Número 21
II
SÉRIE

Quarta-feira, 22 de Maio de 2013

REGIÃO ADMINISTRATIVA ESPECIAL DE MACAU

      Anúncios notariais e outros

第 一 公 證 署

證 明

基層力量協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一三年五月十日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號50/2013。

基層力量協會

章程

第一章

總則

第一條

名稱和會址

本會訂定中文名稱為“基層力量協會”,中文簡稱為“基層力量”。會址設於澳門馬場北大馬路45號海景園地下R鋪,而經本會理事會的決議,本會會址可遷至本澳任何地方。

第二條

本會宗旨

本會為非牟利團體。宗旨為促進澳門居民之愛國愛澳精神,以全面貫徹落實基本法,研究澳門狀況,反映社情民意,維護居民權益,伸張社會公義,監督政府施政,推動澳門可持續發展。

第二章

會員

第三條

會員資格

凡滿18歲本澳居民,認同本會宗旨並承認、遵守本會章程,填具入會申請表,經理事會批准及繳交會費後方可成為本會會員。

第四條

會員權利和義務

一、會員的權利:

1. 參加會員大會和表決議案的權利;

2. 享有選舉權和被選舉權;

3. 對本會會務享有批評和建議權;

4. 參與本會所舉辦的一切活動;

5. 有退出本會自由。

二、會員的義務

1. 貫徹本會宗旨;

2. 維護本會聲譽;

3. 參與會務工作;

4. 遵守章程,落實會員大會通過的決議;

5. 繳交會費。

第五條

會員紀律制度

對違反本會章程、決議者,經由三名理事會或監事會成員聯署向理事會提出譴責動議,再經理事會通過後,發出書面申誡。如有作出嚴重損害本會聲譽的行為者,經理事會決議通過後開除會籍。

第三章

組織

第六條

組織及架構

本會組織架構:

1. 會員大會

2. 理事會

3. 監事會

第七條

會員大會

會員大會為本會最高權力機構,由全體會員組成,設會長一名及副會長若干名,任期3年,總數為單數。由應屆首次會員大會推選產生。連選得連任。會員大會每年召開一次,由會長召集,可因應特別情況或經五分之一會員聯署而召開特別會議。大會召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收方式為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。並須過半數會員出席方為有效;如遇到出席會員大會的法定人數不足,會議可於召集書所列時間的三十分鐘後不論出席人數多寡而再次召開。會議的決議要以絕對多數票贊成通過。

會員大會職權如下:

1. 修改本會章程;

2. 選舉各組織架構領導成員;

3. 決定本會會務方針及作出決議;

4. 審議理事會的工作報告及財務報告;

5. 審議監事會的報告。

第八條

理事會

理事會為本會會務的執行機構,負責管理本會會務。由會員大會推選不少於五名之單數成員組成,任期三年。理事會設理事長一名、副理事長若干名,連選得連任。

理事會會議每年舉行一次,由理事長召集;或因應其不少於三分之一成員,以聯署方式並提出議程要求而召開。理事會會議須有過半數成員出席會議方為有效。

理事會職權如下:

1. 負責執行會員大會決議;

2. 制定本會工作計劃和實施方案;

3. 選舉正、副理事長及常務理事成員;

4. 處理各項會務工作;

5. 建議、委派人員代表本會出席對外活動或會議;

6. 任免本會法人代表;

7. 設置及撤銷專責工作部委並任免相關負責人;

8. 解釋本會章程;

9. 制定本會內部運作規章;

10. 執行會員紀律制度;

11. 聘請會務顧問。

第九條

常務理事會

常務理事會為理事會的常設機構,負責處理日常會務,由最少一名之單數成員組成。常務理事會會議由理事長召集,須有不少於三分二成員出席會議方為有效。

第十條

監事會

監事會為本會的監事機構,由會員大會推選最少三名之單數成員組成,任期三年。監事會設監事長一名、副監事長一名、監事若干名,連選得連任。

監事會職權如下:

1. 列席理事會會議,查閱理事會會議記錄,監督理事會工作;

2. 稽核本會財務收支;

3. 向會員大會提出報告;

4. 接受會員投訴,並作出處理。

第四章

經費

第十一條

經費來源

1. 會員會費;

2. 籌募、社會捐贈和政府機構資助;

3. 其他合法收益。

第五章

補充規定

第十二條

修改章程

修改章程的決議,須獲出席會員大會會員四分之三之贊同票。解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分之三之贊同票。

本章程如有不盡之處,可經會員大會進行修章通過;若本章程未列明之事項,將按澳門現行之有關法律規定補之。

本會附上會徽如下:

二零一三年五月十日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

澳門免廢生活協會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一三年五月十日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號48/2013。

澳門免廢生活協會章程

第一章

總則

第一條——名稱

本會中文名稱為“澳門免廢生活協會”;英文名稱為 “Macau Free Cycle Association”。

第二條——宗旨

本會屬非牟利團體,其存續不設限期。宗旨為關心環保議題。透過宣傳,舉辦環保、節能減廢活動及參與各地區交流等,提倡珍惜資源及愛護環境;鼓勵使用循環材質及能源,或有機、可回收的產品,舉辦循環再用分享會、體驗有機耕種、推廣天然食品及用品、節能電器及應用等,推動環保產業。

第三條——會址

本會會址設於澳門罅些喇提督馬路131號華隆工業大廈11樓。

第二章

會員及架構

第四條——會員資格

認同本會章程之人士,均可申請成為會員。

第五條——會員權利及義務

有參與本會所舉辦的各項活動之權;可出席會員大會並有發言權、提名權、選舉權;可享受本會為會員提供的一切權益,互通資訊,資源分享;會員須遵守章程及決議及繳交會費;不得作出損害本會聲譽的行為。

第六條——資料之保密

會員的所有個人資料絕對保密,未經本會同意絕對不容許透露予第三者;會員資料如有任何更改,須通知本會更新。

第三章

組織機構

第七條——會員大會

會員大會為最高權力機構,設主席一名,有權制訂及修改會章、選舉和任免理事會及監事會成員、訂定會費;會員大會由理事會每年召開一次,大會之召集須最少提前八日以掛號信方式或透過簽收方式而為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程;在特殊情況下及指明事由,經五分之一以上的會員要求可召開特別會員大會,並由監事會或理事會主持;會員大會須在過半數會員出席方為有效,如遇流會,於半小時後重新召開,無論多少會員出席均為有效。修改章程之決議,須獲出席會員四分之三之贊同票。解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分之三之贊同票。

第八條——理事會

本會理事會為最高執行機構,理事會成員總數永遠為單數,設理事長一人、副理事長、秘書等,任期三年,連選得連任。理事會有權召開會員大會、執行會員大會的所有決議、管理會務及發表工作報告。

第九條——監事會

本會監事會負責監督及審核理事會工作。監事會成員總數永遠為單數。設監事長一人、副監事長、秘書等,任期三年,連選得連任。

第四章

財政

第十條——經費

(一)政府、機構、社團及各界人士捐贈或資助;

(二)本會活動的收費及會員會費;

(三)其他合法收入。

二零一三年五月十日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


第 一 公 證 署

證 明

澳門工人文化影藝會

為公佈的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一三年五月十日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號49/2013。

澳門工人文化影藝會

章程

第一章

會名、會址、組成及宗旨

第一條——本會名稱為“澳門工人文化影藝會”。會址設於澳門黑沙環中街373號廣福祥花園第七座地下CR舖。

第二條——本會是由熱愛文化影藝人員組成的非牟利團體。

第三條——本會宗旨愛國愛澳。配合政府文化、藝術、旅遊策略,爭取本地工人的合法權益,積極參與澳門公益事業,支持澳門特區依法施政,廣泛開展文化藝術影視交流,提高文化素質的各類活動。

第二章

會員

第四條——任何認同本會宗旨、支持本會會務建設者,可申請成為本會會員。

第五條——會員加入本會採取完全自願原則,入會自願,退會自由。

第六條——會員大會有權批准會員加入,加入本會填寫申請表格。會員有選舉權和被選舉權。會員有義務遵守澳門法律,為社會服務,提高本會聲譽。

第三章

組織架構

第七條——本會的架構為:

1. 會員大會;

2. 理事會;

3. 監事會。

第八條——會員大會是本會最高權力機關,由全體會員組成,每年最少召開會議一次。會員大會由本會會長、副會長、秘書負責主持。會員大會會議須至少過半數會員出席才可舉行,若不足規定人數,會議押後半小時舉行,不論出席人數多少,均為有效會議。大會召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收方式為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程。

第九條——會長對外代表本會,對內領導本會工作,副會長協助會長工作。 會長不能視事時,由副會長暫代其職務。會員大會主席團任期三年,可連選連任。

第十條——理事會是本會的執行機關,負責日常會務工作,由會員大會選出若干成員,總人數須為單數,其職務以互選方式產生,包括理事長一名,副理事長若干名,秘書一名,理事若干名,每屆任期三年,可連選連任。

第十一條——理事長負責本會一切內外事務,處理賬目開支。執行正、副會長及監事長的共同決定,以及會員大會通過的決議。

第十二條——監事會負責監督理事會的日常運作,由會員大會選出若干名成員,總人數須為單數,每屆任期三年,可連選連任。

第十三條——監事會成員的職務以互選方式產生,監事長一人,副監事長若干名。任期三年。可連選連任。

第十四條——本章程解釋權歸本會理、監事會,若修改章程的決議,須獲出席會員大會會員四分之三之贊同票。解散法人或延長法人存續期之決議須獲全體會員四分之三之贊同票。

第四章

相關制度、經費

第十五條——本會開支需請示會長同意,並送理事長、監事長審議後,會長、理事長、監事長簽名後方可報銷。

第十六條——本會的收入主要為會員會費及社會人士捐助,政府機關資助。

第十七條——其它相關制度,可在理、監事會議上提出,研究後執行。

二零一三年五月十日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

演辯人同盟

中文簡稱為“演辯盟”

葡文名稱為“Liga de Eloquência e Debate em Macau”

葡文簡稱為“LEDM”

英文名稱為“Macao Speech & Debate League”

英文簡稱為“MSDL”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一三年五月十日,存檔於本署之2013/ASS/M2檔案組內,編號為113號,有關條文內容如下:

演辯人同盟章程

第一條

名稱

本社團中文名稱為“演辯人同盟”,中文簡稱“演辯盟”;葡文名稱為“Liga de Eloquência e Debate em Macau”,葡文簡稱為“LEDM”;英文名稱為“Macao Speech & Debate League”,英文簡稱為“MSDL”,以下簡稱“本會”。

第二條

法人住所

法人住所設於澳門擺華巷德泰大廈第三期6樓G室,倘有需要,可透過理事會決議更改,以及可在外地設立辦事處。

第三條

宗旨

本會宗旨為集合和培養本地優秀辯論和演講人才,關心社會,推廣辯論文化,鼓勵獨立思考。

第四條

會員

凡本澳愛好演辯文化活動,認同及遵守本會章程,均可申請入會,經理事會批准並按規定繳納會費者,方為會員。

凡連續成為會員達五年者,自動成為“永久會員”;

會員享有選舉權、被選舉權、罷免權及其他權利,以及須履行相關義務。

第五條

組織及職權

本會組織機關為會員大會主席團、理事會、監事會。領導機關成員任期為三年,連選得連任。

會員大會的組織及職權如下:

(一)為本會最高權力機關,設立不少於三名且總數為單數的主席團,其中一人為會長;

(二)會員大會至少每年召開一次平常大會,且大會之召集最少提前八日以掛號信或簽收方式為之。召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程,會員大會在超過半數會員出席時方能召開,若出席人數不足,半小時後作第二次召開,屆時則不論出席人數多少均視為有效;

(三)會員大會具有選舉領導機關成員;修改本會章程及制定內部規章;制定本會工作方針及重要事項;審議及通過理事會工作報告及年度帳目,以及監事會意見書等職權。以上修改章程的決議,須獲出席社員四分之三之贊同票。解散法人之決議,亦須獲全體會員四分之三通過方為生效。

理事會為本會行政管理機關,由不少於五名且總數為單數的成員組成,其中一人為理事長。理事會具有召開會員大會;執行會員大會決議;管理行政及財政運作;計劃會務發展;編製年度活動報告及財務執行報告;決定會員的錄取等職權。

監事會為本會監察機關,由不少於三名且總數為單數的成員組成,其中一人為監事長。監事會具有監察理事會的運作;對會務及財務管理作出意見;以及審核本會年度活動報告及財務執行報告等職權。

各機關得按需要委任不具有領導機關成員身份的職務成員,具體由內部規章訂定。

第六條

顧問

經理事會決定,可聘請熱心社會人士為本會具不同職銜的顧問若干人。

第七條

經費

經費來源為會員會費、贊助、捐款、資助、活動收益及其它合法收入,且理事會認為必要時,得進行籌募經費。

第八條

解釋及修改

本章程解釋權及修改權屬會員大會。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Maio de dois mil e treze. — A Ajudante, Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang.

2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

澳門基督徒教育人員發展協會

葡文名稱為“Associação de Desenvolvimento de Educadores Cristãos de Macau”

英文名稱為“Macau Christian Educators’ Development Association”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一三年五月九日,存檔於本署之2013/ASS/M2檔案組內,編號為111號,有關條文內容如下:

澳門基督徒教育人員發展協會

章程

第一章

總則

1.本會中文名稱為“澳門基督徒教育人員發展協會”,葡文名稱為“Associação de Desenvolvimento de Educadores Cristãos de Macau”,英文名稱為“Macau Christian Educators’ Development Association”。

2. 宗旨:

本會為非牟利團體,宗旨是為本澳基督徒教育人員提供一個平台,舉辦演講、講座、研討會、研習班,學術文化觀摩、交流活動等;以推動教育人員的專業發展、提昇個人文化品德修養。弘揚基督教──信、望、愛的中心價值。並推動與國內外宗旨相同之團體之交流與合作。

3. 本會地址:

澳門氹仔布拉干薩街美景花園第三座37號AD閣樓。經理事會議決,會址可以遷移。

4. 會徽:

第二章

會員

1. 凡從事和有意向投身本澳教育界之人士,願意遵守會章,經本會會員介紹,經理事會通過,可成為正式會員。

2. 會員權利及義務:

(1)選舉權與被選舉權;

(2)批評及建議;

(3)遵守會章及決議;

(4)繳納會費。

3. 會員如有違反會章或有損本會聲譽者,經理事會通過,可取消其會員資格。

第三章

組織架構

會員大會:

會員大會為本會最高權力機構,其職權如下:

(1) 設會長一名、副會長一名、秘書一名,每屆任期三年,連選可連任;

(2)制定或修改會章;

(3)選舉理、監事會成員;

(4)決定會務方向;

(5)通過理事會之工作報告及帳目結算。

會員大會每年由會長最少召開一次。可以由以下方式召集:

(1)會長召集;

(2)理事會召集;

(3)由三分之二會員聯名召集。

理事會:

理事會設理事長一名,理事多名(總人數必須為單數),每屆任期三年,連選可連任。

理事會為本會執行機關,其職權如下:

(1)籌備召開會員代表大會;

(2)執行會員大會決議;

(3)領導及維持本會之日常會務,包括行政、財務;向會員大會報告工作和財務狀況;

(4)審理會員資格。

監事會:

監事會設監事長一名、監事多名,(總人數必須為單數),每屆任期三年,連選可連任。

監事會之職權為:

(1)稽核及督促理事會各項工作運作及財政狀況;

(2)提出改善會務及財務及財政運作之建議;

(3)成員有權列席理事會會議,但其代表在理事會會議中無表決權。

第四章

會議

1. 每年召開會員大會,大會之召集須最少提前八日以掛號信方式為之,或最少提前八日透過簽收方式而為之,召集書內應指出會議之日期,時間,地點及議程。大會決議取決於出席會員之多數票通過生效。倘法定人數不足,會員大會將於通告指定之時間一小時後舉行,屆時不論出席人數多寡,會員大會之議決均視為有效。決議係以出席者過半數取決,但有關修改本章程需經理事會提案,且有出席者四分之三通過方為有效。另外,如有三分之一理事會成員或三分之二基本會員聯名要求,便可召開特別會員大會。

2. 解散法人或延長法人存續期及通過具體決議,須獲全體社員四分之三之贊同票。

第五章

經費

社會贊助和會費。

第六章

附則

本章程之解釋權屬理事會。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Maio de dois mil e treze. — A Ajudante, Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

歐洲‧中國藝術家協會(澳門)分會

英文名稱為“Europe. China Artists Association (Macau) Branch”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一三年五月十日,存檔於本署之2013/ASS/M2檔案組內,編號為112號,有關條文內容如下:

歐洲‧中國藝術家協會(澳門)分會

章程

第一章

總則

第一條——本會定名為“歐洲.中國藝術家協會(澳門)分會”,英文名稱是“Europe. China Artists Association (Macau) Branch”,在歐洲合法註冊、從事藝術研究促進文化交流與發展的民間團體組織,屬具有法人地位的非牟利社團。

第二條——本會會址設於澳門黑沙環新街170 “B” 建華大廈第7座地下B。

第三條——本會宗旨團結本澳各文化藝術團體,愛國愛澳,弘揚民族文化,促進東西方文化交流與發展,開展本地及海內外各種慈善活動,加強與國際之間文化藝術交流研討,吸納國內外精英會員,組織學術研究,創作優秀藝術作品;組織參加國內,國際藝術交流活動,推廣本澳藝術人才,開拓各類文創產品,擴大本澳文化藝術知名度;努力發展相關藝術產業, 大力開拓本澳藝術品及原創產品市場。

第二章

會員的資格、權利與義務

第四條——協會會員

協會實行會員制,凡熱愛藝術事業、受過相關專業教育、真誠追求藝術理想的社會各界人士,須依手續填寫入會申請表,經理事會審核批准及繳納入會費後,均可成為本會會員,並承擔權利和義務(不限國籍)。

第五條——會員的權利

1. 參加協會舉辦國內、國際各類藝術交流、展覽及作品展銷活動;

2. 參加協會計劃組織的媒體宣傳,作品發表等活動;

3. 享受本協會榮譽及相關待遇的權利;

4. 享有自己作品著作權,並按照遵從與協會相關條文執行;

5. 有對協會工作提出合理性建議的權利;

6. 有自由退會的權利。

第六條——會員的義務

1. 承認、遵守本協會章程;

2. 積極參與協會建設及有利於協會發展的相關活動;

3. 繳納會費及參加各項活動所需費用;

4. 就協會舉辦或推薦參與的活動與協議主辦部門簽訂。

第三章

組織及職權

第七條——組織架構

1. 會員大會;

2. 理事會;

3. 監事會。

第八條——會員大會

1. 會員大會為本會最高權力機構,由會員大會主席團主持工作;

2. 會員大會每年舉行一次平常會議;在必要時應理事會或不少於二分之一會員以正當目的和理由提出之要求,亦得召開特別會議;

3. 會員大會主席團設會長一名,副會長若干名及會務秘書一名,其數目必須為單數,任期各為三年,連選得連任;

4. 會員大會由會長召集之,若會長缺席或因故不能執行職務,由其中一名副會長暫代職務;

5. 會員大會由理事會最少提前八天透過書面或簽收方式通知召集,通知書內須註明會議之日期、時間、地點及議程;

6. 修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議, 須獲全體會員四分之三的贊同票。

第九條——會員大會職權

1. 制定及修改本會章程及內部規章;

2. 審議和通過理監事會的會務及財務報告;

3. 決定本會會務方針。

第十條——理事會

1. 理事會成員由會員大會選出,成員人數不確定,其總數必須為單數;

2. 理事會設理事長一名,副理事長若干名,秘書長一名;任期三年,連選得連任。

第十一條——理事會職權

1. 執行會員大會之決議及一切會務;

2. 協助會長主持及處理各項會務工作;

3. 向會員大會提交會務活動報告;

4. 履行本章程法律所規定的其他權限。

第十二條——監事會

1. 監事會由會員大會選出,成員人數不確定,其總數必須為單數;

2. 監事會設監事長一名,副監事長若干名,任期三年,連選得連任。

第十三條——監事會職權

1. 監督會員大會決議的執行及各項會務工作的進展;

2. 監督理事會的運作及查核本會之財務;

3. 向會員大會就其監察活動編制年度報告;

4. 履行章程法律所規定的其他權限。

第十四條——會員組織紀律

1. 本協會會員須遵守協會在組織各類活動中所制定相關規定;

2. 未經本協會授權或委托不得私自以本協會名義組織各類商業及盈利性活動;

3. 未經本協會授權或委托不得私自以本協會名義謀取其他利益;

4. 禁止從事有違法或損害國家、集體、個人形象的行為;

5. 禁止從事違反民族習俗、各宗教教義的行為;

6. 會員違反上述規定的,協會有權清退會員、收繳會員收益、在媒體上發表譴責聲明等,會員並承擔因其不良行為導致的全部不利後果。

第四章

經費

第十五條——協會經費

1. 經費由協會組織各類藝術商業活動、參與完成藝術工程收入、接受捐贈收入、會員常務會費三部分構成;

2. 經費實行專項管理、使用經費需遵守相關財務制度、嚴格審批,並定期向主席團及理事會滙報收支;

3. 會員交納會費;

4. 政府機關及各界人士和團體的捐助;

5. 其他。

第五章

附則

第十六條——本章程如有未盡善處, 由會員大會修改或依照澳門現行法例處理。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Maio de dois mil e treze. — A Ajudante, Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

恒毅中心

英文名稱為“Hang Ngai Center”

英文簡稱為“HNC”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一三年五月十日,存檔於本署之2013/ASS/M2檔案組內,編號為114號,有關條文內容如下:

恒毅中心會章

第一章

總則

第一條——名稱

中文名:恒毅中心;

英文名:Hang Ngai Center;

英文簡稱:HNC。

第二條——會址

澳門賈伯樂提督街136號廣行大廈六樓A。

第三條——宗旨

恒毅中心為一所非牟利機構,以宗教、仁愛、理智培養青少年不斷成長達致完整人格,藉著學習輔導及組織課餘活動,提高青少年之學習興趣,並從課餘活動中改善個人情緒和品格。

第二章

會員入會及退會

第四條——入會資格

有志從事青少年服務,直接或間接陪伴青少年成長之家長、監護人或中心職員,並願意遵守會章之規則,均可成為本會會員。

第五條——退會

1. 會員的言、行違背本中心之宗旨,便自動退會,除非有所改善,須書面申請續會;

2.會員申請退會應以書面通知理事會;

3.會員如嚴重破壞本會聲譽,得由理事會給予警告,特別嚴重者得由理事會開會過半數通過後開除會籍。

第三章

會員權利及義務

第六條——會員權利

1.出席全體會員大會,有議決權;

2.有選舉權及被選舉權;

3.參加本會活動,享受會員福利及權益。

第七條——會員義務

1.遵守和執行本會會章及決議;

2.發揚本會之宗旨,維護本會聲譽及權益。

第四章

組織及功能

第八條——架構

本會由下列機構組成:

1.會員大會;

2.理事會;

3.監事會。

第九條——會員大會

1.會員大會之組成:

1.1 會員大會為本會最高權力之機關,由全體正式會員所組成;

1.2 每次會議由理事長兼任大會主席,如理事長不能出席,則由副理事長任臨時主席。

2.會員大會之召集及運作:

2.1 會員大會由理事會召集,每年最少召開一次,舉行前八日以掛號信方式,或最少提前八日透過簽收方式通知會員出席,通知書內須載明會議之日期、時間、地點及有關議程;

2.2 會員大會之召開如遇流會,於半小時後重新召開,無論多少會員出席均屬有效,並可表決議案。

3.會員大會之權限:

3.1 釐訂會務方針及決定重大事情;

3.2 選舉產生各機關之成員;

3.3 通過內部規章。

第十條——理事會

1.理事會之組成:

理事會為本會最高執行機關,由五名或以上之單數會員組成,設一名理事長、兩名副理事長及其他理事等,任期三年,連選可得連任。

2.理事會之運作:

2.1 每三個月召開一次理事常會,理事長認為必要時或過半數理事提出要求時,則可召開特別理事會議;

2.2 理事會議由理事長負責通知和召集,於會議舉行前八天以書面通知會員出席,通知書內須載明會議之日期、時間、地點及有關之議程;

2.3 理事會議須在過半數成員出席時,方可進行議決;

2.4 會議之任何議案,須獲得與會者過半數票方能通過。如表決時贊成與反對之票數相等,則由理事長投下決定性之一票。

3.理事會之權限:

3.1 策劃及領導本會之活動;

3.2 執行會員大會之決議;

3.3 批准入會和退會之申請,以及開除會員會籍;

3.4 代表本會參與一切對外之官方和私人活動,及行使本會擁有之一切相關權力;

3.5 執行一切在本會宗旨範圍內,但沒有其他會內部門負責之事宜。

第十一條——監事會

1. 監事會之組成:

監事會為本會監察機構,由三名或以上之單數會員組成,設監事長、副監事長及監事等,任期三年,連選得連任。

2. 監事會之運作:

2.1 監事長認為有必要時,則可召開監事會議;

2.2 監事會議須在多數成員出席時,方可進行議決。會議之任何議案,須得與會者多數票方能通過。如表決時贊成與反對之票數相等,則由監事長投下決定性之一票。

3. 監事會之權限:

3.1 監督理事會之一切工作;

3.2 監督會員遵守本會章程及內部規章;

3.3 監督會員大會決議案之執行情況;

3.4 定期審查本會之賬目和核對本會之資產;

3.5 就理事會所提交之賬目及報告制定意見書呈交會員大會。

第五章

經費

第十二條——經費來源

學員每月繳交膳食費、家長及社會人士捐助並申請政府資助等。

第六章

修章及解散

第十三條——修章

本會會章經會員大會通過生效。如有遺漏或修改,須獲出席會員四分之三贊同票。

第十四條——解散

若要解散本會,須得全體會員人數四分三或以上通過。本會解散後,所餘資產由監事會支配,但其用途須與本會之宗旨相符。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Maio de dois mil e treze. — A Ajudante, Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang.


2.º CARTÓRIO NOTARIAL DE MACAU

CERTIFICADO

青躍成長發展協會

中文簡稱為“青躍”

為公佈之目的,茲證明上述社團之章程已於二零一三年五月九日,存檔於本署之2013/ASS/M2檔案組內,編號為110號,有關條文內容如下:

青躍成長發展協會會章

第一章

總則

第一條——本會的中文名稱為“青躍成長發展協會”,中文簡稱為“青躍”。

第二條——本會為非牟利團體,宗旨是透過各種形式的活動,提升及發展個人能力,以達致全人發展為目標。

第三條——本會會址設於澳門工廠街198號澳門大廈E座7樓E座。經理事會同意,可以遷址澳門其他地方。

第二章

會員

第四條——凡贊成本會宗旨、認同本會章程、履行入會申請手續,待本會理事會審批後繳納會費即成為本會會員。

第五條——凡本會會員可享有以下權利:

參加會員大會;對會務事宜有發言權和表決權;選舉或被選舉成為本會領導機關成員;參與本會舉辦之各類活動的優先權;入會自願,退會自由,但應向理事會提出書面申請;法律、章程及內部規章賦予的其他義務。

第六條——凡本會會員需履行的義務:

遵守本會章程;履行會員大會和理事會決議;積極參與本會之事務,致力發展並維護本會之聲譽;按規定繳納會費;法律、章程及內部規章賦予的其他義務。

第七條——紀律程序

凡無理欠繳會費者,即喪失會員之一切權益;會員如有違反法律、本會章程或決議之行為者,損害本會的任何利益者,經由理事會決議,按其情節輕重予以警告、停權、甚至開除會籍。

第三章

組織架構

第一節

領導機關

第八條——本會的領導機關包括會員大會、理事會及監事會。

第二節

會員大會

第九條——會員大會由所有會員組成,為本會最高權力機關,同時設會員大會主席團。會員大會主席團由主席,副主席及秘書各一人組成,由會員大會選舉產生,任期一年,可連任。會員大會主席之職責在於召開及主持會員大會,當主席不能履行其職責時,由副主席代行。

第十條——會員大會的召集及運作

(一)會員大會必須每年舉行一次全體會員大會;

(二)會員大會之召集須最少提前八日以掛號信或簽收之方式召集,召集書內應指出會議之日期、時間、地點及議程;

(三)會員大會須在過半數會員出席方可召開,若第一次召集時未夠半數會員出席,須於半小時後舉行第二次召集,屆時不論出席會員人數多少均視為有效;

(四)會員大會作出之決議以出席會員之過絕對多數通過,票數相同時主席有決定性一票;

(五)修改會章的決議,須獲出席會員四分之三之贊同票。

第十一條——會員大會的職權

修改及解釋本會章程;審議及通過理事會年度報告、財政報告,確認資產;其他本澳相關法例之規定所賦予之權限。

第三節

理事會

第十二條——本會之一切行政事務及日常運作由理事會負責,理事會由會員大會選舉產生,任期一年,可連任。

第十三條——理事會成員總數應為不少於五人的單數,由理事長一人,副理事長一人,秘書若干人及相關部門部長組成。

第十四條——理事長之職責

代表本會負責對內外之一切事務;領導及管理理事會,分配理事會成員的工作,任免相關部門負責人;每年應不少於兩次召集理事會會議,一切決議以出席會議過絕對多數成員通過,贊成票與反對票相同時,理事長具有決定性一票。

第十五條——理事會之職權

(一)執行會員大會之決議;

(二)在法庭內外代表本會;

(三)管理本會財產,統籌本會之日常行政運作;

(四)統籌及協調理事會各部門及附屬組織舉辦相關活動;

(五)制定理事會相關內部規章及屬會管理規章,並提交會員大會主席團備案;

(六)審議及通過附屬組織之年度財務預算,通過年度財務報告;

(七)審議及通過成立附屬組織的申請,確認附屬組織領導機關選舉結果;

(八)處理及監督附屬組織之行政及財政運作;

(九)向會員大會提交年度財政報告及工作報告;

(十)向監事會提交年度工作報告;

(十一)向會員大會提交對本會章程的修改建議;

(十二)根據理事長提名,任免理事會相關部門部長;

(十三)其它根據本澳相關法例賦予理事會的相關權限。

第四節

監事會

第十六條——監事會負責監督本會之工作。

第十七條——監事會設監事長一人、副監事長一人、秘書一人。監事會由會員大會選舉產生,任期一年,可連任。

第十八條——監事長、副監事長及秘書之職責:

監事會須每年不少於召開兩次會議,監事長負責召集和主持監事會會議,當其不能履行職責時,由副監事長代行職權;秘書之職責在於協助監事長與副監事長執行職務。

第十九條——監事會的權限

執行會員大會之決議﹔查核本會之財產,對本會理事會的財政支出提出書面意見;對理事會年度工作報告作出書面報告,並提交會員大會主席團備案。

第五節

顧問

第二十條——本會可視工作需要,經理事會通過後,得邀請名譽會長、顧問及其他名譽職務等,以推進會務發展。

第四章

財政

第二十一條——本會經費來源如下:

會費及利息;會員定期或非定期之捐獻,以及將來屬本會資產有關之任何收益;政府、機構、社團及各界人士之捐獻和資助,以及其他收入,但該等款項及收入不得附帶任何與本會宗旨不附的條件。

第二十二條——經費必須用於章程規定的業務範圍和事業發展,財務由理事會管理及負責。

第五章

其他

第二十三條——章程修改

本章程未盡完善之處,得由理事會向會員大會提請修改建議;若有遺漏及不清晰之處,由理事會作出解釋。

Está conforme.

Segundo Cartório Notarial de Macau, aos dez de Maio de dois mil e treze. — A Ajudante, Graciete Margarida Anok da Silva Pedruco Chang.


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

澳門三藏佛學中心

為公布的目的,茲證明上述社團的設立章程文本自二零一三年五月十三日起,存放於本署之2013年社團及財團儲存文件檔案第1/2013/ASS檔案組第38號,有關條文內容載於附件。

澳門三藏佛學中心章程

第一章

總則

1. 定名——中文名:澳門三藏佛學中心。

英文名:Macao San Zang Buddhism Centre。

2. 會址:澳門筷子基和樂坊一街61-71號宏泰工業大廈12樓C座。

3. 性質——本會為非牟利宗教組織,其存續不設期限。

4. 宗旨——推動澳門佛教事業發展,全面宏揚正統佛法。組織和推動社會和諧,提供市民學習、修習佛法之課程,改善大眾身心健康。

5. 會員資格——凡願意遵守本會章程規定者,經創會會員推薦後可成為本會會員。

6. 會員之權利和義務——會員有權參加會員大會,享有選舉權及被選舉權;同時,所有會員均可參加本會組織之一切活動,並享有本會提供的福利及權利。會員必須遵守章程和決議之義務。

第二章

組織

7. 本會組織包括——會員大會(本會最高權力機關為會員大會)、理事會、監事會。

8. 會員大會——設會長一人,副會長一人,秘書一人,對外代表本會,對內負責會員大會會議的相關工作。

會員大會的權限:

甲、通過、修改及解釋本會章程;

乙、選舉及罷免理事會及監事會成員;

丙、訂定本會工作方針;

丁、審議及通過理事會提交之年度工作報告,財務報告及次年度工作計劃;

戊、審議及通過監事會提交之工作報告及相關意見書。

9. 理事會——設理事長一人,副理事長二人,理事若干人(包括財務、秘書),其人數必為單數。理事會之職權為執行會員大會通過的決議,規劃本會各項活動,負責本會事務管理和制定及開展年度活動及管理相關的財務計劃。

10. 監事會——設監事長一人,副監事長一人,秘書一人,人數須為單數,負責監督理事會一切行政決策,審核財務狀況及賬目,監察活動等。

監事會之權限:

甲、監察行政管理機關之運作;

乙、查核法人之財務;

丙、就其監督活動編制年度報告。

11. 會員大會,理事會,監事會等架構內各成員,職務為義務性質擔任;每屆任期3年,可連選得連任。

第三章

會議

12. 會員大會每年舉行一次,特別大會可由不少於半數之會員申請召開。會員大會的召集,至少提前八天透過掛號信方式召集。召集書內應指出會議之日期、時間、地點和議程。如會議當日出席人數不足半數,於半小時後作第二次召集,屆時不論出席人數多寡,亦可召開會議。會員大會決議時除另有法律規定外,須獲出席會員的絕對多數票贊同方為有效。修改本會章程之決議,須獲出席會員四分之三的贊同票;解散本會的決議,須獲全體會員四分之三的贊同票。

13. 理事會及監事會應於每季召開一次例會,會議在有過半數理、監事會成員出席時,方可議決事宜,決議須獲出席成員的絕對多數票贊同方為有效。

第四章

經費

14. 本會一切開支由私人捐贈或公共機關贊助。本會所有財產僅可用於本會舉辦之活動及工作所需。

第五章

附則

15. 本章程未盡之處,均按《民法典》及澳門現行有關法律所補足。

二零一三年五月十三日於海島公證署

一等助理員 林志堅


第 一 公 證 署

證 明

Associação dos Conterrâneos de Sám Soi

為公佈的目的,茲證明上述社團的修改章程文本自二零一三年五月九日起,存放於本署的社團及財團存檔文件內,檔案組1號46/2013。

澳門三水同鄉會章程

第一章

總則

第一條——本會名稱定為“澳門三水同鄉會”,葡文名稱為“Associação dos Conterrâneos de Sám Soi de Macau ”。

第二條——本會宗旨

1、本會為一合法非牟利社團;

2、熱愛祖國、熱愛澳門、熱愛家鄉;

3、團結鄉親、服務桑梓、開展聯誼活動,維護鄉親合理權益。

第三條——本會會址:澳門天神巷一號A二樓,經理事會決議,會址得遷往澳門任何地方。

第二章

組織架構及職權

第四條——會員大會

1、會員大會的功能:會員大會為本會的最高權力機構,具有制定和修改會章、決定本會的性質和審議會務報告、財務報告、監事會報告以及選舉本會領導機構等權力。修改章程的決議,須獲出席會員四分之三之贊同票。解散法人或延長法人存續期之決議,須獲全體會員四分之三之贊同票。

2、會員大會的召開:會員大會每年舉行一次,並最少提前八日以掛號信方式或透過簽收方式通知各會員。並於召集書內指出會議之日期、時間、地點及議程。

3、會員大會會議開始:第一次召集時應有過半數會員出席,大會方可開始會議,如遇出席人數不足時,會議得推延半小時後進行第二次召集,屆時無論出席會員人數多少,大會可正式進行會議,且其決議取決於出席會員之絕對多票數。

4、會員大會由會長主持,或由其委任副會長代行其主持職務。會員大會結束後,由理事會負責執行一切會務,並由監事會負責監察理事會執行情況。

第五條——會長、副會長

1、本會設會長一人,常務副會長及副會長若干人,均由會員大會選出之領導機構推舉產生。

2、會長的職能主要是召開會員大會及特別會員大會;領導會務發展;監督理事會、監事會的工作;在外事活動時是本會的代表。

3、常務副會長及副會長主要職能是協助會長工作,當會長未能視事時,則由常務副會長或副會長代行有關職務。

第六條——理事會

1、理事會由二十一人至三十九人組成,總人數必須為奇數,均由會員大會選出之領導機構推舉產生。理事會設理事長一人,副理事長、常務理事及理事若干人,並設秘書處及財務、聯絡、發展、康樂、福利等部門。理事長主持理事會的有關事務,秘書處設秘書長一人,副秘書長一人及秘書若干人;各部門設部長一人,副部長一至三人,部委若干人,上述均由理事會互選產生。理事會可因應會務需要而增設相應的委員會。

2、常務理事由正、副理事長,正、副秘書長和各部門正部長擔任,具體執行理事會的決議及領導各部門的有關工作。常務理事會議視實際需要由理事長作不定期的召集。

第七條——監事會

1、監事會由五至七人組成,總人數必須為奇數,均由會員大會選出之領導機構推舉產生。監事會設監事長一人,副監事長若干人,秘書一人,由監事會互選產生。

2、監事會的主要功能是監察理事會對會員大會決議之執行情況,審查財務和運作情況,鑒定會務報告和財務報告是否詳實,並在會員大會上對理事會之任內工作作出客觀的評價。

3、監事會半年開會一次,監事會成員有權列席理事會的會議。

第八條——榮譽職銜

1、理事會可根據會務發展的需要,酌量聘請社會賢達人士任本會的名譽會長、名譽顧問及顧問等職。

2、對本會曾作出過一定貢獻之離職領導人,經理事會決議可授予榮譽稱號。

第九條——領導機構成員任期及其成員資格

1、本會領導機構成員任期為三年,連選得連任。

2、會長、理事長、監事長必須原籍為三水。

第三章

會員

第十條——會員資格:凡旅居澳門並獲得合法居留權之三水鄉親及其親屬,年齡在十八歲或以上者,同意並遵守本會章程,均可申請加入本會。

第十一條——入會手續:申請入會者,須呈交填寫好的入會申請表(內附申請人證件用規格之寸半近照兩張及身份證影印一張),繳交會費,經本會常務理事會通過,獲發會員證後,便成為本會會員。

第十二條——會員權利

1、出席會員大會,有討論、建議、表決之權利;

2、有選舉權及被選舉權;

3、有享受本會一切福利和參加本會一切活動之權利;

4、有退會之權利。

第十三條——會員義務

1、遵守本會會章及會員大會之決議;

2、繳交會費;

3、支持、參與本會之有關活動;

4、任何會員未經理事會同意,不能以本會名義參加任何組織的活動及發表有損害本會聲譽的言論。

第十四條——會員如不履行義務,本會有權註銷其會籍。

第四章

經費

第十五條——本會經費來自會員會費及本會所舉辦之各項活動的收入和收益。

第十六條——本會得接受特區政府、機構及社會人士捐贈及資助。

第五章

附則

第十七條——會員大會結束之後,本章程之解釋權屬理事會。

第十八條——本章程經會員大會決議施行,如有未盡事宜,得由會員大會修正。

二零一三年五月九日於第一公證署

公證員 盧瑞祥


CARTÓRIO NOTARIAL DAS ILHAS

證 明 書

澳門金輝曲藝會

為公布的目的,茲證明上述社團修改章程的文本自二零一三年五月十三日起,存放於本署之2013年社團及財團儲存文件檔案第1/2013/ASS檔案組第39號,有關條文內容載於附件。

修改社團章程

根據澳門金輝曲藝會全體會員於31-03-2013的決議代表該會修改會章第弍章第七條,會員大會每年進行一次,由會長或副會長召開,特別會員大會得由理事會過半數會員聯名要求召開,但須最少提前八日以掛號方式為之,或最少提前八日透過簽收方式為之,召集書內應指出會議之日期、時間、地點和議程。出席人數須過會員半數,會議方為合法,會員大會成員之任期為貳年。

第八條——由理事會成員互選出理事長壹名、副理事長貳名、秘書壹名、財務壹名、總務壹名、幹事若干名,任期為貳年。理事會由理事長領導,倘理事長缺席時,由其中一名副理事長暫代其職務,而理事會之成員名單必需為單數。

二零一三年五月十三日於海島公證署

一等助理員 林志堅


澳門華人銀行股份有限公司

試算表於二零一二年十二月三十一日

更正

總經理 會計主管
陳達港 廖國強

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS SUCURSAL OFFSHORE DE MACAU

Balancete do razão em 31 de Março de 2013

Patacas

O Director Geral, A Responsável da Contabilidade,
Artur Santos Catarina Boleta

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

MOP

MOP

* As Outras Reservas incluem uma reserva obrigatória no montante de 1 306 091,02 patacas. Como a Caixa Económica Postal adopta as «Macau Financial Reporting Standards» (MFRS) na preparação das suas demonstrações financeiras anuais e das provisões para as perdas de imparidade dos créditos concedidos, estas poderão ser inferiores ao nível mínimo de provisões genéricas calculadas de acordo com o Aviso n.º 18/93 da AMCM (nível mínimo). A referida reserva obrigatória representa, pois, a diferença entre o nível mínimo e as perdas de imparidade nos termos das MFRS. Este mesmo montante, inscrito na linha «Dotações adicionais para provisões conforme RJSF» da Conta de Lucros e Perdas das contas resumidas.

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

A Comissão Administrativa: Lau Wai Meng, Chiu Chan Cheong, Van Mei Lin, Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves
A Chefe da Contabilidade: Lei Ka Kei.

Síntese do relatório de actividades — 2012

Até finais de 2012, o total de depósitos captados pela CEP foi cerca de 1014 milhões de patacas, havendo um aumento de 4% em relação ao ano anterior.

O montante de novos empréstimos concedidos durante o ano de 2012 havendo um aumento de 6% relativamente ao ano anterior, e o montante, líquido de imparidade, mutuado em circulação, no final do ano, era cerca de 175 milhões de patacas.

A margem financeira e os resultados de serviços e de comissões foram, respectivamente, de 29,1 milhões e de 6,2 milhões de patacas, sendo os custos de exploração cerca de 14,3 milhões de patacas.

Os resultados de 2012, no valor de 20,6 milhões de patacas, traduzem um aumento de 42%, relativamente a 2011.

 Composição da Comissão Administrativa durante 2012

Presidente — Lau Wai Meng
Vogal — Chiu Chan Cheong
Vogal — Van Mei Lin
Representante dos Serviços de Finanças — Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves

Parecer do representante dos Serviços de Finanças Exercício de 2012

No exercício das competências previstas no artigo 24.º do Regime Financeiro dos Serviços de Correios, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 50/99/M, de 27 de Setembro, e alterado pelo Regulamento Administrativo n.º 10/2010 e no artigo 7.º do Regulamento da Caixa Económica Postal aprovado pelo Decreto-Lei n.º 24/85/M, de 30 de Março, acompanhei o desenvolvimento da actividade da Caixa Económica Postal ao longo do exercício económico de 2012.

Tendo em atenção a análise efectuada aos documentos contabilísticos reportados a 31 de Dezembro de 2012, sou de parecer e considero que:

— São claros e elucidativos os elementos contabilísticos referentes ao balanço em 31 de Dezembro de 2012 e à demonstração de resultados para este ano;
— As contas relativas ao ano económico de 2012 mostram a real situação financeira em 31 de Dezembro de 2012 e estão em condições de ser aprovadas.

Macau, aos 22 de Março de 2013.

Representante dos Serviços de Finanças, Pedro Miguel Rodrigues Cardoso das Neves.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para a Comissão Administrativa da Caixa Económica Postal

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras da Caixa Económica Postal («CEP») relativas ao ano de 2012, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 22 de Março de 2013, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2012, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da CEP. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos da CEP.

Para a melhor compreensão da posicão financeira da CEP e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei, Auditor de Contas.
KPMG

Macau, aos 22 de Março de 2013.


澳門保險有限公司

資產負債表

二零一二年十二月三十一日

澳門幣

營業表

二零一二年度

澳門元

損益表

二零一二年度

借方 貸方
會計 董事會
Joaquim António Cruz 王祖興
植堯鍇

二零一二年業務報告

澳門保險股份有限公司在二零一二年的業務營運受惠於投資表現理想及澳門一系列大型基建項目啓動,毛保費收入錄得澳門幣3億3,920萬元,較二零一一年顯著上升52.8%。稅後盈利為澳門幣2,670萬元,較二零一一年上升55.9%。

展望二零一三年,仍然將有一系列大型基建項目陸續啓動,澳門特別行政區的經濟前景持續樂觀,澳門保險股份有限公司及澳門的保險行業亦將普遍受惠。公司將會加強與銀行銷售渠道的合作以推廣保險產品,以迎合本地市場對保險的需求。

公司管治架構

會員大會

主席 澳門旅遊娛樂有限公司 代表為官樂怡
第一秘書 歐安利
第二秘書 高士達
董事會
主席 王守業
委員 黃漢興
委員 安德生 (於二零一二年五月二十八日離職)
委員 麥曉德
委員 趙龍文 (於二零一二年八月七日離職)
委員 王祖興
委員 余煜榮 (於二零一二年五月二十八日獲委任)
委員 潘榮輝 (於二零一二年八月七日獲委任)
委員 植堯鍇
監事會
主席 黃炳銓
委員 Fernando Manuel da Conceição Reisinho
委員 陳素酬

主要股東

股東名稱 持股量 百分率
DSMI Group Limited 93,600 78.00
DSGI(1)Limited 21,600 18.00

持有超過公司資本5%之企業

機構名稱 持股量 百分率
澳門人壽保險股份有限公司 91,862 99.85

監事會報告

監事會在其職能範圍內,在二零一二年財政年度內監察本公司的管理和業務發展,並定期地對其帳目及其他有關文件進行審閱。

監事會亦審閱了獨立審計師羅兵咸永道會計師事務所於二零一三年二月二十八日所提交之報告對至二零一二年十二月三十一日止之財務報表發表了無保留之意見。

鑑於上述報告、董事會提呈之財務報表及取得的營運結果反映了本公司在年度內的營運活動及年末的財務狀況,本會建議通過下列事項:

1. 董事會報告及二零一二年度的會計帳目;

2. 營運結果分配建議。

監事會

二零一三年三月七日於澳門

摘要財務報表的獨立核數師報告

致 澳門保險股份有限公司全體股東:
(於澳門註冊成立的股份有限公司)

澳門保險股份有限公司(「貴公司」)截至二零一二年十二月三十一日止年度隨附的摘要財務報表乃撮錄自貴公司截至同日止年度的已審核財務報表及貴公司的帳册和記錄。摘要財務報表由二零一二年十二月三十一日的資產負債表以及截至該日止年度的損益表組成,管理層須對該等摘要財務報表負責。我們的責任是對摘要財務報表是否在所有重要方面均與已審核財務報表符合一致,發表意見,僅向全體股東報告,除此之外本報告別無其他目的。我們不會就本報告的內容向任何其他人士負上或承擔任何責任。

我們按照澳門特別行政區政府頒布的《核數準則》和《核數實務準則》審核了貴公司截至二零一二年十二月三十一日止年度的財務報表,並已於二零一三年二月二十八日就該財務報表發表了無保留意見的核數師報告。

上述已審核的財務報表由二零一二年十二月三十一日的綜合及公司資產負債表以及截至該日止年度的綜合及公司損益表、綜合及公司權益變動表和綜合及公司現金流量表組成,亦包括重大會計政策的摘要和解釋附註。

我們認為,摘要財務報表在所有重要方面,均與上述已審核的財務報表符合一致。

為更全面了解貴公司的財務狀況和經營結果以及核數工作的範圍,隨附的摘要財務報表應與已審核的財務報表以及獨立核數師報告一併閱讀。

張佩萍
註冊核數師

羅兵咸永道會計師事務所

澳門,二零一三年四月二十九日


DBS BANK (HONG KONG) LTD., SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

澳門幣

澳門幣

澳門幣

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

澳門幣

Conta de lucros e perdas

澳門幣

Representante do Banco, A Chefe da Contabilidade,

Cheng Kwong Moon

Carolina Vong

(Publicações ao abrigo do artigo 76.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Síntese do Relatório de Actividade

Esta sucursal registou no ano de 2012 um lucro de quarenta e sete milhões de patacas, o que significa um aumento de 17% relativamente ao ano anterior. Os proveitos em juros foram de sessenta e sete milhões de patacas, o que significa um crescimento de 9%, e os outros proveitos do exercício foram de vinte e sete milhões de patacas, configurando uma redução de 3%. O montante global de empréstimos dos clientes foi de três mil e cinquenta milhões de patacas, correspondendo a uma redução de 9%; o montante de depósitos dos clientes atingiu dois mil trezentas e trinta milhões de patacas, ou seja um aumento de 11%; o activo líquido foi de quatro mil cento e sessenta milhões de patacas, registando uma queda ligeira de 4%.

DBS Bank (Hong Kong) Limited
Sucursal de Macau

Relatório dos auditores externos sobre as demonstrações financeiras resumidas

Para a gerência do DBS BANK (HONG KONG) LIMITED — Sucursal de Macau

As demonstrações financeiras resumidas anexas do DBS Bank (Hong Kong) Limited — Sucursal de Macau (a Sucursal) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos da Sucursal referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade da Gerência da Sucursal. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Ex.as enquanto Gerência, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras da Sucursal referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 25 de Janeiro de 2013.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações nas reservas e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos da Sucursal.

Para uma melhor compreensão da posição financeira da Sucursal, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Tsang Cheong Wai
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, aos 25 de Abril de 2013.


BANCO TAI FUNG, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

MOP

O Chefe da Contabilidade, O Presidente,

Liu Daguo

Kong Meng Hon

Lista das empresas cuja capital social o nosso Banco tem uma participação superior a 5%:

Sociedade de Fomento Predial Tak Kei Lda. 98,00%
Companhia de Investimento Predial Triumph, Limitada 76,66%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang, S.A.R.L. 38,10%
Companhia de Seguros Luen Fung Hang-Vida, S.A. 28,58%
Tai Fung (Hong Kong) Finance Company Limited 35,00%

Relatório do Conselho de Administração

Este Conselho apresenta, a seguir, o relatório e o balanço em 31 de Dezembro de 2012 à apreciação dos accionistas.

Síntese do relatório de actividade

No ano de 2012, o sistema financeiro mundial ainda se encontrava, dum modo geral, a marcar passos. Não obstante o crescimento ligeiro verificado nos Estados Unidos, a economia da zona do Euro e o Japão registaram novo decréscimo. Os factores externos estiveram na origem de abrandamento do crescimento da economia emergente e dos países em desenvolvimento. Em Macau, a economia em geral registou crescimento ideal especialmente no sector bancário, graças ao continuado crescimento rápido da economia da China e aumento estável das receitas do jogo. Com o empenho do seu pessoal, o Banco Tai Fung, S.A. alcançou resultados regozijantes, não obstante a grande concorrência do mercado, tendo atingido as metas previamente estabelecidas para as suas actividades. No fim do exercício de 2012 e em comparação com o ano anterior, foi apurado um acréscimo de 5,659 mil milhões de Patacas, i. e. mais 13,13%, em termos de depósitos recebidos, e um acréscimo de 4,366 mil milhões de Patacas, ou seja, mais 14,72%, em termos de créditos concedidos. Foram apurados lucros após imposto no montante de 458 milhões de Patacas. A rendibilidade dos capitais próprios foi de 7,84%. Estes bons resultados são frutos do grande empenho e dedicação do pessoal do Banco e também deveram-se ao apoio dos clientes, congéneres e individualidades dos diversos sectores sociais, aos quais agradecemos penhoradamente.

O Banco Tai Fung, S.A. celebrou o seu 70.º aniversário no ano de 2012. No caminho de uma pequena casa de câmbio para uma instituição bancária local com alguma envergadura, o Banco, intimamente ligado a Macau, cresceu com esta terra e a sua economia ao longo dos 70 anos. Para marcar este ano histórico, o Banco promoveu uma série de celebrações, nas quais participaram não só os seus funcionários mas também clientes e individualidades dos diversos sectores sociais. Estas actividades comemorativas foram divulgadas por meio de comunicação social e mereceram os seus elogios, produzindo efeitos positivos para a nossa fama e a reputação. Partindo do novo ponto de partida e acompanhando o progresso da economia de Macau e o processo de integração das regiões do Delta do Rio das Pérolas, prosseguiremos na senda de servir a comunidade com serviços de qualidade e eficiência, retribuindo assim o apoio e a atenção que o público nos tem dispensado.

Prevê-se que, persistindo factores incertos para a sua recuperação e crescimento, a economia mundial no ano de 2013 se manterá volátil. Apesar disto, Macau e o interior da China continuam a beneficiar de uma economia praticamente ideal. Com a concretização e o desenvolvimento de cooperação económica regional, bem como o apoio dispensado pelo Governo Central a Macau, boas oportunidades comerciais continuam a surgir no processo de Macau se tornar num centro mundial de turismo e laser, o que não deixará de abrir maior perspectiva de desenvolvimento para o sector bancário local. 2013 é um ano de desafio mas também de oportunidades. Perante as mutações e a concorrência do mercado, o Banco Tai Fung, S.A., sempre fiel ao seu lema de pés firmemente assentes em Macau com os olhos postos ao longe, não deixará de envidar os melhores esforços, contribuindo para a permanente estabilidade e prosperidade do sector financeiro de Macau, e elevar a qualidade do seu serviço.

Resultado e distribuição

MOP$

Lucro de exploração

504 699 244,64

Dotações para imposto complementar

46 300 000,00

Resultado de exercício

458 399 244,64

Lucros relativos a exercícios anteriores

775 031 330,34

Total disponível

1 233 430 574,98

O Conselho de Administração propôs a seguinte distribuição:

Para reservas

45 900 000,00

Para dividendos

75 000 000,00

A transportar para o próximo ano

1 112 530 574,98

1 233 430 574,98

Accionistas qualificados

De acordo com os registos do LIVRO DOS ACCIONISTAS DO BANCO, os accionistas, detentores de participações superior a 10% do capital social do Banco, em 31 de Dezembro de 2012 foram os seguintes:

Banco da China
Família de Ho Yin

Titulares dos órgãos sociais

Mesa da Assembleia Geral:

Presidente:

Chan King

 

Vice-Presidente:

Banco da China

 

Secretário:

Chio Io Va

Conselho de Administração:

 

Presidente:

Ho Hao Tong

 

Vice-Presidente:

Ye Yixin

 

Administradores Permanentes:

Ho Hao Hang

Liu Daguo

Chui Kai Cheong

Administradores:

Ho Hao Veng

Ip Sio Kai

Fu Iat Kong

Ho Kevin King Lun

Ma Sao Lap

Fang Yanmin

Conselho Fiscal:

Presidente:

Ho Chor Ying

Membros:

Wang Lijie

Iong Weng Ian

Secretário da sociedade:

 

Chio Io Va

O Presidente do Conselho de Administração,
Ho Hao Tong

Macau, aos 21 de Fevereiro de 2013.

Parecer do Conselho Fiscal

Nos termos da lei e dos Estatutos do Banco Tai Fung, S.A., compete ao Conselho Fiscal fiscalizar as actividades e a administração do Banco e emitir parecer sobre as contas, proposta de distribuição de dividendos e o relatório financeiro de cada exercício, apresentados pelo Conselho de Administração.

No exercício de 2012, o Conselho Fiscal no uso das suas competências procedeu ao que considerava necessário e examinou as contas do Banco auditadas pela Sociedade de Auditores Lowe Bingham & Mathews – PricewaterhouseCoopers, sobre as quais esta Sociedade expressou as suas opiniões sem reservas.

Este Conselho é de parecer que as contas examinadas demonstram, nitidamente e com rigor, a real situação financeira do Banco em 31 de Dezembro de 2012 e o resultado do exercício findo em 31 de Dezembro de 2012, sendo as demonstrações financeiras referentes ao exercício, a proposta para a distribuição de dividendos e o relatório financeiro apresentados pelo Conselho de Administração apropriados para serem submetidos à aprovação dos accionistas na Assembleia Geral.

A Presidente do Conselho Fiscal,

Ho Chor Ying

Macau, aos 28 de Fevereiro de 2013.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os accionistas do Banco Tai Fung, S.A.
(Constituído em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Tai Fung, S.A. (o Banco) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos do Banco referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Ex.as enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 21 de Fevereiro de 2013.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, aos 18 de Abril de 2013.


BANCO DA CHINA LIMITADA — SUCURSAL DE MACAU

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

PATACAS

PATACAS

PATACAS

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

PATACAS

Conta de lucros e perdas

PATACAS

O Director-Geral, O Chefe da Contabilidade,
Ye Yixin Leong Iok Kit

Síntese do Relatório do Desenvolvimento de Actividades

Em 2012, o Banco da China, Sucursal de Macau executou seriamente a estratégia do desenvolvimento da sua sede em Beijing, focalizou a promoção de construção de várias plataformas de serviços, fazendo com que as actividades desenvolveu-se rapidamente e saudavelmente. Um crescimento de dois dígitos foi atingido no sentido de depósitos, empréstimos, activos totais e lucros e a qualidade dos activos tem-se mantido num nível melhor.

Em 2012, o Banco insistiu no seu objectivo de actividades de «Radicar-se em Macau e Servir em prol de Macau» e num princípio de operação de benefícios bancários e sociais da mesma importância, focando a optimização de estrutura e capacidade de actividades, de estrutura e origem de clientes, de sistema de operação e de produtos. Os progressos notáveis foram feitos em termo de origem e capacidade de criar os rendimentos de actividades intermediárias. Neste ano, com a utilização da plataforma da sua sede, o Banco concluiu por si próprio o projecto de emissão do cartão com chip de UnionPay, lançando os cartões inteligentes financeiros de série do zodíaco chinês alusivo do ano, consignando o produto de ouro de próspero do Banco da China e promovendo o projecto de serviços de apoio aos conjuntos residenciais, oferecendo os produtos diversificados de riqueza e esforçando-se por trabalho dinâmico de renovação dos produtos, designadamente, pela primeira vez, a emissão dos certificados de depósito em RMB em Hong Kong, o que enriqueceu os produtos e serviços de RMB. Ao mesmo tempo, aproveitando a ocasião de execução do acordo de capital novo de Basel, foram elevados a capacidade de gestão do risco iniciativo e o nível de gestão da quantificação do risco.

Para comemorar o centésimo aniversário do Banco da China, o Banco propôs que a emissão da «Nota Comemorativa de Pataca para o Centésimo Aniversário do Banco da China» foi apoiada pelo Governo e pelo povo da RAEM e prometeu que os excedentes de prémio de venda da nota seriam doados para a caridade pública de Macau, reflectindo-se a atitude do Banco da China a cumprir sua responsabilidade social. No ano de 2012, o Banco continuou a herdar a excelente cultura corporativa de «amar a Pátria e amar Macau, e amar o Banco e dedicar à profissão». Com o tema de «Agradecimento», o Banco organizou «A Corrida de BOC de Caridade Alegre», «A Caminhada de BOC de Caridade Alegre», «A Taça de BOC de Torneio de Golfe de Caridade» e outras actividades de caridade, tendo feito as doações em dinheiro e em espécie para várias organizações de caridade e contribuído com a sua parte para a construção de uma sociedade harmoniosa de Macau. O que reflectiu a nossa cultura corporativa em cumprir activamente as responsabilidades sociais. O Clube da Obra Social e «Bank of China Macau Youth Association» deste Banco participaram activamente em actividades da comunidade local, tais como os seus funcionários espontaneamente fizeram as suas doações em dinheiro aos Heróis Espaciais da «ShenZhou 9», e a equipa de voluntários organizou visitas a instituições de caridade e os grupos vulneráveis, etc.. O que foi bem reconhecido pelos diversos sectores da sociedade.

No ano de 2013, o Banco continuará a reforçar o conceito de restrições de capital, envidar constantemente para aperfeiçoamento, focalizar os clientes e aprofundar os serviços electrónicos, a fim de oferecer aos clientes os serviços financeiros sem costura, de qualidade, conveniência e adequação. Ao mesmo tempo, o Banco, como de costume, persistirá em princípio de operação de benefícios bancários e sociais da mesma importância, participará activamente em actividades de caridade pública, e criar um futuro próspero juntamente com os cidadãos e os clientes.

O Director-Geral, Ye Yixin.

Relatório de Auditor Independente sobre Demonstrações Financeiras Resumidas

Para o Director-Geral do Banco da China, Limitada Sucursal de Macau
(Sucursal de um banco comercial de responsabilidade limitada, incorporada na República Popular da China)

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco da China, Limitada Sucursal de Macau relativas ao exercício de 2012, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau e no dia 20 de Março de 2013 expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras.

As demonstrações financeiras compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2012, a demonstração de resultados, a demonstração de rendimentos e gastos reconhecidos a demonstração de fluxos de caixa relativas ao exercício findo, e o resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência são um resumo das demonstrações financeiras anuais auditadas e dos livros e registos da sucursal. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e os livros e registos.

Para a melhor compreensão da posicão de negócios da sucursal e dos resultados das suas operações, no período e âmbito abrangido pela auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Lei Iun Mei, Auditor de Contas
KPMG

Macau, aos 20 de Março de 2013.


BANCO DE CONSTRUÇÃO DA CHINA (MACAU), S.A.

(Publicações ao abrigo do artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Administrador, O Chefe da Contabilidade,

Cheong Kin Hong

Lau Chi Keung

Macau, aos 19 de Abril de 2013.

Parecer do Conselho Fiscal

O balanço e a demonstração de resultados deste Banco respeitantes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012, elaborados nos termos das leis de Macau e auditados pela Sociedade de Auditores PricewaterhouseCoopers, são documentos suficientes para mostrar a real situação financeira deste Banco em 31 de Dezembro de 2012 e o lucro apurado do exercício que terminou nesta data.

O Presidente do Conselho Fiscal,
Yiu Wing Fai

Macau, aos 19 de Abril de 2013.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os accionistas do Banco de Construção da China (Macau), S.A.
(Constituído em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco de Construção da China (Macau), S.A. (o Banco) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos do Banco referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Ex.as enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidades nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 5 de Março de 2013.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macau, aos 19 de Abril de 2013.

Relatório do Conselho de Administração

O Conselho de Administração do Banco de Construção da China (Macau), S.A. tem o prazer em submeter aos accionistas o seguinte resultado do exercício respeitante ao ano findo em 31 de Dezembro de 2012:

MOP

Lucro de exploração (líquido de todas as despesas, amortizações e provisões diversas) 22 145 899,33
Dotações para imposto complementar (a deduzir) 2 313 048,00
Resultado do exercício 19 832 851,33
Lucros relativos a exercícios anteriores 287 224 258,83
Totais 307 057 110,16
O Conselho de Administração propôs a seguinte distribuição:
Para reserva legal 4 000 000,00
Lucros não distribuídos a transitar para o exercício seguinte 303 057 110,16

Síntese das actividades do exercício

Os Bancos de Macau encontraram-se num difícil ambiente operacional em 2012 devido à contínua instabilidade económica global provocada pelo impacto resultante da crise da dívida da Europa e desaceleração no desenvolvimento económico dos Estados Unidos da América. Nestas circunstâncias, o nosso Banco registou em 2012 uma redução de 34% nos lucros apurados após os impostos em relação ao ano de 2011, devido ao estreitamento de margem dos juros líquidos resultante da intensa competição do mercado. A receita proveniente da margem dos juros líquidos reduziu 28% em relação ao ano anterior, enquanto que a receita não juro registava um acréscimo de 13%. O negócio de captação de depósitos manteve-se estável, o montante dos créditos concedidos diminuiu 4% enquanto que a qualidade de créditos manteve-se a um muito bom nível. Foi registado um acréscimo de 3% nas despesas operacionais em relação a igual período do exercício anterior.

Olhando para 2013, a situação financeira global deverá ter mais espaço para melhorar com o sustentável crescimento económico dos Estados Unidos da América e a expectativa de manutenção de crescimento económico na China, não obstante a variação e incerteza da crise da dívida soberana da Zona Euro. Em benefício dos factores acima referidos, mais o desenvolvimento sustentável em diversos sectores de Macau, o nosso Banco continua a ser optimista com as perspectivas para Macau. O nosso Banco, como sempre, vai desenvolver mais produtos e serviços de investimento financeiro para atender às necessidades dos clientes, de forma a responder aos apoios por eles prestados.

O Presidente do Conselho Administração,
wok Pui Fong, Miranda

Aos 19 de Abril de 2013.

Instituições em que detém participação superior a 5% do respectivo capital ou superior a 5% dos seus fundos próprios:

Nenhuma.

Lista dos accionistas qualificados:
China Construction Bank (Asia) Corporation Ltd.
Constituída em Hong Kong
Nomes dos titulares dos órgãos sociais
Conselho de Administração:
Sr.ª Kwok Pui Fong, Miranda Presidente
Sr. Zhu Feng Administrador
Sr. Ma Chan Chi Administrador
Sr.ª Lee Wai Meng Administradora
Sr. Cheong Kin Hong Administrador e Gerente-geral
Conselho Fiscal:
Sr. Yiu Wing Fai Presidente
Sr.ª Lau Mei Yuk, Fonnie Vogal
Sr.ª Ho Mei Va Vogal – Auditora
Mesa da Assembleia Geral:
Sr.ª Kwok Pui Fong, Miranda Presidente
Sr.ª Cheng Pui Ling, Cathy Secretária
Sr.ª Cheng Pui Ling, Cathy Secretária

 
BANCO LUSO INTERNACIONAL, S.A.
(Publicações ao abrigo do artigo 75.º do RJSF, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 32/93/M, de 5 de Julho)
Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

O Gerente-Geral O Chefe da Contabilidade
Ip Kai Ming Tsoi Lai Ha

Macao, aos 3 de Abril de 2013

Síntese do relatório de actividade

Em 2012, o ambiente económico e político esteve sujeito a um tumulto contínuo, assistindo-se a mudanças de governos em diversos países, e a consideráveis alterações político-económicas. Por outro lado, a crise da dívida europeia não deu sinais de abrandamento e as economias desenvolvidas mostraram uma recuperação económica lenta, enquanto o crescimento económico da China desacelerou, por força da queda verificada nos sectores das exportações e do imobiliário, do decréscimo da procura interna e da sua excessiva capacidade de produção. Apesar de uma ligeira desaceleração do crescimento económico de Macau face aos valores de 2011, aquele manteve-se num nível altamente elevado.

A complicada situação global externa em 2012 serviu de incentivo para as reformas internas do Banco. Tendo uma história de mais de 30 anos, o Banco Luso Internacional, S.A., através de uma coesão sem precedentes e de um esforço de todos os seus quadros, fez face a esse ambiente em mudança através da promoção de amplas reformas e inovações em sete aspectos das suas operações, nomeadamente, na gestão de recursos humanos, na gestão de activos e passivo, na gestão do funcionamento das suas agências, na inovação de produtos, na expansão de negócios interbancários, na gestão de riscos e na melhoria do ambiente operacional, o que contribuiu de forma significativa para o aumentar da competitividade e rentabilidade do Banco, desse modo injectando uma nova vitalidade no desenvolvimento global do Banco.

As incertezas externas e os ajustamentos e adopção de reformas internas do Banco em 2012 não fizeram oscilar o ritmo de crescimento estável do Banco, tendo ao invés acelerado o seu desenvolvimento. Em 2012, o Banco registou mais um ano de operações bem sucedidas, tendo ultrapassado em muito as metas fixadas. Até ao final de 2012, o saldo dos depósitos bancários e do crédito concedido foi de aproximadamente 25.064.000.000,00 patacas e 20.386.000.000,00 patacas, representando percentagens de crescimento de 36,28% e 66,89% mais do que no ano de 2011, respectivamente. Acresce ainda que foi registado em 2012 um lucro líquido cerca de 147.000.000,00 patacas, que se traduz numa percentagem de crescimento de 15,88% mais do que no ano de 2011, mantendo um sustentado nível de boa qualidade. As inovações e reformas realizadas em 2012 desempenharam um papel crucial no estabelecimento de uma base de acção relativamente sólida, fortalecendo o caminho para um desenvolvimento sustentado do Banco no futuro.

Ao contrário do cenário adverso de crise verificado no ambiente económico exterior, e apesar da desaceleração do crescimento do sector bancário, o Banco conseguiu obter bons resultados em 2012, o que foi conseguido não só pelo esforço conjunto e persistente dos nossos quadros para desenvolver e inovar o nosso negócio, mas também pela determinação inabalável de crescimento do Banco. Ademais, os gratificantes resultados obtidos em 2012 ficaram também a dever-se à confiança incessante e ao apoio manifestados pelo Governo da R.A.E. de Macau, pela Autoridade Monetária de Macau, pelos nossos clientes, colegas banqueiros e pela comunidade em geral. Em nome do Conselho de Administração, gostaria de transmitir os nossos sinceros agradecimentos a todos aqueles que se interessaram e apoiaram o desenvolvimento do nosso negócio!

Embora a previsão económica mundial para 2013 projecte ainda a verificação de um período de ajuste pós-crise, aponta igualmente para que a economia da China Continental tenha um desempenho superior ao do ano de 2012, e aponta também a verificação de um cenário de crescimento económico em Macau. Entretanto, continuaremos, como sempre, a guiar-nos por um ideal de operacionalidade prudente, aprofundando ainda as nossas reformas. Adicionalmente, aproveitaremos as boas oportunidades geradas pela bem sucedida reestruturação da nossa empresa-mãe, a Xiamen International Bank, para explorar activamente canais de negócios específicos, por forma a aumentar os nossos lucros de forma diversificada, e desenvolvendo a nossa eficiência operacional. Por fim, vamos persistir no propósito de proporcionar serviços de qualidade aos cidadãos de Macau e à comunidade empresarial, e gerar valor acrescentado para os nossos accionistas, atribuir melhores benefícios aos nossos funcionários e cuidar de contribuir, acima de tudo, para a prosperidade global e consolidada de Macau!

O Conselho de Administração do Banco Luso Internacional, S.A., tem o prazer em submeter aos accionistas o seguinte resultado do exercício respeitante ao ano findo em 31 de Dezembro de 2012:

MOP
Lucros após imposto relativos ao corrente ano 147 493 123,33
O saldo do lucro do ano passado 262,65
Lucros distribuíveis 147 493 385,98
Transferência para a reserva legal (29 499 000,00)
Transferência para a reserva geral (117 994 000,00)
O saldo do lucro 385,98

Pel’O Conselho de Administração

O Presidente
Lu Yao Ming

Macau, aos 14 de Março de 2013.

Instituições em que detém participação superior a 5% do respectivo capital ou superior a 5% dos seus fundos próprios

Nenhuma.

Accionista qualificada

Xiamen International Investment Limited (constituída em Hong Kong)

Nomes dos titulares dos órgãos sociais

Conselho de Administração

Presidente: Lu Yao Ming
Administradores: Weng Ruo Tong
  Zhu Xue Lun
  Ip Kai Ming
  Jiao Yun Di
  Huang Ming Yuan (renunciou, com efeito a partir de 17 de Setembro de 2012)
Comissão Executiva
Presidente: Lu Yao Ming
Membros: Weng Ruo Tong
  Zhu Xue Lun
  Ip Kai Ming
  Jiao Yun Di
Mesa da Assembleia Geral
Presidente: FUXING PARK DEVELOPMENT LIMITED
  Representada por Lu Yao Ming
Vice-Presidente: PRETTY WON COMPANY LIMITED
  Representada por Tsoi Lai Ha
Conselho Fiscal
Presidente: Lee Fai Ming
Vice-Presidente: Zou Zhi Ming
Membro: Wong Wai Pan
Secretária da Sociedade: Leong Ut Sin

Macao, aos 14 de Março de 2013.

Parecer do Conselho Fiscal

Por força do disposto no artigo 37.º, n.º 1, alínea f) dos estatutos do Banco Luso Internacional, S.A., compete ao Conselho Fiscal certificar-se da exactidão e de forma apropriada do balanço e da demonstração de resultados a apresentar anualmente pelo Conselho de Administração.

Submetido à consideração do Conselho, o relatório do Conselho de Administração e as demonstrações financeiras, referentes a 31 de Dezembro de 2012, bem assim, o relatório da Sociedade de Auditores Lowe Bingham & Matthews – Pricewaterhouse Coopers, datado de 14 de Março de 2013, no qual se afirma que as demonstrações financeiras, apresentam de forma verdadeira e apropriada a situação financeira do Banco em 31 de Dezembro de 2012, e o lucro apurado no exercício então findo.

Examinados os documentos anteriormente mencionados, o Conselho Fiscal pronunciou-se no sentido de que o relatório e as demonstrações financeiras estão em condições de serem apresentadas à apreciação e aprovação da Assembleia Geral dos Accionistas do Banco Luso Internacional, S.A.

O Presidente do Conselho Fiscal

Lee Fai Ming

Macau, aos 26 de Março de 2013

Relatório dos auditores externos sobre as demonstrações financeiras resumidas

Para os Accionistas do Banco Luso Internacional, S.A.
(Constituído em Macau como sociedade anónima)

As demonstrações financeiras resumidas anexas do Banco Luso Internacional, S.A. (o Banco) referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 resultam das demonstrações financeiras auditadas e dos registos contabilísticos do Banco referentes ao exercício findo naquela data. Estas demonstrações financeiras resumidas, as quais compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012 e a demonstração dos resultados do exercício findo naquela data, são da responsabilidade do Conselho de Administração do Banco. A nossa responsabilidade consiste em expressar uma opinião, unicamente dirigida a V. Ex.as enquanto accionistas, sobre se as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco, e sem qualquer outra finalidade. Não assumimos responsabilidade nem aceitamos obrigações perante terceiros pelo conteúdo deste relatório.

Auditámos as demonstrações financeiras do Banco referentes ao exercício findo em 31 de Dezembro de 2012 de acordo com as Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria emitidas pelo Governo da Região Administrativa Especial de Macau, e expressámos a nossa opinião sem reservas sobre estas demonstrações financeiras, no relatório de 14 de Março de 2013.

As demonstrações financeiras auditadas compreendem o balanço em 31 de Dezembro de 2012, a demonstração dos resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração dos fluxos de caixa do exercício findo naquela data, e um resumo das principais políticas contabilísticas e outras notas explicativas.

Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas e com os registos contabilísticos do Banco.

Para uma melhor compreensão da posição financeira do Banco, dos resultados das suas operações e do âmbito da nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas em anexo devem ser lidas em conjunto com as demonstrações financeiras auditadas e com o respectivo relatório do auditor independente.

Cheung Pui Peng Grace
Auditor de contas
PricewaterhouseCoopers

Macao, aos 3 de Abril de 2013


BANCO NACIONAL ULTRAMARINO, S.A.

Balanço anual em 31 de Dezembro de 2012

MOP

MOP

MOP

Demonstração de resultados do exercício de 2012

Conta de exploração

MOP

Conta de lucros e perdas

MOP

A Responsável pela Contabilidade, O Presidente da Comissão Executiva,
Maria Clara Fong Pedro Manuel de Oliveira Cardoso

Síntese do relatório de actividade do Banco Nacional Ultramarino, S.A.

O Banco Nacional Ultramarino, S.A. é o representante do grupo CGD em Macau, continuando a desenvolver a sua actividade de banca universal e simultaneamente a ser um dos bancos com responsabilidade pela emissão de moeda em Macau.

A economia de Macau no ano de 2012, continuou o seu bom desempenho, embora a um ritmo mais lento do que no ano anterior, registando um crescimento de 9,9 por cento, em termos reais, estimulada principalmente, pela exportação de serviços, investimento e despesa em consumo privado, num contexto em que as taxas de juro continuam em níveis historicamente bastante baixos.

O abrandamento verificado do crescimento da economia chinesa afectou Macau, já que o território, que é a capital mundial do jogo, está muito dependente do exterior, designadamente do número de turistas que visita a cidade, sendo na sua maioria, provenientes da China Continental.

Não obstante este fenómeno, o sector do jogo e turismo, bem como as actividades conexas, continuaram a crescer de forma sustentada, embora a um ritmo mais lento, tendo aquele sector apresentado um comportamento favorável, com a receita bruta do jogo a subir 13,5 por cento em 2012. Durante este período, o número total de visitantes chegados ao Território subiu 0,3 por cento. Destacou-se o aumento de turistas da China Continental de 4,6 por cento e a subida de 10,7 por cento das despesas per capita dos mesmos, de acordo com os dados registados no último trimestre de 2012.

A taxa de desemprego desceu para 1,9 por cento no final de 2012, fazendo com que o mercado de trabalho continue praticamente numa situação de pleno emprego.

No que se refere ao investimento, registou-se até final do ano de 2012, um aumento de 19,1 por cento, para o qual contribuíu fundamentalmente o investimento em construção, mais do que o em equipamento.

Assim, neste contexto positivo da economia local, o sector bancário beneficiou da expansão económica registada em Macau, embora os negócios bancários continuem a ser mais competitivos, o que tem vindo a ter efeitos imediatos em termos de quebra na rentabilidade das operações.

O BNU continuou a apresentar um bom desempenho ao nível do crescimento do seu volume de negócio, beneficiando do bom clima económico que a RAEM atravessa, pese embora a já referida intensificação da concorrência no sector bancário, com o consequente impacto nas margens, na captação de depósitos e na concessão de crédito a particulares.

No ano de 2012, o volume de negócio do BNU cresceu 19,1 por cento, com preponderância do crescimento dos recursos de clientes sobre o do crédito, 25 por cento contra 7,9 por cento respectivamente. Com esta evolução mais expressiva dos recursos de clientes, o rácio de transformação de depósitos em crédito em 2012 baixou para cerca de 45,6 por cento contra os 52,9 por cento registados no ano anterior.

A margem financeira do BNU teve um bom desempenho em 2012, registando um aumento de 8,2 por cento em termos anuais, por força da subida do volume de negócio.

Os custos com pessoal na globalidade, registaram um aumento de 3 por cento em relação ao ano anterior e os custos administrativos um incremento de 2,4 por cento, valores inferiores à taxa de inflação registada em Macau.

Quanto ao custo com amortizações do exercício, verificou-se uma subida de 24,1 por cento, por força da reavaliação dos imóveis do Banco.

Assim, neste contexto, o resultado líquido do Banco atingiu 327,1 milhões de Patacas, traduzindo-se num aumento de 0,5 por cento em relação ao ano anterior.

Deve-se ainda salientar que o rácio de crédito vencido baixou de 1,7 por cento para 0,8 por cento.

Com o objectivo de aproveitar plenamente as oportunidades decorrentes do desenvolvimento económico da RAEM, o BNU desenvolveu durante o último ano um projecto de revisão estratégica que culminou com um processo de transformação, que continua em curso e que terá um impacto muito significativo nos próximos anos.

O Banco Nacional Ultramarino, S.A. expressa os seus sinceros agradecimentos a todos os clientes pela confiança depositada e a todos os colaboradores pelo trabalho realizado e toda a sua dedicação e ao nosso accionista, a Caixa Geral de Depósitos, pelo apoio e confiança demonstrados.

O Banco Nacional Ultramarino, S.A. agradece às Autoridades de Macau, e em particular à Autoridade Monetária de Macau, todo o apoio e colaboração prestados.

Macau, aos 22 de Março de 2013.

Presidente da Comissão Executiva
Pedro Manuel de Oliveira Cardoso

Parecer do Fiscal Único do Banco Nacional Ultramarino, S.A.

Senhores Accionistas:

O Conselho de Administração do Banco Nacional Ultramarino, S.A., submeteu ao Fiscal Único, nos termos e para efeitos da alínea e) do art.º 32 dos Estatutos, para emissão de parecer, o Balanço, as Contas e o Relatório Anual respeitantes ao exercício de 2012. Complementarmente foi também enviado o Relatório dos Auditores Externos «Deloitte Touche Tohmatsu», sobre as contas do Banco Nacional Ultramarino, S.A., relativas àquele mesmo exercício.

O Fiscal Único acompanhou, ao longo do ano, a actividade do Banco, tendo mantido contacto regular com a Administração e dela recebido sempre e em tempo a adequada colaboração e esclarecimentos.

Analisados os documentos remetidos para parecer, constata-se que os mesmos são suficientemente claros, reflectindo a situação patrimonial e económica-financeira do Banco.

O Relatório do Conselho de Administração traduz de forma clara o desenvolvimento das actividades do Banco no decurso do exercício em apreciação.

O Relatório dos Auditores Externos, tido em devida conta pelo Fiscal Único, refere que os documentos de prestação de contas apresentados evidenciam de forma verdadeira e apropriada a situação financeira do Balanço em 31 de Dezembro de 2012, bem como os resultados das operações referentes ao exercício findo naquela data, com observância dos princípios contabilísticos da actividade Bancária.

Face ao exposto, o Fiscal Único decidiu dar parecer favorável à aprovação do:

1. Balanço e Demonstração de Resultados;

2. Relatório Anual do Conselho de Administração.

Macau, 28 de Março de 2013.

O Fiscal Único,
Chui Sai Cheong.

Síntese do parecer dos auditores externos

Para os accionistas do Banco Nacional Ultramarino, S.A.

Procedemos à auditoria das demonstrações financeiras do Banco Nacional Ultramarino, S.A. relativas ao ano de 2012, nos termos das Normas de Auditoria e Normas Técnicas de Auditoria da Região Administrativa Especial de Macau. No nosso relatório, datado de 8 de Março de 2013, expressámos uma opinião sem reservas relativamente às demonstrações financeiras das quais as presentes constituem um resumo.

As demonstrações financeiras a que acima se alude compreendem o balanço, à data de 31 de Dezembro de 2012, a demonstração de resultados, a demonstração de alterações no capital próprio e a demonstração de fluxos de caixa relativas ao ano findo, assim como um resumo das políticas contabilísticas relevantes e outras notas explicativas.

As demonstrações financeiras resumidas preparadas pela gerência resultam das demonstrações financeiras anuais auditadas a que acima se faz referência. Em nossa opinião, as demonstrações financeiras resumidas são consistentes, em todos os aspectos materiais, com as demonstrações financeiras auditadas.

Para a melhor compreensão da posição financeira do Banco Nacional Ultramarino, S.A. e dos resultados das suas operações, no perío­do e âmbito abrangido pela nossa auditoria, as demonstrações financeiras resumidas devem ser lidas conjuntamente com as demonstrações financeiras das quais as mesmas resultam e com o respectivo relatório de auditoria.

Quin Va
Auditor de Contas
Deloitte Touche Tohmatsu — Sociedade de Auditores

Macau, aos 8 de Março de 2013.

Banco Nacional Ultramarino, S.A.

Instituições em que detém participação superior a 5% do respectivo capital ou superior a 5% dos seus fundos próprios:

Nada consta.

Lista dos Accionistas Qualificados

• Caixa Geral de Depósitos, S.A.         97,13%

Órgãos Sociais

Mesa da Assembleia Geral
Presidente : Joaquim Jorge Perestrelo Neto Valente
Vice-presidente : Liu Chak Wan
Conselho de Administração
Presidente : CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS, S.A.,
  representada por Rodolfo Vasco Castro Gomes Mascarenhas Lavrador
Vice-presidente : Pedro Manuel de Oliveira Cardoso
Administradores : Herculano Jorge de Sousa
  António Luís Neto
  Kan Cheok Kuan
  Pedro Miguel Canales Escudero
  Emílio Carlos Monteiro Nunes de Castro até 31 de Julho de 2012
Comissão Executiva
Presidente : Pedro Manuel de Oliveira Cardoso
Membro : Kan Cheok Kuan
  Pedro Miguel Canales Escudero
Fiscal Único : Chui Sai Cheong
Secretária : Maria de Lurdes Nunes Mendes da Costa

    

Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
Get Adobe Reader