[ Página Anterior ][ Versão Chinesa ]

Diploma:

Despacho n.º 36/GM/95

BO N.º:

29/1995

Publicado em:

1995.7.17

Página:

998

  • Cria o Gabinete para a Análise e Avaliação de Recursos, com a natureza de equipa de projecto.

Versão Chinesa

Alterações :
  • Despacho n.º 85/GM/98 - Dá nova redacção ao ponto 4 do Despacho n.º 36/GM/95, de 7 de Julho, publicado no Boletim Oficial n.º 29/95, I Série, de 17 de Julho.
  • Diplomas
    relacionados
    :
  • Decreto-Lei n.º 85/84/M - Estabelece bases gerais da estrutura orgânica da Administração Pública de Macau. — Revoga a Lei n.º 10/79/M, de 28 de Abril.
  • Despacho n.º 36/GM/98 - Prorroga a duração do Gabinete para a Análise e Avaliação de Recursos até 31 de Dezembro de 1998.
  • Categorias
    relacionadas
    :
  • DIRECÇÃO DOS SERVIÇOS PARA OS ASSUNTOS LABORAIS -
  • Notas em LegisMac

    Versão original em formato PDF

    Despacho n.º 36/GM/95

    A criação de condições favoráveis ao desenvolvimento económico e social, do Território, atendendo à feição eminentemente liberal e ao marcado grau de abertura da economia de Macau, constitui um o objectivo prioritário da Administração.

    A manutenção das, características da economia e a prossecução de ritmos sustentados de crescimento do Território, nomeadamente no que respeita ao impacto das exportações de bens e serviços, exige que seja prestada particular atenção à disponibilidade e à gestão dos recursos necessários à produção, em condições concorrenciais, face aos mercados internacionais.

    Neste contexto, os recursos humanos assumem especial importância, devendo a sua gestão pautar-se por um adequado equilíbrio, quantitativo e qualitativo, entre a mão-de-obra residente disponível e o recurso à contratação de trabalhadores provenientes do exterior.

    A intervenção da Administração nesta matéria deve conciliar os interesses manifestados pelos vários agentes económicos, numa perspectiva de progresso, estabilidade e bem-estar social.

    Para o justo desempenho do papel de regulador que, portanto, não pode deixar de exercer, a Administração necessita de dispor, a todo o momento, de informação completa e actualizada sobre o estado da economia e as perspectivas que se desenham para os sectores-chave, no quadro das medidas de política global e sectorial definidas.

    Torna-se, assim, necessária a criação de uma estrutura vocacionada para a observação atenta e permanente dos fenômenos que ocorrem nos domínios económico e social e a consequente elaboração de quadros de referência e de alerta que visem a oportunidade e a eficácia das decisões.

    Nestes termos, usando da faculdade conferida pela alínea b) do n.º 1 e n.º 2 do artigo 16.º do Estatuto Orgânico de Macau, em conjugação com o disposto no artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 85/84/M, de 11 de Agosto, o Governador manda:

    1. É criado o Gabinete para a Análise e Avaliação de Recursos, abreviadamente designado por GAAR, com a natureza de equipa de projecto.

    2. O GAAR tem como objectivos:

    a) Efectuar estudos no domínio da macroeconomia, nomeadamente aqueles que se relacionam com a evolução das variáveis caracterizadoras dos principais sectores de actividade do Território;

    b) Coligir e analisar a informação respeitante à afectação dos recursos humanos, materiais e financeiros, bem como à sua adequação às linhas programáticas definidas para o desenvolvimento económico e social do Território;

    c) Conceber e propor medidas que visem ajustar a disponibilidade da mão-de-obra, nos planos quantitativo e qualitativo, às necessidades deste factor de produção decorrentes do ritmo de crescimento evidenciado pela economia, na globalidade, e pelos sectores de actividade;

    d) Coordenar as acções relacionadas com a gestão processual dos pedidos de contratação de trabalhadores não-residentes;

    e) Conceber e implementar as medidas que possibilitem o acompanhamento da execução das decisões superiormente tomadas sobre a contratação de mão-de-obra no exterior, em articulação com os órgãos da Administração que detêm a competência do controlo dos movimentos migratórios.

    3. O GAAR tem um prazo de duração previsível de três anos.

    4. O GAAR, que funciona na dependência do Secretário-Adjunto para a Coordenação Económica, tem um coordenador e um coordenador-adjunto equiparados, para efeitos remuneratórios, a director e subdirector, respectivamente, da coluna 1 do mapa 1 anexo ao Decreto-Lei n.º 85/89/M, de 21 de Dezembro, sendo designados por despacho do Governador e providos em regime de comissão de serviço.*

    * Alterado - Consulte também: Despacho n.º 85/GM/98

    5. O pessoal necessário ao funcionamento do GAAR pode ser destacado ou requisitado aos serviços a que esteja vinculado, contratado nas formas previstas no artigo 21.º do Estatuto dos Trabalhadores da Administração Pública de Macau, aprovado pelo Decreto-Lei n.º 87/89/M, de 21 de Dezembro, ou admitido por contrato de tarefa, ou ainda, mediante celebração de contrato individual de trabalho, sob proposta do coordenador.

    6. Para cumprimento dos seus objectivos o GAAR pode solicitar aos serviços públicos, organismos autónomos e outras entidades públicas os dados e informações que se tornem necessários.

    7. As despesas de instalação e funcionamento são suportadas por verba a inscrever no OGT, na tabela de despesas do Gabinete do Secretário-Adjunto para a Economia e Finanças.

    Gabinete do Governador, em Macau, aos 7 de Julho de 1995.


    [ Página Anterior ][ Versão Chinesa ]

       

      

        

    Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
    Get Adobe Reader