Direcção da Sucursal,
Assinatura ilegível.


BANCO WENG HANG , S.A., MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005

MOP

As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 49 513 943 Patacas. Porque o Banco adopta as Normas Internacionais de Relato Financeiro («NIRF») na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas NIRF podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das NIRF(antes dos impostos diferidos de 6 991 768 Patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o «Lucro depois de impostos» e os «Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM» na conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2005

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Director e Gerente-Geral, O Chefe da Contabilidade,
Lee Tak Lim Ng Kai Man

Inventário de participações financeiras

em 31 de Dezembro de 2005

Quadro a publicar, ao abrigo do artigo 75.º do R.J.S.F.

Lucros/Taxa média de retribuição de fundos dos accionistas

Em 10.6 MOP

Percentagem

 

Lista dos accionistas qualificados:

Wing Hang Bank Ltd.
Constituída em Hong Kong

Nomes dos titulares dos órgãos sociais:

Conselho de Administração

Sr. Fung Yuk-Bun Patrick, presidente
Sr. Frank John Wang, administrador
Sr. Fung Yuk-Sing Michael, administrador
Sr. Ho, Louis Chi-Wai, administrador
Sr. Lee Tak-Lim, administrador
Sr. Yuen Sui-Chi Stanley, administrador
Sr. Leung Chiu-Wah, administrador

Conselho Fiscal

Ms. Vivien Wong, presidente (exonerado em 25/9/2005)
Sr. Wong Chun-Kau Stephen, membro
Sr. Tse Hau-Yin, membro

Assembleia Geral

Sr. Kwok Man-Cheung, presidente
Sr. Lee Tak-Lim, vice-presidente
Sr. Ho, Louis Chi-Wai, secretário
Sr. Yuen Sui-Chi Stanley, secretário
Sr. Fung Yuk-Sing, Michael, vice-secretário
Sr. Leung Chiu-Wah, vice-secretário

Parecer do Conselho Fiscal

O balanço, a demonstração de resultados e a conta de exploração e lucros e perdas deste Banco, respeitantes ao exercício do ano findo em 31 de Dezembro de 2005, foram elaborados nos termos da lei bancária e auditados pela KPMG e segundo o nosso Parecer, os mesmos corresponderam às regras de contabilidade bancária, sendo, portanto, documentos suficientes para mostrar a real situação financeira deste Banco até 31 de Dezembro de 2005, e o lucro apurado do exercício que terminou nesta data.

O Representante do Conselho Fiscal
Wong Chun Kau Stephen

Síntese do parecer dos auditores externos

Aos accionistas do
Banco Weng Hang, S.A.

Examinámos, de acordo com as Normas Internacionais de Auditoria e Normas Auditoria de Macau, as demonstrações financeiras do Banco Weng Hang, S.A., referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2005 e a nossa opinião sobre as demonstrações financeiras está expressa, sem reservas, no nosso relatório datado de 18 de Fevereiro de 2006.

Em nossa opinião, as contas resumidas estão de acordo com as demonstrações financeiras atrás referidas das quais elas resultaram.

Para uma melhor compreensão da posição financeira e dos resultados das operações do Banco, durante o exercício, as contas resumidas devem ser analisadas em conjunto com as correspondentes demonstrações financeiras auditadas do ano.

KPMG

Macau, aos 18 de Fevereiro de 2006.

Tradução

Sumário do relatório das actividades

Na sequência de crescimento de 28,3% apurado no ano de 2004, o valor de produto interno que reflecte a situação económica teve no ano de 2005 a taxa de crescimento saudável e substancial na ordem de 6,7%. Graça ao contínuo e firme desenvolvimento dos sectores de jogos de fortuna ou azar e de turismo que predominam a economia de Macau, foi melhorando o mercado de empregos, tendo a taxa de desemprego sido reduzida a 3,9% no 4.º trimestre do ano de 2005, assim, se levarmos em consideração os factores estruturais, será justo de dizer que esse valor percentual se situa num nível bastante baixo. O aumento de taxa de juro, a que se associa o acréscimo da taxa de juro devido ao empréstimo hipotecário, fez arrefecer as escaldantes transacções de imóveis.

As realizações sucessivas de numerosas obras de grandes empreendimentos, entre estes, destacam-se os projectos de casinos, hotéis e complexos habitacionais e comerciais, deram origem ao crescente aumento de número de empréstimos do tipo de consórcio, o que foi responsável pelo aumento de empréstimos na ordem de 24,8% verificado no ano de 2005. Apesar de o preço de imóveis ter sensivelmente diminuído, o baixo nível da taxa de desemprego e a tendência para subida de rendimento da população têm vindo a melhorar a qualidade de créditos concedidos por este Banco. O valor de créditos em mora cobertos pelas provisões foi reduzido a cinquenta e dois milhões de patacas, representando 0,95% do total de créditos concedidos. A seguir do ano de 2004, este Banco ficou, mais de uma vez, ligeiramente beneficiado com reposição das provisões destinadas a cobrir os créditos em mora.

Até ao final do ano de 2005, os fundos próprios deste Banco foram calculados em oitocentos e dezoito milhões de patacas, sendo que o lucro distribuível por sócios bateu o recorde, atingiu o valor de duzentos e onze milhões de patacas, tendo sido registada uma taxa de crescimento de 34,4%, quando comparado com o valor de lucro alcançado no ano de 2004, o qual foi cento e cinquenta e sete milhões de patacas. As taxas médias de retribuição de activo e os fundos próprios foram, respectivamente, em 1,79% e 28,3%.

Contado com a sucursal inaugurada por este Banco no 1.º trimestre do corrente ano, passou a ser 11 o número das sucursais existentes em Macau. Atendendo ao drástico aumento de população e da economia de Macau, este Banco está empenhado, nesse momento, na procura do melhor local para abrir uma ou duas sucursais dentro do ano. Desde a aquisição do «Chekiang First Bank Ltd.,» a sociedade-mãe, o «Wing Hang Bank, Ltd. Hong Kong» já tinha conseguido grande proveito e os efeitos equilibrados de custo-benefício. A rede das sucursais que inclui 37 sucursais em Hong Kong, 2 sucursais em Shenzhen, 1 sucursal em Guangdong e 1 sucursal em Xangai, sem contar ainda a delegação em Beijing. A fim de acompanhar o rápido desenvolvimento do mercado chinês, o Grupo Weng Hang vem consolidar e expandir ainda mais a sua rede no continente chinês. Até aos finais do mês de Dezembro do ano de 2005, o Banco Weng Hang de Macau tinha um total de 331 trabalhadores, enquanto estavam ao serviço do Grupo Weng Hang 2 301 trabalhadores. A par do esforço para manter o ritmo de crescimento, este Banco tem sempre em mente a chave do sucesso que tem muito a ver com observação estrita da política de concessão cuidadosa de créditos e gestão rigorosa de riscos.

No ano em curso, devido à iniciação sucessiva de novos projectos de grandes empreendimentos, a grande procura de financiamento tornar-se-á factor favorável ao crescimento de crédito bancário, por outro lado, o grande aumento da população e de mão-de-obra, acrescido da constante subida do rendimento auferido pela população, faz estimular o consumo de população, bem como o seu desejo de ter a sua própria casa de habitação. Face a essa realidade, este Banco providenciará o seu máximo esforço para alargar o serviço de hipoteca de imóveis, sem descuidar, ao mesmo tempo, de expansão do crédito do consumo pessoal, de tal forma a que os diversos tipos de crédito tenham a proporção adequada na carteira de créditos. Embora o forte crescimento de economia de Macau tenha trazido grande oportunidade ao sector bancário de Macau, o mesmo não elimina a forte concorrência entre as instituições bancárias locais, o que é devido não só à adesão dos bancos do exterior e à expansão dinâmica dos bancos locais, mas também ao nível muito baixo de rácio entre crédito e depósito. O facto acima exposto tem exercido certa pressão sobre a margem de juros, no entanto, dado a perspectiva de considerável aumento de créditos, prevê-se que seja mantido o razoável aumento nas actividades bancárias asseguradas por este Banco.

Este Banco dará a continuidade ao processo de simplificação de tarefas de trabalho, a fim de controlar o custo. Além dessas medidas, este Banco vai tomar todas as providências possíveis para enriquecer a fonte de receitas provenientes de serviço de não juro. O Banco lançou no ano passado uma nova modalidade de serviço designado por «Escol do Serviço Bancário (Elite Banking)», com vista a oferecer aos clientes um ambiente agradável e confortável, além de lhes prestar a cadeia de serviços do banco personalizado destinados à gestão de riqueza, sendo essa modalidade de serviço muito apreciada pelos seus utentes.

A grave escassez de mão-de-obra e a drástica subida do preço de imóveis são responsáveis pela subida de salário dos trabalhadores e da renda de imóveis. De notar, tem-se registado nos meses seguidos a subida contínua de índice de consumo que é número indicador da taxa inflacionária. Em conjugação com esses factores, o facto de a anexação indirecta de pataca ao dólar americano ter provocado a perda da autonomia da política monetária e a verificação de indício de que está quase no fim do período de aumento da taxa de juro nos Estados Unidos têm sido a causa da subida contínua da taxa inflacionária que constitui uma grande preocupação latente que se verifica no desenvolvimento são e saudável de economia de Macau ora em curso, se não tiver um instrumento da taxa de juro que servirá para regular esses factores negativos.

Quanto à economia externa, apesar dos factores incógnitos da taxa de juro e do preço de energia, podemos contar a persistente expansão da economia mundial, todavia, o proteccionismo de comércio sempre defendido pelos Estados Unidos e pela Europa, assim como a pressão de valorização de Reminbei poderão ensombrar a perspectiva de desenvolvimento de economia da China e de Macau.

Olhar para o futuro, o grande vulto de capital investido no sector de jogos de fortuna ou azar continua a assumir a sua importância na economia local, em conjunto com o crescente aumento do número de turistas com “visto individual”, são os factores positivos que contribuem para o contínuo dinamismo da economia de Macau. Depois de ter sofrido de subida brusca no ano passado, verifica-se a ligeira queda do preço de imóveis. No entanto, dado o facto de que a actualidade económica de Macau é alvo de maior interesse dos investidores do exterior em geral, é de prever o desenvolvimento estável do mercado de imóveis, se atendermos ao grande número de vaga de postos de emprego criados para dar resposta aos numerosos investimentos e ao facto de que, no mercado de imóveis, o número de oferta ainda não sobrepõe o de procura.

Por último, em nome do Conselho de Administração e em meu nome pessoal, desejo aproveitar a oportunidade para manifestar a todos os clientes o nosso sincero agradecimento pelo apoio e confiança depositada neste Grupo, dando também os melhores cumprimentos ao pessoal deste Banco pelo incessante esforço e empenho desencadeado numa conjuntura de exploração repleta de desafio.

18 de Fevereiro de 2006.

O Presidente do Conselho de Administração,
Fung Yuk Bun Patrick.


BANCO DE DESENVOLVIMENTO DE CANTÃO, S.A. — SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005

MOP

MOP

As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 20 888 151 Patacas. Porque a sucursal adopta as Normas Internacionais de Relato Financeiro («NIRF») na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas NIRF podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, as diferenças entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das NIRF (antes dos impostos diferidos de 2 848 384 Patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o «Lucro depois de impostos» e os «Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM» na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2005

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Presidente, O Chefe da Contabilidade,
Guo Zhihang Lucia Cheang

Macau, aos 16 de Maio de 2006.

Nota: O balanço anual e a demonstração de resultados do exercício foram preparados a partir dos registos contabilísticos auditados.

Síntese do relatório das actividades

No ano transacto, devido ao vigoroso desenvolvimento da economia de Hong Kong e Macau, assim como das regiões vizinhas, as operações bancárias do nosso Banco continuam, na sua generalidade, a manter um crescimento estável, tendo alcançado o nível mais alto da sua história no que diz respeito aos resultados de gestão e lucros contabilisticamente registados. Todos os êxitos conseguidos se devem ao grande apoio dos nossos clientes e de todos os sectores sociais e aos esforços conjuntos do pessoal do Banco, aos quais quero aproveitar esta oportunidade para expressar os meus sinceros agradecimentos.

No ano de 2006, apesar da flutuação contínua das taxas de juros e câmbios e da constante mudança dos preços de petróleo e de outras matérias-primas registadas a nível internacional, que têm criado factores instáveis para o ambiente de negócios, a vontade de aplicar mais investimentos em Macau por parte dos investidores continua a crescer sem cessar, graças às orientações dinâmicas do Governo da RAEM e ao grande apoio concedido pelo Governo Central. Face ao desenvolvimento do mercado e ao aumento da procura dos serviços financeiros pelos clientes, o nosso Banco tem que aproveitar activamente a sua posição geograficamente privilegiada, alargando o domínio das operações bancárias locais e o leque de serviços prestados. Tendo concluído, no ano passado, os trabalhos de renovação e transformação das sucursais e dependências já existentes, o Banco abriu este mês mais uma nova dependência no centro urbano da Taipa e, estão já planeadas a aquisição de novos equipamentos e a oferta de novos produtos com vista a satisfazer às necessidades dos clientes a níveis distintos. Para além disso, o Banco há-de continuar a fortalecer os bons laços e a cooperação com as suas congéneres sucursais dentro e fora da China, estendendo os seus serviços ao espaço da margem das operações bancárias com o objectivo de obter maiores resultados em prol da sociedade.

Presidente
Guo Zhihang

Síntese do parecer dos auditores externos

Para o presidente do
Banco de Desenvolvimento de Cantão, S.A. — Sucursal de Macau

Examinámos, de acordo com as Normas Auditoria de Macau, as demonstrações financeiras do Banco de Desenvolvimento de Cantão, S. A. — Sucursal de Macau, referentes ao exercício que terminou em 31 de Dezembro de 2005, e a nossa opinião sobre as demonstrações financeiras está expressa, sem reservas, no nosso relatório datado de 16 de Maio de 2006.

Em nossa opinião, as contas resumidas estão de acordo com as demonstrações financeiras atrás referidas das quais elas resultaram.

Para uma melhor compreensão da posição financeira e dos resultados das operações da Sucursal, durante o exercício, as contas resumidas devem ser analisadas em conjunto com as correspondentes demonstrações financeiras auditadas do ano.

KPMG.

Macau, aos 16 de Maio de 2006.


BANCO SENG HENG, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005 (Consolidado)

MOP

MOP

Nota: Fizeram parte de outras reservas as provisões genéricas requeridas no Aviso n.º 18/93-AMCM no montante total de MOP 72.420.924,00.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2005

Conta de exploração (Consolidado)

MOP

Conta de lucros e perdas (Consolidado)

MOP

Huen Wing Ming, Patrick Bao King To, Raymond
Administrador Executivo e Gestor Principal Sub Gerente Geral-Financeiro de Administração 

BANCO SENG HENG, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005

MOP

MOP

Nota: Fizeram parte de outras reservas as provisões genéricas requeridas no Aviso n.º 18/93-AMCM no montante total de MOP 72.420.924,00.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2005

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Huen Wing Ming, Patrick Bao King To, Raymond
Administrador Executivo e Gestor Principal Sub Gerente Geral-Financeiro de Administração 

Sumário do relatório de actividade

O Conselho de Administração tem grande prazer em publicar o relatório de actividades do ano de 2005 e o relatório das contas já auditadas. O lucro alcançado nesse ano foi calculado em duzentos e quarenta e três milhões de patacas, um recorde que este Banco nunca antes tinha conseguido, tendo sido registada uma taxa de crescimento na ordem de 42%, um crescimento muito significativo em relação ao ano de 2004. No ano em análise, registou-se também um crescimento muito significativo do total de créditos concedidos, os seus valores somados totalizaram sete mil e quinhentos milhões de patacas, sendo o valor da taxa de crescimento calculado em 54%. No que respeita ao valor de depósitos dos clientes, este foi apurado em dezanove mil e quinhentos milhões de patacas, com uma taxa de crescimento avaliada em 8%. Proporcionalmente, o activo global deste Banco foi também aumentado à taxa de 10%, sendo o seu total calculado em vinte e um mil e quinhentos milhões de patacas. O relatório das contas já auditadas foi elaborado de acordo com os termos estipulados nas «Normas Internacionais de Relatório Financeiro». Mesmo com reforço de aumento das provisões previsto no «Regime Jurídico do Sistema Financeiro», o lucro alcançado por este Banco no ano transacto foi apurado em duzentos e dezasseis milhões de patacas, com uma taxa de crescimento de 26% em relação ao lucro apurado no ano de 2004.

No ano passado, foi o Banco Seng Heng premiado em 5 anos consecutivos pela publicação periódica «Banker» editada pelo Grupo de «Financial Times» com o Prémio Anual Atribuído ao Banco em Macau. Igualmente, no ano de 2005, foi o Banco Seng Heng classificado pela revista de nome «Global Finance», publicada em Nova Iorque, como Melhor Banco em Macau, sucessiva atribuição de prémio e elogio pelas publicações estrangeiras de prestígio, reafirma o mérito de trabalhos e o espírito de agressividade concebido por este Banco, o que foi conseguido graças ao apoio dos clientes e ao empenho e dedicação de todo o pessoal deste Banco.

Perante esses resultados positivos, o Banco Seng Heng não se esqueceu da sua obrigação social, dado que esta faz parte também da sua meta estratégica. Foi fundada no mês de Janeiro do ano passado a «Fundação Dr. Stanley Ho para o Desenvolvimento da Medicina», tendo por objectivo promover, desenvolver e financiar as diversas actividades que visam melhorar a qualidade do serviço higiénico e sanitário de Macau e da China, além de proporcionar aos profissionais do sector da saúde pública maior oportunidade de acesso ao treino e formação profissional. Além disso, a referida Fundação tem vindo a afectar maior recurso a Macau e contribuir o seu préstimo para a colaboração entre as instituições oficiais e privadas de saúde pública.

Tem-se registado a subida constante das actividades do Banco Seng Heng ao longo dos anos, estando o seu desenvolvimento assente numa base sólida e saudável com que serve a população local. Actualmente, a economia de Macau está numa fase em que se verifica o fenómeno de interacção entre o desenvolvimento e o ajustamento estrutural, assim, na medida em que se vai dar impulso à diversificação proporcional dos diversos sectores de produção e construir a plataforma de serviço da região onde se insere Macau, este Banco está empenhado activamente nos trabalhos preparativos de criação de um «Centro de Tecnologia e Gestão de Riqueza de Macau», o primeiro deste género em Macau, na perspectiva de dispor a Região Administrativa Especial de Macau de um centro de inteligência dotado de equipamentos em uso nas áreas de informática perfeita e de comunicação, é de esperar que, através do qual, venha oferecer às instituições financeiras, sociedades com tecnologia nova e sofisticada e empresas multinacionais as vantagens de técnicas digitalizadas. Nessa ordem de ideias, o Banco Seng Heng vai fazer o necessário esforço para transformar o mesmo centro num centro de actividades com capacidade de granjear a transferência de conhecimento financeiro e tecnológico, de tal forma a dar o seu apoio à iniciativa de impulsionar a cooperação entre Macau, o delta de Zhujiang e a região ocidental da Província de Guangdong.

Sem combinar com o Governo da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM), há muita semelhança entre a ideia e a missão concebidas por este Banco para o «Centro de Tecnologia e Gestão de Riqueza de Macau» e aquelas que foram concebidas pelo Governo da RAEM, essa iniciativa do Banco visa colaborar activamente com o Governo da RAEM no impulsionamento de diversificação proporcional da economia de Macau, fazendo mobilizar os comerciantes de Macau e os investidores do exterior que venham investir em Zhuhai, o delta de Zhujiang e a região ocidental da Província de Guangdong. No que se refere à vantagem resultante de forte e duradoira vinculação com União Europeia e os países lusófonos, essa poderá ser ainda mais intensificada com a criação de tal «Centro de Tecnologia e Gestão de Riqueza de Macau», dado que as empresas chinesas poderão recorrer às facilidades que o referido Centro irá facultar para expandir o seu mercado ultramarino, com aproveitamento de oportunidade de que resulte a cooperação mútua a implementar no âmbito de uniformização económica. Por seu lado, Macau vai ficar igualmente beneficiado desse projecto, por poder integrar-se, da forma mais alargada, na China, indo contribuir, dando, assim, as suas contribuições ao País.

Macau, aos 24 de Março de 2006.
Stanley Ho,

O Presidente do Conselho de Administração e Administrador-delegado.

Parecer do Conselho Fiscal

Em conformidade com o art. 29.º al. e), dos Estatutos do Banco, o Conselho Fiscal apreciou o relatório e as contas do exercício de 2005 apresentados pelo Conselho de Administração. O Conselho Fiscal entende, com base nesta apreciação, que os referidos relatório e contas são correctos e estão em condições de ser remetidos à Assembleia Geral para apreciação e deliberação.

Macau, aos 28 de Março de 2006.

Chui Sai Cheong,
O Presidente do Conselho Fiscal.

Síntese do parecer dos auditores externos

A todos os accionistas do Banco Seng Heng, S.A.
(Uma sociedade anónima constituída e matriculada em Macau)

De acordo com as Normas Internacionais de Auditoria e Normas de Auditoria aprovadas pelo Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau n.º 23/2004 e as Normas Técnicas de Auditoria aprovadas pelo Secretário para a Economia e Finanças, este auditor já finalizou os trabalhos de auditoria do relatório anual das contas do Banco Seng Heng, S.A., findas no dia 31 de Dezembro de 2005, tendo o mesmo relatório sido elaborado com base nas Normas Internacionais de Relatório Financeiro. O mesmo auditor pronunciou opinião sem reservas, no dia 24 de Março de 2006, o seu parecer sobre o referido relatório das contas.

Efectuada a comparação do sumário do relatório das contas em anexo com o referido relatório das contas já auditadas, este auditor entendeu que era do dever dos administradores desse Banco a elaboração do sumário do relatório das contas.

No entendimento deste auditor, o sumário do relatório das contas em anexo está conforme ao referido relatório das contas já auditadas, excepto já foi deduzido da conta de lucros e perdas (consolidado) o valor total de vinte e seis milhões e oitocentas e dez mil, trezentas, sessenta e duas patacas correspondente ao valor de transferência das provisões reforçada nos termos do disposto no Regime Jurídico do Sistema Financeiro.

Macau, aos 24 de Março de 2006.

Ernst & Young Auditores.

Lista das instituições em que detenham participação superior a 5% do capital e respectivo valor percentual

Sociedade Financeira Seng Heng Capital Ásia, S.A.R.L. 100%
Sociedade Gestora de Fundos de Pensões Seng Heng, S.A. 100%
Seng Heng Development Company Limited
(Incorporado em Hong Kong)
100%
Millennium — Instituto de Educação, S.A. 20%
Authosis, Inc. (Incorporado em Cayman Islands) 11%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang, S.A.R.L. 6%

Lista dos accionistas qualificados

Sociedade de Turismo e Diversões de Macau, S.A.
Sr. Huen Wing Ming, Patrick

Órgãos sociais

Conselho de Administração

Dr. Ho Hung Sun, Stanley, G.B.S. Presidente e Administrador-Delegado
Dató Dr. Cheng Yu Tung Primeiro Vice-Presidente
Sr. Huen Wing Ming, Patrick Administrador Executivo
Dr. Yeung Chun Kam, Charles, J.P. Administrador
Dr. So Shu Fai, Ambrose Administrador
Prof. Ko Ping Keung, J.P. Administrador
(nomeado em 30 de Dezembro 2005)
Sr. Mak Ka Hing, Winston Administrador
Sr. Tse Andrew Edward Administrador
(aposentado em 31 de Março de 2005)
Dr. Ferreira Carlos Santos Administrador
(nomeado em 31 de Março de 2005 e aposentado em 30 de Setembro de 2005 )

Mesa da Assembleia

Sr. Lau Chi Kit, Edwin Presidente
Dr. So Shu Fai, Ambrose Vice-Presidente
Dr. Miguel Magalhães Queiroz Secretário
Sr. Cheung Yiu Mo, Paul Vice-Secretário

Conselho Fiscal

Sr. Chui Sai Cheong Presidente
Sra. Mok Ho Yuen Wing, Louise Vogal
Sr. Chung Kin Pong, Anthony Vogal

Secretário da Sociedade

Sr. Bao King To, Raymond

SOCIEDADE FINANCEIRA SENG HENG CAPITAL ÁSIA, S.A.R.L.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2005

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Huen Wing Ming, Patrick Bao King To, Raymond
Administrador Executivo e Gestor Principal O Chefe da Contabilidade

Sumário do relatório de actividade

O Conselho de Administração tem grande prazer em levar ao conhecimento do público o relatório de actividades do ano de 2005 e o relatório das contas já auditadas. O lucro alcançado no ano em apreço foi calculado em cinco milhões e quatrocentas mil patacas, tendo sido registado um significativo aumento de 50% em relação ao apurado no ano de 2004, proveniente principalmente das comissões cobradas pela prestação de serviço de gestão de investimento do activo dos clientes. Por seu lado, o activo dos accionistas foi igualmente aumentado para sessenta e sete milhões de patacas.

No ano passado, o valor global do activo dos clientes cuja gestão era confiada a esta Sociedade atingiu três mil e oitocentos milhões de patacas. De salientar, na vertente de gestão do valor das combinações de investimentos oriundos do Banco Seng Heng, S.A. e do «Seng Heng Pension Fund - Secured Income Fund», foi igualmente obtida a retribuição bastante satisfatória.

De futuro, esta Sociedade continuará a seleccionar, por conta dos clientes, investimento com retribuição mais são e firme, baseando no critério de selecção actualmente adoptado.

Macau, aos 24 de Março de 2006.

Stanley Ho,
O Presidente do Conselho de Administração e Administrador-delegado.

Parecer do Conselho Fiscal

Em conformidade com o art. 25.º, al. e), dos Estatutos da Sociedade, o Conselho Fiscal apreciou o relatório e as contas do exercício de 2005 apresentados pelo Conselho de Administração. O Conselho Fiscal entende, com base nesta apreciação, que os referidos relatório e contas são correctos e estão em condições de ser remetidos à Assembleia Geral para apreciação e deliberação.

Macau, aos 28 de Março de 2006.

Chui Sai Cheong,
O Presidente do Conselho Fiscal.

Síntese do parecer dos auditores externos

A todos os accionistas da Sociedade Financeira Seng Heng Capital Ásia, S.A.R.L.
(Uma sociedade anónima constituída e matriculada em Macau)

De acordo com as Normas Internacionais de Auditoria e Normas de Auditoria aprovadas pelo Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau n.º 23/2004 e as Normas Técnicas de Auditoria aprovadas pelo Secretário para a Economia e Finanças, este auditor já finalizou os trabalhos de auditoria do relatório anual das contas da Sociedade Financeira Seng Heng Capital Ásia, S.A.R.L., findas no dia 31 de Dezembro de 2005, tendo o mesmo relatório sido elaborado com base nas Normas Internacionais de Relatório Financeiro. O mesmo auditor pronunciou opinião sem reservas, no dia 24 de Março de 2006 o seu parecer sobre o referido relatório das contas.

Efectuada a comparação do sumário do relatório das contas em anexo com o referido relatório das contas já auditadas, este auditor entendeu que era do dever dos administradores dessa Sociedade a elaboração do sumário do relatório das contas.

No entendimento deste auditor, o sumário do relatório das contas em anexo está conforme ao referido relatório das contas já auditadas.

Macau, aos 24 de Março de 2006.

Ernst & Young Auditores.

Lista das instituições em que detenham participação superior a 5% do capital e respectivo valor percentual

Não

Lista dos accionistas qualificados

Banco Seng Heng, S.A.

Órgãos Sociais

Conselho de Administração

Dr. Ho Hung Sun, Stanley, G.B.S. Presidente e Administrador-Delegado
Sr. Huen Wing Ming, Patrick Administrador Executivo
Dr. So Shu Fai, Ambrose Administrador

Mesa da Assembleia

Dr. So Shu Fai, Ambrose Presidente
Sr. Mak Ka Hing, Winston Vice-Presidente
Sr. Bao King To, Raymond Secretário

Conselho Fiscal

Sr. Chui Sai Cheong Presidente
Sr. Cheung Yiu Mo, Paul Vogal
Sr. Cheng Wing Fai, Patrick Vogal

Secretário da Sociedade

Sr. Bao King To, Raymond

SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE PENSÕES SENG HENG, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2005

MOP

Conta de exploração do exercício de 2005

MOP

Conta de ganhos e perdas do exercício de 2005

MOP

Huen Wing Ming, Patrick Bao King To, Raymond
Administrador Executivo e Gestor Principal O Chefe da Contabilidade

Sumário do relatório de actividade

Com grande satisfação, o Conselho de Administração vai levar ao conhecimento do público o relatório de actividades do ano de 2005 e o relatório das contas já auditadas. O lucro alcançado no ano em análise foi calculado em setecentas e vinte mil patacas, tendo sido registado um aumento de 38% em relação ao apurado no ano de 2004, proveniente principalmente do rendimento pela gestão de fundo e da receita de juros. Por seu lado, o activo dos accionistas foi igualmente aumentado para trinta e um milhões de patacas.

O valor de praça do «Seng Heng Pension Fund — Secured Income Fund», cuja gestão era confiada a esta Sociedade já ultrapassou cento e trinta milhões de patacas, as contribuições acumuladas para efeitos de aposentação tiveram no ano de 2005 um aumento de 27%, sendo a taxa de retribuições acumuladas apurada em 10%.

Esta Sociedade já pôs em execução os acordos celebrados com várias sociedades comerciais, dando início à gestão do fundo de aposentação do pessoal ao serviço das sociedades contribuintes. Prevê-se que o valor de praça do «Seng Heng Pension Fund — Secured Income Fund» haja um aumento de dois dígitos no corrente ano.

Macau, aos 24 de Março de 2006.

Stanley Ho,
O Presidente do Conselho de Administração e Administrador-delegado.

Parecer do Conselho Fiscal

Em conformidade com o art. 25.º, al. e), dos Estatutos da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões Seng Heng, S.A., o Conselho Fiscal apreciou o relatório e as contas do exercício de 2005 apresentados pelo Conselho de Administração. O Conselho Fiscal entende, com base nesta apreciação, que os referidos relatório e contas são correctos e estão em condições de ser remetidos à Assembleia Geral para apreciação e deliberação.

Macau, aos 28 de Março de 2006.

Chui Sai Cheong,
O Presidente do Conselho Fiscal.

Síntese do parecer dos auditores externos

A todos os accionistas da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões Seng Heng, S.A.
(Uma sociedade anónima constituída e matriculada em Macau)

De acordo com as Normas Internacionais de Auditoria e Normas de Auditoria aprovadas pelo Chefe do Executivo da Região Administrativa Especial de Macau n.º 23/2004 e as Normas Técnicas de Auditoria aprovadas pelo Secretário para a Economia e Finanças, este auditor já finalizou os trabalhos de auditoria do relatório anual das contas da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões Seng Heng, S.A., findas no dia 31 de Dezembro de 2005, tendo o mesmo relatório sido elaborado com base nas Normas Internacionais de Relatório Financeiro. O mesmo auditor pronunciou opinião sem reservas, no dia 24 de Março de 2006, o seu parecer sobre o referido relatório das contas.

Efectuada a comparação do sumário do relatório das contas em anexo com o referido relatório das contas já auditadas, este auditor entendeu que era do dever dos administradores dessa Sociedade a elaboração do sumário do relatório das contas.

No entendimento deste auditor, o sumário do relatório das contas em anexo está conforme ao referido relatório das contas já auditadas.

Macau, aos 24 de Março de 2006.

Ernst & Young Auditores.

Lista das instituições em que detenham participação superior a 5% do capital e respectivo valor percentual

Não

Lista dos accionistas qualificados Acções Percentagem
Banco Seng Heng, S.A. 30 000 100%

Órgãos das Sociedades

Conselho de Administração

Dr. Ho Hung Sun, Stanley, G.B.S. Presidente e Administrador-Delegado
Sr. Huen Wing Ming, Patrick Administrador Executivo
Sr. Cheung Yiu Mo, Paul Administrador

Mesa da Assembleia

Sr. Li Chin Hung, Alex Presidente
Sr. Bao King To, Raymond Secretário

Conselho Fiscal

Sr. Chui Sai Cheong Presidente
Sr. So Yu Keung Vogal
Sr. Leung Yu Wah, Christopher Vogal

Secretário da Sociedade

Sr. Bao King To, Raymond


澳門國際機場專營股份有限公司

二零零五年度業務簡報

澳門國際機場專營股份有限公司在過去十年致力於推動澳門民航和物流事業的發展;透過專業的隊伍、進取的營運策略和對機場正確的定位,去年機場創造了營運十年來最好業績,全年接待的總乘客量達四百二十五萬人次,處理的貨運量為二十二萬七千噸,飛機起降架次為四萬五千架次。去年總營運收入達到澳門幣肆億捌仟 叁佰萬元,較二零零四年增長百分之十四,減去營運開支後盈利達澳門幣壹億叁仟萬元,但扣除財務及折舊成本後仍然錄得壹億貳仟捌佰萬元虧損。主要由於機場經營成本上升,分專營公司成本上漲,債務利息不斷攀升及其他不可抗力原因等導致開支成本增加。去年機場營運收入比零四年增長百分之十四,反映機場盈利能力正提高,整體表現持續向好。

展望未來,澳門國際機場今年目標是希望使客運量及貨運量增長百分之七及百分之三。為達到此目標,澳門國際機場將從以下幾方面增加運量:一、配合澳門旅遊博彩業的發展,推動基地航空公司長程航線的開拓及引入更多低成本航空公司飛澳;二、繼續擴大全貨機比例,提升貨運效能,促進澳門物流業的發展;三、支持公務機業務的開展,興建新公務機機庫,以回應澳門旅遊業、會展業以及逐漸頻繁的商務往來的需求;四、支持基地航空公司開闢更多的內地航線和區域航線;五、配合兩岸三地的航空公司發展中轉業務。澳門國際機場將為澳門的經濟及旅遊娛樂事業的發展作出更大的貢獻。

在此衷心感謝澳門特區政府和股東們的全力支持,以及所有機場工作人員的付出和努力,使澳門國際機場在嚴峻的競爭環境中邁進了重要的一步。

鄧軍
董事局及執行委員會主席

二零零六年三月

截至二零零五年十二月三十一日之損益表

(澳門元)

截至二零零五年十二月三十一日之資產負債表

(澳門元)

監 事 會 報 告 書

各位股東:

監事會根據澳門國際機場專營股份有限公司(以下簡稱“本公司”)之公司章程第二十七條規定及賦予的權力,與董事局一直保持著緊密的聯繫,監察本公司的管理和業務發展。

本監事會已分析及審閱董事局所提交之二零零五年度業務報告書,以及經畢馬威會計師事務所查核認證之資產負債表、損益表、股東權益變動表、現金流量表及其他帳目文件。

經本監事會審查後認為董事局的業務報告書和財務報表均能清楚說明本公司在過去一年的經營狀況及正確反映出截至二零零五年十二月三十一日的財務狀況。有鑑於此,本監事會建議通過:

1. 二零零五年度會計帳目。

2. 董事局所提交的二零零五年度業務報告書。

澳門,二零零六年三月

監事會
劉國彬先生
Mr. Joaquim Francisco de Campos Adelino
蘇樹輝先生

核數師報告

致 澳門國際機場專營股份有限公司股東

本核數師已根據國際審計準則審核澳門國際機場專營股份有限公司截至二零零五年十二月三十一日止年度的財務報表,並在二零零六年三月三十日就該財務報表發表了無保留意見的報告。

依本核數師意見,隨附基於上述財務報表編制的帳項概要與上述財務報表相符。

為更全面了解該公司於年度間的財務狀況及經營業績,帳項概要應與相關的經審計年度財務報表一併參閱。

畢馬威會計師事務所

二零零六年三月三十日於澳門


    

Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
Get Adobe Reader