Número 22
II
SÉRIE

Quarta-feira, 28 de Maio de 2014

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

      Anúncios notariais e outros

第 一 公 證 署

證 明

亞洲(澳門)人力資本發展學會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月十六日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號104/2014。

亞洲(澳門)人力資本發展學會章程

第一章

會名、會址和宗旨

第一條——本會定名為「亞洲(澳門)人力資本發展學會」,英文名為「Asia (Macau) Society of Human Capital Development」。

第二條——會址暫設於澳門荷蘭園大馬路32號H通發大廈地下AD座。經理事會決議,會址可遷往澳門任何地點。

第三條——宗旨:人力資本發展是企業可持續發展文化的支柱之一的關鍵。本會的宗旨是:致力於澳門企業機構人員的培育,使之成為專業人才並為世界公民,為社會發展作貢獻;開展、組織、舉辦及參與有關學術與文化活動、促進與相關專業團體之溝通和合作;維護會員合法之權益、聯絡會員之感情,為本澳各大中小企業提供人才資本發展服務。

第二章

會員

第四條——會員資格:

會員分為基本會員、公司會員和榮譽會員,凡認同本會章程者,經申請獲理事會批准後,方成為基本會員;以公司名義,經申請獲理事會批准後,方成為公司會員;榮譽會員由理事會決議通過,邀請社會人士出任。

第五條——會員權利及義務:

1)出席會員大會、提出意見或建議;

2)選舉權及被選舉權賦予具備不少於兩年會員資格的會員;

3)參與及協助本會舉辦之任何活動;

4)遵守本會章程及會員大會之決議;

5)未經理事會同意,不得以本會名義參加任何組織的活動;

6)凡違反本會章程,損害其聲譽或利益,經理事會決議,可取消其會員資格;

7)退會行為必須以書面方式向理事會提出。

第三章

組織

第六條——本會權力機構包括會員大會、理事會及監事會,會員大會為本會最高權力機構。

第七條——本會權力機構成員由會員大會選舉產生,任期三年,可連選連任,同時本會創會會員為本會權力機構的當然成員;創會會員是在社團設立行為中有簽署相關文件的會員。

第八條——會員大會:

1)會員大會主席團由一名會長、若干名副會長及一名總幹事組成;

2)全體會員大會每年舉行一次平常會議;

3)召開會員大會,必須最少提前八天,以掛號信或電子郵件簽收之方式召集,召集書內須列明會議的日期、時間、地點及議程;

4)會員大會會議需至少半數會員出席才可舉行,若不足規定人數,會議押後半小時舉行,屆時不論多少會員出席,均為有效會議;但法律另有規定者除外。

第九條——會員大會的職權:

1)制訂本會的活動方針;

2)審批修改本會章程,且須獲出席會員四分之三贊同票;解散法人,須獲全體會員四分之三贊成票;

3)審批理事會年度工作報告書和年度財政報告書。

第十條——理事會:

1)理事會由一名理事長、若干名副理事長及若干名理事組成,總人數須為單數;2)理事會的職權為:

a)根據會員大會制訂的方針,領導、管理和主持會務活動;

b)組織、策劃及安排本會之各項活動及招收會員;

c)製作年度工作報告書和財務報告書。

3)理事會平常會議由理事長負責召開,特別理事會議由理事長或理事會超過三分之二成員要求召開;

4)理事會得下設若干小組,以協助理事會推廣會務工作,成員由理事互選兼任。

第十一條——監事會:

1)監事會由一名監事長、若干名副監事長及若干名監事組成,總人數須為單數;2)監事會的職權為:

a)監督本會理事會之運作;

b)審核本會財政賬目;

c)就其監察活動編製年度報告;

d)履行法律及章程規定之其他義務。

3)監事會平常會議每年舉行一次,由監事長召開,特別會議由監事長或監事會超過三分二成員要求召開。

第十二條——經理事會提名及認為符合條件,得聘請社會知名人士擔任本會榮譽會長、名譽會長或顧問,以指導本會工作,任期不可超越該屆理事會任期。

第四章

財政

第十三條——本會的經費來源如下:

1)會員繳交之會費;

2)學術研究的資助;

3)自願捐獻;

4)私人或商業機構之贊助;

5)政府機構資助。

第五章

章程修改和解釋

第十四條——本章程解釋權屬會員大會。本會章程經會員大會通過生效,如有未盡事宜,得由理、監事會聯會修訂,提請會員大會議決。

第六章

解散

第十五條——若理事會成員一致認為本會不能維持正常運作,可考慮提出解散本會,但必須獲得四分之三有會員資格的會員通過。

第十六條——若決定解散本會,本會餘下之所有資產將捐贈慈善組織或非牟利機構,但必須獲得四分之三有會員資格的會員通過。

二零一四年五月十六日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

恒善國際慈善會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月二十二日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號110/2014。

恒善國際慈善會章程

第一章

總則

第一條

(名稱)

本會中文名稱:“恒善國際慈善會”;英文名稱:“Eternal Benevolence International Charity Association”。

第二條

(會址)

1. 本會會址設於澳門冼星海大馬路105號金龍中心10樓M;

2. 經本會理事會之決議,本會會址可遷至本澳任何地方。

第三條

(開始運作及存續期)

本會自註冊成立之日起開始運作,是永久性社團組織。

第四條

(宗旨)

本會是一個非牟利社團,宗旨是愛國愛澳,團結青年,恒作善業。

第五條

(收入)

本會之收入來源主要為:

1. 會員繳納之入會費及年費;

2. 熱心人士捐獻。

第二章

會員

第六條

(入會資格及數目)

1. 凡認同本會宗旨的任何人士,均可以書面方式向本會理事會提出申請,待得到本會理事會批准後,即成為本會會員;

2. 本會會員數目不設上限。

第七條

(權利與義務)

本會會員均享有及須履行下列之權利與義務:

1. 參加會員大會、投票、選舉及被選舉;

2. 參與本會之活動,使用本會之設施;

3. 享有由會員大會、理事會、監事會或本會內部規章所賦予之其他權利;

4. 會員必須繳交會費,如逾期半年不交會費者,則停止一切福利及權利享受。

第八條

(退出及除名)

1. 若自行退出本會,有關申請應提前最少一個月以書面形式向本會理事會提出;

2. 理事會得以合理理由行使解除權撤銷會員之會籍及其職務。

第三章

機關及其權限

第九條

(法人之機關)

本會之機關包括:

1. 會員大會;

2. 理事會;

3. 監事會。

第四章

會員大會

第十條

(大會)

會員大會為本會之最高權力機關。凡法律或章程並未規定屬社團其他機構職責範圍之事宜,大會均有權限作出決議。

第十一條

(權限)

會員大會尤其擁有以下權限:

1. 獲出席會員大會會議之會員四分之三贊同票得修改章程之決議;

2. 選舉會員大會主席團、理事會及監事會成員及其解任;

3. 通過資產負債表;

4. 獲全體會員四分之三之贊同票得解散本會;

5. 對理事會成員在執行職務時所作出之事實而向該等成員提起訴訟所需之許可。

第十二條

(組成及運作)

1. 會員大會主席團設會長一名及副會長若干名,由會長作為會員大會之會議主持;

2. 上款之據位人均由出席會員大會會議之會員以一人一票方式選出,任期為二年,連選得連任;

3. 會員大會每年舉行一次會議,即年會,經理事會議決或經超過半數之會員提出要求時,亦可舉行特別會議;

4. 會員大會是透過掛號信或簽收方式召集,但必須最少提前八日為之,而召集書須載明會議日期、時間、地點及議程;

5. 會員大會決議應載於會議紀錄簿冊內,以供會員查閱。

第五章

理事會

第十三條

(組成及運作)

1. 理事會是本會之行政管理機關,成員人數為五人或以上組成,永遠是單數;

2. 理事會成員由會員大會選出,任期為二年,連選得連任;

3. 理事會設理事長一名,秘書長一名,財務長一名,副理事長及理事若干名;

4. 每位理事會成員均擁有投票權,決議以多數票作出;

5. 理事會每次會議應作成會議紀錄,並載於簿冊內,以供查閱。

第十四條

(權限)

理事會負責管理本會日常事務,尤其有權限:

1. 貫徹本會宗旨,推動及執行會務工作;

2. 確保本會之管理及運作;

3. 聘請榮譽會長、名譽會長、榮譽顧問、名譽顧問及顧問以促進本會宗旨;

4. 編制工作報告及年度帳目,並將之提交會員大會審議;

5. 執行會員大會所作之決議;

6. 審議會員資格及退會申請,調整會費;

7. 理事會得行使法律或本會章程所規定之其他權限。

第十五條

(理事長之權限)

1. 對外代表本會;

2. 領導本會之各項行政工作;

3. 召集和主持理事會會議;

4. 根據會議紀錄之決議,簽署任何對外有法律效力及約束性之文件;

5. 開具支票及本會銀行戶口之運作具體方式由理事會決議。

第六章

監事會

第十六條

(組成及運作)

1. 監事會是本會之監察機關,成員人數為三人或以上組成,永遠是單數;

2. 監事會成員由會員大會選出,任期為二年,連選得連任;

3. 監事會設監事長一名,負責領導工作,另設副監事長及監事若干名;

4. 監事會得要求理事會提供必要或適當之資源及方法,以履行其職務;

5. 監事會之會議紀錄應載予簿冊內,以供查閱;

6. 審議理事會所提交之工作報告及年度帳目。

第十七條

(權限)

監事會有權:

1. 對理事會成員執行本會章程進行監督;

2. 稽核監察理事會之帳目;

3. 就理事會所提交之工作報告書及年度帳目發表意見;

4. 履行法律及章程所載之其他義務。

第七章

候補規定

第十八條

(候補法律)

本章程未作規定者,概由本澳現行有關社團法人之有關規定補充。

二零一四年五月二十二日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

澳門新會司前商會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月二十日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號107/2014。

澳門新會司前商會章程

第一章

總則

第一條——本會中文名稱為:“澳門新會司前商會”;

葡文名稱為:“Associação de Comércio de Xin Hui Si Qian de Macau”;

英文名稱為:“Macao Xin Hui Si Qian of Commerce Association”。

第二條——本會為非牟利商會組織,宗旨為跨國家、地區的民間商業團體,聯絡澳門及國內外會展業、貿易,促進行業交流合作,拓展會展業市場,繁榮社會,為推動發展澳門會展業而努力。

第三條——本會會址設於澳門馬統領街32號廠商會大廈一樓B室。在需要時經理事會決議可遷往本澳其他地方。

第二章

會員

第四條——會員資格:本會會員分為企業會員和個人會員。凡本澳的企業單位、企業單位僱主及工商界人士贊成本會宗旨,熱心參與促進國內外新會司前鎮鄉親與澳門間之經濟合作、交流,經創會會員推薦,並獲理事會批准可成為本會會員。

第五條——會員之權利為:

一、出席會員大會參與討論及表決會務;

二、選舉與被選舉權;

三、協助及參與本會舉辦的一切活動。

第六條——會員之義務為:

一、擁護本會章程;

二、遵守並執行會員大會和理事會的決議;

三、參與和支持本會工作;

四、如被選為領導機構成員,須履行任內的職責;

五、繳納會費;

六、會員如有嚴重違反本會章程和不履行會員義務的行為,經理事會表決通 過,予以除名。

第三章

組織

第七條——本會領導機構為:會員大會、理事會和監事會。

第八條——本會最高權力機構為會員大會,負責制定或修改會章;選舉會員大會主席團和理事會、監事會成員;決定會務方針;審查和批准理事會工作報告。

第九條——會員大會主席團設主席一人、副主席若干人、秘書一人。人數三人或以上,總人數須為單數。

第十條——本會執行機構為理事會,設理事長一人,副理事長、理事若干人,負責執行會員大會決策和日常具體會務。人數三人或以上,總人數須為單數。

第十一條——本會監察機構為監事會,設監事長一人,副監事長、監事若干人,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。人數三人或以上,總人數須為單數。

第十二條——會員大會主席、副主席、秘書及理事會、監事會成員由會員大會選舉產生,任期三年,連選得連任。

第四章

會議

第十三條——會員大會每年舉行一次,大會之召集須最少提前八日以掛號信方式,或透過簽收之方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程;如遇重大或特別事項得召開特別會員大會。會員大會須有半數以上會員出席,如法定人數不足,則於超過通知書上指定時間三十分鐘後作第二次召集,屆時不論出席人數多寡,會員大會均得開會。決議取決於絕對多數票。

第十四條——理事會議、監事會議至少每六個月召開一次。

第十五條——會員大會、理事會會議、監事會會議分別由會員大會主席、理事長、監事長召集和主持。

第十六條——理、監事會議須經半數以上理、監事出席,並經出席人數半數以上同意,始得通過決議。

第五章

經費

第十七條——本會經費來源如下:

一、會費;

二、社會熱心人士及企業捐助;

三、政府機構及其他社會團體資助。

第六章

附則

第十八條——本章程經會員大會通過後執行。

第十九條——本章程之修改權屬於會員大會,修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會或延長本會存續期的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第二十條——本章程未盡事宜概依澳門現行法例執行。

二零一四年五月二十日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

澳門新會司前同鄉會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月二十日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號108/2014。

澳門新會司前同鄉會

章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會中文名稱為“澳門新會司前同鄉會”,葡文名稱為“Associação dos Conterrâneos de Xin Hui Si Qian em Macau”,英文名稱為“Macau Xin Hui Si Qian Natives Association”。以下簡稱為“本會”。

第二條

會址

本會會址設於澳門馬統領街32號廠商會大廈一樓B室。

第三條

宗旨

本會乃非牟利組織,宗旨以熱愛祖國、熱愛家鄉,加強澳門及海外新會司前鄉親的團結,聯絡鄉誼,促進新會司前鎮與澳門及海外的交往與合作,共謀發展。積極推動工商、經濟、文化、體育及參與公益事業,支持澳門特別行政區政府依法施政,為新會司前鎮與澳門的發展與繁榮作出貢獻。

第四條

會員

一、凡贊同本會章程的宗旨並符合本會所訂標準的任何具行為能力的自然人,經理事會批准均可成為本會會員。

二、本會會員享有選舉權、被選權及退會權,亦有權出席會員大會,享有本會提供的福利和參與本會舉辦的一切活動。

三、本會會員須按時繳交由會員大會所訂定之入會費及會費。

四、本會會員有遵守本會章程及本會決議的義務。

第二章

組織機構

第五條

社團機構

本會組織機構由會員大會、理事會及監事會組成。

第一節

會員大會

第六條

大會主席團

一、會員大會主席團是本會最高權力機構。

二、會員大會主席團設會長一名,副會長若干名及秘書。

三、本會通過會員大會選舉產生大會主席團、理事會及監事會成員,每屆任期三年,可連選連任。

第七條

權限

一、討論及通過本會之活動計劃;

二、選出及開除社團機關之成員;

三、審議並表決由理事會編製之年度報告及營運帳目,以及監事會之意見書;

四、修改章程;

五、會員除名;

六、決議本會之解散;

七、宣告理事會或監事會任何成員任期之失效;

八、核准月費及入會費之金額;

九、對理事會或監事會向其提出之任何事宜作出決議。

第八條

會議

一、會員大會至少每年舉行一次平常會議。

二、會員大會由其主席、理事會、監事會或最少十名會員要求下,得召開特別大會。

三、修改本會章程的決議,須獲出席會員四分之三贊同票方為有效。

四、解散本會之決議,須獲全體會員之四分之三贊同票方為有效。

第九條

召集

一、會員大會之召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收之方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。

第十條

運作

一、如在原定時間經過一小時後,出席之會員數目仍未達致所需之人數,且在召集書中無定出另一日期,則視為已召集另一次會議,於同一地點及同一時間舉行;在第二次會議中,任何數目之會員之出席,均被視為有效地召集。

二、會員大會的決議須出席會員絕對多數的贊同票通過,但章程另有規定者除外。

第二節

理事會

第十一條

組成

一、本會設有理事會,由一名理事長、副理事長和理事若干名。

二、理事會由會員大會選出的會員組成,但組成的人數必須為單數。

三、理事會之決議以多數票為之。

第十二條

權限

一、執行會員代表大會決議;

二、向會員代表大會報告會務工作及提出建議;

三、確保本會之運作,以及為貫徹本會之宗旨而執行活動計劃;

四、履行由法律及本章程賦予之其他職能;

五、代表本會;

六、根據章程召開會員代表大會。

第三節

監事會

第十三條

組成

一、本會設有監事會,由一名監事長及兩名監事組成。

二、監事會任期之開始與終止,應與理事會成員所規定者一致。

三、監事會之決議以多數票為之。

第十四條

權限

一、監察會員大會決議的執行;

二、監察各項會務工作的進展;

三、向理事會提出建議和批評;

四、對有關年度報告及帳目制訂意見書,提交會員代表大會;

五、監事會成員不可代表本會對外作出行為或發表意見。

第三章

經費

第十五條

來源

一、本會經費及財政收入來自會員入會費、會費、本會舉辦活動的收入、本會資產所衍生的孳息、第三者給予的贊助、不附帶任何條件的捐獻以及任何公共或私人機構、實體給予的資助等等。

第四章

附則

一、本章程經會員大會通過後生效。

二、本章的解釋權屬於本理事會。

二零一四年五月二十日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門圓定慈惠堂

為公佈之目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一四年五月十三日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為153號。該設立章程文本如下:

澳門圓定慈惠堂

章程

第一章

名稱、會址、及宗旨

第一條

(名稱)

本會定名為“澳門圓定慈惠堂”;葡文名稱為“Associação Yuan Ding Ci Hui Tang Macau”;及英文名稱為“Yuan Ding Ci Hui Tang Macau Association”(以下簡稱“本會”),是一個非牟利社團,並受本章程及本澳適用於法人現行法例管轄。

第二條

(會址)

一、本會會址設於澳門南灣大馬路六十三號恒昌大廈十五樓E座單位;

二、經本會理事會的決議,本會會址可遷至本澳任何地方。

第三條

(開始運作及存續期)

本會自註冊成立之日起開始運作,是永久性社團組織。

第四條

(宗旨)

本會為非牟利性質之慈善團體,宗旨為大力推展宗教文化教育,積極推動社教工作,發揮宗教教化功能、以期淨化人心,匡正社會道德風尚。

第五條

(工作列舉)

為貫徹上述目標,本會尤其會推行以下工作:

1. 修習及推廣道教文化,包括科儀、經懺、道教音樂等等;

2. 與世界各地的宗教團體交流,參與符合本堂宗旨的各種有意義的活動;

3. 積極參與社會慈善公益事業。

第六條

(經費)

本會的經費來源如下:

1. 會員入會費及年費,具體徵收金額及辦法由理事會訂定;

2. 本會開展各項活動的各種收入;

3. 歷年滾存基金的利息收入;

4. 本會接受符合本會宗旨的政府機關、各界人士及機構給予的贊助、資助、津貼及捐贈。

第二章

會員

第七條

(入會資格及數目)

一、凡有意加入本會之人士,均可以書面方式向本會理事會提出申請,待得到本會理事會批准後,即成為本會會員;

二、本會會員數目不設上限。

第八條

(權利)

本會會員均享有下列權利:

1. 參加會員大會、投票、選舉及被選;

2. 參與本會的活動、使用本會的設施;

3. 享有由會員大會、理事會、監事會或本會內部規章所賦予的其他權利。

第九條

(義務)

會員之義務為:

1. 遵守本會章程、內部規章及決議;

2. 出任被選出或受委任的職位;

3. 支付入會費、年費及其他由本會有權限的組織所核准之負擔。

第十條

(退出及除名)

一、若自行退出本會,有關申請應提前最少一個月以書面形式向本會理事會提出;

二、會員若在其行為上表現出不遵守本會所依循的原則,尤其是違反章程中的責任,可被撤消會籍;

三、撤消會籍是本會理事會的權限;

四、若因發生屬違反責任之輕微事件,可以暫停會籍來取代第二款所規定的處分,期間長短由本會理事會決定。

第三章

機關及其權限

第十一條

(法人的機關)

本會的機關包括:

1. 會員大會;

2. 理事會;

3. 監事會。

第四章

會員大會

第十二條

(大會)

會員大會為本會的最高權力機關,凡法律或章程並未規定屬社團其他機關職責範圍之事宜,大會均有權限作出決議。

第十三條

(列舉)

會員大會尤其擁有以下權限:

1. 通過、修訂和更改本會章程;

2. 選舉會員大會主席團成員、理事會及監事會成員及將其解任;

3. 通過資產負債表;

4. 解散本會;

5. 對理事會成員在執行職務時所作出的事實而向該等成員提起訴訟時所需的許可。

第十四條

(運作)

一、會員大會每年舉行一次會議,即年會;

二、經理事會議決或經超過半數的會員提出要求時,亦可舉行特別會議;

三、會員大會是透過掛號信或簽收方式召集,但必須最少提前八日為之。而召集書須載明會議日期、時間、地點及議程;

四、會員大會的決議應載於會議紀錄簿冊內,以供會員查閱。

第十五條

(會員大會主席團成員)

一、會員大會由大會主席團主持,並設主席團主席、主席團副主席及秘書各一人;

二、上款的據位人均由會員以一人一票方式選出;

三、會員大會主席團主席、主席團副主席及秘書任期為三年,連選得連任。

第五章

理事會

第十六條

(組成及運作)

一、理事會是本會的行政管理機關,成員人數為五至九人,永遠是單數;

二、理事會成員由會員大會選出,任期三年,連選得連任;

三、理事會設理事長一名、副理事長、司庫及理事若干名,負責領導理事會的日常工作;

四、每位理事會成員均擁有投票權,決議以多數票作出;

五、理事會每次會議應作成會議錄,並載於簿冊內,以供查閱。

第十七條

(權限)

理事會負責管理本會日常事務,尤其有權限:

1. 確保本會的管理及運作;

2. 計劃及舉辦本會每年度的慈善活動,作出預算,籌募活動所需的經費;

3. 編制工作報告及年度帳目,並將之提交會員大會審議;

4. 執行會員大會所作的決議;

5. 審議會員資格及退會申請;調整會費;

6. 理事會得行使法律或本會章程所規定的其他權限。

第十八條

(理事長的權限)

一、對外代表本會;

二、領導本會的各項行政工作;

三、召集和主持理事會會議。

第六章

監事會

第十九條

(組成及運作)

一、監事會是本會的監察機關,成員透過會員大會選出,任期三年,連選得連任;

二、監事會由三人組成,設監事長一名,負責領導工作,另設副監事長一名及秘書一名;

三、監事會得要求理事會提供必要或適當之資源及方法,以履行其職務;

四、監事會的會議紀錄應載予一專有簿冊內,以供查閱。

第二十條

(權限)

監事會有權:

1. 對理事會成員執行本會章程進行監督;

2. 稽核監察理事會的帳目;

3. 就理事會所提交的工作報告書及年度帳目發表意見;

4. 監事會須派員參加每一次理事會議;

5. 履行法律及章程所載的其他義務。

第七章

其他規定及候補規定

第二十一條

(內部規章)

本會設內部規章,訂定各機關成員的推選辦法,規範領導機關轄下的各部分組織、行政管理及財務運作細則和會員紀律制度等事項,有關條文由理事會提交會員大會通過後公佈執行。

第二十二條

(修改章程)

一、修改章程的決議,須獲出席社員四分之三之贊同票;

二、解散法人之決議,須獲全體社員四分之三之贊同票;

三、本會會章如有未盡善處,可由理事會提出修改議案,交由會員大會審議修改之。

第二十三條

(候補法律)

本章程未作規定者,概由本澳現行有關社團法人的有關規定補充。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

朗日體育會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一四年五月十五日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為155號。該設立章程文本如下:

朗日體育會

章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會名稱為“朗日體育會”。

第二條

宗旨

本會為非牟利團體,宗旨為推廣及發揚各項體育運動。

第三條

會址

本會會址設於澳門提督馬路41號祐適工業大廈1樓B座,經理事會通過可遷往本澳任何地方。

第二章

會員

第四條

會員資格

凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,均可申請為本會會員。經本會理事會批准後,便可成為會員。

第五條

會員權利及義務

(一)會員有選舉權及被選舉權,享有本會舉辦一切活動和福利的權利。

(二)會員有遵守會章和決議,以及繳交會費的義務。

第三章

組織機構

第六條

機構

本會組織機構包括會員大會、理事會、監事會。

第七條

會員大會

(一)會員大會為本會最高權力機構,負責制定或修改會章;選舉會員大會主席、副主席、秘書和理事會、監事會成員;決定會務方針;審查和批准理事會工作報告。

(二)會員大會設主席一名、副主席一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)會員大會每年舉行一次,至少提前八天透過掛號信或簽收之方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程,如遇重大或特別事項得召開特別會員大會。

(四)修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第八條

理事會

(一)理事會為本會的行政管理機構,負責執行會員大會決議和管理法人。

(二)理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長、副理事長各一名,理事若干。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)理事會議每三個月召開一次。會議在有過半數理事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第九條

監事會

(一)監事會為本會監察機構,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

(二)監事會由三名成員組成,設監事長、副監事長各一名,監事一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)監事會議每三個月召開一次。會議在有過半數監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第四章

經費

第十條

經費

本會經費源於會員會費或各界人士贊助,倘有不敷或特別需用款時,得由理事會決定籌募之。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門國際街舞會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一四年五月十六日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為159號。該設立章程文本如下:

澳門國際街舞會

章程

第一章

名稱、地址

第一條——中文名稱:“澳門國際街舞會”,中文簡稱:“澳國街舞會”,葡文名稱為“Associação Internacional de Dança de Rua de Macau”,英文名稱:“Macao International Street Dance Association”,英文簡稱:“MISDA”。

第二條——本會會址設於澳門賈伯樂提督街28號雅典大廈一樓A座。

第二章

宗旨

第三條——本會之宗旨:本會為非牟利團體,主要聯繫本澳街舞人士與國際街舞人士間的發展,加強本地舞者在國際間的參與度,提升其國際化;促進不同地方的街舞文化交流,提高活動素質,建立本地街舞文化的交流平台,透過舉辦不同類型的街舞活動促進街舞發展。

修章

第四條——本會章程若有未完善之處,得由理事會提出修改,經會員大會通過後修改之。

第三章

會員資格、權利及義務

第五條——本會會員資格:

(一)凡持有澳門身份證的本澳居民,不分性別,願意遵守本會會章者,均可申請加入成為會員。

(二)申請入會,須填寫入會申請表,繳交會費及一吋半正面近照兩張,經理事會批准方得成為正式會員。

(三)創會會員:為簽署本會的設文件的自然及法人;

(四)普通會員:為在本會設立之後根據法律及本章程規定加入本會之人士。

第六條——會員權利:

(一)選舉權及被選舉權;

(二)批評及建議之權;

(三)享有本會福利之權。

第七條——會員義務:

(一)遵守會章、執行會員大會及理事會的決議;

(二)努力達成本會宗旨和樹立本會聲譽;

(三)繳納入會會費。

第八條——會員欠交會費壹年或以上,經催收仍不繳交者,則作自動退會。

第九條——會員如有違反本會會章,破壞本會聲譽者,得由理事會視其情節輕重,分別予以勸告、警告或開除會籍之處分。

第四章

組織架構

第十條——本會組織機關包括會員大會、理事會及監事會。

第十一條——會員大會為本會最高權力機關,其職權如下:

(一)修改本會章程及內容規章;

(二)選舉理、監事會及各管理機構之人員;

(三)決定會務方針、任務及計劃;

(四)召開會員大會。

第十二條——本會設會長一人,對外代表本會,對內參與會務,領導本會。副會長若干人,負責協助會長執行本會工作;在會長缺席時,由副會長按序替補,代行其一切職務。

第十三條——理事會為本會執行機關,負責處理日常會務,理事會選出理事長一人、副理事長及理事若干人,總成員人數必須為單數。其職權如下:

(一)執行會員大會決議及推展會務工作;

(二)向會員大會報告工作及提出建議。

第十四條——監事會為本會監察機關,負責監察理事會日常會務和財政收支。設監事長一人,副監事長及監事若干人,總成員人數必為單數。

第十五條——會員大會每年最少召開一次,由會長召集,至少提前八天透過掛號信或簽收之方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程。理事會會議每兩個月召開一次,由理事長召集。理事長認為必要時,得召開臨時會議,會議須有半數以上理事會成員出席,決議方為有效。

第十六條——會員大會、理、監事會成員任期三年,每三年為一屆,連選得連任。

第十七條——修改章程之決議,須獲出席會員大會會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第五章

財政收入及其他

第十八條——接受團體或個人贊助及捐贈,政府資助及其他合法收入。

第十九條——會費作本會日常開支運作使用。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門咖啡會館

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一四年五月十五日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為156號。該設立章程文本如下:

澳門咖啡會館章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會定名為“澳門咖啡會館”,葡文名為“ Cafe Comunidade de Macau”,英文名為“ Cafe Community of Macau”。

第二條

會址

本會會址設於澳門景觀里21號興業樓4樓;經會員大會同意後,會址可遷移至澳門特別行政區內之任何地點。

第三條

宗旨

本會為非牟利機構,宗旨如下:

1. 聚集對咖啡有興趣之任何人;

2. 使不同社經地位之人士,均能享受咖啡帶來的樂趣;

3. 舉辦各式各樣有關咖啡的活動,從而提高及促進咖啡文化。

第二章

會員

第四條

會員資格

任何對咖啡有興趣之人士均可申請成為會員:必須填寫入會申請表,再經理事會批准,方可接納成為會員。

第五條

會員的權利

本會會員的權利如下:

1. 參與會員大會;

2. 選舉和參選擔任本會職務;

3. 參與由本會組織的活動;

4. 享受給予會員的福利。

第六條

會員的義務

本會會員的義務如下:

1. 必須遵守本會之章程,以及服從會員大會和理事會之決議案;

2. 提高本會名譽及推動會務;

3. 不得做出損害本會聲譽及利益之所有事;

4. 按期繳納本會之會費。

第七條

紀律程序

本會會員如違反其應遵義務或損害本會聲譽及利益,通過理事會議決及按其情節輕重可對其作出以下由輕至重的處分:

1. 口頭警告;

2. 書面譴責;

3. 賠償罰款;

4. 開除會籍。

第三章

組織機構

第八條

機構

本會組織機構包括會員大會、理事會、監事會。

第九條

會員大會

會員大會是本會最高的權力機構:

1. 會員大會設主席一名、副主席一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任;

2. 大會之召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程;

3. 會員大會的普通會議於每年召開一次;

4. 特別會議由理事會負責召開;

5. 會員大會的決議由絕對多數票通過;

6. 會員大會權限如下:

A. 確定本會之會務方針;

B. 選舉及彈劾理事會之成員;

C. 通過、修改本會章程,並解散本會;

D. 修改章程的決議,須獲出席社員四分之三之贊同票。解散本會或延長本會存續期之決議,須獲全體社員四分之三之贊同票。

第十條

理事會

1. 理事會每三年由會員大會選出,由不少於三人之單數成員組成,可連選連任。

2. 理事會的決議由絕對多數票贊成方能通過生效。

3. 理事會成員互選產生一名理事長。

4. 理事會的普通會議每三個月召開一次,當理事長認為有需要時得召開特別會議。

5. 理事會的職能:

A. 執行所有由會員大會通過的決議;

B. 管理會務和呈交工作報告;

C. 召集會員大會;

D. 代表本會。

第十一條

監事會

1. 監事會每三年由會員大會選出,得連任。

2. 監事會由三位成員組成,並互選監事長一名及監事二名。

3. 監事會的職權如下:

A. 審核會計帳目;

B. 監察理事會的所有行為;

C. 對理事會之每年財務及工作報告提出意見。

第四章

經費

第十二條

經費

澳門咖啡會館其經費之來源均來自任何形式的捐贈、贊助及會館成員所繳付的會費。倘若有不敷或特別需用款時,得理事會決定籌募之。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門恆善會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本已於二零一四年五月十五日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為157號。該設立章程文本如下:

澳門恆善會章程

第一章

名稱、宗旨及會址

第一條──名稱

中文名為“澳門恆善會”;

本會乃非牟利團體。

第二條──宗旨

本會宗旨為“鼓勵關注弱勢、團結社會力量、積極參與行善、推動公民成長”。

第三條──會址

澳門新口岸宋玉生廣場322-362號盛豐商業中心10樓D-1座。經理事會同意,本會會址可遷至澳門其他地方。

第二章

會員

第四條──入會

凡認同本會宗旨及願意遵守本會章程之成年人士,依手續填寫表格,繳納入會會費並獲理事會表決通過後,即可成為會員。

第五條──權利

1. 有權參加會員大會;

2. 有選舉權及被選舉權;

3. 參加本會舉辦之一切活動及享有本會一切福利及權利;

4. 有權對本會的會務提出批評和建議;

5. 有退會權。

第六條──義務

1. 遵守本會的章程;

2. 執行本會會員大會和理事會的決議;

3. 促進會員間之互助合作,積極參與,自強不息;

4. 繳納會費及其他應付之費用;

5. 不得作出任何有損害本會聲譽之行為。

第三章

組織及職權

第七條──會員大會

1. 本會的最高權力機構是會員大會。設有會長一名。會長兼任會員大會召集人,會員大會成員每屆任期為三年;

2. 有權修改本會章程;

3. 制定活動方針;

4. 審理理監事會之年度工作報告;

5. 每年召開一次平常會議,由會長或副會長召開。在必要情況下應理事會或不少於二分之一會員以正當理由提出要求,亦得召開特別會議。

第八條──理事會

1. 理事會成員由會員大會選舉產生。理事會設理事長一名,副理事長及理事若干名,且人數必須為單數,每屆任期三年;

2. 理事會可自行設立工作機構,以便執行理事會決議及處理本會日常會務;

3. 執行會員大會之決議及一切會務;

4. 主持及處理各項會務工作;

5. 直接向會員大會負責,及向其提交工作報告,並接受監事會對工作之查核。

第九條──監事會

1. 監事會由會員大會選出;

2. 監事會設監事長一名,監事若干名,且人數必須為單數,每屆任期三年;

3. 監督理事會一切行政執行,以及監察理事會的運作及查核本會之財產;

4. 監督各項會務工作之進展,就其監察活動編制年度報告;

5. 稽核理事會之財政收支及檢查一切賬目及單據之查對;

6. 審查本會之一切會務進行情形及研究與促進會務之設施。

第四章

經費

第十條──經費

1. 會員交納會費;

2. 來自社會各方的無條件贊助捐款;

3. 活動籌辦單位的籌款。

第十一條──章程修改

本章程經會員大會通過後施行。章程的修改,須獲出席會員四分之三之贊同票的代表通過方能成立。

第十二條──解散

獲四分之三全體會員贊同票,可解散本會。

第十三條──附則

本章程所未規範事宜,概依澳門現行法律執行。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

鼓冀體育會

為公布的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月十六日起,存放於本署之“2014年社團及財團儲存文件檔案”第1/2014/ASS檔案組第39號,有關條文內容載於附件:

社團之設立

鼓冀體育會章程

第一章

名稱,地址及宗旨

第一條——本會定名為鼓冀體育會。

第二條——本會會址設於澳門提督馬路43號祐適工業大廈一樓A,經理事會通過可遷往本澳其他地方。

第三條——本會為非牟利團體,宗旨推動本澳體育運動的發展,提升本地運動員的競技水平,促進本澳居民體育活動交流。

第二章

會員資格,權利及義務

第四條——凡有興趣的人士願意接受本會章程,經本會理事會審核批准後,可成為會員。

第五條——會員有以下權利及義務:

(1)選舉或被選舉為本會領導成員;

(2)參與本會舉辦的所有活動;

(3)對本會工作提出意見和建議;

(4)遵守本會章程及決議;

(5)會員如有違反本章程,決議或損害本會聲譽者,經理事會通過,可取消其會員資格;

(6)按時繳納會費。

第三章

組織架構

第六條——會員大會為本會最高權力機關,設會長一人,副會長一人,秘書一人,任期三年,可連選連任,會員大會職權如下:

(1)制定或修改會章;

(2)選舉理監事會各成員;

(3)決定工作方針,任務及計劃。

第七條——理事會為本會執行機關,負責執行和推動會務,設理事長一人,副理事長一人,理事若干(總人數必為單數),任期三年,可連選連任。理事會職權如下:

(1)籌備召開會員大會;

(2)執行會員大會決議;

(3)向會員大會報告工作和財務狀況;

(4)決定會員的接納或除名。

第八條——監事會負責稽核及督促理事會各項工作,設監事長一人,副監事長一人,監事一人,任期三年,可連選連任。

第九條——會員大會每年最少召開一次,在必須的情況下,會長可召開會員大會,而大會決議取決於出席會員之絕對多數票方得通過,但法律規定者除外。大會之召集最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收方式而為之,召集書內應指出會議之日期,時間,地點及議程。

第十條——理事會及監事會每三個月召開一次,如有特殊情況可臨時召開。

第十一條——本會可聘請有名望的熱心人士,同鄉,社會賢達為本會榮譽會長,名譽會長,名譽顧問及顧問,輔助本會會務之發展。

第四章

經費

第十二條——本會經費來自會員會費,政府津貼,社會各界熱心市民與團體企業的贊助和捐贈和其他合法收益及不帶任何責任或附加條件之資助。

第五章

適用法律

第十三條——本章程未有列明之事項將按澳門現行之有關法律之處理。修改本會章程的決議必須以出席會員四分之三之贊同票通過,解散法人則須獲全體會員四分之三之贊同票。

二零一四年五月十六日於海島公證署

一等助理員 林志堅


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門青少年國際文化

教育藝術培訓交流協會

為公布的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月十九日起,存放於本署之“2014年社團及財團儲存文件檔案”第1/2014/ASS檔案組第41號,有關條文內容載於附件。

澳門青少年國際文化

教育藝術培訓交流協會

第一章

名稱、總部及宗旨

第一條——本會屬非牟利性質的團體,無存立期限,中文名稱為“澳門青少年國際文化教育藝術培訓交流協會”,英文為“International Youth Training and Exchange Association for Education of Culture and Arts of Macao”,葡文為“Associação Internacional de Formação e Intercâmbio de Jovens para a Educação Cultural e Arte de Macau”,並依澳門現行法律及本章程運作管理。

第二條——本會總部設於澳門黑沙環慕拉士大馬路45號保利達中心3樓A座。

第三條——宗旨

本會為非牟利藝術培訓團體,致力推廣澳門各類藝術教育培訓為主,積極推廣各類藝術,促進對外藝能,文化交流,舉辦各類表演活動,提高本地藝術水準。

第四條——活動範圍

一、舉辦與各類藝術有關之活動;

二、組織對外各類藝術交流活動;

三、舉辦各類國際文化教育藝術培訓。

第二章

會員

第五條——會員資格

凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,均可申請為本會會員。經本會理事會批准後,便可成為會員。

第六條——會員權利及義務

(一)會員有選舉權及被選舉權,享有本會舉辦一切活動和福利的權利;

(二)會員有遵守會章和決議,以及繳交會費的義務。

第三章

組織機構

第七條——機構

本會組織機構包括會員大會、理事會、監事會。

第八條——會員大會

(一)本會最高權力機構為會員大會。

(二)會員大會負責制定及修改會章;選舉會員大會會長、副會長、秘書、理事會成員、監事會成員;決定會務方針;審查和批准理事會工作報告。

(三)會員大會設會長一名,副會長一名及秘書一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(四)會員大會每年舉行一次,至少提前八天透過掛號信或簽收之方式召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點和議程,如遇重大或特別事項得召開特別會員大會。

(五)修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第九條——理事會

(一)本會執行機構為理事會,負責執行會員大會決議和日常具體會務。

(二)理事會由最少三名或以上單數成員組成,設理事長、副理事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)理事會議每三個月召開一次。會議在有過半數理事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第十條——監事會

(一)本會監察機構為監事會,負責監察理事會日常會務運作和財政收支。

(二)監事會由最少三名或以上單數成員組成,設監事長、副監事長各一名。每屆任期為三年,可連選連任。

(三)監事會議每三個月召開一次。會議在有過半數監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數贊同票方為有效。

第四章

經費

第十一條——經費

本會經費源於會員會費或各界人士贊助,倘有不敷或特別需用款時,得由理事會決定籌募之。

第五章

附則

第十二條——法律規範

本章程未有列明之事項將按澳門現行之有關法律規範。

第六章

會徽

第十三條——會徽

本會設立會徽如下:

 

二零一四年五月十九日於海島公證署

一等助理員 林志堅


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門青年經貿商會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一四年五月二十一日起,存放於本署之“2014年社團及財團儲存文件檔案”第1/2014/ASS檔案組第42號,有關條文內容載於附件。

澳門青年經貿商會

章程

第一章

總則

第一條

名稱

本會中文名稱為“澳門青年經貿商會”、葡文名稱為“Associação Económica e Comercial da Juventude de Macau”及英文名稱為“Macao Youth Economic Trade Commercial Association”。

第二條

宗旨

本會為非牟利機構,宗旨為澳門青年在經濟 、商業、貿易等方面的交流提供平臺及培訓,開拓視野,建立國際橋樑,凝聚行業力量,加強同業的溝通及專業性。

第三條

會址

會址設於澳門新口岸宋玉生廣場180號東南亞商業中心11樓H–I室,會員大會可透過決議更改會址。

第二章

會員

第四條

會員資格

凡贊成本會宗旨及認同本會章程者,均可申請為本會會員。經本會理事會批准後,便可成為會員。

第五條

會員權利及義務

(1)會員有以下權利:出席本會全體會員大會;對社團機關據職位,具有投票權、選舉權與被選舉權;參加、協助及支持本會舉辦之一切活動。

(2)會員應遵守本會的章程及規章,不得作出任何有損本會聲譽的行動。

第三章

組織機構

第六條

機構

(1)本會組織機關包括會員大會、理事會、監事會。

(2)本會機關成員由會員大會選舉產生,任期三年,可連選連任。

第七條

會員大會

(1)本會的最高權力機構是會員大會。設有會長一名,副會長若干名。會長兼任會員大會召集人。副會長協助會長工作,若會長出缺或因故不能執行職務,由其中一名副會長暫代其職務。

(2)會員大會每年舉行一次,召集書須至少提前八天透過掛號信或簽收之方式通知會員,召集書內應附有會議之日期、時間、地點及議程。

(3)會員得由任何其他會員代表出席會員大會,為此只需要一封致會員大會主席之信函。

(4)會員大會為本會的最高權力機構,由所有會員組成。

(5)會員大會的職權如下:

a. 通過及修改會章(須獲出席社員四分之三之贊同票);

b. 選舉社團機關成員;

c. 制定會費;

d. 通過本會的內部規章;及

e. 決定本會務工作。

第八條

理事會

(1)理事會由單數及三名以上成員組成,包括理事長一名,副理事長及理事若干名。任期三年,可連選連任。

(2)理事長負責本會的日常事務,副理事長和理事協助理事長工作。

(3)本會理事會有權:

a. 在法庭內外代表本會;

b. 根據本章程確定之宗旨組織本會之活動;

c. 履行會員大會之決議;

d. 向會員大會建議會員應繳納之會費之金額;

e. 製作及向會員大會介紹報告及管理帳目,以及年度活動計劃及財政預算;

f. 管理及執行本會之基金。

(4)對本會產生約束力,由理事長,或副理事長加任何一名理事會成員共同簽署方為有效。

第九條

監事會

1)監事會由單數及三名成員以上組成,包括監事長一名,副監事長及監事若干名。任期三年,可連選連任。

(2)監事會之職權為:監事會為本會會務的監察機構。監督理事會一切行政執行,以及監察理事會的運作及查核本會之財產;監督各項會務工作之進展,就其監察活動編制年度報告;稽核理事會之財政收支及檢查一切賬目及單據之查對;審查本會之一切會務進行情形及研究與促進會務之設施。

第四章

經費

第十條

經費

本會收入來自會員會費以及私人、公共實體的捐贈和資助。

第五章

附則

第十一條

法律

(1)本章程未列明之事宜概依澳門現行法律規範執行。

(2)解散法人,須獲全體社員四分之三之贊同票。

二零一四年五月二十一日於海島公證署

一等助理員 林志堅


CARTÓRIO PRIVADO

MACAU

CERTIFICADO

Certifico, que o presente documento de 10 folhas, está conforme o original do exemplar dos estatutos da associação denominada «Associação de Conterrâneos Zhejiang de Macau», depositado neste Cartório, sob o n.º 1 no maço n.º 1 de documentos de associações e fundações do ano de 2014.

澳門浙江同鄉會章程

第一條

(名稱)

本會定名為:中文:澳門浙江同鄉會,葡文:Associação de Conterrâneos Zhejiang de Macau,英文:Zhejiang Natives Association of Macau。

第二條

(宗旨)

本會乃非牟利團體,其存續不設期限,本會宗旨為愛國愛澳、團結鄉親、聯絡鄉情,積極參與社會事務活動,加強與內地在經濟、文化、教育和工商業等之交流及合作,共同為浙江及澳門特別行政區之發展作出貢獻。

第三條

(會址)

本會會址設於澳門宋玉生廣場411至417號皇朝廣場12樓O座,經理事會決議,會址可遷往澳門任何其他地方。

第四條

(會員)

一、凡贊同本會章程之宗旨並符合本會所訂標準的任何具行為能力的自然人,經理事會批准均可成為本會會員。

二、本會會員享有選舉權、被選舉權及退會權,亦有權出席會員大會,享有本會提供的福利和參與本會舉辦一切活動。

三、本會會員須按時繳交由會員大會所訂定之入會費及會費。

四、本會會員有遵守本會章程及本會決議的義務。

五、本會會員違反本會章程、決議或損害本會聲譽、利益,由理事會決定開除有關會員出會籍。

六、本會會員凡拖欠會費超過兩年,其會員資格將自動終止。

第五條

(組織)

本會組織機關包括會員大會、理事會及監事會。

第六條

(會員大會)

一、會員大會是本會最高權力機構,除行使法律所賦予之權限及章程規定之權力外,亦負責:修改本會章程;選舉會員大會主席團、理事會和監事會的成員;審議理事會所提交之年度工作報告及財務報告;審議監事會提交相關的報告或意見書;以及決定會務方針。

二、會員大會主席團設會長一人、副會長若干人,由會員大會選舉選任,每屆任期為三年,並可連選連任。

三、會員大會每年舉行一次平常會議,由會長召集和主持會議。會員大會之召集須最少在會議前八天以掛號信或書面簽收方式向會員作出之通知書為之,召集書內須載明會議日期、時間、地點和議程。

四、在必要的情況下,應理事會或不少於三分之一會員聯名之請求,會長亦可召集會員大會特別會議。

五、會員大會必須在至少半數會員出席的情況下方可作出決議;如屆召集會議之時間而出席會員不足半數,則三十分鐘後在同一地點召開之會議視為第二次召集之會議。

六、經第二次召集之會員大會,不論出席會員人數多少均可依法行使會員大會職權,但法律另有規定者除外。

七、會員大會的決議須出席會員過半數的贊同票通過,但法律另有規定者除外。

第七條

(理事會)

一、理事會是本會的執行機構,除行使法律所賦予之權限及章程規定之權力外,亦負責本會行政管理,並向會員大會負責。

二、理事會由會員大會選出的會員所組成,但組成人數必須為單數,其中包括理事長一名、副理事長和理事若干名。

三、理事會成員不可代表本會對外作出行為或發表意見,但理事長或經理事長授權的一名或若干名理事會成員除外。

四、理事會每屆任期為三年,可連選連任。

第八條

(監事會)

一、監事會是本會的監察機構,除行使法律所賦予之權限及章程規定之權力外,還監督理事會工作,查核本會之財產及編製年度監察活動報告或意見書。

二、監事會由會員大會選出的會員所組成,但組成人數必須為單數,其中包括監事長一名、副監事長和監事若干名。

三、監事會成員不可代表本會對外作出行為或發表意見。

四、監事會每屆任期為三年,可連選連任。

第九條

(經費)

本會經費及財政收入來自會員入會費、會費、本會舉辦活動的收入、本會資產所衍生的孳息、第三者給予的贊助、不附帶任何條件的捐獻以及任何公共或私人機構、實體給予的資助等等。

第十條

(附則)

一、本章程經會員大會以過半數票通過後生效。倘有其他遺漏,則採用規範一般團體的法規處理。

二、本章程之修改權屬會員大會,由理事會提交修章方案予會員大會審議,同時須獲出席會員四分之三之贊同票。

三、解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分之三之贊同票。

四、本章程之解釋權屬理事會。

五、在本會各機構產生之前,本會的運作由創立會員確保。

二零一四年五月十六日

私人公證員 鄧思慧

Cartório Privado, em Macau, aos 16 de Maio de 2014. — A Notária, Teresa Teixeira da Silva.


CARTÓRIO PRIVADO

MACAU

CERTIFICADO

澳門物流業總會

為公佈之目的,茲證明上述組織社團之章程文本自二零一四年五月十九日起,存放於本署之2/2014號檔案組內,並登記於第1號“獨立文書及其他文件之登記簿冊”內,編號為2號,該組織章程內容載於附件之證明書內並與原件一式無訛。

澳門物流業總會

章程

第一章

總則

第一條——名稱、會址、性質和期限

本會名稱為“澳門物流業總會”,葡文名稱為:Associação Geral da Industria Logistica,英文名稱為:General Association of Logistics Industries。會址設於澳門上海街175號中華總商會大廈8樓A-B室。本會屬非牟利、具有法人地位的社會團體。本會之存在並無期限。

第二條——宗旨

本會的宗旨為:促進同業間之聯繫,提高從業員專業水平,維護同業及會員之合法權益;聯繫世界各地同業團體,交流經驗及訊息,以促進本澳貨運及物流之發展,為澳門之經濟發展效力。肩負同業間與政府及有關機構、團體等之溝通橋樑,協調各方關係。

第二章

會員

第三條——會員資格

本會會員必需為法人會員,其入會資格如下:

(一)從事物流、運輸、倉儲、貨物配送或相關業務的工商社團;

(二)願意遵守本會會章;

(三)經本會之一位會員介紹,填寫申請表,提交社團證明、擬參與會務之代表人身份證副本及一寸半正面半身相片兩張,經理事會通過,方得成為本會會員。

第四條——會務代表人

(一)每位會員得委派不多於八名代表參加會務工作。

(二)具體人數由會員大會商定通過。

(三)每位會員代表人數相等。

第五條——會員權利

本會會員享有以下權利:

(一)參加會員大會;

(二)選舉權和被選舉權;

(三)對本會會務提出建議和意見;

(四)參與本會舉辦的一切活動。

第六條——會員義務

(一)遵守本會章程並執行本會的決議;

(二)推動本會會務開展;

(三)參與、支持和協助本會舉辦的各項活動;

(四)不得作出任何有損本會聲譽的行動;

(五)有繳納入會基金和會費的義務。

第七條——紀律處分

凡違反本會章程、內部規章的條款,或積欠入會基金、會費,或參與損害本會聲譽、利益活動的會員將由理事會議決作出勸諭、警告,甚或開除會員資格等處分。

第三章

組織機構

第八條——本會的機構為

(一)會員大會;

(二)理事會;

(三)監事會。

第九條——會員大會

(一)會員大會由獲委參與會務代表人之代表組成,為本會最高權力機構,除行使法律和章程規定的職權外,還負責:修改章程,按上屆會員大會主席團的等額提名選舉會員大會主席團、理事會、監事會成員,審議、通過理事會年度工作報告和財務報告、翌年度的活動計劃和預算,以及決定會務方針。

(二)會員大會的會議由大會主席團主持,主席團由一名會長、不少於二名副會長和一名秘書組成。主席團成員不受個人會員年齡限制,由會員大會在獲委參與會務代表人之代表中選出,每屆任期三年,會長任滿透過選舉獲選得連任。

(三)會員大會閉會期間,主席團行使最高權力。會長為本會會務最高負責人,召集和主持會員大會,對外代表大會,對內策劃各項會務。副會長的職責在於協助會長和會長因事缺席時按序或由會長指派代行會長職務。會長、副會長可出席理、監事會召開的各次會議,具有發言權和表决權,在出現議決爭持時,會長之表決屬決定票。

(四)會員大會每年召開一次平常會議;在必要的情況下應理事會或不少於二分之一會員以正當目的提出的要求,亦得召開特別會議。

(五)會員大會由會長負責召開,若會長不能視事時,得按上款(三)之代行方式由副會長代任。

(六)召集書需提前至少八天通報,得以掛號信形式寄往會員申報的地址或透過由會員簽收的方式代替,該召集書內應註明會議召開的日期、時間、地點和議程。

(七)1、會員大會必須在至少半數會員出席的情況下方可作出決議。

2、當第一次召集的時間已屆,如法定人數不足,則半小時後視為第二次召集,屆時不論出席人數多少均視為有效。

3、議決以出席人數過半數通過有效,但解散或轉移資產需四分之三之出席人數通過有效。

第十條——理事會

(一)理事會由會員大會在獲委參與會務之代表人中選出,由不少於五名成員組成,總數目必須為單數。

(二)理事會設一名理事長、至少一名副理事長、若干名常務理事,由理事會互選產生,任期三年。理事長任滿透過選舉獲選,得最多連任一屆(三年)。

(三)理事會得因應需要下設若干專責部門,各部設一名部長、若干名副部長。

第十一條——理事會為本會會務執行機構,其職權如下

(一)執行會員大會決議;

(二)主持和處理各項日常會務工作;

(三)安排會員大會的一切準備工作;

(四)向會員大會提交年度工作報告和財務報告;

(五)批准入會申請,對違例會員進行處分;

(六)協助會長和副會長工作和作大會的會議記錄。

第十二條——監事會

(一)監事會由會員大會在獲委參與會務之代表人中選出,由不少於五名成員組成,其數目必須為單數。

(二)監事會設一名監事長,至少一名副監事長和若干名監事組成,總數目必須為單數,由監事會互選產生,任期三年。監事長任滿透過選舉獲選,得最多連任一屆(三年)。

第十三條——監事會為本會會務監察機構,其職權如下

(一)監察會員大會決議的執行;

(二)監督理事會的運作和各項會務工作的進展;

(三)查核本會的財產;

(四)向會員大會報告工作;

(五)履行法律和章程所載的其他義務。

第十四條——顧問

(一)因應需要並經過理、監事會通過,得由會長代表本會在海內外有卓越貢獻人士、社會知名人士、專業人士、僑界的領袖和資深人士中邀請聘任顧問或榮譽會長,以輔助本會會務的發展。有關人員的人數不確定。

(二)顧問及榮譽會長可出席會員大會,具有發言權,但不具有表決權。

(三)經會員大會通過,卸任會長得邀任永遠會長。永遠會長可出席會員大會及理監事會議,具有發言權和表決權。

第四章

經費

第十五條——本會經費來源

(一)會員會費;

(二)政府機關,或相關機關和實體的資助;

(三)其他。

第五章

最後規定

第十六條——內部規章

本會設內部規章,規範理事會及其轄下的各部組織,行政管理及財務運作細則等事項,有關條文由會員大會通過後公佈執行。

第十七條——其他

本章程未有列明之處,概以澳門特別行政區現行法律處理。

二零一四年五月十九日於澳門特別行政區

私人公證員 林笑雲


第 一 公 證 署

證 明

彌陀蓮舍

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本自二零一四年五月十九日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號105/2014。

彌陀蓮舍

Associação de Beneficência Amitaba

Amitabha Charitable Association

修改現行章程第二條及第十一條第四款,其內容如下:

第二條——本會為非牟利的慈善團體,並無存立期限,於澳門特別行政區設立與註冊,會址設於澳門消防隊巷達昌大廈第二座5-G號地庫A座及5號地庫B座和馬揸度博士大馬路431-487號南豐工業大廈6樓G座,並可因應會務需要透過會員大會決議,在澳門特別行政區內設立若干辦公地點,方便弘揚佛法。

第十一條——一. 保留不變;

二. 保留不變;

三. 保留不變;

四. 凡屬第二召集的會議,不論人數多少,會員大會的舉行均屬有效,可進行議案的議決;

五. 保留不變;

六. 保留不變;

七. 保留不變;

八. 保留不變;

二零一四年五月十九日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

澳門會議展覽業協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本自二零一四年五月二十一日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組2號109/2014。

修改澳門會議展覽業協會章程

第三章

組織架構

第十二條——會長與副會長:

本會設會長一人,副會長二至八人,由會員大會選舉產生。會長任期三年,可連任一次。會長為本會會務最高負責人;對外代表本會;對內監督理事會工作,審查理事會提出的年度工作報告。正、副會長可出席理事會議,常務理事會議,理、監事聯席會議,有發言權和表決權。

第十三條——理事會與理事長:

本會執行機構為理事會,由會員大會在基本會員中選出理事21名至45名組成之,人數必須為單數。理事會各成員任期三年,連選得連任。理事會設理事長一人,副理事長2至8人。理事長只可連任一次。理事長協助會長處理對外事務;負責領導理事會處理本會各項會務,總結與財務預算、結算。理事長協助理事長工作,如理事長無暇,由副理事長依次代行理事長職務。正、副理事長及常務理事由理事會互選產生。理事會認為必要時,得增設專責委員會,由理事會通過聘任若干委員組織之。理事會職權如下:

1. 執行會員大會之決議;

2. 計劃發展會務;

3. 籌募經費;

4. 向會員大會報告工作及提出建議;

5. 在徵得會長同意下依章召開會員大會。

第十四條——理事會設常務理事15至23名,定期召開常務理事會議決策及處理日常會務。除正、副理事長為當然常務理事外,不足之數,由理事會推選。

二零一四年五月二十一日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門菱峯慈善會

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本已於二零一四年五月十五日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為154號。該修改章程文本如下:

第一條——中文名稱:澳門菱峯慈善會;葡文名稱:Associação de Beneficiência «Leng Fong» de Macau。本會會址:設於澳門黑沙環第六街20號合時工業大廈3樓B。

第六條——本會設以下幾個機關:會員大會、理事會和監事會。任期均為3年,總人數為3個或以上。

第八條——理事會之組成方式:理事會設3人或以上,總人數必需為單數,其中一人為理事長。

理事會之職能:

a)理事會是本會日常會務執行機關,負責管理(社會、行政、財務、紀律等)。

b)除法律或章程另有規定外,決議取決於出席據位人之過半數票,主席除本身之票外,遇票數相同時,有權再投一票。

第九條——監事會之組成方式:監事會設3人或以上,總人數必需為單數,其中一人為監事長。

監事會之職能:監事會負責查核本會賬目。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門新視角學會

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本已於二零一四年五月十六日存檔於本署2014/ASS/M3檔案組內,編號為158號。該修改章程文本如下:

第三章:

第八條——會員大會主席團、會員大會的組成及運作

一、會員大會主席團由主席一人、副主席若干人組成,主席團任期為三年,得連選連任。

二、會員大會主席團有權召集會員大會,並主持之。

三、會員大會由所有會員組成,並為本會的最高決議機關。

四、會員大會每年召開一次平常會議,以討論理事會所提交的工作報告及年度帳目,並通過之。

五、會員大會主席團可主動,亦可應理事會、監事會或最少四分之一的會員以正當目的提出請求,召開會員大會特別會議。

六、經第一次召集後,最少有一半全體會員出席,方可議決;經第二次召集後,只須有會員出席,即可議決。

七、會員大會的決議取決於出席的會員的絕對多數票,但法律規定須有特定多數票的情況除外。

第四章:

第十三條——本章程經會員大會通過後施行。章程的修改,須獲出席會員四分之三之贊同票的代表通過方能成立。

第十四條——解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

第十五條——章程之解釋權屬會員大會;會員大會閉幕期間,本章程之解釋權屬理事會。

二零一四年五月十六日於第二公證署

一等助理員 梁錦潮Leong Kam Chio


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

CERTIFICADO

澳門人文科學學會

為公布的目的,茲證明上述社團修改章程的文本自二零一四年五月十九日起,存放於本署之“2014年社團及財團儲存文件檔案”第1/2014/ASS檔案組第40號,有關條文內容載於附件。

澳門人文科學學會修改社團章程

根據澳門人文科學學會大會在2014年4月2日的決議,代表該會修改該會章程第二條,第十一條和第十三條,其修改內容如下:

第二條

(會址)

本會會址為澳門文第士街34-36號,益達花園15/B。

第十一條

(理事會的組成)

一、理事會由會長一名、副會長兩名及包括秘書長、財務部長在內的若干名單數理事組成。

四、理事會可設名譽會長一名,負責交際和諮詢等工作。

第十三條

(監事會的組成)

一、監事會由監事長一名,副監事長兩名及監事若干名單數成員組成。

其餘章程不變。

二零一四年五月十九日於海島公證署

一等助理員 林志堅


BANK OF COMMUNICATIONS CO., LTD. — SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente-geral, O Chefe da Contabilidade,
Tan Zhiqing Zhu Ying

Resumo do relatório de exercício

Em 2013, o Bank of Communications Co., Ltd. Sucursal de Macau continuou a concretizar a estratégia de desenvolvimento, determinada pela nossa empresa-mãe, no sentido de «encetar o caminho da internacionalização e multiplicação, de modo a implementar um grupo bancário de primeira classe, cujas acções são detidas pelo público, e que se caracteriza pela gestão patrimonial», aderindo ao objectivo de «se integrar em Macau e servir Macau». «Servir os clientes de todo o grupo bancário, reforçar as acções de intercâmbio com as entidades dentro e fora da China Continental, expandir activamente as empresas de Macau, salientar a característica de gestão patrimonial» têm sido os princípios adoptados para o desenvolvimento do negócio da sucursal, tendo consolidado constantemente a base dos clientes, desempenhado plenamente a função de plataforma integrada de gestão de património transfronteiriço, que caracteriza significativamente o negócio da sucursal, e melhorado sucessivamente a imagem de marca da gestão patrimonial do Banco. Fortalecemos, ao mesmo tempo, a concepção empresarial de «exploração em conformidade com as normas relevantes e desenvolvimento estável», controlámos em termos rigorosos a qualidade do património. Mediante o esforço conjunto de todos os funcionários da sucursal, e com o grande apoio de vários sectores da comunidade de Macau, as várias actividades desenvolveram-se em termos estáveis. Obtivemos um crescimento estável na economia de escala; no final do ano, as várias dimensões patrimoniais da sucursal atingiram o valor de 27 864 000 000,00 patacas, o qual corresponde a um crescimento de 38% em comparação com o ano anterior, concretizando um lucro pós-imposto de 111 330 000,00 patacas, o qual corresponde a um crescimento de 47% em comparação com o resultado do ano anterior. A qualidade do património é excelente, mantendo-se em zero o activo inadimplente.

A sucursal de Macau, a par do desenvolvimento do seu negócio, tem reforçado sucessivamente os laços com os vários sectores da comunidade de Macau, participando activamente em actividades de solidariedade social e cumprindo a responsabilidade social da empresa.

Em 2014, o Bank of Communications Co., Ltd. Sucursal de Macau continuará a desenvolver-se em termos estáveis, aumentará sucessivamente a qualidade dos serviços financeiros, respondendo ao enorme afecto de toda a comunidade, dando o devido contributo para o desenvolvimento económico e a prosperidade social de Macau.

O Gerente-geral,
Tan Zhiqing

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a Gerência do Bank of Communications Co., Ltd. — Macau Branch

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Bank of Communications Co., Ltd. — Macau Branch relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 11 de Abril de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações da conta corrente e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira do Bank of Communications Co., Ltd. — Macau Branch e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Quin Va
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores

Macau, aos 11 de Abril de 2014.


Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

* As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 1 373 042,81 patacas. Como a Caixa Económica Postal adopta as «Macau Financial Reporting Standards» (MFRS) na preparação das suas demonstrações financeiras anuais e das provisões para as perdas de imparidade dos créditos concedidos, estas poderão ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso n.º 18/93 da AMCM. A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS. Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas.

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

A Comissão Administrativa: Lau Wai Meng, Chiu Chan Cheong, Van Mei Lin, Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves
O Chefe da Contabilidade: Hong Keng Wai.

Síntese do relatório de actividades — 2013

Até finais de 2013, o total de depósitos captados pela CEP foi de cerca de 658 milhões de patacas, representando uma descida de 35% em relação ao ano anterior.

O montante de novos empréstimos concedidos durante o ano de 2013 havendo um aumento de 6% relativamente ao ano anterior, e o montante, líquido de imparidade, mutuado em circulação, no final do ano, era de cerca de 188 milhões de patacas.

A margem financeira e os resultados de serviços e de comissões foram, respectivamente, de 28,2 milhões e de 6,8 milhões de patacas, sendo os custos de exploração de cerca de 15,7 milhões de patacas.

Os resultados de 2013, no valor de 19 milhões de patacas, traduzem um decréscimo de 8%, relativamente a 2012.

Composição da Comissão Administrativa durante 2013

Presidente — Lau Wai Meng
Vogal — Chiu Chan Cheong
Vogal — Van Mei Lin
Representante dos Serviços de Finanças — Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves

Parecer do representante dos Serviços de Finanças Exercício de 2013

No exercício das competências previstas no artigo 24.º do Regime Financeiro dos Serviços de Correios, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 50/99/M, de 27 de Setembro, e alterado pelo Regulamento Administrativo n.º 10/2010 e no artigo 7.º do Regulamento da Caixa Económica Postal aprovado pelo Decreto-Lei n.º 24/85/M, de 30 de Março, acompanhei o desenvolvimento da actividade da Caixa Económica Postal ao longo do exercício económico de 2013.

Tendo em atenção a análise efectuada aos documentos contabilísticos reportados a 31 de Dezembro de 2013, sou de parecer e considero que:

— São claros e elucidativos os elementos contabilísticos referentes ao balanço em 31 de Dezembro de 2013 e à demonstração de resultados para este ano;
— As contas relativas ao ano económico de 2013 mostram a real situação financeira em 31 de Dezembro de 2013 e estão em condições de ser aprovadas.

Macau, aos 26 de Março de 2014.

Representante dos Serviços de Finanças, Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a Comissão Administrativa da Caixa Económica Postal

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Caixa Económica Postal («CEP») relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 26 de Março de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da CEP. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da CEP.

Para a melhor compreensão da posicão financeira da CEP e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, 26 de Março de 2014.


BANCO TAI FUNG, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Presidente, O Chefe da Contabilidade,
Liu Daguo Chan Chung Wai

MOP

Relatório do conselho de administração

O Conselho de Administração apresenta o relatório e as contas auditadas em 31 de Dezembro de 2013.

Síntese do relatório de actividade

No ano de 2013, a económica de Macau manteve o seu desenvolvimento estável, tendo o sector financeiro registado constante crescimento quer nos activos totais quer na sua qualidade e rendimentos , devido a esta evolução favorável. Os lucros do Banco antes do imposto, apurados no fim do exercício de 2013, foram de 743 milhões de patacas, um crescimento de 47,19% em relação ao exercício de 2012. Em termos de lucros depois do imposto, a taxa de rendimentos de capital dos accionistas foi de 9,67% e a taxa de rentabilidade dos activos foi de 0,96%. O rácio de adequação dos fundos próprios situou-se em 14,88%, o rácio de eficiência em 36,77% e o rácio de empréstimos mal parados em 0,033%. No final do exercício de 2013, os activos do Banco totalizavam 69,707 mil milhões de patacas, representando um crescimento de 23,84% em relação ao exercício anterior.

Em resultado de uma efeciente gestão dos activos e passivos, foi registado, no exercício de 2013, novo recorde em depósitos, empréstimos, bem como em várias actividades principais do Banco. Tendo em atenção as necessidades da economia real, temos empenhado na inovação e melhoria do nosso serviço através de bom aproveitamento do crescimento e revitalização dos recursos disponíveis, e procurado melhorar o ambiente de negócios em termos de créditos, elevando a qualidade e a eficiência do serviço prestado à economia real. Entretanto, não nos esquecemos de traçar o desenvolvimento a longo prazo, ao mesmo tempo que nos esforçamos na elevação dos rendimentos através de reajustamentos flexíveis.

Prevê-se que no ano de 2014 o crescimento económico mundial manterá um ritmo brando de recuperação, os riscos de endividamento a nível internacional não serão definitivamente resolvidos e o iminente encerramento americano do chamado «afrouxo monetário quantitativo» não deixará de trazer grandes riscos potenciais para a economia e o mercado financeiro mundiais, ao que se acrescentam ainda o abrandamento do crescimento económico da China e os factores de «dores de parto» resultantes dos reajustamentos estruturais e do período de digestão da política de impulsionamento preliminar do crescimento económico. Persistindo no princípio de «primeiro os clientes», envidamos esforços ainda maiores na análise da situação financeira na óptica de macro-economia, seguindo de perto a sua evolução. Desenvolvemos práticas de boa gestão com visão e iniciativa, reforçando inovações com vista a conquistar mando de campo. Aceleramos as renovações conducentes a maior eficiência, consolidamos a gestão dos riscos para melhor controle dos custos, prosseguindo num espírito de missão e laboriosamente, com mira a criar maiores valores para os accionistas e fornecer uma oferta mais abrangente de serviços financeiros à sociedade.

Resultado e distribuição

MOP$

Lucro de exploração antes do imposto 742 854 861,98
Dotações para imposto complementar 77 000 000,00
Resultado de exercício 665 854 861,98
Lucros relativos a exercícios anteriores 1 154 807 779,77
Total disponível 1 820 662 641,75
O Conselho de Administração propôs a seguinte distribuição:
Para reservas 66 600 000,00
Para dividendos 85 000 000,00
A transportar para o próximo ano 1 669 062 641,75
1 820 662 641,75

Accionistas qualificados

De acordo com os registos do LIVRO DOS ACCIONISTAS DO BANCO, os accionistas, detentores de participações superiores a 10% do capital social do Banco, em 31 de Dezembro de 2013 foram os seguintes:

Banco da China
Família de Ho Yin

Titulares dos órgãos sociais

Mesa da Assembleia Geral:
Presidente: Chan King
Vice-Presidente: Banco da China
Secretário: Chio Io Va
Conselho de Administração:
Presidente: Ho Hao Tong
Vice-Presidente: Ye Yixin
Administradores Permanentes: Howard H.H. Ho
  Liu Daguo
    Chui Kai Cheong
Administradores: Ho Hao Veng
Qin Liru (designado em 5/7/2013)
Ip Sio Kai
    Fu Iat Kong
    Ho Kevin King Lun
    Ma Sao Lap (exonerado em 5/7/2013)
    Fang Yanmin
Au Ieong Iu Kong (designado em 5/7/2013)
Ho King Man Justin (designado em 5/7/2013)
Conselho Fiscal:
  Presidente: Iong Weng Ian
  Membros: Wang Lijie
    Jiang Yidao
Secretário da sociedade: Chio Io Va
O Presidente do Conselho de Administração, Ho Hao Tong

Macau, aos 18 de Fevereiro de 2014.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os accionistas do Banco Tai Fung, S.A.
(constituído em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Tai Fung, S.A. (o Banco) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos do Banco referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 18 de Fevereiro de 2014.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 15 de Abril de 2014.

Parecer do Conselho Fiscal

Nos termos da lei e dos Estatutos do Banco Tai Fung, S.A., compete ao Conselho Fiscal fiscalizar as actividades e a administração do Banco e emitir parecer sobre as contas, proposta de distribuição de dividendos e o relatório financeiro de cada exercício, apresentados pelo Conselho de Administração.

No exercício de 2013, o Conselho Fiscal no uso das suas competências procedeu ao que considerava necessário e examinou as contas do Banco auditadas pela Sociedade de Auditores Lowe Bingham & Mathews — PricewaterhouseCoopers, sobre as quais esta Sociedade expressou as suas opiniões sem reservas.

Este Conselho é de parecer que as contas examinadas demonstram, nitidamente e com rigor, a real situação financeira do Banco em 31 de Dezembro de 2013 e o resultado do exercício findo em 31 de Dezembro de 2013, sendo as demonstrações financeiras referentes ao exercício, a proposta para a distribuição de dividendos e o relatório financeiro apresentados pelo Conselho de Administração apropriados para serem submetidos à aprovação dos accionistas na Assembleia Geral.

A Presidente do Conselho Fiscal,
Iong Weng Ian

Macau, 26 de Fevereiro de 2014.

Lista das empresas cuja capital social o nosso Banco tem uma participação superior a 5%:

Sociedade de Fomento Predial Tak Kei Lda. 98,00%
Companhia de Investimento Predial Triumph, Limitada 76,66%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang, S.A.R.L. 38,10%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang-Vida, S.A. 28,58%
Tai Fung (Hong Kong) Finance Company Limited 35,00%
Companhia de Locação Fianceira Internacioal Land Tai Fung (Macau), S.A. 25,00%

BANCO COMERCIAL DE MACAU, S.A.

(Publicações ao abrigo do artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

Valores em Patacas

Valores em Patacas

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

Valores em Patacas

Conta de lucros e perdas

Valores em Patacas

O Chefe da Contabilidade, Pelo Conselho de Administração,
Chit-Kwan Wong (Vincent Wong) Yiu-Fai Kong (Eddie Kong)
Sou-Chao Chan (Kenneth Chan)
Alick Yuk-Fai Chiu

Macau, aos 12 de Maio de 2014.

Visão Geral de Negócios de 2013

Com o desenvolvimento constante da economia global de Macau, em 2013, o PIB atingiu MOP$413.500.000.000,00 (413.5 mil milhões), tendo-se verificado um aumento de 11,9% em relação ao ano passado. O ambiente ideal de mercado foi beneficiado principalmente pelo contínuo aumento da indústria do jogo e do turismo, o que provocou o aumento de 12% na procura externa e 6% na procura interna. Entre os quais as exportações de mercadorias cresceram 11,4% e aumentaram 15.1% as importações. O PIB per capita de Macau atingiu 697.502 mil patacas, verificando-se um aumento de 7.4%. O bom nível da economia traz oportunidades de desenvolvimento consideráveis para o sector financeiro, este Banco atingiu um sucesso histórico neste ano.

Até 31 de Dezembro de 2013, o Banco registou um lucro líquido de MOP$139.000.000,00 (139 milhões), representando um aumento de 54% em relação ao ano passado. O activo líquido aumentou 16% de 13,5 mil milhões patacas do ano passado para 15,7 mil milhões patacas neste ano. E ainda, o total de empréstimos foi de 10,3 mil milhões patacas, representando um aumento anual de 17%. Entretanto, o total de depósitos atingiu 13.6 mil milhões patacas, tendo-se registado um aumento de 14%.

Olhando para o ano 2014 e embora as economias da Europa e dos EUA tenham sido relativamente estáveis, o mercado financeiro global ainda é cheio de incertezas, incluindo o impacto da futura subida das taxas de juros norte-americanas, o ritmo da recuperação econômica, a reforma da regulação do mercado financeiro, bem como a eficácia da recuperação da crise da dívida na Europa, etc. De acordo com o plano a longo prazo, Macau já começou a realizar o desenvolvimento sustentável da indústria do jogo e do turismo, bem como a incentivar e apoiar activamente a diversificação adequada das indústrias locais. Além disso, o Governo Central trata Macau como uma plataforma de negociação entre a China os países de língua portuguesa, e aplicou políticas favoráveis à ilha de Hengqin, tudo isso fornece um forte apoio para o desenvolvimento sustentável da economia de Macau. Este Banco irá continuar a aprofundar o apoio às indústrias locais, aproximar-se das mudanças e necessidades do mercado, continuamente e melhorar a qualidade no atendimento aos clientes, desenvolver produtos inovadores para corresponder aos padrões de consumo do público, a fim de atender às diferentes necessidades dos clientes.

Este ano marca o quadragésimo aniversário do Banco Comercial de Macau, tenho a honra de expressar aqui a minha sincera gratidão aos esforços incansáveis de todos os meus colegas. Eu também, em nome do Conselho de Administração, gostaria de apresentar os meus sinceros agradecimentos aos apoios e orientações dos nossos clientes.

Yiu-Fai Kong
Director Executivo

19 de Março de 2014

Parecer do Conselho Fiscal

Aos Accionistas do Banco Comercial de Macau, S. A.

Nos termos do Código Comercial de Macau e dos estatutos do Banco Comercial de Macau, S. A. (“BCM”), o Conselho Fiscal do BCM emite parecer sobre o relatório, os documentos de relato financeiro e a proposta de afectação dos resultados apresentados pelo Conselho de Administração relativamente ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013.

O Conselho Fiscal do BCM verificou as transacções e a gestão do Banco durante o ano de 2013. As suas competências incluem a supervisão da gestão do Banco; o exame dos livros e registos e sua actualização; a verificação dos activos; a análise dos critérios contabilísticos e o respectivo impacto nos resultados do exercício; o exame dos documentos de relato financeiro anuais, bem como outras verificações previstas na lei e nos estatutos.

O Conselho Fiscal analisou a informação contabilística preparada pelo Banco durante o ano e submetida regularmente à Autoridade Monetária de Macau (“AMCM”), e seguiu outros procedimentos considerados adequados para as circunstâncias, incluindo o exame ao relatório do auditor independente.

Analisámos o relatório emitido pelo auditor independente PricewaterhouseCoopers, datado de 18 de Fevereiro de 2014, o qual expressa uma opinião sem reservas sobre os documentos de relato financeiro do Banco, relativos ao ano findo em 31 de Dezembro de 2013.

Obtivémos todas as informações e explicações consideradas necessárias para efeitos das nossas verificações e, com base no trabalho efectuado, somos de opinião de que:

(a) O relatório, bem como os documentos de relato financeiro, apresentados pelo Conselho de Administração reflectem fielmente a situação financeira do Banco em 31 de Dezembro 2013 e estão em conformidade com o estabelecido no Código Comercial de Macau, com as Normas de Relato Financeiro e com os estatutos do banco;

(b) Os princípios contabilísticos e os critérios utilizados nas estimativas adoptadas pelo Conselho de Administração na preparação dos documentos de relato financeiro apresentados foram os apropriados atendendo às circunstâncias;

(c) O relatório, bem como os documentos de relato financeiro, apresentados pelo Conselho de Administração não necessitam de quaisquer alterações.

OPINIÃO

Em conclusão, somos de parecer de que o relatório e os documentos de relato financeiro apresentados pelo Conselho de Administração relativamente ao ano findo em 31 de Dezembro de 2013, assim como a sua proposta de afectação de resultados, sejam aprovados na próxima Assembleia Geral Ordinária de Accionistas, em 19 de Março 2014.

Macau, 17 de Março de 2014

O Conselho Fiscal
Presidente — da Conceição Reisinho, Fernando Manuel
Vice-Presidente — Mayhew, Nicholas John
Vogal — So Po Fung

Relatório dos auditores externos sobre as demonstrações financeiras resumidas

Para Os Accionistas Do Banco Comercial De Macau, S.A.
(constituído em Macau como sociedade anónima de responsabilidade limitada)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Comercial de Macau, S.A. (o “Banco”) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras no relatório de 18 de Fevereiro de 2014.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data e, um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 12 de Maio de 2014.

Instituições em que o Banco detém participações superiores a 5% do respectivo capital ou superiores a 5% dos seus fundos próprios

Nome das Instituições Percentagem
Nenhuma  

Accionistas Qualificados

Nome do Accionista Número de Acções Percentagem
Dah Sing Bank, Limited 702,000 78%
DSB BCM (1), Limited 99,000 11%
DSB BCM (2), Limited 99,000 11%

Órgãos Sociais

Mesa da Assembleia Geral

Leonel Alberto Alves Presidente
Liu Chak Wan Secretário
Ma Iao Lai Secretário

Conselho Fiscal

Fernando Manuel da Conceição Reisinho Presidente
Mayhew, Nicholas John Vice-Presidente
Yuen Leung Kui Kennith Vogal(a)
So Po Fung(Francesca So) Vogal(b)

(a) Cessou funções em 15/7/2013

(b) Nomeado vogal em 26/7/2013;

Conselho de Administração

David Shou-Yeh Wong Presidente
Hon-Hing Wong (Derek Wong) Membro
Gary Pak-Ling Wang Membro
Harold Tsu-Hing Wong Membro
Yiu-Fai Kong (Eddie Kong) Membro
Sou-Chao Chan (Kenneth Chan) Membro
Alick Yuk-Fai Chiu Membro

BANCO LUSO INTERNACIONAL, S.A.

(Publicações ao abrigo do artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente-Geral O Chefe de Departamento de Planeamento Financeiro
Jiao Yun Di Deng Feng

Macao, aos 29 de Abril de 2014.

Síntese do relatório de actividade

Em 2013, a economia mundial revelou sinais de recuperação e consolidação com características de ajustamentos pontuais. A economia dos países desenvolvidos deu passos progressivos de recuperação e a economia dos países emergentes manteve-se crescida a um ritmo bastante acelerado. Ao mesmo tempo, a economia de Macau continuou a registar um crescimento relativamente elevado.

Em 2013, o Banco enfrentou os desafios com confiança, tendo resolvido os problemas com a sua sabedoria, e obteve bons resultados em virtude do esforço pelos trabalhos desenvolvidos. Em 2013, este Banco, aproveitando a oportunidade histórica proporcionada pelo sucesso da empresa-mãe Xiamen Internacional Bank Co., Ltd. na reforma das quotas, implementou reforma que permite aplicar os dividendos, acelerou o ritmo da transformação, esforçou-se em aprofundar a reforma do modelo de gestão de operações, elevou a eficácia e eficiência, centrando-se na elevação da capacidade de execução, e obteve resultados bons e eficazes.

Até finais de 2013, nas diversas actividades deste Banco registaram-se uma tendência de crescimento, e o saldo dos depósitos bancários e (incluindo os das entidades públicas) dos créditos concedidos foi de, 38.298.000.000,00 de patacas e de 29.033.000.000,00 de patacas respectivamente, um aumento de, respectivamente, 52,80% e 42,42% comparativamente com o ano de 2012. O lucro líquido foi de 405.000.000,00 de patacas, tendo registado um aumento substancial de 174,78% em relação ao ano de 2012, mantendo os activos a um bom nível.

No ano passado, através da emissão de 800 milhões de patacas de dívidas subordinadas, e a capitalização de reserva de 330 milhões de patacas, foram criadas as condições favoráveis para um rápido desenvolvimento no futuro. E obtida a devida autorização para o seu estabelecimento, a representação deste Banco na nova zona da Hengqin da Cidade de Zhuhai foi inaugurada no início de 2014, tornando-se no primeiro banco de Macau autorizado a estabelecer uma delegação em Hengqin, tendo também sido o primeiro banco de capitais estrangeiros autorizado a estabelecer-se em Hengqin, abrindo um caminho para a entrada no mercado da China Continental, e proporcionando a este Banco maiores oportunidades de negócio.

Em 2014, o Banco Luso Internacional irá celebrar o seu 40.º Aniversário. E, prosseguindo a missão de desenvolver as operações com estabilidade e de forma saudável, associado a um programa de reforma e iniciativa de mudança, este Banco irá acelerar o ritmo das transformações, continunando a empenhar-se, por um lado, no aprofundamento dos trabalhos de desenvolvimento do mercado de Macau e, por outro, com o apoio da empresa-mãe Xiamen Internacional Bank Co., Ltd. e aproveitando o novo ponto de suporte delineado para a sua instituição em Hengqin, no aumento dos benefícios, a fim de reforçar a sua fatia no mercado. Em simultâneo, irá continuar a prestar melhores serviços de qualidade aos cidadãos de Macau e ao sector industrial e comercial, proporcionando maiores retribuições aos sócios, atribuindo as melhores regalias ao pessoal, contribuindo para a prosperidade e para o desenvolvimento saudável de Macau e da zona nova da em Hengqin de Zhuhai.

O Conselho de Administração do Banco Luso Internacional, S.A., tem o prazer em submeter aos accionistas o seguinte resultado do exercício respeitante ao ano findo em 31 de Dezembro de 2013:

MOP
Lucros após imposto relativos ao corrente ano 405.277.093,34
O saldo do lucro do ano passado 385,98
Lucros distribuíveis 405.277.479,32
Transferência para a reserva legal (81.055.000,00)
Transferência para a reserva geral (324.222.000,00)
O saldo do lucro 479,32

Pel’O Conselho de Administração
O Presidente
Lu Yao Ming

Macao, aos 13 de Março de 2014  

Parecer do Conselho Fiscal

Por força do disposto no artigo 37.º, alínea f) do n.º 1, dos estatutos do Banco Luso Internacional, S.A., compete ao Conselho Fiscal certificar-se da exactidão e de forma apropriada do balanço e da demonstração de resultados a apresentar anualmente pelo Conselho de Administração.

Submetido à consideração do Conselho, o relatório do Conselho de Administração e as demonstrações financeiras, referentes a 31 de Dezembro de 2013, bem assim, o relatório da Sociedade de Auditores Lowe Bingham & Matthews — Pricewaterhouse Coopers, datado de 13 de Março de 2014, no qual se afirma que as demonstrações financeiras, apresentam de forma verdadeira e apropriada a situação financeira do Banco em 31 de Dezembro de 2013, e o lucro apurado no exercício então findo.

Examinados os documentos anteriormente mencionados, o Conselho Fiscal pronunciou-se no sentido de que o relatório e as demonstrações financeiras estão em condições de serem apresentadas à apreciação e aprovação da Assembleia Geral dos Accionistas do Banco Luso Internacional, S.A.

O Presidente do Conselho Fiscal
Ip Kai Ming

Macao, aos 20 de Março de 2014

Relatório dos auditores externos sobre as demonstrações financeiras resumidas

Para os Accionistas do Banco Luso Internacional, S.A.
(constituído em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Luso Internacional, S.A. (o Banco) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos do Banco referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 13 de Março de 2014.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macao, 29 de Abril de 2014

Instituições em que detem participação superior a 5% do respectivo capital ou superior a 5% dos seus fundos próprios

Nenhuma

Accionista qualificada

Xiamen International Investment Limited (constituída em Hong Kong)

Nomes dos titulares dos órgãos sociais

Conselho de Administração

Presidente: Lu Yao Ming
Administrador Delegado: Jiao Yun Di (Nomeado, com efeito a partir de 22 de Março de 2013)
Administradores: Weng Ruo Tong
Zhu Xue Lun (Renunciou, com efeito a partir de 27 de Março de 2013)
Ip Kai Ming (Renunciou, com efeito a partir de 27 de Março de 2013)
Zhang De Chun (Nomeado, com efeito a partir de 28 de Março de 2013)
Chan Wai Shing (Nomeado, com efeito a partir de 28 de Março de 2013)

Mesa da Assembleia Geral

Presidente: FUXING PARK DEVELOPMENT LIMITED
Representada por Lu Yao Ming
Vice-Presidente: PRETTY WON COMPANY LIMITED
Representada por Tsoi Lai Ha
Conselho Fiscal
Presidente: Lee Fai Ming (O seu mandato terminou em 31 de Março de 2013)
Ip Kai Ming (Eleito, com efeitos a partir de 31 de Março de 2013)
Vice-Presidente: Zou Zhi Ming
Membro: Wong Wai Pan
Secretária da Sociedade: Leong Ut Sin

Macao, aos 13 de Março de 2014


海通國際證券有限公司澳門分行

根據七月五日第32/93/M號法令核准之金融體系法律制度第七十六條之公告

損益表由2013年1月1日至12月31日

澳門元

2013年12月31日資產負債表

澳門元

分行經理:林勁勇 會計主管:盧偉浩

業務報告概要

海通國際證券有限公司澳門分行截至2013年12月31日止年度總營運收入為10,596,794.59澳門元,純利則為4,815,075.25澳門元,按年增長20%。

隨著澳門經濟的迅速發展,居民的收入不斷提高,財富累積增加,相信居民對投資的意欲亦隨之而增加,因此本公司將於2014年下半年在氹仔開設新分行,以配合需求的增加及為本地居民提供多一個服務地點。

外部核數師意見書之概要

致 海通國際證券有限公司澳門分行管理層:

海通國際證券有限公司澳門分行(「貴分行」)截至二零一三年十二月三十一日止年度隨附的摘要財務報表乃撮錄自貴分行截至同日止年度的已審核財務報表及貴分行的賬冊和記錄。摘要財務報表由二零一三年十二月三十一日的資產負債表以及截至該日止年度的損益表組成,管理層須對該等摘要財務報表負責。我們的責任是對摘要財務報表是否在所有重要方面均與已審核財務報表及貴分行的賬冊和記錄符合一致,發表意見,僅向管理層報告,除此之外本報告別無其他目的。我們不會就本報告的內容向任何其他人士負上或承擔任何責任。

我們按照澳門特別行政區政府頒布的《核數準則》和《核數實務準則》審核了貴分行截至二零一三年十二月三十一日止年度的財務報表,並已於二零一四年四月十一日就該財務報表發表了無保留意見的核數師報告。

上述已審核的財務報表由二零一三年十二月三十一日的資產負債表以及截至該日止年度的損益表、歸屬於總公司的淨資產變動表和現金流量表組成,亦包括重大會計政策的摘要和解釋附註。

我們認為,摘要財務報表在所有重要方面,均與上述已審核的財務報表及貴分行的賬冊和記錄符合一致。

為更全面了解貴分行的財務狀況和經營結果以及核數工作的範圍,隨附的摘要財務報表應與已審核的財務報表以及獨立核數師報告一併閱讀。

曾章偉
註冊核數師
羅兵咸永道會計師事務所

澳門,二零一四年四月十一日


HANG SENG BANK LIMITED — SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

(Em patacas)

(Em patacas)

As Outras Reservas incluem uma reserva genérica de 62,904,122.11 Patacas. Porque a sucursal adopta as Financial Reporting Standards of the Macau SAR (“MFRS”) na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas MFRS podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas e provisões especificas calculadas de acordo com o Aviso n’ 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS (antes dos impostos diferidos de 8,577,834.00 Patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha “Dotações adicionais para provisões conforme RJSF” da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o “Lucro depois de impostos” e os “Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM” na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

(Em patacas)

Conta de lucros e perdas

(Em patacas)

O Gerente da Sucursal de Macau, O Chefe da Contabilidade,
Isidorus Fong Eddie Tam

(Em patacas)

Resumo do relatório de actividades do exercício

No ano de 2013, perante a continua melhoria da economia de Macau, acrescida da evolução do ambiente económico mundial, os restantes operadores da nossa actividade disputaram negócios para aproveitar o ambiente de investimentos e o bom futuro económico de Macau, pelo que a concorrência no mercado continuou a ser muito grande. Face às mudanças permanentes do ambiente económico e às exigências dos supervisores, a concretização da estratégia da sociedade mãe de “manutenção da boa qualidade de serviço e promoção da continuidade do aumento das actividades” constituiu a directriz económica principal da Sucursal.

O crescimento continuado e estável das actividades da Sucursal de Macau depende do estabelecimento de uma longa cooperação com os clientes, os parceiros e a sociedade. Assim, o cumprimento do princípio de boa gestão empresarial e a insistência na gestão prudente dos riscos continuaram a ser os pontos principais do objectivo empresarial e da manutenção da continuidade da actividade

As actividades principais exercidas pelo Banco, no ano de 2013, consistiram na prestação de serviços diversificados de depósito, todos os tipos de financiamentos comerciais, serviços comerciais transfronteiriços em renmimbi, empréstimos garantidos por hipoteca sobre imóveis, empréstimos a empresas, transferências e operações cambiais, cobrança de letras, operações de terminais de serviço automático, bem como agenciamento de seguros, entre outros. No dia do encerramento do exercício anual, registamos como depósitos e empréstimos, respectivamente, de dois mil trezentos e oitenta e sete milhões de Patacas e sete mil trezentos e trinta e oito milhões de Patacas.

Agradecemos aos Serviços Públicos da Administração de Macau, clientes, colegas e funcionários do Banco e seus familiares, o apoio que nos prestaram.

Fong Chi Cheng
O Director da Sucursal,
Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau

Síntese do parecer dos auditores externos

Para o gerente-geral do Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 14 de Maio de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Hang Seng Bank Limited — Sucursal de Macau e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas.
KPMG

Macau, aos 14 de Maio de 2014.


FIRST COMMERCIAL BANK LIMITADA — Sucursal de Macau

(Publicações ao abrigo do artigo 76 do RJSF aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de Lucros e Perdas

MOP

Gerente-geral,

O Chefe da Contabilidade,

Alex Chang Kao Shu Chen

Síntese do relatório de actividade

Banco Comercial Primeiro,S.A., fundado em 1899, tem operado mais de cem anos. Em 2013, a sucursal tem-se desenvolvido de forma estável, alcançando o grande sucesso previsto.

Em 2014, a sucursal irá, insistir na prossecução do conceito «Cliente Preferencial, Serviço de Primeira», procurando, expandir activamente os negócios e oferecer aos clientes diversos serviços com a melhor qualidade.

Gerente-Geral
Alex Chang

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a Gerência do First Commerical Bank Limitda — Sucursal de Macau

As demonstrações financeiras resumidas anexas do First Commercial Bank Limitada — Sucursal de Macau (a Sucursal) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sucursal referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade da Gerência da Sucursal. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto Gerência, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sucursal referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2013 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 28 de Março de 2014.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sucursal, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 24 de Abril de 2014


CHONG HING BANK LIMITED, SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

* Nota

Em Outras Reservas representa uma reserva regulamentar no montante de 3 915 471,45 Patacas. Porque a Sucursal adopta as Normas de Relato Financeiro da RAEM na preparação das suas demonstrações financeiras anuais e as provisões para as perdas de imparidade dos créditos concedidos, podem estes ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso n.º 18/93 — AMCM. A Sucursal na referida reserva regulamentar representa a diferença entre a provisão genérica e as perdas de imparidade do crédito concedido. Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas.

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

MOP

Contas de lucros e perdas

MOP

O Gerente, A Chefe da Contabilidade,
Lau Hing Keung Choi Ka Ching

Síntese do relatório de actividade

No decorrer de 2013, a economia global manteve-se complexa e variável. No entanto, perante as oportunidades surgidas com o desenvolvimento económico da Ásia-Pacífico, nomeadamente com o desenvolvimento constante e acelerado do Interior da China e os beneficios advindos das políticas nacionais, Macau apresenta uma tendência de alta no crescimento da sua economia, abrindo portas para oportunidades de investimentos bancários. Graças ao forte apoio prestado pela Sede e assente no princípio do “Apoio às empresas face às oportunidades comerciais com base num serviço de qualidade”, reforçámos a gestão interna, concretizámos um funcionamento marcado pela eficiência, alargámos a nossa clientela, aumentámos o nosso grupo de clientes previlegiados e obtivémos resultados recordes, dando assim sólidos passos rumo a um novo patamar.

Até 31 de Dezembro de 2013, a receita opercional bruta desta agência foi de 13,41 milhões de patacas, registando-se um aumento de 44% em comparação com o ano passado. O lucro anual livre de impostos foi de 1,68 milhões, registando-se um aumento de 138%. O montante total de depósitos atingiu 300 milhões, registando-se um aumento de 8%. O montante de empréstimos aos clientes atingiu um número recorde de 660 milhões, registando-se um aumento de 174%. O activo total foi de 820 milhões, registando-se um aumento de 81%.

Quanto às perspectivas para 2014, com o aprofundamento da reforma e com o alargamento da abertura no Interior da China, são criadas várias janelas de oportunidades benéficas para o desenvolvimento da economia de Macau, através desta introdução de estímulos, podendo-se assim, prever um futuro próspero para a economia de Macau. Com o forte apoio assegurado pela Sede, esta agência irá literalmente agarrar as oportunidades, reforçar a criatividade e a competitividade, lutando por um melhor desempenho, no sentido de fornecer aos clientes produtos e serviços mais convenientes e com mais qualidade, em reposta à confiança e ao apoio depositado pelos cidadãos de Macau.

O Gerente,
Lau Hing Keung

Síntese do parecer dos auditores externos

Ao Gerente da Sucursal do Chong Hing Bank Limited — Sucursal de Macau

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Chong Hing Bank Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório datado de 30 de Abril de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações da conta corrente com a sede e reserva e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência, a Sucursal criou a provisão genérica para crédito concedido de acordo com o Aviso n.º 18/93-AMCM da Autoridade Monetária de Macau. Esta provisão genérica é apresentada como «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» nas acompanhadas Conta de Lucros e Perdas publicadas como ajustamento da conta do resultado do exercício. A «Reserva Regulamentar» representa a diferença entre a provisão genérica as perdas de imparidade do crédito concedido apresentada na demonstração de alterações da conta corrente com a sede e reserva das demonstrações financeiras para o ano findo. Excepto o acima citado, em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira do Chong Hing Bank Limited — Sucursal de Macau e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Quin Va
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores

Macau, aos 30 de Abril de 2014.


BANK SINOPAC COMPANY LIMITED

SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas do exercício de 2013

MOP

O Gerente da Sucursal, Macau, O Chefe da Contabilidade,
Ben Chiu Cecilia Lo

Síntese do relatório de actividade

No ano de 2013, a Sucursal de Macau teve um crescimento sustentável e a nossa qualidade de activo manteve em boas condições. Os empréstimos aumentaram em 64% em que os depósitos dos clientes cresceram 17% em comparação com o ano anterior. Os lucros depois de impostos atingiram 39.01 milhões de patacas, com um crescimento de 47% em comparação com o ano transacto.

Gostaríamos de aproveitar esta oportunidade para exprimir a nossa apreciação a todos os nossos clientes pelo seu apoio a todos os colegas no seu compromisso e esforço efectuados durante o ano de 2013.

Olhando para o futuro, a nossa Sucursal continuará a cumprir com as regras e regulamentos impostas pelas autoridades de Macau. Adicionalmente, iremos implementar estratégias de gestão financeira e promover os valores e visão da Sede. Iremos trabalhar para reforçar a qualidade contínua dos nossos serviços e contribuir para a prosperidade e desenvolvimento de Macau.

O Gerente da Sucursal, Macau,
Ben Chiu

Síntese do parecer dos auditores externos

Para o Gerente-geral do Bank SinoPac Company Limited — Sucursal de Macau

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Bank SinoPac Company Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 30 de Janeiro de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações da conta corrente com a sede e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira do Bank SinoPac Company Limited — Sucursal de Macau e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Quin Va
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores

Macau, 30 de Janeiro de 2014.


THE BANK OF EAST ASIA, LIMITED, SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

* As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 59 133 647,08 Patacas. Porque a sucursal adopta as Macau Financial Reporting Standards («MFRS») na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas MFRS podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso n.º 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS (antes dos impostos diferidos de 8 063 679,23 patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o «Lucro depois de impostos» e os «Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM» na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente-geral da Sucursal de Macau, Sub Gerente Geral,
Wong Chun Kwan Leong Wai Kun

Síntese do relatório de actividade

Até 31 de Dezembro de 2013, o valor total do crédito e dos depósitos dos clientes no Banco da East Asia, Limitada, Sucursal de Macau ( — ) (esta sucursal) registou, respectivamente, um aumento de 43% e 10% face a igual período do ano anterior. Este ano, esta sucursal alargou o fornecimento de produtos, incluindo a prestação de serviços sobre documentos de exportação em Renminbis e aperfeiçoou as funções de vendas electrónicas, para se adaptar às diversas necessidades dos clientes. Além disso, esta sucursal foi bem sucedida na penetração do mercado das empresas locais, tendo aumentado a base dos seus clientes.

Com a enorme rede de que o Banco da East Asia (China), Limitada (East Asia (China)), subsidiária integral do Banco da East Asia, possui no Interior da China, esta sucursal aumentou a venda de produtos bancários transfronteiriços para reforçar a margem líquida de juros. Para além de ter melhorado as receitas de crédito concedido, esta sucursal envidou também esforço no controlo dos custos, no aumento das actividades bancárias pessoais, de modo que os lucros apurados após deduzido o imposto tiveram um aumento substancial de 175% comparado com o idêntico período do ano anterior, sendo o melhor resultado obtido desde 2001, ano do início das suas actividades.

No futuro esta sucursal vai reforçar, de forma contínua, a cooperação com East Asia (China), para satisfazer as necessidades dos clientes de Macau e das zonas adjacentes designadamente no financiamento transfronteiriço, que tem vindo a aumentar diariamente. Actualmente, existem 1 sucursal e 4 agências em Macau.

Banco de East Asia, Limitada, Sucursal de Macau
Wong Chun Kwan
O Gerente – Geral

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a gerência do Banco da East Asia, Limitada — Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporada na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco da East Asia, Limitada — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 14 de Abril de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas.
KPMG

Macau, aos 14 de Abril de 2014.


BANCO DA CHINA, LIMITADA SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

Patacas

Patacas

Patacas

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

Patacas

Conta de lucros e perdas

澳門元

Patacas

O Director-Geral, O Chefe da Contabilidade,
Ye Yixin Leong Iok Kit

Síntese do Relatório do Desenvolvimento de Actividades

Em 2013, sob a melhoria gradual da economia global, a economia de Macau tem se desenvolvido com estabilidade. Mediante esta oportunidade, este Banco, para além de servir bem os clientes locais, empenhou-se na exploração dos mercados interiores e exteriores, a fim de que negócios de operações diferentes se desenvolvessem rapidamente e saudavelmente.

Em 2013, sob a insistência do seu objectivo como “Radicar-se em Macau e Servir em prol de Macau” e num princípio da ideia de benefícios bancários e sociais de memsa importância, este banco tem dedicado ao desenvolvimento de reconversão e inovação financeira, oferecendo aos cidadãos locais e clientes os serviços financeiros de mais qualidade. Durante o ano de 2013, para além de renovação e decoração das suas várias dependências e 135 equipamentos electrónicos instalados por este banco, este banco lançou, em Macau, os primeiros serviços bancários Weixin (WeChat) com função de transacção e assim, os clientes poderiam experimentar os serviços financeiros ininterruptos “a qualquer hora, em qualquer lugar e à sua vontade”. A fim de coordenar com o Governo da RAEM no âmbito da administração e concretizar a promoção de economia diversificada, este banco lançou, em 2013, uma série de empréstimos para as pequenas e médias empresas a fim de apoiar o desenvolvimento destas em Macau. Ao mesmo tempo, aproveitando as vantagens de sistema económico livre e regime de impostos simples em Macau, este banco empenhou-se na exploração do mercados interiores e exteriores e elevou-se o nível de gestão de negócio internacional, quando foi oferecida aos diversos 500 grandes empresas mundiais uma série de serviços financeiros inovados. No meio de gestão interna, este banco optimizou ainda mais o processo de gestão, reforçando a consciência de observância, focando o exercício legítimo de actividade e fortalecendo o contrôlo contra o risco.

Para propagar o virtude tradicional de Macau como “Ser benevolente e Ajudar uns com outros”, foram organizados várias actividades grandes de caridade pública ao longo do ano de 2013, a fim de contribuir para construir uma sociedade harmoniosa em Macau. O Clube da Obra Social e “Bank of China Macau Youth Association” — as organizações filiais deste Banco organizaram os empregados a praticiparem nas actividades comunitárias de caridade pública e a equipa de voluntários do Banco da China organizou activamente mais de 500 pessoas a visitarem instituições de caridade e grupos vulneráveis, o que foram reconhecidas pelos diversos sectores sociais e obtidos alguns prémios de voluntários.

Em 2014, este banco concretizará o seu objecto estratégico como “Assumir a resposabilidade social e Ser o óptimo Banco”, aprofundará os serviços electrónicos diferentes, enquanto persitir em prestar seus clientes como o alvo de atenção e considerações e ser orientada pela tecnologia, e continuará a oferecer aos clientes um serviço financeiro de alta qualidade, conveniência e adequação. Na ocasião de celebrar o 15º aniversário do Regresso de Macau à Patria em 2014, este Banco, apoiará e coordenará, como de costume, com o Governo da RAEM no âmbito da adminstração segundo a lei e persistirá nos princípios de operação de benefícios bancários e sociais de mesma importância, aproveitando a oportunidade de desenvolvimento com os cidadãos e os clientes e criando um futuro próspero juntamente.

O Director-Geral
Ye Yixin

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas

Para o Director-Geral do Banco da China, Limitada Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporada na República Popular da China)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco da China, Limitada Sucursal de Macau relativas ao exercício de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau e no dia 24 de Março de 2014 expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras.

As demonstrações financeiras compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de rendimentos e gastos reconhecidos a demonstração de fluxos de caixa relativas ao exercício findo, e o resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência são um resumo das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos.

Para a melhor compreensão da posicão de negócios da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ng Kar Ling Johnny, Auditor de Contas
KPMG

Macau, 24 de Março de 2014


BANCO INDUSTRIAL E COMERCIAL DA CHINA (MACAU), S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

PATACAS

PATACAS

Observação: Em «Outras Reservas» estão incluídas as provisões adicionais, no montante total de MOP758.550.000,00, constituídas ao abrigo do disposto no Regime Jurídico do Sistema Financeiro.

PATACAS

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

PATACAS

Conta de lucros e perdas

PATACAS

Presidente, Administrador-delegado e Administrador-Executivo
Zhu Xiaoping

Jiang YishengVice-Presidente, Director-geral e Administrador Executivo
Jiang Yisheng

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013 (consolidado)

PATACAS

PATACAS

Observação: Em «Outras Reservas» estão incluídas as provisões adicionais, no montante total de MOP758.550.000,00, constituídas ao abrigo do disposto no Regime Jurídico do Sistema Financeiro.

PATACAS

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração (consolidado)

PATACAS

Conta de lucros e perdas (consolidado)

PATACAS

Presidente, Administrador-delegado e Administrador-Executivo
Zhu Xiaoping

Jiang YishengVice-Presidente, Director-geral e Administrador Executivo
Jiang Yisheng

Síntese do relatório de actividades

No ano de 2013, devido a uma conjuntura externa complicada, o ICBC (Macau) insistiu pelo cumprimento das directivas estabelecidas pela sociedade-mãe para as suas participadas no exterior, relativas a uma estratégia de desenvolvimento, promovendo a localização da sua gestão e melhorando em permanência as suas competências de concorrência no mercado, reforma e inovação e desenvolvimento sustentável. Paralelamente, procurou-se o desenvolvimento célere e coordenado do activo, passivo e actividades de intermediação, aprofundando uma gestão global do risco, a manutenção e o desenvolvimento da liderança nas principais áreas de actividade, criando um banco de excelência local para a população da RAEM.

Até ao final do ano de 2013, o activo total líquido do Grupo ascendia a MOP 140.500.000.000,00 (cento e quarenta mil e quinhentos milhões de Patacas), o que representou um acréscimo de MOP 23.800.000.000,00 (vinte e três mil e oitocentos milhões de Patacas) em comparação com o ano transacto, correspondente a uma taxa de crescimento de 20,4%. O passivo total ascendia a MOP 130.700.000.000,00 (cento e trinta mil e setecentos milhões de Patacas), o que representou um acréscimo de MOP 22.700.000.000,00 (vinte e dois mil e setecentos milhões de Patacas) comparativamente com o ano transacto e corresponde a um aumento de 20,97%. O saldo dos depósitos (incluindo entidades públicas) avaliou-se em MOP 117.000.000.000,00 (cento e dezassete mil milhões de Patacas), o que representou um acréscimo de MOP 17.600.000.000,00 (dezassete mil e seiscentos milhões de Patacas) em comparação com o ano anterior, correspondente a um aumento de 17,76%. O saldo dos diversos créditos concedidos ascendia a MOP 88.100.000.000,00 (oitenta e oito mil e cem milhões de Patacas), representando um acréscimo de MOP 19.300.000.000,00 (dezanove mil e trezentos milhões de Patacas) em comparação com o ano transacto, equivalente a uma taxa de crescimento de 27,96%. O saldo do rácio de créditos de cobrança duvidosa manteve-se num nível reduzido e as provisões mantiveram-se suficientes, o que reforçou a capacidade para enfrentar qualquer risco.

De acordo com as «Normas de Relato Financeiro de Macau», o Grupo conseguiu em 2013 um lucro, após dedução de impostos, avaliado em MOP 1.349.000.000,00 (mil trezentos e quarenta e nove milhões de Patacas), com uma taxa média ponderada de retribuição do capital e taxa média de retribuição do activo total de, respectivamente, 14,91% e 1,13%. As demonstrações financeiras do Grupo, já auditadas e relativas ano findo em 2013, foram elaboradas de acordo com as «Normas de Relato Financeiro de Macau». Se atendermos ao reforço de provisões previsto no «Regime Jurídico do Sistema Financeiro», o lucro passará a ser de MOP 1.200.000.000,00 (mil e duzentos milhões de Patacas), depois de feito o necessário ajustamento.

O bom comportamento negocial e os resultados positivos de exploração continuamente alcançados pelo Grupo granjearam uma boa apreciação por parte da comunicação social especializada em assuntos económicos e financeiros com prestígio mundial, tendo as publicações «Global Finance» (EUA) e «The Banker» (Reino Unido) atribuído em 2013, ao ICBC (Macau), pelo quinto ano consecutivo, o prémio de melhor banco em Macau.

O ICBC (Macau) pretende enraizar-se mais profundamente em Macau. Em conformidade com o planeamento global do Governo da Região Administrativa Especial de Macau, o ICBC (Macau) reforçará os seus serviços no âmbito de construção de infra-estruturas, de projectos fulcrais para a Região, bem como no que diz respeito aos serviços sociais a serem prestados aos residentes locais, a fim de promover o desenvolvimento da diversificação adequada da economia de Macau, apoiando e contribuindo para o desenvolvimento económico e prosperidade social da Região Administrativa Especial de Macau.

Macau, aos 28 de Março de 2014.

Zhu Xiaoping
Presidente do Conselho de Administração

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Consolidadas Resumidas

Para os accionistas da Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A.
(Sociedade Anónima constituída em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras consolidadas da Banco Industrial E Comercial Da China (Macau), S.A. relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 28 de Março de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras consolidadas das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras consolidadas a que se acima se alude compreendem o balanço consolidado, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados consolidados, a demonstração de alterações no capital próprio consolidado e a demonstração de fluxos de caixa consolidados relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras consolidadas resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras consolidadas anuais auditadas e dos livros e registos do banco. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras consolidadas resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras consolidadas auditadas e os livros e registos do banco.

Para a melhor compreensão da posicão financeira do banco e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras consolidadas resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras consolidadas das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei, Auditor de Contas
KPMG

Macau, 28 de Março de 2014.

Parecer do Fiscal Único

Nos termos do disposto na alínea e) do artigo 25.º dos Estatutos e para os efeitos previstos na mesma disposição legal, o Conselho de Administração do Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A., entregou a esta sociedade de auditores o relatório de actividades e contas auditado e referente ao exercício de 2013, para efeito de parecer.

Depois de examinados os documentos entregues a esta sociedade, para efeitos de emissão do parecer, concluímos que os referidos documentos reflectem, de forma clara, não só a situação patrimonial, mas também a situação financeira e económica do Banco.

O relatório do Conselho de Administração reflecte, de forma precisa, as actividades promovidas e desenvolvidas pelo Banco no ano de exercício ora em apreço.

Tendo em atenção o relatório apresentado pelo auditor externo, esta sociedade concorda com o exposto no referido relatório, sendo que os documentos que serviram de base à elaboração das contas reflectem, de uma forma correcta e real, a situação financeira demonstrada no balanço com data de 31 de Dezembro de 2013, bem como o resultado financeiro do exercício findo em 31 de Dezembro de 2013.

Recapitulando o acima exposto, decidimos aprovar o referido relatório de actividades e contas do Conselho de Administração.

Macau, aos 28 de Março de 2014.

CSC & Associados — Sociedade de Auditores
(Representada por Chui Sai Cheong)
Fiscal Único

Lista das instituições em que o Banco detém participações superiores a 5% do respectivo capital e indicação do valor percentual

Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A.

100%

Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ICBC (Macau), S.A.

100%

Seng Heng Development Company Limited (Incorporado em Hong Kong)

100%

Authosis, Inc. (Incorporado em Cayman Islands)

11%

Companhia de Seguros Luen Fung Hang, S.A.R.L.

6%

Lista dos accionistas qualificados

Industrial and Commercial Bank of China Limited

Sr. Huen Wing Ming, Patrick

Órgãos Sociais

Conselho de Administração

Sr. Zhu Xiaoping

Presidente, Administrador-Delegado e Administrador Executivo

Sr. Jiang Yisheng (Nomeado em 9 de Dezembro de 2013)

Vice-Presidente, Director-Geral e Administrador Executivo

Sr. Shen Xiaoqi (Renunciou em 9 de Dezembro de 2013)

Vice-Presidente, Director-Geral e Administrador Executivo

Sr. Huen Wing Ming, Patrick

Vice-Presidente e Administrador Executivo

Sr. Wu Hongbo

Administrador

Sr. Zhu Wenxin

Administrador

Sr. Cui Jiqian (Nomeado em 8 de Janeiro de 2014)

Administrador

 

Sr.ª Nie Changwen (Renunciou em 8 de Janeiro de 2014)

Administradora

 

Sr. Tong Chi Kin

Administrador

Mesa da Assembleia

Sr. Zhu Xiaoping

Presidente

Sr. Zheng Kai

Secretário

Fiscal Único

CSC & Associados — Sociedade de Auditores (Representada por Sr. Chui Sai Cheong)

 

Secretário de Sociedade

Sr. Zheng Kai


SOCIEDADE FINANCEIRA ICBC (MACAU) CAPITAL, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

PATACAS

PATACAS

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

PATACAS

Conta de lucros e perdas

PATACAS

O Presidente do conselho de administração,

Jiang Yisheng

Síntese do Relatório de Actividades

No ano de dois mil e treze, a Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A., manteve a tendência para um desenvolvimento sustentável, tendo atingido lucros avaliados em MOP 3.340.000,00 (três milhões e trezentas e quarenta mil Patacas), após a dedução de impostos. Até ao final do ano de 2013, o activo total da Sociedade ascendia a MOP 97.230.000,00 (novento e sete milhões e duzentas e trinta mil Patacas), o que representa um crescimento de 3,41%.

Desde o seu estabelecimento, e norteando-se pela estratégia global de desenvolvimento implementada pelo Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A., e retirando vantagens da marca, rede, recursos técnicos e financeiros do “Industrial and Commercial Bank of China Limited”, a sociedade empenhou-se no crescimento financeiro sustentável dos seus activos, fortalecendo continuamente o controlo do risco e assegurando aos seus clientes uma retribuição mais estável e forte dos seus investimentos.

Macau, aos 28 de Março de 2014.

Jiang Yisheng
Presidente do Conselho de Administração

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os accionistas da Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A.
(Sociedade Anónima constituída em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A. relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 28 de Março de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos do sociedade. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos do sociedade.

Para a melhor compreensão da posicão financeira do sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei, Auditor de Contas
KPMG

Macau, 28 de Março de 2014.

Parecer do Fiscal Único

Nos termos do disposto na alínea e) do artigo 23.º dos Estatutos e para os efeitos previstos na mesma disposição legal, o Conselho de Administração da Sociedade Financeira ICBC (Macau) Capital, S.A. entregou a esta sociedade de auditores o relatório de actividades e contas auditado e referente ao exercício de 2013, para efeito de parecer.

Depois de examinados os documentos entregues a esta sociedade, para efeitos de emissão do parecer, concluímos que os referidos documentos reflectem, de forma clara, não só a situação patrimonial, mas também a situação financeira e económica da referida Sociedade.

O relatório do Conselho de Administração reflecte, de forma precisa, as actividades promovidas e desenvolvidas pela Sociedade no ano de exercício ora em apreço.

Tendo em atenção o relatório apresentado pelo auditor externo, esta sociedade concorda com o exposto no referido relatório, sendo que os documentos que serviram de base à elaboração das contas reflectem, de forma correcta e real, a situação financeira demonstrada no balanço com data de 31 de Dezembro de 2013, bem como o resultado financeiro do exercício findo em 31 de Dezembro de 2013.

Recapitulando o acima exposto, decidimos aprovar o referido relatório de actividades e contas do Conselho de Administração.

Macau, aos 28 de Março de 2014.

CSC & Associados – Sociedade de Auditores
(Representada por Chui Sai Cheong)
Fiscal Único

Lista das instituições em que a Sociedade detém participações superiores a 5% do respectivo capital

N/A

 

Lista dos accionistas qualificados

 

Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A.

 

Órgãos Sociais

 

Conselho de Administração

 

Sr. Jiang Yisheng
(Nomeado em 8 de Janeiro de 2014)

Presidente

Sr. Shen Xiaoqi
(Renunciou em 8 de Janeiro de 2014)

Presidente

Sr. Huen Wing Ming, Patrick

Administrador

Sr. Chen Limiao
(Nomeado em 25 de Março de 2013)

Administrador

Sr. Yung Chun Fai, Dickie
(Renunciou em 25 de Março de 2013)

Administrador

Mesa da Assembleia

 

Sr. Zhu Xiaoping

Presidente

Sr. Huen Chung Yuen, Ian

Vice-Presidente

Sr. Zheng Kai Secretário

 

Fiscal Único

 

CSC & Associados — Sociedade de Auditores
(Representada por Sr. Chui Sai Cheong)

 

Secretário de Sociedade

 

Sr. Zheng Kai

Secretário

SOCIEDADE GESTORA DE FUNDOS DE PENSÕES ICBC (MACAU), S.A.

Balanço em 31 de Dezembro de 2013

Patacas

Conta de exploração do exercício de 2013

Patacas

Conta de ganhos e perdas do exercício de 2013

Patacas

O Presidente do Coneselho de Administração,

Jiang Yisheng

Síntese do Relatório de Actividades

No ano de dois mil e treze, a Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ICBC (Macau), S.A., manteve a tendência para um desenvolvimento sustentável, tendo atingido lucros avaliados em MOP 8.150.000,00 (oito milhões e cento e cinquenta mil Patacas), após a dedução de impostos. Até ao final do ano de 2013, o activo total desta Sociedade ascendia a MOP 96.310.000,00 (novento e seis milhões e trezentas e dez mil Patacas), o que representa um crescimento de 23,05%.

O valor de mercado dos activos sob gestão desta Sociedade foi calculado em mais de MOP 1.101.000.000,00 (mil cento e um milhão de Patacas), o que traduziu um aumento na ordem de 19,68% em relação ao ano transacto.

Desde o seu estabelecimento, e norteando-se pela estratégia global de desenvolvimento implementada pelo Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A., e retirando vantagens da marca, rede, recursos técnicos e financeiros do «Industrial and Commercial Bank of China Limited», a Sociedade empenhou-se em ascender a líder de mercado e da actividade gestora de fundos de pensões, sendo a mais procurada por clientes de Macau, a quem presta serviços de gestão de fundos de pensões cada vez mais seguros e de acesso fácil e rápido.

Macau, aos 28 de Março de 2014.

Jiang Yisheng
Presidente do Conselho de Administração

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas

Para os accionistas da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ICBC (Macau), S.A.
(Sociedade Anónima constituída em Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ICBC (Macau), S.A. relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 28 de Março de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos do sociedade. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos do sociedade.

Para a melhor compreensão da posicão financeira do sociedade e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei,
Auditor de Contas
KPMG

Macau, 28 de Março de 2014

Parecer do Fiscal Único

Nos termos do disposto na alínea e) do artigo 24.º dos Estatutos e para os efeitos previstos na mesma disposição legal, o Conselho de Administração da Sociedade Gestora de Fundos de Pensões ICBC (Macau), S.A. entregou a esta sociedade de auditores o relatório de actividades e contas auditado e referente ao exercício de 2013, para efeito de parecer.

Depois de examinados os documentos entregues a esta sociedade, para efeito de emissão de parecer, concluímos que os referidos documentos reflectem, de forma clara, não só a situação patrimonial, mas também a situação financeira e económica da referida Sociedade.

O relatório do Conselho de Administração reflecte, de forma precisa, as actividades promovidas e desenvolvidas pela Sociedade no ano de exercício ora em apreço.

Tendo em atenção o relatório apresentado pelo auditor externo, esta sociedade concorda com o exposto no referido relatório, sendo que os documentos que serviram de base à elaboração das contas reflectem, de forma correcta e real, a situação financeira demonstrada no balanço com data de 31 de Dezembro de 2013, bem como o resultado financeiro do exercício findo em 31 de Dezembro de 2013.

Recapitulado o acima exposto, decidimos aprovar o referido relatório de actividades e contas do Conselho de Administração.

Macau, aos 28 de Março de 2014.

CSC & Associados — Sociedade de Auditores
(representada por Chui Sai Cheong)
Fiscal Único

Lista das instituições em que a Sociedade detem participações superiores a 5% do respectivo capital

N/A

 

Lista dos accionistas qualificados

 

Banco Industrial e Comercial da China (Macau), S.A.

 

Órgãos Sociais

 

Conselho de Administração

 

Sr. Jiang Yisheng
(Nomeado em 8 de Janeiro de 2014)

Presidente

Sr. Shen Xiaoqi
 
(Renunciou em 8 de Janeiro de 2014)

Presidente

Sr. Huen Wing Ming, Patrick

Administrador

Sr. Cheng Wing Fai

Administrador

Sr. Yung Chun Fai, Dickie
(Mandato até 31 de Janeiro de 2013)

Administrador

Mesa da Assembleia

 

Sr. Zhu Xiaoping

Presidente

Sr. Zheng Kai

Secretário

Fiscal Único

 

CSC & Associados – Sociedade de Auditores
(Representada por Sr. Chui Sai Cheong)

 

Secretário de Sociedade

 

Sr. Zheng Kai

Secretário

THE HONGKONG AND SHANGHAI BANKING CORPORATION LIMITED

Sucursal de Macau

Incorporated in the Hong Kong SAR with limited liability

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

* Nota

As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 124,429,663.08 Patacas. Porque a sucursal adopta as International Financial Reporting Standards («IFRSs») na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas IFRSs podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das IFRSs. Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o «Lucro depois de impostos» e os «Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM» na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Chief Executive Officer Macau,

Chief Financial Officer Macau,

Lau Pak Hung

Kenny Wong

Síntese do Relatório de Actividade — 2013

Receitas mantiveram-se estáveis e os Lucro Antes de Impostos diminuíram em 11% para MOP 283.3 milhões (MOP 319.3 milhões em 2012) à medida que a actividade se consolidou.

Activos cresceram 11% para MOP 17 991 milhões (MOP 16 271 milhões em 2012).

Em 2013, em linha com a nossa estratégia global de construção de um modelo de negócio diferenciado e sustentável, interrompemos a comercialização de uma série de produtos e serviços bancários. A extinção dessas actividades resultou na redução do rendimento líquido e do lucro de tesouraria em 11% e 2%, respectivamente. No entanto, acreditamos que estamos agora em melhor posição para providenciar as soluções e resultados adequados aos nossos clientes com base nas nossas capacidades em Macau.

O HSBC Macau registou uma receita estável de MOP 522 milhões e um Lucro Antes de Impostos de MOP 283.3 milhões em 2013, inferior a 2012 em MOP 36 milhões ou 11%. O rendimento de juros líquido aumentou 7% devido ao crescimento de adiantamentos a clientes e às imparidades do crédito que foram contidas em resultado da melhoria da qualidade dos activos. Os custos foram geridos com vista à realização da nossa estratégia de negócio.

Adiantamentos a clientes cresceram 21% em vários sectores de actividade devido ao dinamismo da economia em Macau, enquanto os depósitos de clientes aumentaram 3% em resultado da feroz concorrência no mercado local.

Em 2013 fortalecemos a nossa estrutura de governação, bem como os sistemas e procedimentos internos, visando a melhoria da gestão de riscos operacionais e risco de criminalidade financeira. Simultaneamente constituímos uma equipa de gestão mais forte, com o intuito de impulsionar o crescimento futuro da actividade.

Aproveitamos esta oportunidade para agradecer aos nossos estimados clientes o seu apoio constante e à nossa equipa o seu dedicado empenho.

Lau Pak Hung
Director Executivo — Macau

Síntese do Parecer dos Auditores Externos

Para a Director Executivo do The Hongkong and Shanghai Banking Corporation Limited — Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado em Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do The Hongkong and Shanghai Banking Corporation Limited — Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 15 de Maio de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de reconhecido pagamento e gastos e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, e o resumo das politícas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 15 de Maio de 2014.


BANCO WING LUNG, LIMITADA ­— SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Gerente-general,

A Chefe da Contabilidade,

Guo Zhihang

Tang Ying


BANCO CITIC INTERNACIONAL (CHINA) LIMITADA SUCURSAL DE MACAU

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

Para informações financeiras consulte a nossa página web da nossa Sede: http://www.cncbinternational.com/international/banking-in-macau/en/index.jsp

MOP

* Nota:

As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 2,959,115 patacas. Porque a sucursal adopta as Macau Financial Reporting Standards («MFRS») na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas MFRS podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS (antes do impostos diferidos de 403,515.67 patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha» Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o «Lucro depois de impostos» e os «Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM» na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

MOP

Conta de Exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

Subdirector Geral Executivo e

A Chefe da Contabilidade,

Director da Sucursal, Sucursal de Macau,

Desmond Wong

Emily Sio

Resumo do Relatório Operacional

Apesar do aumento de concorrência em 2013 conseguimos manter os lucros a níveis semelhantes aos do ano anterior, com um lucro líquido de MOP31,5 milhões em 2013. Registou-se um reduzido decréscimo de 3,7% quando comparado com os MOP32,7 milhões de 2012. Por outro lado, os nossos activos dos empréstimos e os depósitos de clientes mostraram um aumento de 13% e de 73% respectivamente. A elevada procura de empréstimos deveu-se largamente a mais empréstimos hipotecários e negócios intra-fronteiriços enquanto que o crescimento dos depósitos se deveu principalmente ao aumento no prazo dos depósitos.

Como a economia de Macau se tem continuado a expandir devido ao apoio do Governo Central, vamos continuar a concentrar os nossos esforços na área da Banca Comercial, incluindo o financiamento comercial, crédito comercial, financiamento hipotecário, o financiamento de projectos e os Negócios Transfronteiriços em RMB. Ao mesmo tempo vamos continuar a trabalhar em estreita colaboração com as nossas sucursais em Hong Kong e no exterior, bem como com as sucursais da nossa empresa-mãe no Interior da China, para podermos prestar serviços eficientes e de qualidade aos nossos clientes locais e no exterior.

Por fim, queremos aproveitar esta oportunidades para expressar os nossos sinceros agradecimentos ao Governo da Região Administrativa Especial de Macau pelo seu apoio contínuo, bem como aos nossos clientes, instituições financeiras parceiras e aos nossos funcionários pelos seus esforços no ano transacto.

Desmond Wong
Sub Director Geral Executivo e Director da Sucursal, Sucursal de Macau

Síntese do Parecer dos Auditores Externos

Para a gerência do Banco CITIC Internacional (China) Limitada Sucursal de Macau (Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporada na Região Administrativa Especial de Hong Kong)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco CITIC Internacional (China) Limitada Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 13 de Maio de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações na conta da sede e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 13 de Maio de 2014.


STANDARD CHARTERED BANK — SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2013

MOP

MOP

1. As Outras Reservas incluem uma reserva genérica de 16 642 193.67 Patacas e uma reserva específica de 1 494 526.27 Patacas. porque a Sucursal adopta as Financial Reporting Standards of the Macau SAR («MFRS») na preparação das suas demonstrações financeiras anuais, as perdas de imparidade com base nas MFRS podem ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas e provisões específicas calculadas de acordo com o Aviso n.º 18/93 da AMCM (o nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS (antes dos impostos diferidos de 2 176 458.00 Patacas). Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas, está reconciliado entre o «Lucro depois de impostos» e os «Resultados do ano de acordo com as regras da AMCM» na Conta de exploração das demonstrações financeiras auditadas anuais.

Demonstração de resultados do exercício de 2013

Conta de exploração

MOP

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente da Sucursal de Macau,

O Chefe da Contabilidade,

Wong Wai Hing, Simon

Kan, Cheok Lam

Relatório de Gestão 2013

A direcção tem o prazer de anunciar os resultados da Sucursal de Macau do Standard Chartered Bank («A Sucursal») para o exercício findo a 31 de Dezembro de 2013.

Actividades Principais

A Sucursal faz parte do Standard Chartered Bank, um banco constituído no Reino Unido e registado na Inglaterra e País de Gales. As principais actividades da Sucursal envolvem a prestação de serviços bancários comerciais e serviços financeiros relacionados.

Resultados de 2013

O lucro antes de impostos aumentou em 63%, de 33,347 milhões de Patacas para 54,433 milhões de Patacas. A receita dos juros líquidos diminuiu em 26% para 35,305 milhões de Patacas. Outras receitas, incluindo as receitas de emolumentos e comissões aumentaram em 6% relativamente a 2012. O total de proveitos operacionais diminuiu em 12% para 67,977 milhões de Patacas.

As despesas operacionais diminuíram 2% em 2013 para 10,632 milhões de Patacas. As perdas por imparidade em empréstimos e adiantamentos diminuíram em 30,533 milhões de Patacas em comparação com 2012. O lucro depois de impostos foi de 47,886 milhões de Patacas, um aumento de 18,522 milhões de Patacas relativamente aos 29,364 milhões de Patacas registados em 2012.

O resultado da exploração do exercício elaborado conforme o regulamento da Autoridade Monetária de Macau apresenta um lucro de 44,642 milhões de Patacas, registando-se um aumento de 7,286 milhões de Patacas em comparação com os 37,356 milhões de Patacas registados no ano de 2012.

O Director da Sucursal do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau

Simon Wong

Aos 28 de Maio de 2014.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para o gerente-geral do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporado no Reino Unido)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Standard Chartered Bank, Sucursal de Macau relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 7 de Maio de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que se acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da Sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiai, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da Sucursal.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações fianceiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Ieong Lai Kun, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 7 de Maio de 2014.


華南商業銀行股份有限公司澳門分行

(根據七月五日法令第32/93/M號核准之金融體系法律制度第七十六條公告)

資產負債表於二零一三年十二月三十一日

澳門幣

澳門幣

澳門幣

二零一三年營業結果演算

營業賬目

澳門幣

損益計算表

澳門幣

總經理

會計主任

張健南

辛春美

二零一四年四月二十五日於澳門

業務報告之概要

華南商業銀行創立於西元一九一九年,總行設於台灣台北市,現有資本額新台幣630.89億元,二零一二年五月十六日,在澳門特區政府核准及各界支持下,澳門分行正式開業,開業以來,各項業務穩定推展。

展望二零一四年,本分行將持續秉持著我們【誠信、效率、主動、責任、合作】的核心價值,積極拓展業務,為客戶提供更多元化及更優質服務。

華南商業銀行股份有限公司 澳門分行
總經理 張健南

二零一四年五月十四日

外部核數師意見書之概要

致華南商業銀行股份有限公司澳門分行管理層:

華南商業銀行股份有限公司澳門分行(「貴分行」)截至二零一三年十二月三十一日止年度隨附的摘要財務報表乃撮錄自 貴分行截至同日止年度的已審核財務報表及 貴分行的賬冊和記錄。摘要財務報表由二零一三年十二月三十一日的資產負債表以及截至該日止年度的損益表組成,管理層須對該等摘要財務報表負責。我們的責任是對摘要財務報表是否在所有重要方面均與已審核財務報表及貴分行的賬冊和記錄符合一致,發表意見,僅向管理層報告,除此之外本報告別無其他目的。我們不會就本報告的內容向任何其他人士負上或承擔任何責任。

我們按照澳門特別行政區政府頒布的《核數準則》和《核數實務準則》審核了貴分行截至二零一三年十二月三十一日止年度的財務報表,並已於二零一四年三月三十一日就該財務報表發表了無保留意見的核數師報告。

上述已審核的財務報表由二零一三年十二月三十一日的資產負債表以及截至該日止年度的損益表、儲備金變動表和現金流量表組成,亦包括重大會計政策的摘要和解釋附註。

我們認為,摘要財務報表在所有重要方面,均與上述已審核的財務報表及 貴分行的賬冊和記錄符合一致。

為更全面了解 貴分行的財務狀況和經營結果以及核數工作的範圍,隨附的摘要財務報表應與已審核的財務報表以及獨立核數師報告一併閱讀。

張佩萍
註冊核數師
羅兵咸永道會計師事務所

澳門,二零一四年四月二十五日


COMPANHIA DE LOCAÇÃO FINANCEIRA INTERNACIONAL LAND TAI FUNG (MACAU), S.A.

(Publicações ao abrigo do artigo 75 do RJSF aprovado pelo Decreto-Lei no. 32/93M, de 5 de Julho)

BALANÇO ANUAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013

MOP

MOP

MOP

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS DO EXERCÍCIO DE 2013

CONTA DE EXPLORAÇÃO

MOP

CONTA DE LUCROS E PEDDAS

MOP

Administração Gerente Geral Adjunto
Lou Xiao Ying Liang Jian Hua

Macau, 7 de Maio de 2014

Relatório do Conselho de Administração

O Conselho apresenta, a seguir, o relatório anual desta Companhia reportado até 31 de Dezembro de 2013 e a conta examinada para efeitos de apreciação.

Síntese do relatório de actividade

A Companhia de Locação Financeira Internacional Land Tai Fung (Macau), S.A., foi constituída para exercer as actividades de locação financeira, segundo o Decreto-Lei n° 51/93/M de 20 de Setembro e o Decreto-Lei n° 32/93/M de 5 de Julho que aprovou o Regime Jurídico do Sistema Financeiro, cuja inauguração oficial teve lugar em 5 de Novembro de 2013 na Região Administrativa Especial de Macau. As principais actividades desta companhia são: locação, locação financeira, tratamento e recuperação do valor residual do bem locado, receber a caução do locatário, alienar aos bancos comerciais o valor da locação que devem cobrar, emitir títulos de créditos financeiros autorizados, empréstimos interbancários, contrair empréstimos junto das instituições financeiras, empréstimos em divisas estrangeiras ao exterior, prestação de consulta económica e prestação de serviço de garantia.

Para 2014, empenharemos no desenvolvimento das actividades para fornecer serviços mais diversificados e de qualidade aos nossos clientes.

O Presidente do Conselho de Administração

GAO JISHENG

19 de Março de 2014

Órgãos principais

Assembleia Geral de accionistas

Presidente: GAO JISHENG

Secretário: WANG YINA

Conselho de Administração:

Presidente: GAO JISHENG

Vice-Presidente: CHUI KAI CHEONG

Administrador: JIANG WEIFENG

Administrador: CHEN YIFENG

Administradora: LOU XIAOYING

Administrador: DENG YONGWU

Administrador: CHAN KIM PENG

Fiscal Único: MOK CHI MENG (CSC & Associados – Sociedade de Auditores)

Gerente-Geral-Adjunto: LIANG JIANHUA

Secretário da Companhia: WANG YINA

O Presidente do Conselho de Administração

GAO JISHENG

19 de Março de 2014

Accionistas qualificados

De acordo com o registo dos accionistas desta Companhia, até 31 de Dezembro de 2013, os accionistas que detêm as acções desta companhia são:

Nome do accionista

Quantidade das acções

Valor das acções

Gao Jisheng

223.200

22.320.000

Sociedade de Locação Financeira Nam Kuong Lam Kam (Internacional), Limitada

195.300

19.530.000

Banco Tai Fung S.A.

139.500

13.950.000

Empresas cuja percentagem do respectivo capital é superior a 5% ou empresas cuja percentagem do seu capital próprio é superior a 5%: Não existe

Parecer do Fiscal Único

Após a apreciação do balancete, das contas, do relatório anual do ano de 2013 e do relatório de auditoria emitido pela Lowe Bingham & Mathews — PricewaterhouseCoopers, considero que as contas e os documentos apresentados reflectem adequadamente a situação financeira do ano 2013 da Companhia de Locação Financeira Internacional Land Tai Fung (Macau), S.A., bem como reflectem o resultado da sua actividade até ao dia 31 de Dezembro do mesmo ano.

Face ao exposto, concordo com a aprovação do balancete, da demonstração financeira e do relatório anual do Conselho de Administração.

Fiscal Único

MOK CHI MENG

Auditor inscrito
CSC & Associados – Sociedade de Auditores

Macau, aos 19 de Março de 2014

SÍNTESE DO PARECER DOS AUDITORES EXTERNOS

PARA OS ACCIONISTAS DA companhia de LOCAÇÃO financeira internacional Land tai fung (macau), s.a.
(constituída em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas da Companhia de Locação Financeira Internacional Land Tai Fung (Macau), S.A. (a Sociedade) referentes ao período findo em 31 de Dezembro de 2013 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sociedade no período compreendido entre a data de constituição, 3 de Outubro de 2013 e 31 de Dezembro de 2013. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013 e a demonstração dos resultados no período compreendido entre a data de constituição, 3 de Outubro de 2013 e 31 de Dezembro de 2013, são da responsabilidade do Conselho de Administração da Sociedade. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Exas. enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sociedade, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sociedade no período compreendido entre a data de constituição, 3 de Outubro de 2013 e 31 de Dezembro de 2013 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre essas demonstrações financeiras, no relatório datado de 20 de Março de 2014.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2013, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa no período compreendido entre a data de constituição, 3 de Outubro de 2013 e 31 de Dezembro de 2013, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sociedade.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sociedade, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng, Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, 7 de Maio de 2014


SUN HUNG KAI INVESTMENT SERVICES LIMITED (SUCURSAL DE MACAU)

Demonstração de resultados referente ao exercício de 1 de Janeiro de 2013 a 31 de Dezembro de 2013

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

MOP

Pelo Gerente da Sucursal de Macau,
Kong Siu Tin
Representante de Operações Filiais

Chefe de Operações Filiais,
Wong Mei Po

Balanço em 31 de Dezembro de 2013

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

MOP

Síntese do Relatório de Actividade

Resultados Financeiros

A Sun Hung Kai Investment Services Limited — Sucursal de Macau (a “Sucursal”) registou um rendimento total para o ano findo em 31 de Dezembro de 2013 de MOP18 710 725, com um lucro líquido depois de impostos de MOP4 287 350.

Actividades em Revista

O desempenho do mercado de investimento está a recuperar-se gradualmente após a crise financeira internacional e a confiança dos investidores no investimento em acções também aumentou. A recuperação do mercado no 2.º semestre do ano de 2013 e a listagem sucessiva de novas acções em 2013 contribuíram para aumentar as transacções no mercado de acções de Hong Kong, de modo que as actividades dos corretores desta Sucursal foram melhoradas. Em 2013, nesta Sucursal, as actividades gerais dos corretores aumentaram, assim como as de outros produtos financeiros, como futuros de acções e os produtos relacionados com as acções. Pelo que, as receitas de operação de 2013 desta Sucursal aumentaram 83% em relação ao ano passado e devido à estagnação das despesas de operação, o lucro, após deduzido de impostos, aumentou de forma significativa, 147% mais do que no ano anterior.

Desenvolvimento da Actividade

Em 2014 a Sucursal de Macau continuará junto da comunidade a organizar seminários sobre investmentos e gestão financeira com o objectivo de servir os residentes de Macau como a nossa missão. Iremos também alargar formação e promoção do profissionalismo aos agentes e consultores locais de gestão financeira para oferecer serviços de gestão financeiro “one-stop” para os nossos clientes identificados. A Sucursal continuará recrutar especialistas financeiros e activamente dará formação aos graduados da universidade local para tornarem-se consultores financeiros profissionais qualificados. Pretendemos promover a formação de gestão financeira à comunidade e contribuir com o nosso esforço para o desenvolvimento da indústria financeira de Macau.

Actuando como uma intermediária financeira de liderança, o Grupo Financeiro Sun Hung Kai dedica-se a obter o valor intrínseco de «Excelência, Integridade, Prudência, Profissionalismo, Inovação». Como membro do grupo, a Sucursal de Macau segue o mesmo caminho para oferecer aos residentes de Macau serviços de alta qualidade.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a gerência da Sun Hung Kai Investment Services Limited (Sucursal de Macau)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Sun Hung Kai Investment Services Limited (Sucursal de Macau) relativas ao ano de 2013, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório datado de 14 de Maio de 2014, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2013, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira da Sun Hung Kai Investment Services Limited (Sucursal de Macau) e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangidos pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Quin Va
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores

Macau, aos 14 de Maio de 2014.


    

Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
Get Adobe Reader