[ Página Anterior ][ Versão Chinesa ]

Diploma:

Despacho n.º 32/GM/92

BO N.º:

12/1992

Publicado em:

1992.3.23

Página:

1179

  • Cria o Gabinete de Inspecção e Auditoria Técnica, com natureza de equipa de projecto.

Versão Chinesa

Alterações :
  • Despacho n.º 79/GM/96 - Dá nova redacção ao n.º 4 do Despacho n.º 32/GM/92, de 18 de Março (Criação do Gabinete de Inspecção e Auditoria Técnica).
  • Diplomas
    relacionados
    :
  • Despacho n.º 7/GM/94 - Prorroga, por mais dois anos, o prazo de duração do Gabinete de Inspecção e Auditoria Técnica, como equipa de projecto.
  • Despacho n.º 15/GM/96 - Prorroga a duração do Gabinete de Inspecção e Auditoria Técnica.
  • Despacho n.º 29/GM/98 - Prorroga a duração do Gabinete de Inspecção e Auditoria Técnica.
  • Categorias
    relacionadas
    :
  • ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA -
  • Notas em LegisMac

    Despacho n.º 32/GM/92

    Em todas as organizações modernas é hoje reconhecida a necessidade da existência de serviços inspectivos e de auditoria que assegurem a adequada aplicação dos recursos e a realização dos programas dentro dos prazos e dos custos previstos, considerando as decisões tomadas, as normas e os princípios em vigor. Em Macau, vem-se apontando o deficiente funcionamento dos serviços públicos como elemento limitativo do desenvolvimento económico e fonte de distorção dos princípios éticos e deontológicos que devem presidir ao exercício de funções públicas. Na mesma linha de pensamento se enquadram as permanentes referências a uma menos criteriosa gestão dos recursos, humanos e materiais, de que dispõem os diversos organismos da Administração. Neste sentido, a existência de uma adequada estrutura inspectiva de auditoria e de acompanhamento das actividades dos diversos organismos que integram a Administração Pública do Território pode contribuir eficazmente para o aperfeiçoamento e controlo dos serviços públicos, detectando e caracterizando as situações e os factores impeditivos da sua eficiência.

    A dinamização da actividade inspectiva de auditoria e acompanhamento de programas corresponde, de resto, à concretização de uma intenção política já revelada pelo n.º 11 do Despacho n.º 106/GM/91, de 27 de Maio, e caminha no sentido dos objectivos políticos fixados nas linhas de acção governativa para 1992, em especial na parte respeitante ao funcionamento da Administração.

    Assim, e sem prejuízo de se exigir aos serviços o cumprimento responsável das suas atribuições optou-se, nesta fase, pela criação de um gabinete de inspecção e auditoria técnica, com a natureza de equipa de projecto.

    Nestes termos, ao abrigo da alínea b) do n.º 1 e n.º 2 do artigo 16.º do Estatuto Orgânico de Macau, conjugado com o artigo 10.º do Decreto-Lei n.º 85/84/M, de 11 de Agosto, determino:

    1. É criado o Gabinete de Inspecção e Auditoria Técnica, abreviadamente designado por GIAT, com a natureza de equipa de projecto.

    2. O GIAT recebe orientações e directivas do Governador, sendo a execução das suas acções e o respectivo apoio logístico coordenados pelo Secretário-Adjunto para a Administração, Educação e Juventude.

    3. O GIAT actua no âmbito de toda a Administração Pública, incluindo serviços e fundos autónomos, bem como os municípios.

    4. No exercício da actividade de inspecção e de auditoria técnica, compete ao GIAT:

    a) Realizar inspecções, inquéritos e sindicâncias e instruir os respectivos processos;

    b) Efectuar auditorias, emitindo pareceres sobre os documentos de prestação de contas, nos casos determinados superiormente;

    c) Elaborar estudos e pareceres sobre o funcionamento dos serviços;

    d) Formular propostas para a melhoria do funcionamento dos serviços;

    e) Apoiar os serviços quando estes o solicitarem.

    f) Averiguar das queixas de particulares relativamente a casos de desrespeito flagrante pelos direitos de decisão de processos que lhes digam respeito. *

    * Aditado - Consulte também: Despacho n.º 79/GM/96

    5. O GIAT tem também por objectivos o estudo e elaboração do projecto de diploma visando a criação da estrutura que, no futuro, desempenhe as atribuições que ora são cometidas à equipa de projecto.

    6. O GIAT, enquanto equipa de projecto, tem a duração previsível de dois anos.

    7. O GIAT é orientado por um coordenador designado por despacho do Governador, sendo equiparado, para efeitos remuneratórios, a assessor do Gabinete de Secretário-Adjunto e provido em regime de comissão de serviço.

    8. O GIAT é integrado pelo pessoal considerado estritamente necessário à realização dos seus objectivos, podendo o mesmo ser destacado ou requisitado aos serviços a que esteja vinculado, ou admitido em regime de contrato.

    9. As despesas de instalação e funcionamento do GIAT são suportadas por verbas do Gabinete do Secretário-Adjunto para a Administração, Educação e Juventude e outras que lhe sejam atribuídas através de dotação a fixar por despacho do Governador.

    Gabinete do Governador, em Macau, aos 18 de Março de 1992.


    [ Página Anterior ][ Versão Chinesa ]

       

      

        

    Versão PDF optimizada para Adobe Reader 7.0 ou superior.
    Get Adobe Reader